ESPECIAL COGUMELOS

Cogumelos, os recicladores naturais de nossas florestas, são quase tão diversificados entre si quanto todo o reino animal.

Apesar disso, quase não conhecemos as diferentes espécies, uma vez quea fotografia de natureza tende a se concentrar em outros objetos maiores, perdendo a beleza e variedade que os cogumelos têm para oferecer.

O fotógrafo Steve Axford é uma exceção. Apaixonado pelo mundo dos fungos, ele compartilha suas descobertas visuais com quem desejar saber mais sobre esse universo.

 

Axford vive na região de Northern Rivers em New South Wales, na Austrália, mas viaja por todo o mundo capturando fotos de plantas e animais raros, além das diferentes pessoas que encontra pelo caminho.

O que ele mais gosta de fotografar, no entanto, são os fungos, muitos dos quais são tão incomuns que nunca foram fotografados antes – pelo menos não de forma tão inspiradora e artística.

Confira alguns deles: 

Marasmius haematocephalus
1
Panus fasciatus
2
Campanella sp.
3
3-
Leratiomyces sp.
4
4-
Mycena interrupta
5
Schizophyllum commune
6
Mycena chlorophos
7
Cyptotrama aspratum
8
Marasmius haematocephalus
9
9-
Marasmius sp.
10
Campanella sp.
11
11-
Mycena austrororida
12
Cyathus novaezelandiae
13
Mycna chlorophos
14
Tremella fimbriata
15
Hairy mycena
16
Campanella sp.
17

17-
Leratiomyces ceres
18
White mycena
19
Mycena chlorophos
20
Hygrocybe anomala
21
Sarcoscypha coccinea
22
Hairy mycena
23

Cogumelos podem alterar permanentemente a personalidade

Apenas uma dose forte de cogumelos alucinógenos pode alterar a personalidade de uma pessoa por mais de um ano e, talvez, permanentemente.

Pessoas que receberam a psilocibina, o composto dos “cogumelos mágicos” que provoca alucinações e sensação de transcendência, demonstraram uma personalidade mais “aberta” após a sua experiência, um efeito que persistiu por pelo menos 14 meses.

 

A abertura é um termo psicológico, referindo-se a uma apreciação de novas experiências. Pessoas que são mais abertas tendem a ter a imaginação ampla e valorizar a emoção, a arte e a curiosidade.

Esta alteração é bastante incomum, porque a personalidade raramente muda após os 30 anos de idade. Porém, este é um dos primeiros estudos a mostrar que estas característas podem ser sim transformadas depois de adulto.

A raiz da mudança parece ser não a droga em si, mas as experiências místicas que a psilocibina desencadeia frequentemente. Estes profundos sentimentos transcendentes não são menos reais para as pessoas por serem quimicamente induzidos.

Mesmo depois de muitos anos, as pessoas que têm essa sensação dizem que foi uma das experiências mais profundas de sua vida. Não é surpreendente que o efeito possa ser permanente.

Pesquisas sobre alucinógenos são geralmente associadas com figuras da contracultura da década de 60, como artistas e suas viagens com LSD. Mas na última década surgiu uma abordagem passo-a-passo para estudar o efeito de alucinógenos.

Os experimentos são rigidamente controlados – já que não é fácil obter permissão para dar drogas ilegais voluntários – mas eles estão revelando que as substâncias associadas mais com shows hippies do que com consultórios podem ter também seus usos médicos.

Em Massachusetts, EUA, um instituto de pesquisa sem fins lucrativos está investigando a possibilidade de usar o alucinógeno MDMA (nome para LSD) para tratar de stress pós-traumático. Tanto LSD quanto psilocibina estão sob investigação para seu uso no tratamento da ansiedade.

Outras pesquisas ainda buscam saber se as substâncias podem aliviar a ansiedade e depressão em pacientes com câncer e se podem quebrar a dependência da nicotina.

No estudo atual, pesquisadores olharam para questionários de personalidade das 51 pessoas que tinham tomado a psilocibina. Os voluntários ainda eram virgens para drogas alucinógenas.

Cada pessoa foi de duas a cinco sessões da droga de oito horas, em que se sentava com os olhos vendados em um sofá, ouvindo música – uma maneira de encorajar a introspecção. Durante uma das sessões, os voluntários receberam uma dose ou moderada ou alta de psilocibina, mas nem eles, nem os pesquisadores sabiam se seria uma pílula de psilocibina ou um placebo.

Em um experimento, os participantes iam ao laboratório duas vezes. Em uma visita recebiam o negócio real, e na outra hora receberam Ritalin, que imita os efeitos colaterais da psilocibina, sem as alucinações.

Em outro experimento de cinco sessões, os participantes receberam placebo ou várias doses da droga. Os pesquisadores se concentraram na sessão de alta dose, que foi a mesma dose dada durante o primeiro experimento.

Antes das sessões da droga, os participantes responderam ao questionário de personalidade que media a “abertura”. Eles também preencheram os questionários algumas semanas mais tarde e novamente cerca de 14 meses após a sua alta dose alucinógena.

