Gata “mais triste da internet” consegue ser também uma das mais adoráveis

Se o Gato de Botas do filme de animação Shrek é lembrado por sua cara de pidão, a gatinhaLuhu tem grandes chances de ser referência em tristeza felina – mas não pelo sentimento em si! Com as sobrancelhas curvadas para baixo, essa gata chinesa parece estar constantemente triste, embora sua dona garanta que ela é muito feliz. 

Luhu mora em Pequim, na China, com dois irmãos mais velhos, Barher e Bardie, e recebe muito amor de sua dona, Maggie Liu, que adora compartilhar as fotos da gata no Instagram. Embora esteja conquistando o título de “gata mais triste da internet”, Luhu é uma gatinha adorável e bastante fotogênica. Uma coisa é fato: uma feição triste nunca foi tão fofa!

Confira algumas fotos:

gata-triste

gata-triste7

gata-triste2

gata-triste3

gata-triste4

gata-triste5

gata-triste6

  gata-triste8

gata-triste10

gata-triste9

Todas as fotos © Maggie Liu

Artista cria pingentes com cinzas de pessoas queridas falecidas

O que você quer que aconteça com o seu corpo depois que você morrer? A cremação é uma opção cada vez mais comum em todo o mundo, mas enquanto que algumas famílias fazem rituais de despedida jogando as cinzas em rios, oceanos e florestas, há quem queira guardar seus amados bem perto. Há 15 anos, a artista norte-americana Merry Coor se propõe a transformar parte das cinzas em pingentes de vidro exclusivos, feitos a mão.

Todas as esferas de vidro são feitas usando um material especial e cada uma delas tem cores e formas únicas. O vidro é derretido e ajustado no formato esférico e só então as cinzas são incorporadas ao design, em espirais. Para finalizar, a artista adiciona uma camada de vidro para proteger a arte e faz o acabamento com correntes de ouro ou prata.

O resultado do trabalho de Marry Coor é incrível e a artista faz questão de explicar, com respeito e atenção, cada parte do processo. Segundo ela, qualquer pessoa do mundo pode encomendar um colar e, para isso, basta enviar o equivalente a meia colher de chá com as cinzas do falecido. Ela pede ainda que a família envie uma foto, uma história ou diga qual música a pessoa gostava de ouvir, o que torna o processo de criação da esfera ainda mais especial.

Segundo a artista, as cinzas que, porventura, não forem utilizadas no pingente, serão jogadas no oceano, durante um ritual respeitoso que ela mesma se encarrega de fazer. E completa: “Eu coloco a minha melhor energia em cada uma das esferas. Se eu estou doente ou tendo um dia ruim, eu não faço as esferas. Eu só quero boa energia, amor e bons pensamentos incorporados a cada esfera que faço“. Uau! Que trabalho sensível! Confira algumas esferas que ela já criou:

colar-cinzas

colar-cinzas2

colar-cinzas4

colar-cinzas5

colar-cinzas6

colar-cinzas7

colar-cinzas8

Todas as fotos © Merry Coor

Dona de restaurante toma atitude surpreendente ao perceber que seu lixo vinha sendo revirado

Com tantas notícias ruins por aí, é bom saber que ainda existem pessoas com um coração do tamanho do mundo e capazes de pensar no outro. Um exemplo de amor e compaixão é Ashley Jiron, dona do pequeno restaurante P.B. Jams, em Warr Acres, no estado norte-americano de Oklahoma, que ficou conhecida por colocar um cartaz simples, mas chocante em seu estabelecimento, para uma pessoa que revirava seu lixo em busca de comida.

Ashley ficou tão comovida com a situação, que não pôde simplesmente ignorar o morador de rua e colocou o seguinte aviso na porta do seu restaurante:

“Para a pessoa que vai atrás de nosso lixo para sua próxima refeição – você é um ser humano e vale mais que uma refeição de uma caçamba de lixo. Por favor, entre durante o horário de funcionamento para um sanduíche, vegetais frescos e um copo d’água sem nenhum custo. Não farei perguntas. Sua amiga, a dona”.

anuncio

O gesto de Ashley se espalhou pela internet e pela mídia e muitas pessoas ficaram comovidas com sua generosidade. Em entrevista, ela disse: “Me machuca alguém ter que fazer isso,oferecer refeições é o mínimo que posso fazer. Acho que todos nós já estivemos na posição de precisar da ajuda de alguém, que os estendam as mãos. Se eu puder ajudar e estender a mão para alguém, com certeza farei isso”.

Depois de ficar impressionada com a quantidade de pessoas que entraram em contato para expressar seu apoio, Ashley lançou o projeto #ShareTheNuts em seu restaurante, no qual os clientes podem pagar refeições para outras pessoas carentes. Para cada doação, um adesivo de uma “noz” será colocado na parede e aqueles que precisarem, poderão destacá-lo para pagar sua refeição.

lixo

ashley

11149229_711400858968904_1556688262_n

MONTAGEM COMIDA

restaurante-ok

Faminto. Adjetivo: estado de raiva causado pela falta de comida; fome causa um negativa mudança no estado emocional.

hangry

share

ashley 2

COMIDA      11148972_711400898968900_276602780_n

Imagens via P. B Jams e News Channel Kfor

A modelo sul-africana que superou o preconceito e está mudando a percepção do mundo sobre o albinismo

Nascida na África do Sul, Thando Hopa, 25, tem uma pele branca como porcelana, foi ensinada a sempre usar filtro solar e a enfrentar o preconceito. Ela tem albinismo, um transtorno genético que consiste na falta de pigmentação na pele, cabelos e olhos. Mas para muitos africanos, ser albino não é uma simples condição de saúde. Por lá, o preconceito e a desinformação é tanta que caso de assassinato de pessoas albinas não são raros.

Thando já passou por diversas situações de preconceito na escola em que estudava e na comunidade em que vive. Apesar disso, conseguiu concluir seus estudos, é advogada e agoracombate os estigmas de sua condição desfilando para um dos estilistas sul africanos mais conhecidos do mundo, Gert-Johan Coetzee.

Eu estava andando em Johannesburgo – e confesso que aquele não era meu melhor dia – quando um homem se aproximou e disse: ‘Oi! Você gostaria de fazer uma sessão de fotos?’ Respondi que não sabia. Ele percebeu que eu estava muito relutante, mas me deu um cartão. Mais tarde, quase jogando o cartão fora, contei à minha irmã, em tom de piada, sobre o convite. Eu disse: ‘Imagine, de jeito nenhum eu faria isso!’ Minha irmã disse que eu tinha uma cabeça muito estreita. ‘Depois de tudo o que você passou, essa é sua oportunidade de mudar a percepção das pessoas sobre albinismo e de mudar a definição de beleza‘”, contou ela em um relato à BBC.

E a irmã de Thando tinha razão. Aos poucos, a moça tem ajudado a mostrar na África do Sul que, longe do preconceito, o albinismo é apenas uma condição de saúde e que a falta de pigmentos não a deixa menos bonita. Dá uma olhada:

thando-hopa

thando-hopa2

thando-hopa3

TO GO WITH AFP STORY BY CLAUDINE RENAUD  South African lawyer and part-time fashion model Thando Hopa, an albino, visits an exhibition of Black culture Drum magazine front pages at Arts on Main on June 13, 2015 in Johannesburg. Thando Hopa grew up in the shade, her porcelain skin hidden under long sleeves and sunscreen until the day this South African said goodbye to her complexes and decided to fight prejudice against albinos by becoming a model. Petite and born with a genetic anomaly that left her skin de-pigmented from head to toe, Hopa entered the fashion world without the usual vital statistics required of a catwalk model. But ghostly, no make-up barring a vivid fuchsia on her lips, her hair sculpted to a magnificent bleached height, she exploded onto the cover of the first Forbes Life Africa back in 2013. AFP PHOTO / GIANLUIGI GUERCIA        (Photo credit should read GIANLUIGI GUERCIA/AFP/Getty Images)

USA with CrossFit Platinum

thando-hopa6

Todas as fotos © AFP

Adolescente com condição rara na pele supera bullying e inspira pessoas pelo mundo

Os seres humanos são diferentes, mas são muitos os que ainda não aprenderam a respeitar e aceitar as diferenças. Mas a história da garota Ciera Swaringen, de 19 anos, traz esperança e mostra que, mesmo fugindo tanto do padrão, dá para ser feliz a partir do momento em que você se aceita do jeito que veio ao mundo. Com uma condição rara na pele, ela tem pintas se espalhando pelo corpo o tempo todo, mas conseguiu driblar o preconceito e resgatar a confiança.

A garota nasceu com nevos melanocíticos congênitos gigantes, que não apresentam riscos para a saúde, mas trazem uma série de manchas e pintas na pele, em constante proliferação. Não havendo chances de removê-las por procedimentos cirúrgicos ou químicos, Ciera teve de se aceitar como é, apesar das circunstâncias e do bullying que sofreu. “Eu me lembro de estar no ônibus para a escola e ouvir um garoto rindo de mim e me chamando de ‘cachorro pintado’. Isso acabou com a minha confiança — eu era jovem e aquela ofensa fez com que eu me sentisse diferente das outras crianças, como se algo estivesse errado comigo“, disse ao Daily Mail.

E se a adolescência, como todos sabem, já não é fácil pra ninguém, imagine para quem vive em condições raras. Os garotos são os que mais fazem comentários maldosos, dizendo que ela parecia estar suja e que “precisava de um banho”. Agora que está saindo dessa fase teen, tem tomado novas atitudes em prol do amor próprio e da confiança. “Aprendi a ignorar os comentários negativos e lembrar que a maioria das pessoas encara ou diz algo cruel porque não está acostumada a ver alguém com a minha condição”, contou.

