Curiosidades dos 100 anos de naufrágio do Titanic

 

Hoje o naufrágio do Titanic completa 100 anos. Nunca uma tragédia da humanidade ganhou tanto apelo popular quanto a do transatlântico que se chocou com um iceberg. A fracassada viagem chega a seu centenário repleta de mitos, fascínio, histórias, homenagens e curiosidades:

O livro “Futility” (em português, “Futilidade”), de Morgan Robertson, conta a história de um glamoroso navio, dito o maior do mundo, que nunca afundaria, atingia de 24 a 25 nós, media 244 metros e pesava 70 mil toneladas. Os passageiros faziam parte da elite social e não havia botes salva-vidas suficientes para todos. Numa noite gelada, o navio “inafundável” do romance bateu em um iceberg e sofreu um rasgo em seu casco. Mas a maior coincidência é o nome do transatlântico do livro: “The Titan”. O livro foi publicado 14 anos antes de o Titanic zarpar.

O R.M.S. Titanic começou a ser fabricado em 1909, na Irlanda do Norte. Media 286 metros, pesava 46.328 toneladas e navegava a uma velocidade média de 18 nós, podendo chegar a 23 nós. Seu comprimento era maior do que a altura do prédio mais alto de Nova York, na época. Era o maior navio do mundo. Confira a única filmagem existente do navio original:

A construção do transatlântico custou cerca de 7,5 milhões de dólares.

Era o segundo de três grandes cruzeiros construídos pela White Star Line para cruzar o Oceano Atlântico. O primeiro deles foi o Olympic, que fez a rota Southampton – Nova York (a mesma programada para o Titanic) em 1911.

A sigla R.M.S. significa “Royal Mail Steamer”, algo como “navio a vapor de correspondência Real”.

Só o leme do Titanic tinha a altura de um prédio de sete andares e pesava cerca de 101 toneladas. Era, portanto, mais pesado que o navio Santa Maria, de Cristóvão Colombo.

Sua construção foi concluída em 31 de maio de 1911. No mesmo ano, o navio foi lançado ao mar pela primeira vez.

Em 1902, o milionário americano J. Pierpont Morgan comprou a empresa “White Star Line”, que construiu o transatlântico Titanic. Morgan deveria embarcar no navio na viagem inaugural, mas teve que cancelar na última hora. Ele tinha sua suíte particular, que nunca chegou a ser usada.

A viagem inaugural do Titanic aconteceu no dia 10 de abril de 1912. Havia 2.225 pessoas a bordo.

Dos mais de 800 tripulantes do navio de luxo, 500 eram garçons, cozinheiros e músicos. Havia duas orquestras a bordo do Titanic.

Os bilhetes para viajar no Titanic custavam entre 7 e 870 libras (hoje esse intervalo corresponderia a 20 a 2.500 libras). Os bilhetes mais baratos davam direito a um colchão em um beliche. Os passageiros que pagavam mais caro ficavam em ambientes com dois quartos, área de estar, banheiro privativo, quarto de empregados e sacada.

O passageiro mais rico do transatlântico, John Jacob Astor IV, tinha uma fortuna estimada em 4,2 bilhões de reais, em valores ajustados pela inflação. Ele morreu no naufrágio.

O navio oferecia aos passageiros da 1ª e 2ª classes um bistrô e um café parisiense, que virou ponto de encontro dos jovens. O Titanic carregava um estoque de 34 toneladas de carne, 35 mil ovos, 40 toneladas de batatas, 453 quilos de sachês de chá e 15 mil garrafas de cerveja.

Não faltavam entretenimento e conforto no maior transatlântico do mundo: estavam disponíveis para os passageiros uma piscina, sauna, uma quadra de squash, três bibliotecas, elevadores elétricos, salas de recepção, restaurantes, salas de concerto e academias de ginástica equipadas com bicicletas, aparelhos de treino para o remo e um cavalo elétrico para os praticantes de hipismo.

Às 23 horas e 15 minutos de um domingo, 14 de abril de 1912, o navio colidiu com um enorme iceberg. Transmitiu sua última mensagem 40 minutos depois: “Afundamos”. Às 2h20 da manhã do dia 15, o Titanic já estava completamente submerso.