Os resultados revelaram que enquanto outros aspectos da personalidade continuaram os mesmos, a abertura aumentou após a experiência com a psilocibina. O efeito foi persistente, especialmente para aqueles que relataram uma experiência “mística” com sua dose. Essas experiências místicas foram marcadas por um profundo senso de conexão, juntamente com os sentimentos de reverência, alegria e paz.

Cerca de 30 dos 51 voluntários tiveram uma experiência mística. As mudanças da abertura destes participantes foram maiores do que as mudanças normalmente vistas ao longo de décadas de experiência de vida em adultos.

Mas esta é uma pesquisa estritamente “não-tente-isso-em-casa”. Os participantes no estudo estavam sob supervisão durante a sua sessão com a droga. Apoio psicológico e várias preparações ajudaram a reduzir as más experiências ao mínimo, mas muitos participantes ainda relataram que sentiram medo, ansiedade e angústia depois de tomar psilocibina.

Se esse tipo de sentimento acontece sem supervisão, pode ser muito perigoso. A psilocibina tem um alto potencial de abuso e ainda não possui nenhuma finalidade médica legítima.

Agora, os cientistas estão pesquisando os efeitos da combinação de psilocibina com a meditação. Poderia haver benefícios terapêuticos para o reforço da abertura, inclusive ajudar as pessoas a romper com padrões de pensamento negativo. Quem sabe até potencializar a relação entre alucinógenos e a arte. Voluntários?

Cogumelos alucinógenos expandem as áreas de sonho do seu cérebro

cogumelos alucinógenos

As drogas psicodélicas alteram a consciência de uma forma profunda e inovadora que aumenta a amplitude e a fluência dos processos cognitivos. No entanto, até recentemente, os cientistas e pesquisadores não foram capazes de oferecer uma explicação para a forma como o cérebro é alterado a partir desses efeitos. Um novo estudo chegou para mudar essa história.

Os pesquisadores escanearam os cérebros de voluntários que haviam recebido uma dose de psilocibina – substância química encontrada em cogumelos alucinógenos que proporciona uma experiência psicodélica – e os cérebros de um outro grupo de controle que não havia recebido nenhum estimulante. Assim, foi possível a descoberta de duas coisas fundamentais: primeiro, que a psilocibina aumentou a amplitude (ou “volume”) da atividade em regiões do cérebro que são ativadas durante o sono e fazem parte do antigo sistema de emoção do cérebro; e segundo, que psicodélicos facilitam um estado de “expansão” da consciência – o que significa que as associações feitas pelo cérebro e a facilidade com que elas são acessadas é reforçada com as drogas.

 

A RELAÇÃO ENTRE EGO, EMOÇÃO E COGUMELOS ALUCINÓGENOS

Esta constatação de um padrão similar à atividade cerebral registrada durante um sonho é intrigante. Enquanto o estado psicodélico tem sido previamente comparado com sonhos, o efeito oposto foi observado na rede cerebral da qual nós temos o nosso senso de “eu” (chamada a rede de modo padrão ou sistema de ego). Simplificando, enquanto a atividade se tornou “mais forte” no sistema de emoção, tornou-se mais desarticulada e assim “mais silenciosa” no sistema de ego.

As evidência encontradas por esse estudo, e também os dados preliminares de um estudo de imagem do cérebro estimulado por meio do LSD, parecem apoiar o princípio de que o estado psicodélico está relacionado a atividades desorganizados no ego, permitindo atividade desinibida no sistema da emoção. Esse efeito pode explicar porque os psicodélicos têm sido considerados facilitadores úteis de certas formas de psicoterapia.

Essa é uma análise totalmente nova e sua validade precisa passar por mais testes antes de ser confirmada. Mas pode oferecer uma visão inicial sobre a base biológica da expansão da consciência, frequentemente descrita como uma das características de uma experiência psicodélica.

A CONSTRUÇÃO DE UMA IMAGEM

A pesquisa sobre os efeitos cerebrais de drogas psicodélicas começou na Universidade de Bristol em 2009 e continua até hoje, na Imperial College London e na Universidade de Cardiff, todas no Reino Unido. Os pesquisadores estavam interessados ​​na ideia de que os psicodélicos facilitariam a comunicação em todo o cérebro.

O primeiro estudo, publicado em 2012, revelou uma diminuição na atividade cerebral após a injeção de psilocibina. Esse achado foi emocionante porque complementou a ideia de que os psicodélicos causam uma “dissolução do ego” temporária. Em outras palavras, diminuem a sensação de ter uma e personalidade forte e duradoura.

CONCLUSÃO

Compreender os mecanismos cerebrais que sustentam a fluência cognitiva sob o efeito psicodélicos pode oferecer insights sobre como esses entorpecentes podem ser psicologicamente úteis, por exemplo, para ajudar os pacientes experimentam uma liberação emocional em psicoterapia, e também aumentando potencialmente o pensamento criativo.

