DESEJOS

Desejo a vocês…
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.
 

Vazio

A noite é como um olhar longo e claro de mulher.
Sinto-me só.
Em todas as coisas que me rodeiam
Há um desconhecimento completo da minha infelicidade.
A noite alta me espia pela janela
E eu, desamparado de tudo, desamparado de mim próprio
Olho as coisas em torno
Com um desconhecimento completo das coisas que me rodeiam.
Vago em mim mesmo, sozinho, perdido
Tudo é deserto, minha alma é vazia
E tem o silêncio grave dos templos abandonados.
Eu espio a noite pela janela
Ela tem a quietação maravilhosa do êxtase.
Mas os gatos embaixo me acordam gritando luxúrias
E eu penso que amanhã…
Mas a gata vê na rua um gato preto e grande
E foge do gato cinzento.
Eu espio a noite maravilhosa
Estranha como um olhar de carne.
Vejo na grade o gato cinzento olhando os amores da gata e do gato preto
Perco-me por momentos em antigas aventuras
E volto à alma vazia e silenciosa que não acorda mais
Nem à noite clara e longa como um olhar de mulher
Nem aos gritos luxuriosos dos gatos se amando na rua.

TEXTO DO DIA

https://renokadventures.files.wordpress.com/2011/11/camel-trek-india.jpg
 
Sábio é quem monotoniza a existência, pois então cada pequeno incidente tem um privilégio de maravilha. O caçador de leões não tem aventura para além do terceiro leão. Para o meu cozinheiro monótono uma cena de bofetadas na rua tem sempre qualquer coisa de apocalipse modesto. Quem nunca saiu de Lisboa viaja no infinito no carro até Benfica, e, se um dia vai a Sintra, sente que viajou até Marte. O viajante que percorreu toda a terra não encontra de cinco mil milhas em diante novidade, porque encontra só coisas novas; outra vez a novidade, a velhice do eterno novo, mas o conceito abstracto de novidade ficou no mar com a segunda delas.

Ameniza

 
 
Minha dor
Renova-me
Minha dor
Ameniza,ameniza
Liberta,Liberta-me
Minha dor

Ameniza
Coloca-me ordem
Ameniza
Se engaram
É fato , é fato
Ameniza

Me reconcilia com meu inimigo
Ameniza
Me reconcilia com meu inimigo

Ameniza

Ameniza a dor
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Ameniza-me
Minha dor, Rei
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Está doendo

Ameniza
Coloca-me ordem
Ameniza
Se engaram
É fato , é fato
Ameniza

Me reconcilia com meu inimigo
Ameniza
Me reconcilia com meu inimigo

Ameniza

Ameniza a dor
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Ameniza-me
Minha dor, Rei
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor
Minha dor

Ameniza

Ameniza a dor
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Ameniza-me
Minha dor, Rei
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Está doendo

Ameniza a dor
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Ameniza-me
Minha dor, Rei
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Ameniza-me
Minha dor, Rei
Ameniza minha dor
Ameniza minha dor

Está doendo

Correntezas do Orinoco(Enya)

 

Me deixe navegar, me deixe navegar,
deixe as correntezas do Orinoco,
lê deixe chegar, me deixe encalhar
nas praias de Trípoli…
Me deixe navegar, me deixe navegar,
me deixe quebrar em sua costa,
lê deixe chegar, me deixe encalhar
muito além do Mar Amarelo…

De, de
de, de
de, de
de, de
de, de

Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.

De Bissau para Palau – na sombra de Avalon,
de Fiji para Tiree e as Ilhas de Ebony,
do Peru para Cebu sinta o poder do Babilônia,
de Bali para Cali – muito abaixo do Mar de Coral.

De, de
de, de
de, de
de, de
de, de

Descubra-o, descubra-o, descubra-o, ooh
Descubra-o, descubra-o, descubra-o, ooh
Descubra-o, descubra-o, descubra-o, adeus.Aah..

Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.

De Norte a Sul, de Ebudae para Khartoum,
do profundo Mar de Nuvens para a Ilha da Lua,
me carregue nas ondas para as terras em que nunca estive,
me carregue nas ondas para as terras que nunca vi
Nós podemos navegar, nós podemos navegar nas correntezas do Orinoco…
Nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)

Nós podemos pilotar, podemos nos aproximar
com Rob Dickins na direção,
Nós podemos suspirar, dizer adeus a Ross e suas dependências
Nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)

Nós podemos chegar, nós podemos encalhar
nas praias de Trípoli,
nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)
De Bali para Cali – muito abaixo do Mar de Coral,
nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)
De Bissau para Palau – na sombra de Avalon,
nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)
Nós podemos chegar, podemos encalhar
muito além do Mar Amarelo,
Nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)
Do Peru para Cebu, ouça o poder do Babilônia,
Nós podemos navegar, nós podemos navegar…
(veleje, veleje, veleje)
Nós podemos navegar, nós podemos navegar.

Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.
Veleje, veleje, veleje.

Só o Tempo

 

Quem pode dizer aonde vai a estrada ?
Para onde vão os dias ?
Só o tempo

E quem pode dizer se o seu amor crescerá

conforme seu coração escolher ?
Só o tempo
Quem pode dizer porque seu coração suspira
conforme seu amor flutua ?
Só o tempo

E quem pode dizer porque seu coração chora

quando seu amor morre?
Só o tempo

Quem pode dizer quando os caminhos se cruzam

que o amor deve estar
em seu coração ?

E quem pode dizer quando o dia termina

se a noite guarda todo o seu coração ?
se a noite guarda todo o seu coração…

Quem pode dizer se o seu amor crescerá

conforme seu coração quiser ?
Só o tempo

E quem pode dizer aonde vai a estrada ?

Para onde vão os dias ?
Só o tempo

Quem sabe?

Noite vintage

 É rápido como uma sombra, curto com um sonho
Breve como um relâmpago na noite fria
Que com melancolia revela tanto o céu quanto a terra
E antes que o homem consiga dizer “Veja!”
Os dentes da noite o devoram.
E assim, depressa, tudo o que é luminoso
Desaparece em meio à perplexidade