Há uma grande polêmica sobre o exato ponto onde o acidente ocorreu. Hoje, a carcaça do navio está na latitude 41º43’ Norte e na longitude 49º56’ Oeste. A última posição detectada em pedidos de socorro foi na latitude 41º46’ Norte e longitude 50º14’ Oeste.

Apenas 713 pessoas se salvaram. Calcula-se que cerca de 800 dos 1512 mortos foram devorados por tubarões. Só havia botes suficientes para metade dos passageiros do navio.

A equipe de salvamento chegou ao local no dia 15 de abril e recolheu quem ainda não havia morrido congelado. O número de botes salva-vidas era insuficiente para o número de passageiros. Além disso, muitos se recusaram a retornar ao local do naufrágio levando botes vazios com medo da reação de quem estava na água.

Foi apenas em 1985, no dia 1º de setembro, que os restos do navio foram encontrados. A descoberta foi feita durante expedições americanas e francesas, 73 anos depois do naufrágio.

Foram lançados três filmes sobre a tragédia, todos com o nome de “Titanic“. O primeiro saiu em 1953, dirigido por Jean Negulesco e protagonizado por Barbara Stanwick e Robert Wagner. Em 1996, foi a vez do diretor Robert Lieberman, com o filme estrelado por Peter Gallagher, George C. Scott, Eva Marie Saint, Tim Curry, Marilu Henner e Catherine Zeta-Jones. No ano seguinte, foi lançada a versão de  James Cameron.

DiCaprio contracenou com Kate Winslet em “Titanic”, filme que os eternizou como o casal Jack e Rose, em 1997.  O ator só entrou para o elenco por causa da insistência do diretor James Cameron. Os estúdios queriam o ator Matthew McConaughey. Tom Cruise também foi cotado, mas o alto cachê afastou-o da produção.

Originalmente, as filmagens durariam 138 dias e custariam 150 milhões de dólares. A produção acabou sendo filmada em 150 dias, e teve o custo de 200 milhões de dólares. Foi a primeira da história do cinema a atingir esse investimento.

A equipe de “Titanic” (1997) visitou os destroços submersos do navio verdadeiro 11 vezes em 1995. Eles passaram mais tempo no transatlântico que seus passageiros reais.

Durante as filmagens submersas do Titanic original, um dos membros da equipe resolveu fazer uma brincadeira: colocou o alucinógeno fenilciclidina na sopa servida no jantar. James Cameron passou mal e vomitou a droga antes de ela surtir efeito.

O diretor contratou dois historiadores especializados no Titanic para acompanhar as gravações. Ele conseguiu plantas arquitetônicas originais do navio para construir sua réplica, e contratou a mesma fabricante de carpetes do Titanic. Os atores tiveram aulas de etiqueta para aprender a agir como em 1912 e todas as atrizes usaram espartilhos durante as filmagens.

A réplica do Titanic usada no filme de James Cameron foi construída no México dentro de um tanque de 236 metros de comprimento, com capacidade para 65 milhões de litros de água.

A cena em que Rose posa nua para Jack foi a primeira do filme a ser gravada. Como a réplica do Titanic ainda não estava pronta, eles tiveram que filmar primeiro as poucas cenas que não necessitavam do navio. 

A atriz Gloria Stuart, que interpreta Rose aos 100 anos de idade, tinha 87 na época. Ela viveu exatamente até os 100, morrendo dois meses depois do centésimo aniversário.

Interpretado por Leonardo DiCaprio, Jack Dawson era um passageiro do Titanic apenas na ficção, até que se descobriu que um verdadeiro J. Dawson morreu a bordo do navio, em 1912.

Titanic é o filme mais comprado em DVD fora dos Estados Unidos. Em segundo lugar, está “Branca de Neve e os Sete Anões”, dos estúdios Disney.

O filme é um dos grandes recordistas do Oscar. Ao lado de “Ben Hur” (1960) e “O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei” (2004), levou 11 estatuetas. O filme também figura na lista dos que mais colecionam indicações. “Titanic” e “A Malvada” (1950) foram os únicos a disputarem o prêmio em 14 categorias.

Sandy e Júnior foram os únicos brasileiros que conseguiram a liberação dos direitos autorais para gravar a versão de “My Heart Will Go On”, música-tema do filme Titanic.