Cogumelos: 25 fotos de um mundo místico e mágico

 

Quando pensamos em cogumelos, algumas coisas não muito bonitas veem a nossa mente – talvez porque tenhamos o costume de ver alguns deles no prato, ou na forma desidratada.

Mas se a gente olhar para os cogumelos não comestíveis, encontraremos um mundo místico e mágico, onde a beleza impera. Duvida?

Então veja a sequencia de fotos a seguir. Todas elas foram tiradas por fotógrafos entusiastas da natureza, e mostram cogumelos que estão bem longe de serem encontrados no mercado.

A maioria dos cogumelos, como os conhecemos, é na verdade apenas a estrutura reprodutiva do fungo a que pertencem. A mágica acontece mesmo no subsolo, onde o fungo se expande a grandes distâncias, sendo que alguns nem chegam a brotar e formar essa estrutura que estamos acostumados a ver. Na verdade, dependendo da definição de “organismo”, o maior organismo vivo do mundo é de fato um fungo, que vive em uma colônia em Oregon, nos Estados Unidos, e ocupa cerca de 2.000 hectares de terra.

01. COGUMELOS BASIDIOMICETES

fotos de cogumelos
Créditos: Martin Pfister

02. Mycena Chlorophos

mushroom photo foto
Créditos: Steve Axford

03. Marasmius haematocephalus

foto Marasmius Haematocephalus
Créditos: Steve Axford

04. Rhodotus palmatus

foto Rhodotus Palmatus
Créditos: desconhecido

05. Amethyst deceiver

foto cogumelo Amethyst Deceiver
Créditos: Eric Balton

06. Schizophyllum commune

foto cogumelos Schizophyllum Commune
Créditos: Steve Axford

07. Phallus indusiatus

foto de cogumelos Phallus Indusiatus
Créditos: Bart Wursten

08. Panus fasciatus

foto do cogumelo Panus Fasciatus
Créditos: Steve Axford

09. Clathrus ruber

cogumelo estranho foto Clathrus Ruber
Créditos: Patricia Woods

10. Cogumelo da família Pezizaceae

Megan Lorenz foto cogumelos
Créditos: Megan Lorenz

11. Oudemansiella mucida

mushroom-photography-292__880
Créditos: Bernhard Pfister

12. Cogumelo do gênero Lepiota

Andres Miguel Dominguez foto de cogumelo mágico
Créditos: Andres Miguel Dominguez

13. Cogumelo do gênero Leratiomyces

Leratiomyces foto cogumelo esquisito
Crédito: Steve Axford

14. Hydnellum peckii

foto Hydnellum Peckii
Créditos: H Richard Ellis

15. Favolaschia calocera

Favolaschia Calocera
Créditos: Bernard Spragg

16. Cyathus striatus

foto de cogumelos Cyathus Striatus
Créditos: Steve Axford

17. Coprinus comatus

foto Coprinus Comatus
Créditos: Steve Greaves

18. Cogumelos com um caracol

foto Mushrooms With A Snail
Créditos: Mariana Armata

19. Geastrum minimum

foto Geastrum Minimum
Crédito: Juan Carlos Poveda Molero

20. Morchella esculenta

foto de cogumelos mágicos Morchella Esculenta
Créditos: Wojciech Grzanka

21. Aseroe rubra

foto Aseroe Rubra
Créditos: Mark Watson

22. Cogumelo basidiomicete

Puffball Mushroom foto cogumelo
Créditos: Roeselien Raimond

23. Cogumelo do gênero Crepidotus

cogumelos Crepidotus
Créditos: Steve Axford

24. Cogumelos que parecem dourados

cogumelos Tiny Golden Mushrooms
Créditos: Maneesh

25. Cogumelo do gênero Chorioactis

Chorioactis cogumelos

8 gifs fascinantes mostrando como os cogumelos crescem

Cogumelos são organismos de crescimento rápido, aparecendo especialmente depois da chuva.

Dado o ritmo de seu desenvolvimento, difícil de capturar com o olho humano, fungos são filmados para que possamos testemunhar as mudanças que ocorrem nesse curto espaço de tempo.

Os gifs hipnotizantes abaixo mostram em time-lapses o poder surpreendente dos cogumelos, brotando do meio do chão e elegantemente se expandindo para encher seus arredores.

 

Vale lembrar que o que vemos na superfície é apenas uma parte do organismo, chamado de fruto do cogumelo. O fruto é uma estrutura reprodutiva de curta duração, consistindo de 92% de água (daí a velocidade de crescimento). Enquanto isso, o micélio vive confortavelmente abaixo do solo por anos. 

cogumelos crescimento time lapse (1)

cogumelos crescimento time lapse (2)

cogumelos crescimento time lapse (4)

cogumelos crescimento time lapse (5)

cogumelos crescimento time lapse (6)

cogumelos crescimento time lapse (7)

cogumelos crescimento time lapse (8)

cogumelos crescimento time lapse (9)

ESPECIAL SAPOS

O fotógrafo premiado Robin Moore, membro da Liga Internacional de Fotógrafos de Conservação e contribuinte da National Geographic Creative, lançou-se em uma jornada épica para fotografar os anfíbios mais raros do mundo – sapos e salamandras que não eram vistos desde a virada do século.