Ciera7

Ciera aproveita para nos lembrar que todos têm diferenças, mas nem sempre à mostra. “Eu tenho tanto orgulho em ser diferente — e, além do que, nós todos temos algo que não é convencional, seja exposto ou não”. E ela continua, dizendo que o apoio familiar trouxe novas perspectivas para sua autoestima:  “Lembro de quando eu comecei na escola e minha mãe me disse que as minhas marcas de nascença eram beijos de anjos — e eu guardo esta frase até hoje“.

Depois de pesquisar sobre sua condição para um trabalho escolar, encontrou um grupo de apoio e percebeu que não está sozinha, o que também ajudou no resgate da confiança. NoInstagram, compartilha fotos constantemente e passou a exibir o corpo de biquíni. “O verão sempre foi pior para mim, porque, obviamente, eu estou mostrando mais pele do que o normal. Eu nasci diferente de todo mundo e as pessoas são rápidas a me lembrar disso. Eu nasci diferente por uma razão. Agora é hora de eu começar a abraçá-la!”, escreveu.

   Ciera6

Ciera5

Ciera4

Ciera3

Ciera2

Ciera

Todas as fotos: Reprodução

Alojamento oferece aluguel grátis para estudantes em troca de interação com idosos que precisam

Uma coisa é comum entre estudantes do mundo inteiro: às vezes, o dinheiro acaba. Pensando nisso e, principalmente, com o intuito de ajudar os idosos, a organização Humanitas Deventerapresentou um programa que visa oferecer aos estudantes holandeses aluguel grátis em uma casa de repouso em troca do tempo que eles passarem com os residentes mais velhos.

No momento, o programa irá beneficiar seis jovens holandeses, que receberão alojamento grátis no local. Em contrapartida, os estudantes deverão passar ao menos 30 horas por mês com os 160 idosos que vivem na residência. Entre as atividades possíveis estão cozinhar com os velhinhos, conversar com eles ou mesmo fazer companhia enquanto eles vão às compras, por exemplo.

O programa beneficia tanto estudantes quanto os idosos, que podem ser impactados por uma melhora em sua vida social ao mesmo tempo em que compartilham suas experiências com os mais novos. Sabemos que uma das principais dificuldades em idades avançadas é a solidão e os problemas psicológicos ligados à aproximação do fim da vida.

Graças ao sucesso do modelo, outras organizações europeias já estão implementando ações similares. E aí, Brasil?

idosos6

Foto © Studio Oostrom

idosos5

idosos4

idosos3

Fotos © AFP / Nicolas Delaunay

idosos2

idosos1

Foto © Humanitas

Mulheres maquiam apenas um lado do rosto para provar que são lindas de qualquer forma

Desde os tempos da Cleópatra, no Antigo Egito, as mulheres já usavam pigmentos naturais para ficarem ainda mais bonitas e se sentirem bem. As opções de maquiagens e a qualidade dos produtos com certeza mudou desde então, mas a relação das mulheres com a maquiagem ainda é a mesma. Contudo, há quem ache que mulheres se maquiam para agradar os homens, porque se sentem feias ou têm baixa autoestima. Será verdade?

A YouTuber Nikkie Tutorials, especializada em beleza, sentiu-se incomodada com essa ideia e postou um vídeo para mostrar que não há vergonha alguma em se sentir bem ao usar batom, lápis, sombra ou o que for. Segundo ela, as mulheres podem se sentir bem com ou sem maquiagem e a escolha de usar os produtos é exclusiva delas. “Porque quando alguém pergunta para quem eu estou ficando bonita, minha resposta é sempre ‘para mim mesma’“, afirma.

No vídeo, ela faz a maquiagem em apenas um lado da face, mostrando que há um contraste evidente, mas que não há problema nisso. Segundo ela, as mulheres deveriam ser livres para criar maquiagens criativas e, principalmente, sentir-se bem consigo mesma. O vídeo, que se tornou viral, inspirou milhares de mulheres em todo o mundo a fazerem o mesmo, mostrando seu lado com e sem maquiagem. As fotos estão sendo postadas com a hashtag#ThePowerOfMakeup (O poder da maquiagem, em português). Veja algumas das fotos que já foram compartilhadas e inspire-se!

mulheres-maquiagem12

Foto © YouTube/Reprodução

mulheres-maquiagem

Foto © @makeupbyjesshelfrich

mulheres-maquiagem2

Foto © @camilaxmorales

mulheres-maquiagem3

Foto © @annikat_makeupartistry

mulheres-maquiagem4

Foto © @mutantbowlcut

mulheres-maquiagem5

Foto © @mua.p

mulheres-maquiagem6

Foto © @coloryourface__

mulheres-maquiagem7

Foto © @hajf_05

mulheres-maquiagem8

Foto © @makeupbyasma

mulheres-maquiagem9

Foto © @prinnydmakeup

mulheres-maquiagem10

Foto © @anoushkabeauty

mulheres-maquiagem11

Foto © @april_christinaa