“Titanic” arrecadou 3,4 bilhões de reais. Era a maior bilheteria da história do cinema até janeiro de 2010, quando “Avatar” – do mesmo diretor James Cameron – bateu o recorde.

No dia 13 de abril de 2012, estreou nos cinemas brasileiros a versão 3D de Titanic, em comemoração aos 100 anos do naufrágio e aos 15 anos do lançamento original do filme.

Cerca de 300 artistas de computação gráfica foram contratados para transformar aproximadamente 300 mil quadros da fotografia original do filme em dados digitais em três dimensões. Cada cena demorou de duas a três semanas para ser aperfeiçoada.

Em 2000, o corte de cabelo parecido com o de Leonardo DiCaprio foi proibido no Afeganistão. Os barbeiros que copiassem o estilo usado pelo ator no filme “Titanic” seriam presos. A milícia Talibã prendeu 28 barbeiros em Cabul por fazerem o corte.

Em 31 de agosto de 2004, o jornal “Daily Mail” publicou que uma fita com imagens da chegada dos sobreviventes do naufrágio foi encontrada em um galpão na Inglaterra. A gravação, feita quatro dias depois da tragédia, foi exibida na época nos cinemas de East Anglia, na Inglaterra. Um recepcionista, que a comprou por meia coroa, a mantinha no galpão de seu jardim.

Um estudo feito pelo pesquisador australiano David Savage em 2008 concluiu que grande parte dos passageiros britânicos morreu durante o naufrágio do Titanic devido ao hábito de “fazer fila” para chegar até os botes salva-vidas. Já os americanos foram menos delicados e furaram seu caminho para a salvação. Resultado: 20% das pessoas que sobreviveram carregavam passaporte americano.

Em outubro de 2008, a última sobrevivente do Titanic, Millvina Dean, anunciou um leilão de lembranças do naufrágio. Entre os artigos, estavam uma mala com roupas de 1912 e retratos raros do navio deixando as docas de Southampton. Millvina era a passageira mais jovem a bordo: tinha apenas nove semanas de vida quando o Titanic naufragou. A recém-nascida viajava na segunda classe com sua família para tentar a vida nos Estados Unidos. Com o acidente, Millvina ficou órfã de pai, mas sua mãe e sua irmã também se salvaram. Ela, que recebeu ajuda financeira de Leonardo DiCaprio e de Kate Winslet para pagar dívidas no asilo em que vivia, morreu em maio de 2009, aos 97 anos.

Foi inaugurado em março de 2012 o Titanic Belfast, museu na cidade da Irlanda do Norte onde o navio foi construído. A obra custou 282 milhões de reais. No mesmo mês, foram gastos 9,1 milhões de reais na expedição que, pela primeira vez, traçou um mapa completo da região no Atlântico Norte onde estão os restos do Titanic.

Na história do Brasil, também houve uma tragédia ao estilo Titanic. O navio Príncipe de Astúrias, apelidado de “Titanic brasileiro”, ia de Madri, Espanha, para Buenos Aires, Argentina, em 1916. Naufragou sob forte tempestade no litoral de Ilhabela (SP) depois de bater nas rochas. Morreram 477 pessoas.

Anúncios

As 5 assassinas em série mais famosas da histórias

25

As 5 assassinas em série mais famosas da histórias

Quem acha que só existem serial killers homens está muito enganando. Essas mulheres são cruéis e não têm medo de matar a sangue frio.

 
 

Existe uma centena de filmes de serial killers com fatos verídicos ou inventados. O tema é tão discutido por alguns, que existem pessoas que realmente se dedicam ao assunto. você já leu sobre inúmeras histórias de assassinos cruéis que marcaram a história.

Como bem sabemos, serial killers geralmente têm alguns traços de personalidade característicos, como o abuso (seja por violência ou sexual) durante a infância, a incapacidade de sentir arrependimento ou culpa e o prazer em ver o sofrimento de seres vivos, que geralmente é aplicado com criaturas mais fracas, como animais de estimação e crianças mais novas ou menores.

Porém, a maioria dessas histórias traz criminosos do sexo masculino. Chegou a hora de você também conhecer mulheres que foram as responsáveis por mortes terríveis.