A série de imagens resultante se chama “In Search of Lost Frogs” (em português, algo como “Em Busca dos Sapos Perdidos”).
Alguns desses animais, como o Rheobatrachus silus, venceram todas as probabilidades: anos ou décadas depois que a comunidade científica os declarou extintos, eles foram reencontrados.

Moore crê que seu estudo desses anfíbios pode dar pistas vitais para ajudar os pesquisadores a diminuir o número de extinções animais em nosso planeta.

 

Passeando da Colômbia a Costa Rica, do Guatemala ao Haiti, conheça algumas das criaturas incríveis que Moore encontrou no meio do seu caminho: 

Incilius aurarius
Cuchumatan Golden Toad
Smilisca phaeota
sapos anfibios raros 2
Dendropsophus ebraccatus
Courtship

sapos anfibios raros 3-

 

Hyalinobatrachium valerioi
cricket glass frog, Hyalinobatrachium colymbiphyllum

A glass frog, Hyalinobatrachium ruedai, peers through a leaf
Eleutherodactylus thorectes
Tiny

Agalychnis callidryas
sapos anfibios raros 6

sapos anfibios raros 6-
Megophrys ligayae
sapos anfibios raros 7

 

Agalychnis spurrelli
sapos anfibios raros 8
Phyllobates vittatus
sapos anfibios raros 9
Ceratobatrachus guentheri
sapos anfibios raros 10
Rheobatrachus silus
sapos anfibios raros 11

Mata Atlântica: pesquisadores descobrem sete novas espécies de sapos MINÚSCULOS

novos sapos minusculos brasil (1)

Se você não acha anfíbios animais particularmente fofos, vai mudar de ideia quando der uma espiada nesses sapinhos minúsculos descobertos aqui no Brasil.

Sete novas espécies do gênero Brachycephalus foram encontradas na Mata Atlântica brasileira depois de cinco anos de busca árdua. Com certos adultos não passando de um centímetro de comprimento, certamente foi complicado detectar os bichinhos, mesmo com as cores berrantes de alguns.

 

O tamanho miniatura desses sapos levou a várias modificações na estrutura dos seus corpos, tais como a perda de dedos.

Embora algumas espécies tenham cores bastante monótonas e se misturem com o marrom dos arredores, os animais com os padrões de coloração mais gritantes possuem uma neurotoxina muito potente na pele.

novos sapos minusculos brasil (2)

Gênero mal estudado

O gênero Brachycephalus foi descrito pela primeira vez em 1824. Até agora, 21 espécies foram adicionadas ao grupo, porém, mais de metade só foi descoberta ao longo dos últimos 15 anos.

Isto sugere que a diversidade deste grupo poderia ser subestimada, razão pela qual os pesquisadores, liderados por Marcio Pie, se voltaram à floresta tropical no Brasil para tentar encontrar mais sapos relacionados, o que provou ser um esforço frutífero.

novos sapos minusculos brasil (2)

Os animais foram registrados em áreas montanhosas da porção sul da Mata Atlântica nos estados do Paraná e Santa Catarina. No início, os cientistas utilizaram diferenças na morfologia dos sapos, em particular sua coloração e o nível de rugosidade em diferentes partes do corpo, para separá-los em espécies diferentes. Mais tarde, o sequenciamento de DNA confirmou a sua distinção.

As espécies variavam de cor do marrom ao amarelo e laranja, mas uma em especial se destacou. A B. mariaeterezae é única porque tem uma faixa azul ao longo das costas, que não tinha sido observada em nenhum outro membro deste gênero.

Perigo de extinção

A maioria das espécies Brachycephalus conhecidas vivem dentro de espaços pequenos. Esta natureza altamente endêmica é o resultado da adaptação ao habitat da floresta, o que limita a sua propagação a outros ambientes e aumenta a taxa de formação de novas espécies.

novos sapos minusculos brasil (1)

Esse endemismo vem com um custo, uma vez que aumenta a probabilidade de extinção das espécies por conta de alterações ambientais ou mudanças climáticas.

novos sapos minusculos brasil (3)

Os pesquisadores salientam a urgência em documentar a existência de tais espécies e de pensar em planos de gestão para garantir a sua sobrevivência a longo prazo. Embora não haja dados suficientes para atribuir aos animais um estado de conservação, Pie e sua equipe já estão em contato com agências de proteção ambiental estaduais e federal para negociar a criação de reservas na região.

 

14 fotos que mostram que o mundo está muito lotado

A superpopulação é um problema? Confira as fotos e veja por você mesmo. Em 2100, a população mundial deve chegar a 11 bilhões de pessoas. Hoje, de acordo com o Relógio Mundial do Censo dos Estados Unidos, já somos 7,09 bilhões – e contando.

Se você concorda ou discorda que o mundo tem gente demais, o fato é que a superpopulação se tornou um grande desafio e uma preocupação para os países ao redor do mundo. Esta coleção de imagens da Reuters mostra quão superpovoadas certas partes do mundo estão atualmente.

De praias aos vagões de metrô, corpos suados e espremidos são apenas uma parte da vida.

 

14. China

14
Uma praia no leste da província de Shandong, na China, em um típico sábado de verão. Muito relaxante.

13. Indonésia

13
Passageiros indonésios se penduram nos vagões de um trem na província de Java Ocidental. Apenas 300 carros por dia precisam atender 500 mil passageiros.

12. Filipinas

12
Esta é a fila para entrar em uma estação de trem nas Filipinas. Por causa do aumento dos custos de combustível, os filipinos estão cada vez mais optando pelo transporte público.

11. China

11
Boias, brinquedos e corpos lotam uma piscina pública na província de Sichuan, na China. As temperaturas chegaram aos 35°C lá neste verão.

10. Reino Unido

10
Os londrinos se reúnem no prédio da Lloyds of London (o mercado de seguros do Reino Unido) durante o anual “Remembrance Day”, que homenageia todos os militares do reino britânico. Até os elevadores estão lotados de gente olhando para baixo.

9. Indonésia

9
Este homem escapa de um enorme engarrafamento ao pedalar na sua bicicleta na canaleta de ônibus na capital da Indonésia, Jacarta.

8. Índia

8
A imagem captura um momento em uma estação de trem em que os passageiros fazem baldeações durante a hora do rush da manhã em Mumbai, Índia. A cidade possui uma população de mais de 12 milhões de pessoas.

7. China

7
Candidatos formam fila para fazer o exame de admissão para estudos de pós-graduação na província de Hubei, na China. Mais de 12,5 milhões de candidatos chineses fazem a prova anualmente.

6. China

6
Esta é uma república de estudantes de uma universidade na província de Hubei, na China. É uma opção de alojamento de baixo orçamento para os estudantes que lutam para pagar habitação, encontrar um emprego e ainda estudar.

5. Brasil

5
Mais de um milhão de católicos vêm ao Brasil para a celebração do dia Nossa Senhora de Nazaré da Basílica, na cidade de Belém, Pará, para acompanhar a imagem da santa. A romaria se torna uma grande fila muito desconfortável.

4. Filipinas

4
Fãs filipinos assistem a dois pugilistas batalhar pelo título de boxe na categoria meio-médio em ginásio municipal local.

3. China

3
Candidatos a emprego procuram vagas na feira de empregos na cidade chinesa de Chongqing. O desemprego é um grande problema nas cidades superpovoadas.

2. Coreia do Sul

2
Fãs sul-coreanos de futebol assistem a uma transmissão de TV ao vivo da Copa do Mundo de 2010 no prédio da Prefeitura de Seul.

1. Taiwan

1
Motociclistas de Taipei entopem as ruas de motos na hora do rush. Existem mais de 8,8 milhões de motocicletas e 4,8 milhões de carros lotando as ruas de Taiwan todos os dias (o que também pode causar grandes problemas de poluição).

10 paraísos escondidos ao redor do mundo

Dia cheio? Então que tal fazer uma pausa e viajar um pouco comigo por alguns dos lugares mais fantásticos do nosso planeta? Paraísos incríveis e que ficam bem longe dos clichês que aprendemos a admirar. Prepare-se para não ver lugares como Ilhas Fiji,Grand Canyon e Himalaia. Hoje, o nosso convite é para levar você a lugares tão maravilhosos quanto esses, mas – em alguns casos – não tão famosos. Tudo pronto? Então vamos lá!

10. Kirkjufell

10

A montanha Kirkjufell é muito conhecida por ser protagonista de imagens absolutamente incríveis feitas pelos turistas que visitam a região. Localizada na Península de Snaefellsnes, na Islândia, não há nada de impressionante ou significativo sobre a própria montanha. Não é a maior montanha na Islândia, ou a mais mortal, e também não pode ter a pretensão de ser um dos muitos vulcões que deram à Islândia a reputação de produzir um terço de toda a lava basáltica do mundo.

 

Mas, se há uma coisa que faz Kirkjufell se destacar e entrar para essa lista é a combinação de todos os elementos que fazem parte da paisagem. Ou seja: esta montanha é muito fotogênica. O trio de cachoeiras que alimentam um córrego cristalino no pé do monte ajuda a criar um retrato perfeito que poderia muito bem ter sido tirado de um dos seus sonhos. E, como a imagem acima mostra, Kirkjufell fica bem no centro de um dos melhores lugares para ver a deslumbrante aurora boreal.

9. Cano Cristales

9

Conhecido pelos habitantes locais como o “rio de cinco cores”, Cano Cristales é um verdadeiro paraíso escondido. O lugar, que mais parece ser uma daquelas imagens de papel de parede que são feitas em Photoshop, fica escondido nas montanhas da Colômbia, e existem apenas duas maneiras de chegar lá – as duas são de avião.

As cores do rio vem de uma combinação de algas, a tonalidade natural das rochas do rio, e o azul da água em si, que é de deixar qualquer um de queixo caído. Em particular, o vermelho vem de uma planta aquática chamada Macarenia clavigera. E como essa coloração é causada por seres vivos, o efeito muda constantemente, como se essa paisagem fosse uma aquarela viva desenhada por deuses.

O melhor momento para visitar Cano Cristales é durante o verão da região, pois é quando o calor traz os tons mais vibrantes de vermelho. Além das cores marcantes e a incrível biodiversidade do local, Cano também flui sobre algumas das rochas mais antigas do mundo, o Escudo da Guiana, que se formou cerca de 1,2 bilhões de anos atrás.

8. Taylor Glacier Blood Falls, as cataratas de sangue

8

 

É verdade que a Antárctica não é geralmente o primeiro lugar que vem à nossa mente quando o assunto é “lugares paradisíacos que eu gostaria de conhecer”. Mas as paisagens de lá podem ser lindas a ponto de nos surpreender. Um exemplo marcante dessa singularidade pode ser encontrado no Taylor Glacier, que praticamente expele um fluxo contínuo de água hipersalina rica em ferro para a neve que está ao redor. A geleira foi descoberta em 1911 por um explorador chamado Thomas Griffith Taylor, que supôs que o tom avermelhado era causado por uma forma desconhecida de bactérias.

Pouco tempo depois, os cientistas encontraram a verdadeira razão para a água ser vermelha daquele jeito: uma antiga piscina subterrânea de água salgada, cor de sangue, cerca de 400 metros abaixo da superfície do gelo.

Cerca de cinco milhões de anos atrás, o nível de água ao redor da Antárctica subiu o suficiente para deixar um lago de água salgada na terra previamente seca. Quando o mar recuou, então, ele ficou encalhado no lago, que foi, em seguida, lentamente coberto por uma série de geleiras. Sem oxigênio, o lago ficou quase no mesmo estado exato de quando foi coberto, e tornou-se uma cápsula do tempo com cinco milhões de anos de idade.

Sendo assim, existem micróbios lá embaixo que permaneceram inalterados desde então, e eles os são responsáveis ​​por quebrar depósitos de ferro na água salgada. Uma vez que a água rica em ferro se aperta para passar através de uma fissura e ir para a superfície, entra em contato com o oxigênio pela primeira vez, e o hidróxido de ferro reage instantaneamente, deixando as águas da cachoeira com aspecto de ferrugem e merecendo o apelido de “Cataratas de Sangue”.

7. Beppu Hot Springs

7

Beppu fica localizado no Japão e é conhecido como um dos pontos mais quentes do mundo. Há mais de 2.500 nascentes na área – o que faz com que esse também seja o segundo maior conjunto de nascentes termais do mundo. Sistemas de comércio surgiram ao redor das nascentes, o que nos permite comprar legumes cozidos no vapor de suas águas ou ovos cozidos direito na água multicolorida. Ou seja: apesar de ser um lugar maravilhosos e exótico, não é próprio para banho. O lugar é superdecorado com placas de “Não Nade”, e o turista que for esperto vai obedecer, porque as águas ali atingem temperaturas de até 150 graus Celsius.

6. Spotted Lake

6

O Vale Okanagan está na fronteira sul da província canadense chamada Colúmbia Britânica. Por milhares de anos, as tribos indígenas viveram e lutaram neste vale, e suas histórias deixam o lugar ainda mais charmoso. Uma de suas lendas mais famosas é sobre as propriedades de cura do lago, que são anunciadas até hoje.

Ele também conta com grandes concentrações de 11 minerais diferentes, incluindo cálcio e sulfato de magnésio, e alguns vestígios de titânio e prata. No verão, quando parte da água do lago evapora, os minerais precipitam em espécies de “buracos” arredondados. Cada buraco assume uma cor diferente, dependendo de quais minerais estão em maior concentração em cada um deles.

5. Panjin Red Beach

5

Esta paisagem estonteante está localizada na China, perto da cidade de Panjin. Fica no meio de uma imensa área de zonas úmidas no delta do rio Liaohe, mas é a única parte da zona que assume esta coloração vibrante. Ao invés de areia, a praia é coberta com um solo altamente alcalino, necessário para a maioria das plantas sobreviver. Isso deixa bastante espaço e pouca concorrência para Suaeda, uma espécie de alga que tomou completamente os 1,4 milhões de hectares que compõem Red Beach.

No verão, a alga fica com uma coloração verde escura, que não é exatamente de tirar o fôlego. Mas, no outono, as plantas ficam com esse vermelho incrível que você pode admirar na foto acima. A praia é transformada em um verdadeiro espetáculo, estrelado pela natureza local. O único detalhe é que a maior parte da praia é fechada para os visitantes, em um esforço para proteger o ecossistema delicado. Mas há sim uma pequena parte que permanece aberta aos turistas que tiverem o privilégio de conhecer tal região.

4. Pamukkale

4

Um dos pontos turísticos mais exclusivos do mundo é, sem dúvida, o local conhecido como “as piscinas de travertino de Pamukkale”, localizado na Turquia. O travertino é um tipo de calcário encontrado em uma série de fontes termais do mundo. Quando a primavera chega, o travertino se solidifica em estruturas escalonadas que seguram a água nascente. O resultado são camadas cristalinas empilhadas em cima umas das outras.

 

Pamukkale era o antigo local da cidade grega de Hierapolis, e seu nome significa “Castelo de Algodão”. De fato, à distância, é absolutamente isso que parece.

3. Zhangye Danxia

3

O parque geológico Zhangye Danxia está localizado no sudoeste da China e contém algumas características muito particulares. Provavelmente, o mais surpreendente são as montanhas multicoloridas conhecidas como acidentes geográficos Danxia. A coloração surreal vem de arenito vermelho e depósitos minerais naturais que se formaram ao longo de 24 milhões de anos. Cada “faixa” é constituída de um mineral diferente e, ao longo dos tempos, elas formam diversas camadas, resultando em um paisagem que se parece com um arco-íris.

A China é o único lugar no mundo com este tipo de formação mineral, e inclusive algumas das formas terrestres tornaram-se Patrimônio Mundial da UNESCO.

2. Lago Retba

2

Há um punhado de nomes que foram dados a este lago, alguns por moradores da região e outros por visitantes, mas todos essencialmente significam a mesma coisa: “Lago Rosa”. Pode não ser o apelido mais criativo, mas é definitivamente o que melhor corresponde à realidade.

O Lago Retba está localizado em Senegal, e só é separado do Oceano Atlântico por uma fina faixa de dunas de areia. Por causa dessa ligeira separação geográfica, uma espécie de algas raras chamada Dunaliella salina tem sido capaz de proliferar nas águas quentes do lago. Encontradas apenas em poucos lugares do mundo, as algas Dunaliella são amantes de sal, e se reproduzem com facilidade ali porque Lago Retba é tão salgado quanto o Mar Morto. A fim de sobreviver em tais condições salinas, as Dunaliellas produzem um pigmento vermelho que lhes permite absorver mais luz solar e produzir beta-caroteno, que age como um amortecedor contra o sal – o que faz com que a água assuma a coloração que você pode conferir na imagem.

1. Lençóis Maranhenses

1

Quem disse que para encontrar um pedaço do paraíso você precisa ir para o outro lado do mundo? No caso dos inacreditáveis Lençóis Maranhenses, não é preciso nem sair do Brasil para ver um oásis no meio do deserto fazer uma imagem maravilhosa. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses fica localizado no nordeste brasileiro, de frente para a floresta amazônica, e recebe a mesma quantidade de chuva que poderíamos esperar em uma floresta tropical. Mas lá, quando a água da chuva se recolhe entre as dunas, acaba formando milhares e milhares de lagoas separadas que se estendem até onde os olhos podem ver.

Cada uma dessas lagoas funciona como um ecossistema isolado e completamente único. Muitas delas estão cheias de peixes que foram levados para as piscinas por aves marinhas, quando ainda eram ovos. Mas desde que o solo arenoso é desprovido de nutrientes, muito pouca vegetação cresce por lá, transformando-o em uma espécie de combinação de dois mundos.

Veja onde estas 18 crianças dormem ao redor do mundo

O ensaio fotográfico a seguir chamado “Onde as crianças dormem” apresenta imagens produzidas pelo fotógrafo britânico James Mollison. As fotografias de quartos infantis foram realizadas em países muito diferentes entre si: como México, Brasil, Estados Unidos, Escócia, Itália, Israel, Cisjordânia, Quênia, Senegal, Lesoto, Nepal, China e Índia. Mollison também registrou as crianças que dormem nesses locais.

Fica bem perceptível as diferenças entre cada criança e seu quarto ao redor do mundo. Como exemplo temos a jovem Kaya, que mora em Tóquio, capital do Japão, cuja mãe orgulhosa gasta mil dólares por mês com seus vestidos, em contraste com o garoto Bilal, um pequeno pastor beduíno da Cisjordânia, que dorme ao ar livre junto com o rebanho de cabras do seu pai. Indira, por sua vez, uma menina nepalesa, trabalha em uma pedreira de granito desde que tinha três anos. Hoje ela tem sete.

James Mollison conta qual foi o objetivo de seu trabalho, que se transformou em um livro: “Onde as crianças dormem” (“Where children sleep”, publicado pela editora Chris Boot em 2010). “Espero que as pessoas percebam, com este livro, como algumas crianças vivem em situações muito diversas em todo o mundo. É uma oportunidade de refletir sobre a desigualdade que existe, e perceber o quão sortudo a maioria de nós é no mundo desenvolvido”, diz Mollison.

O livro ainda não foi editado no Brasil. Se você quiser saber mais sobre a obra do autor, visite seu   site oficial.

Dong, 9 anos, Yunnan, China

1

2

Indira, 7 anos, Kathmandu, Nepal

3

4

Bilal, 6 anos, Wadi Abu Hindi, Cisjordânia

5

6

Ahkohxet, 8 anos, Amazônia, Brasil

7

8

Alex, 9 anos, Rio de Janeiro, Brasil

9

10

Bikram, 9 anos, Melamchi, Nepal

11

12

Tzvika, 9 anos, Beitar Illit, Cisjordânia

13

14

Douha, 10 anos, Hebron, Cisjordânia

15

16

Joey, 11 anos, Kentucky, Estados Unidos

17

18

Lamine, 12 anos, Vila de Bounkiling, Senegal

19

20

Prena, 14 anos, Kathmandu, Nepal

21

22

Anônimo, 9 anos, Costa do Marfim

23

24

Rhiannon, 14 anos, Darvel, Escócia

25

26

Nantio, 15 anos, Lisamis, Quênia

27

28

Risa, 15 anos, Kyoto, Japão

29

30

Netu, 11 anos, Kathmandu, Nepal

31

32

Roathy, 8 anos, Phnom Penh, Camboja

33

34

Jasmine (Jazzy), 4, Kentucky, Estados Unidos

35

36

Bebezinhos humanos e seus cães enormes: fotos ternas e temerosas ao mesmo tempo

Para mim é um conflito olhar estas imagens que são ternas e ao mesmo tempo dão medo pelos pequeninos. É impossível não sorrir ao vê-las, no entanto é obviamente um risco considerável para a criança e você nunca deve deixar os pequeninos perto de cães desatendidos. Se um animal tem força em potencial para ferir seria ou fatalmente uma criança é bom senso estar sempre de olho e não confiar cegamente no animal. Nunca. De qualquer maneira é impossível não esboçar um sorriso ao olhar estas imagens e imaginar o melhor; que os pais dos bebês estão sempre atentos.

Nem todos os cães grandes são bons para famílias. Cães de guarda ou pastores podem ficar ansiosos ou super protetores perto de crianças. Além disso, algumas raças pequenas também são inadequadas para crianças, por causa de sua tendência a beliscar e agredir. Por isso, antes de escolher ter um filho e um cão na mesma casa, é preciso pesquisar com especialistas quais são as raças mais indicadas.

Isso porque os benefícios de criar os filhos com um animal de estimação são numerosos. A tarefa de tomar conta dos bichinhos os ensina responsabilidade e o convívio com o animal faz com que eles descubram a compaixão e a confiança. Estes companheiros ainda podem manter seus filhos ativos.

 

bebezinhos e seus caes (1)

bebezinhos e seus caes (2)

bebezinhos e seus caes (3)

bebezinhos e seus caes (4)

bebezinhos e seus caes (5)

bebezinhos e seus caes (6)

bebezinhos e seus caes (7)

bebezinhos e seus caes (8)

bebezinhos e seus caes (9)

bebezinhos e seus caes (10)

bebezinhos e seus caes (11)

bebezinhos e seus caes (12)

bebezinhos e seus caes (13)

bebezinhos e seus caes (14)

bebezinhos e seus caes (15)

bebezinhos e seus caes (16)

bebezinhos e seus caes (17)

bebezinhos e seus caes (18)

bebezinhos e seus caes (19)

bebezinhos e seus caes (20)

bebezinhos e seus caes (21)

bebezinhos e seus caes (22)

30 imagens fofíssimas de bebês e crianças pequenas com cachorros grandes

Os cães não são apenas os melhores amigos dos homens, mas também dos bebês!

Esses animais podem ser excelentes companheiros para crianças, embora seja necessário que um adulto esteja sempre supervisionando a interação.

O amor e a compaixão que os cachorros podem oferecer são incomparáveis e não podem ser substituídos por nada nesse mundo. As crianças podem aprender muito com a convivência com esses seres vivos mais frágeis e dependentes de nós.

 

No entanto, não podemos deixar de alertar que essa coexistência tem lá seus perigos. Os animais podem interpretar errado certas ações das crianças, que por sua vez podem não perceber que estão incomodando ou provocando os cães.

Por isso, apesar de ser extremamente fofo observar um cachorro grande ao lado de um bebê gordinho, recomendamos que os pais não saiam de perto nem por um minuto.

Confira 30 fotos de derreter corações:

bebes e cachorros (1)

bebes e cachorros (2)

bebes e cachorros (3)

bebes e cachorros (4)

bebes e cachorros (5)

bebes e cachorros (6)

bebes e cachorros (7)

bebes e cachorros (8)

bebes e cachorros (9)

bebes e cachorros (10)

bebes e cachorros (11)

bebes e cachorros (12)

bebes e cachorros (13)

bebes e cachorros (14)

bebes e cachorros (15)

bebes e cachorros (16)

bebes e cachorros (17)

bebes e cachorros (18)

bebes e cachorros (19)

bebes e cachorros (20)

bebes e cachorros (21)

bebes e cachorros (22)

bebes e cachorros (23)

bebes e cachorros (24)

bebes e cachorros (25)

bebes e cachorros (26)

bebes e cachorros (27)

bebes e cachorros (28)

bebes e cachorros (29)

bebes e cachorros (30)