33 coisas que a ciência já descobriu sobre a maconha

Clínica Gressus

  33 coisas que a ciência já descobriu sobre a maconha

Info Exame – Saulo Pereira Guimarães

Polêmica acesa

 A maconha é a droga ilícita mais cultivada, traficada e consumida do mundo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde. Por essa e diversas outras razões, a erva tem despertado a curiosidade de muita gente na ciência. E não faltam estudos sobre o tema. Reunimos a seguir alguns deles.

Consumo

Cerca de 8 milhões de brasileiros já experimentaram maconha. O dado é do 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas, realizado pelo Governo Federal em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Dos 8 milhões que já fumaram a erva, aproximadamente 1,5 milhão faz isso diariamente.

Entrada?

A tese de que a maconha é uma porta de entrada para outras drogas pode não fazer sentido. Pelo menos, foi o que apontou um estudo da universidade de Pittsburgh. Nele, 214 meninos com algum tipo de envolvimento com drogas legais…

Ver o post original 1.973 mais palavras

Anúncios

The iPhone 6 Plus Is Great For Gamers

Batatas ao forno

Livro de receitas da deca calazans

receita-batata-forno

Ingredientes  

. 1 kg de batata descascada e cortadas em rodelas finas
. 1 lata de creme de leite
. 1 xícara (chá) de leite
. 1 cebola picada
. 1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
. 1/2 xícara (chá) de queijo provolone ralado
. Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

1. Unte um refratário com um pouco de margarina.

2. Distribua as rodelas de batata. Reserve.

3. No liquidificador, bata o creme de leite, o leite, a cebola, o queijo parmesão, o queijo provolone, o sal e a pimenta.

4. Despeje sobre a batata, tampe com papel alumínio e asse no forno pré-aquecido  a 200ºC por 30 minutos.

5. Retire o papel alumínio e deixe dourar. Sirva em seguida.

Dicas: para um sabor mais suave, substitua o queijo provolone por ricota.

Fonte:http://mdemulher.abril.com.br

Ver o post original

ISIS is the Antithesis of Hajj, the Holy Pilgrimage

TIME

PatheosLogo_Blue

This article originally appeared on Patheos.

Every year during the time of hajj a feeling of nostalgia overcomes me as the media begins covering one of the world’s largest annual religious gatherings. Although I performed hajj almost nine years ago, the experience feels like yesterday. It was the journey of a lifetime.

But this year, hajj will take place against the ugly backdrop of a group that has come to represent the antithesis of what the pilgrimage signifies: Unity through diversity, brotherhood and equality, and the sanctity of religion, its symbols and holy places.

As ISIS sends another two hundred thousand Muslim Kurds fleeing into Turkey after terrorizing Christian, Yazidi, and other populations for months, millions of pilgrims in Islam’s two holiest cities are gathered to peacefully commemorate Abraham, the father, not only of Islam, but of Judaism and Christianity.

The entirety of the hajj takes place in and…

Ver o post original 630 mais palavras

Now THIS Is A Sticky Situation

Watch What’s At Stake In Hong Kong

Awesome treehouse café in Yokohama satisfies our longing for bagels, beer, and nature

SoraNews24

TC 32

Not too long ago, I ate ramen from a can on a Tokyo backstreet. It didn’t taste half-bad, but between the barkers for maid cafes and the homeless guy raiding the surrounding vending machines’ recycling bins for cans, it really didn’t make for the most elegant dining ambience.

But the great thing about Japan is the contrasting extremes you can find, and if eating in the middle of Tokyo’s concrete jungle by the soft glow of neon signs isn’t to your liking, you can always come on down to Yokohama, which has a café with plenty of natural sunlight thanks to the restaurant actually being an awesome treehouse.

Ver o post original 730 mais palavras