O Bambino do violino

                    
O Bambino do violino


A cal├žada era comum

Uma bela fonte a jorrar

Um belo italiano bambino 

Abra├žado ao seu violino

Com olhos a catar

A quem pudesse chegar

Suas vestes condiziam

A necessidade sentida

Mas seu alegre olhar

Não podia esconder

Sua vontade de ajudar

Os passantes a sonhar


As muitas moedas roladas

Ficavam sofisticadas

Como a melodia por ele tocada

Revelava o bom das saudades

Aquelas alegres, gostosas

Nunca esquecidas

Que um dia foram vividas


Ele tinha o poder

De oferecer sem perceber

Alegrar os cora├ž├Áes

Com acordes de emo├ž├úo

E talento ex├şmio┬á

De um belo italiano bambino

Criei um mundo inteiro dentro da minha cabe├ža