Sentimento de Gratidão

 

 

Há dias em que
a muralha desmorona
e toda a imagem de força
se dissolve, a olho nu,
na fragilidade da desolação…
É a hora em que
se percebe que não dá
para sozinho encarar
o desafio a desbravar…
E o normal, neste momento,
é simplesmente desabar…
e, no fundo do poço, acabar,
acreditando que, nunca mais,
vai novamente se levantar…
E, nesta sensação de depressão,
é maravilhoso sentir a mão
que apóia e resgata
de onde não se tinha mais visão.
O que conforta
e sinceramente consola
não vem com vãs ilusões
ou inebriantes promessas
do impossível ou inexplicável,
mas, sim, com o respeito,
a verdade e o encorajamento
para enfrentar a realidade.
Por isso, maior que o resultado,
que não depende da vontade
ou da efetiva necessidade,
é o refrigério de saber
que tudo que era possível
foi realmente feito,
e a quem nos apóia
só se reserva a única resposta
que a coerência de caráter impõe,
que é a mais gratificante sensação:
o sentimento de gratidão.

Sentimento Inominado

Vivo constantemente
um sentimento inominado
ao tentar entender
se falo para o lado
certo do cérebro amado

Há muito constatei
que o lado esquerdo,
que serve para a lógica,
matemática e coerência,
é visivelmente retardado

Já, literalmente, por outro lado,
o direito, que é reservado
para a sensibilidade,
interpretação e poesia,
é, sem dúvida, super-dotado

E assim vou vivendo,
na inconstância do momento,
sem saber se o que digo
é o inicio da solução
ou a causa da confusão.

Se o lado esquerdo
controla a linguagem
e a razão, como viver
para, um dia, saber
onde guardo minha emoção?

Se o lado direito
é bom em reconhecer rostos,
o que seria de quem
perde o adolescente poder
de julgar pela aparência?

Se o lado esquerdo
detecta o presente
e racionaliza o lugar no universo,
o lado direito é onisciente
e onipresente em qualquer verso.

Por isso, o esforço em entender
se mistura com o prazer
de simplesmente conviver,
a cada dia, com cada lado
do chamado sentimento inominado.

Querer bem

Queria estar ao teu lado,
Como um amigo ou namorado,
Aprendendo a cada dia,
A amar e ser amado.

Um abraço apertado,
Um olhar de ternura,
Um sorriso no rosto,
Sinal de candura.

Sinto falta de você por perto,
Enquanto grande amiga,
Do certo e do incerto,
Da minha vida.

Você é um exemplo de pessoa,
Torna fácil expressar…
o sinônimo de um ser amável e gente boa.

Não sei se é coisa do destino,
Se essa história possui algum tino,
Sei que o meu viver bem…
já não é mais o mesmo sem você.

Perto ou distante,
No passado ou adiante,
Estarei sempre ao seu lado,
Como um bom amigo ou namorado.

A sua felicidade é o suficiente,
Um querer bem que não se vê,
Se sente!

A Um Grande Amigo!

Amigo é difícil de se encontrar.
Quando se encontra, é difícil de se manter.
Mas, com paciência, carinho e amizade.
Tudo fica fácil de acontecer.

Ao nosso lado, em qualquer momento.
Sempre disposto a ajudar e a compartilhar
As Alegrias e agruras. Até no Bilhar.
Ou seja: não escolhe hora ou evento.

Quem descobre ou acha este tesouro.
Não pode descuidar ou ficar inerte.
Cativar um amigo vale mais que ouro.

Não se deve contentar com mero flerte.
Tem que se esforçar para colher seus louros
Com muita disposição, desde seu nascedouro.
 

Soneto para uma Flor

Quero tocar teu gineceu
com um doce beijo meu
e ver como o gosto de minha boca
te deixaria toda louca…

Deslizar em tuas folhas,
como quem acaricia os cabelos,
sem ter medo que te encolhas
com a força de meus dedos

No jardim, com teu lume,
apreciar o teu perfume,
sem nunca despetalar,

na certeza de que teu pulso
cede a cada meu impulso
para sempre me desejar.

Teus seios

Não sei dizer o que são,

Nem dizer o que sinto ante a beleza neles contida,

São montanhas, as mais sublimes,

O encanto feito de sonho com maciez de algodão,

Sim, teus seios são sonhos, são nuvens, são ilusões;

Sonhos que levas no peito ao coração imenso(s)

De tão imorredouro, e intenso, teu coração neles se confunde.

E se fundem num emaranhado tão inebriantemente rico e singelo,

Que nos ajoelhamos ante tua presença sem saber onde começa o coração e terminam os seios?

Sei-os e não os sei.

Teu coração é acima, e rota de chegada é ponto de partida,

De todo Amor do mundo, do maior Amor do mundo que ultrapassam a própria beleza.

São seios tão belos que, são mais que serem belos, são elos entre o despertar e o anoitecer, são alvorada e crepúsculo, idéias, ideais, monumentos colossais,

Por teus seios países entrariam em guerras e fariam as pazes,

A cimeira da arquitetura humana !

São quereres, são moldes, são momentos mais que eternos, são acontecimentos, são sorte e virtú onipresentes…

Sei-os teus e de ninguém mais…

 

São sinceros, são leais;

Nada resta impassível ante eles, antes deles é como se nada mais houvesse…

É como se tudo fosse depois deles,

Relevos da generosidade,

São relevos da arquitetura de Deus,

Engenharia Divina !!! Divina !!!

Relevos que elevam…

Teus seios são teu coração,

Tua constelação de duas grandes estrelas,

Duas montanhas numa só cordilheira,

Alumiada pela mais linda luz que pode um coração iluminar,

Que da fenda entre eles, de ponta a ponta surge o mais lindo Arco-Íris…

Ponte entre o cume de teus montes…última e única promessa de felicidade !

A lembrança mais secreta,

De teu tesouro, as mais riquezas,

São sem palavras e são manifestas que dizem que teu coração são seios,

Coração altivo,

Inquebrantável, incorruptível, infinito…

Teu coração são asas,

São casas de se morar e se viver, de descansar de desejar, de namorar, de demorar, de merecer…

Teu coração são seios que são asas que voam por onde quer que passes.

E que querem quando ele quer,

E pulsam conjuntamente de tão plenos, de tão certos, são instantes eternos,

São verdades tão brilhantes que nos cegam.

 

São poesias de ouro,

São versos mais diversos,

Curvas perfeitas do universo,

Paralelas que se encontram no infinito,

Que diante de tudo

Teu coração PREVALECE !

Dura Realidade

A vida é um conjunto
de ocorrências aleatórias,
desprovidas de significado
ou qualquer substância.
Nascemos sem qualquer culpa
ou a menor responsabilidade,
sendo expostos, sem misericórdia,
a uma série infinita de humilhações,
projetadas para reforçar
nossa absoluta impotência
diante de um universo
que nunca nos quis…
Mas, ainda assim, resistimos…