Joanne Dennehy

23

Joanne Dennehy é uma das três mulheres mais perigosas da história criminal inglesa. Seus atos foram tão terríveis que ficou decidido que ela nunca poderá ser solta da prisão. Mãe de duas crianças, é maluca por sangue. Ela esfaqueou três homens até a morte em Peterborough (Inglaterra). Dez dias depois, viajou para Hereford e também matou com o auxílio de uma faca dois homens aleatórios que passeavam com seus cachorros (com uma diferença de apenas nove minutos entre um e outro!).

Ao contrário do que você pode estar pensando, ela não faz isso por algum tipo de justiça, mas sim por diversão. Nas palavras dela, “eu quero diversão. Eu preciso disso para me divertir!”. Ao conversar com um psicanalista, ela disse que sente um prazer irresistível em matar esses homens. No total, 9 pessoas do sexo masculino morreram nas mãos dessa serial killer.

Maria Catherina Swanenburg

24

A holandesa Maria Catherina Swanenburg foi a responsável pela morte de pelo menos 27 pessoas. O motivo? Conseguir o dinheiro das heranças e seguros. Aparentemente ela era muito querida por todas, inclusive cuidava das crianças e dos idosos do seu bairro. Porém, existem registros de que ela envenenou mais de 100 pessoas. Dessas, 16 eram parentes (até os seus pais entraram nessa cilada) entre 1880 e 1883. Os que não morreram carregaram problemas de saúde para o resto da vida.

Seu disfarce caiu quando ela tentou envenenar a família Frankhuizen. Depois disso, ela foi considerada uma serial killer, foi presa e acabou morrendo na cadeia, em 1915.

Marie Delphine Lalaurie

25

Quem já assistiu American Horror Story já está familiarizado com a história da serial killer Marie Delphine Lalaurie. Socialite do século XIX, é considerada uma das primeiras mulheres a cometerem assassinatos em série. Marie ficou conhecida por torturar e matar seus escravos.

As histórias em torno dessa madame diziam que ela tinha um quarto de tortura nos andares de cima da sua casa, e que quem era mandado para lá nunca mais voltava. Homens da justiça da época procuraram esse tal quarto, e encontraram no caminho uma série de escravos mutilados pendurados pelo pescoço por correntes de ferro.

Dizem que mais de 100 pessoas sofreram na mão dessa cruel serial killer, que fugiu antes de ir para a cadeia e se mudou para Paris.

Jeanne Weber

26

Jeanne Weber nascida em 7 de outubro de 1874 foi uma serial killer francesa. Ela estrangulou 10 crianças, incluindo a própria filha. Depois que ela foi condenada em 1910, ela enforcou -se em sua cela.

Aileen Carol Pittman

27

Aileen Carol Pittman, conhecida como Aileen Wuornos, foi uma prostituta considerada a primeira mulher assassina em série dos Estados Unidos.

Sua primeira vítima foi Richard Nallory, um eletricista de 51 anos encontrado no dia 13 de dezembro de 1989 perto de Daytona Beach com três tiros. Aileen o matou após ter sido, por ele, espancada, estuprada e ameaçada de morte. Ao que tudo indica, sua primeira vítima foi feita em legítima defesa. Seis meses depois outro homem foi morto com seis tiros, e sem identificação. Matou ao menos seis homens, entre quem havia Charles Carskaddon, Peter Siems, Eugene Burress, Dick Humphreys e Walter Antonio.

Aileen foi encontrada junto com sua companheira Loreci Inre Casani através de denúncias. Na prisão, Aileen foi diagnosticada com transtorno de personalidade Borderline. Confessou os seis assassinatos e enviou uma carta ao tribunal, pedindo para ser condenada a morte. Declarou odiar profundamente a vida humana e que mataria novamente se fosse libertada. Depois de um longo julgamento e um exame psiquiátrico, foi condenada a morte e executada, por ordem de Jeb Bush, por meio de injeção letal no dia 9 de outubro de 2002.

Sua história rendeu um filme chamado Desejo Assassino. O filme rendeu o oscar de melhor atriz para a sul-africana Charlize Theron que representou Aileen como protagonista. O filme rendeu US$ 33,153,407.00.

Titanic

Titanic sendo encontrado após afundar no dia 14 de Abril de 1912. Titanic teria matado 1.512 dos 2.223 passageiros a bordo.
Como se dizia o criador do maior navio do mundo : “Nem Deus afundará”.

%d blogueiros gostam disto: