Irará

Irará é um município da Área de Expansão Metropolitana de Feira de Santana, no estado da Bahia, no Brasil. Possui população de 29579 habitantes.

História

No século XVI, a região do atual município de Irará fazia parte da sesmaria de Garcia d’Ávila, na Capitania da Baía de Todos os Santos. Suas terras foram exploradas pelos padres jesuítas, que chegaram pelo norte, pelo atual município de Água Fria. Duas correntes favoreceram o desbravamento dessa região: uma na direção oeste, pela serra de Irará (na busca de ouro e pedras preciosas) e outra ao leste, na caça ao gentio. Estas bandeiras deixaram uma igreja na Vila de Bento Simões e um templo no arraial da Caroba. Em meados de 1717, se registram as primeiras explorações das terras no centro do atual município, onde Antônio Homem da Fonseca Correia edificou uma capela sob o orago de Nossa Senhora da Purificação, oferecendo-a a seu filho. Ao lado do templo, foi erguida uma casa de fazenda, dando início ao povoado de Irará, tendo, como primeiros habitantes, os índios paiaiás.

Estação IRARA

Em 27 de maio de 1842, pela lei Provincial 173, foi criada a Vila da Purificação dos Campos. Em 8 de agosto de 1895 a Vila da Purificação foi elevada a categoria de cidade com o nome de Irará pela lei Estadual nº 100. O nome “Irará” tem origem indígena e significa “nascido da luz do dia”. A palavra “Irará” vem de “arará”, que é o nome dado à fase alada dos cupins.

Inicialmente, o município tinha uma câmara de vereadores e era administrado pelo seu presidente. A partir de 1890, Irará passou a ser administrado por intendentes, sendo o primeiro Pedro Nogueira Portela até 1893. Entre o período de 1930 a 1947, foi administrada por interventores: Elpídio Nogueira foi o primeiro deles. O município só passou a ser governado por prefeitos a partir de 1948, com a indicação de Elísio dos Reis Santana para assumir o cargo. 

Irará – Mercado Municipal em Irará confesso muito cara as mercadorias desse lugar.

Geografia

Sua população estimada em 2011 era estimada em 28 000 habitantes. Considerando a regionalização do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Irará pertence à Microrregião de Feira de Santana, Mesoregião Centro Norte Baiano. Na regionalização do Estado da Bahia, está inserida na Região Econômica 7 de Paraguaçu e na Região Administrativa de Feira de Santana. O município possui uma área de 271 quilômetros quadrados conforme o Censo de 2000, clima variado úmido subúmido, com solos podzólico vermelho/amarelo, equivalente a Eutrófico e solos Litólicos Eutróficos. O potencial agroclimático tem grau ótimo e bom apresentando aptidão climática para as culturas de coco-da-baía, banana, cana-de-açucar, fumo, mandioca, abacaxi, milho, soja, feijão, amendoim e algodão.

Vegetação

A vegetação predominante é de tabuleiro e caatinga. e vestigios de mata atlantica

Hidrografia

O município é banhado pelos rios Seco e Parnamirim e é limitado ao norte com Água Fria; ao sul, Coração de Maria; ao leste, Ouriçangas,; ao oeste Santanópolis; ao sudeste, Pedrão.

Como vias de acesso, é ligado à capital do estado pelas rodovias BA-084 via Coração de Maria e BA-504 via Alagoinhas, bem como Irará a Feira de Santana via Santanópolis.

Iraraenses notáveis

  • Aristeu Nogueira, ,Advogado, Político e membro do PCB na Bahia, integrou o Comitê Central Nacional, foi preso e torturado pelo regime militar. Em Irará, criou o CDC (Centro de Diversões e Cultura – 1940) e a Casa da Cultura de Irará -1983, além de incentivar o associativismo influindo para a fundação de diversos conselhos comunitários e de Associações Rurais.
  • Dida, goleiro pentacampeão mundial.
  • Diógenes de Almeida Campos, geólogo (UFBA) e um dos mais importantes paleontólogos do Brasil, membro da Academia Brasileira de Ciências e diretor do Museu de Ciências da Terra no Rio de Janeiro.
  • Edson Barbosa Filho, jornalista, publicitário, sócio presidente da Link Propaganda
  • Emídio Brasileiro, escritor,orador espírita, advogado, professor universitário,pesquisador.
  • Fernando Nogueira Dantas, pracinha, serviu na segunda guerra mundial, como enfermeiro de guerra.
  • Fernando Sant’anna, engenheiro, político, também importante quadro do Partido Comunista Brasileiro do estado, foi deputado federal por algumas vezes, tendo sido também deputado federal constituinte.
  • Gigi, músico, baixista de Ivete Sangalo, compositor e arranjador.
  • João dos Reis Sant’anna Filho, engenheiro, político, exerceu diversos cargos na administração pública, tendo sido ministro da integração nacional – 2010
  • Tom Zé, cantor, compositor e multi-instrumentista. Site de Tom Zé
  • Vera Felicidade, psicoterapeuta, criadora da psicoterapia gestaltista exposta em seus 8 livros. Site oficial: Psicoterapia Gestaltista

Economia

A agricultura é a principal atividade econômica da região.

Turismo

  • Feira da Mandioca – evento de periodicidade anual, no qual é realizado um concurso com as maiores mandiocas. Há também novidades sobre produtos agrícolas, maquinário, beijus e outras receitas com base na mandioca. Órgãos como Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola também costumam participar do evento, apresentando técnicas agrícolas.
  • Festejos juninos com blocos, destaque para o Bloco Jeguerê com dezesseis anos de tradição e shows na praça principal.
  • Igrejas construídas pelos jesuítas em Bento Simões e Caroba.
  • Mercado municipal.
  • Fonte da nação.
  • Festejos populares que ocorre no dia 02 de fevereiro como Lavagem, festa do Cruzeiro…
  • Gloriosa Filarmônica 25 de Dezembro.

Igreja de Bento Simões, Irará BA

Igreja de Bento Simões, Irará BA

Viajei muito para esse interior ,não recomendo uma aventura nessa região,não anda muito boa para viajar ,fora que a pobreza é muito grande nesse interior.Mais quando é tempo de chuva esse interior fica muito bonito,mais fora isso é um lugar pacato e o silencio é constante.

Irará


Irará é um município da Área de Expansão Metropolitana de Feira de Santana, no estado da Bahia, no Brasil. Possui população de 29579 habitantes.

HISTÓRIA

No século XVI, a região do atual município de Irará fazia parte da sesmaria de Garcia d’Ávila, na Capitania da Baía de Todos os Santos. Suas terras foram exploradas pelos padres jesuítas, que chegaram pelo norte, pelo atual município de Água Fria. Duas correntes favoreceram o desbravamento dessa região: uma na direção oeste, pela serra de Irará (na busca de ouro e pedras preciosas) e outra ao leste, na caça ao gentio. Estas bandeiras deixaram uma igreja na Vila de Bento Simões e um templo no arraial da Caroba. Em meados de 1717, se registram as primeiras explorações das terras no centro do atual município, onde Antônio Homem da Fonseca Correia edificou uma capela sob o orago de Nossa Senhora da Purificação, oferecendo-a a seu filho. Ao lado do templo, foi erguida uma casa de fazenda, dando início ao povoado de Irará, tendo, como primeiros habitantes, os índios paiaiás.
Em 27 de maio de 1842, pela lei Provincial 173, foi criada a Vila da Purificação dos Campos. Em 8 de agosto de 1895 a Vila da Purificação foi elevada a categoria de cidade com o nome de Irará pela lei Estadual nº 100. O nome “Irará” tem origem indígena e significa “nascido da luz do dia”. A palavra “Irará” vem de “arará”, que é o nome dado à fase alada dos cupins.
Inicialmente, o município tinha uma câmara de vereadores e era administrado pelo seu presidente. A partir de 1890, Irará passou a ser administrado por intendentes, sendo o primeiro Pedro Nogueira Portela até 1893. Entre o período de 1930 a 1947, foi administrada por interventores: Elpídio Nogueira foi o primeiro deles. O município só passou a ser governado por prefeitos a partir de 1948, com a indicação de Elísio dos Reis Santana para assumir o cargo. 

GEOGRAFIA

Sua população estimada em 2011 era estimada em 28 000 habitantes. Considerando a regionalização doInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Irará pertence à Microrregião de Feira de Santana, Mesoregião Centro Norte Baiano. Na regionalização do Estado da Bahia, está inserida na Região Econômica 7 de Paraguaçu e na Região Administrativa de Feira de Santana. O município possui uma área de 271 quilômetros quadrados conforme o Censo de 2000, clima variado úmido subúmido, com solos podzólico vermelho/amarelo, equivalente a Eutrófico e solos Litólicos Eutróficos. O potencial agroclimático tem grau ótimo e bom apresentando aptidão climática para as culturas de coco-da-baía, banana, cana-de-açucar, fumo, mandioca, abacaxi, milho, soja, feijão, amendoim e algodão.

Vegetação

A vegetação predominante é de tabuleiro e caatinga. e vestigios de mata atlantica

HIDROGRAFIA

O município é banhado pelos rios Seco e Parnamirim e é limitado ao norte com Água Fria; ao sul, Coração de Maria; ao leste, Ouriçangas,; ao oeste Santanópolis; ao sudeste, Pedrão.
Como vias de acesso, é ligado à capital do estado pelas rodovias BA-084 via Coração de Maria e BA-504 via Alagoinhas, bem como Irará a Feira de Santana via Santanópolis.

IRARAENSES NOTÁVEIS

  • Aristeu Nogueira, ,Advogado, Político e membro do PCB na Bahia, integrou o Comitê Central Nacional, foi preso e torturado pelo regime militar. Em Irará, criou o CDC (Centro de Diversões e Cultura – 1940) e a Casa da Cultura de Irará -1983, além de incentivar o associativismo influindo para a fundação de diversos conselhos comunitários e de Associações Rurais.
  • Dida, goleiro pentacampeão mundial.
  • Diógenes de Almeida Campos, geólogo (UFBA) e um dos mais importantes paleontólogos do Brasil, membro da Academia Brasileira de Ciências e diretor do Museu de Ciências da Terra no Rio de Janeiro.
  • Edson Barbosa Filho, jornalista, publicitário, sócio presidente da Link Propaganda
  • Emídio Brasileiro, escritor,orador espírita, advogado, professor universitário,pesquisador.
  • Fernando Nogueira Dantas, pracinha, serviu na segunda guerra mundial, como enfermeiro de guerra.
  • Fernando Sant’anna, engenheiro, político, também importante quadro do Partido Comunista Brasileiro do estado, foi deputado federal por algumas vezes, tendo sido também deputado federal constituinte.
  • Gigi, músico, baixista de Ivete Sangalo, compositor e arranjador.
  • João dos Reis Sant’anna Filho, engenheiro, político, exerceu diversos cargos na administração pública, tendo sido ministro da integração nacional – 2010
  • Tom Zé, cantor, compositor e multi-instrumentista. Site de Tom Zé
  • Vera Felicidade, psicoterapeuta, criadora da psicoterapia gestaltista exposta em seus 8 livros. Site oficial: Psicoterapia Gestaltista

ECONOMIA

A agricultura é a principal atividade econômica da região.

TURISMO

  • Feira da Mandioca – evento de periodicidade anual, no qual é realizado um concurso com as maiores mandiocas. Há também novidades sobre produtos agrícolas, maquinário, beijus e outras receitas com base na mandioca. Órgãos como Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola também costumam participar do evento, apresentando técnicas agrícolas.
  • Festejos juninos com blocos, destaque para o Bloco Jeguerê com dezesseis anos de tradição e shows na praça principal.
  • Igrejas construídas pelos jesuítas em Bento Simões e Caroba.
  • Mercado municipal.
  • Fonte da nação.
  • Festejos populares que ocorre no dia 02 de fevereiro como Lavagem, festa do Cruzeiro…
  • Gloriosa Filarmônica 25 de Dezembro.

Fotógrafo cria cenários mágicos para ajudar cães de abrigo a serem adotados

Não é tarefa fácil arrumar um lar para um cãozinho judiado pelo tempo e maus tratos. Além de enfrentarem as dificuldades da vida nas ruas, enfrentam o abandono e, ao serem resgatados, correm o risco de continuarem lá, sem uma família para chamar de sua. Pensando em dar uma ajuda extra para mudar a realidade destes cães, o fotógrafo Stuart Holroyd manipula as fotos e dá outro tom aos bichos, incluindo-os em cenários legais que os deixam ainda mais simpáticos.

A história toda começou quando o fotógrafo se mudou para o Chipre e conheceu Kayte, dona doBay Tree Rescue, um pequeno centro de resgate de cães. Ela dedica sua vida e tempo a 70 animais e mora numa cabana no centro da cidade, com eletricidade e comida doada por outros moradores. A falta de leis rígidas contra a crueldade com animais dificulta seu trabalho, que virou um antro pela causa e é sustentado pelas pequenas doações que recebe.

Holroyd abraçou a causa e resolveu ajudá-la, fotografando os animais para aumentar a divulgação e probabilidade de adoção. Cada um dos animais tem uma história a ser contada, que em breve estará em um livro, com lucro totalmente doado ao abrigo.

As fotos feitas em nove meses se tornaram um projeto maior do que ambos imaginavam e agora já viralizam na internet. Pode ser o início de uma nova era para Katye e os cachorros, e nós torcemos por eles. Olha só:

Ozzy

Ozzy-s1__880

Molly

Molly-s1__880

Barley

3d empty room's wall with wood parquet and white wall

Costa – o cachorro cego

Costa1__880

Fergus – o “Tri-pata”

Fergus-s1__880

Barney

Barny-s1__880

Milly

Milly-s1__880

Hettie

Hettie-s1__880

Wolfie

Wolfie-s1__880

Winston

Winston-s1__880

Todas as fotos © Stuart Holroyd

Série de fotos retrata o povoado na Índia onde são as mulheres que ditam as regras

Já imaginou um lugar em que a mulher ocupe o principal espaço na sociedade e os homens precisem até mesmo pedir permissão a uma delas antes de tomar alguma decisão importante? Parece maluquice, mas esse lugar existe e fica em meio a um país frequentemente associado à violência e discriminação contra a mulher. É a tribo Khasi, que vive em uma floresta em Mawlynnong, na Índia.

O lugar é exemplo de belezas naturais e já ficou conhecido como o povoado mais limpo de toda a Ásia, tanto é que foi apelidado de God’s Own Garden (algo como “O Jardim de Deus”). O lugar é praticamente intocado pelas comodidades modernas e preserva uma tradição em que o foco da sociedade recai sobre a mulher. Entre os Khasi, a propriedade é passada da mãe para a filha mais jovem e os maridos vão viver com a sogra depois de casados.

khasi7

Tanta responsabilidade faz com que as mulheres da tribo amadureçam mais cedo: a partir dos 8 anos, as meninas já começam a cuidar das tarefas domésticas e dos irmãos mais novos. Mas engana-se quem pensa que a vida na tribo são só tarefas: a partir dos 11 anos, as meninas começam a frequentar a escola e podem até mesmo decidir se querem cursar uma universidade. As escolhas estão mesmo nas mãos delas, já que os Khasi não realizam casamentos arranjados, como ainda é comum em outras regiões do país. Cada mulher da tribo pode decidir se quer ou não casar.

As imagens abaixo, da série Mädchenland (“Reino de Meninas”, em português), criada pela fotógrafa alemã Karolin Klüppel, mostram um pouco do dia a dia na tribo e retratam a vida destas garotas em meio a uma sociedade tão diferente da nossa e, principalmente, da de seus vizinhos mais próximos.

khasi10

khasi9

khasi8

khasi6

khasi5

khasi4

khasi3

khasi2

khasi1

Todas as fotos © Karolin Klüppel

Acompanhe mais do trabalho da artista aqui.

Mensagen de Reflexão

Jamais se desespere em meio as sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.

Provérbio Chinês

FRASE DO DIA

A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro

Albert Einstein

Mensagen de Reflexão

A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo.

Fernando Pessoa