FRASE DO DIA

Se tiveres a impressão de que és pequeno demais para poder mudar alguma coisa neste mundo, tenta dormir com um mosquito e verás qual dos dois impede o outro de dormir.

Dalai Lama

Conheça o graffiti incrível do artista que se inspira em animes e ficção científica

Inspirado nos quadrinhos, na ficção científica e na cultura do skate, o artista Tristan Eaton cria grafites em muros e painéis não só para tornar as cidades mais bonitas, por livre escolha, mas também a pedido de grandes marcas, como Nike, Disney e Versace.

Aos 36 anos, o artista de rua começou grafitando outdoors e placas e passou cerca de 10 anos no comando criativo do estúdio Thunderdog, que pensa e faz designs para alguns dos grandes clientes já citados.

Veja os detalhes sobre alguns de seus principais murais:

Audrey of Mulberry (Nova York) – Pintado na entrada da Little Italy, em Nova York, a pedidos da associação de comerciantes da região.

Tristan Eaton

Tristan Eaton

Spirit of Communication (Florida) – Mural pintado em homenagem a Alexander Graham Bell na lateral de um prédio, onde costumava ser a Southnern Bell Telephone Company. O graffiti demorou 12 dias para ficar pronto e gastou cerca de 500 latas de tinta spray.

Tristan Eaton  Tristan Eaton

Liberty (Nova York) – Mural entre a Mulberry St. e a Canal St. a pedidos da Associação de Comerciantes da Little Italy, em parceria com o The Lisa Project.

Tristan Eaton

Pow Wow Hawaii (Honolulu) – Mural criado para o famoso festival de grafittis que acontece em Honolulu. A lateral de um prédio de 3 andares foi coberta com essa arte que se inspira no anime Neo Genesis Evangalion.

Tristan Eaton

Tristan Eaton

4 Horse Women of the Apocalypse (Nova York) – Arte feita em conjunto com os gêmeos How & Nosm. O mural fica na área do Brooklyn.

Tristan Eaton

Tristan Eaton

Peace & Happiness (Detroit) – Localizado no centro de Detroit, o mural é o mais longo já pintado pelo artista e foi financiado pela Library Street Collective.

Tristan EatonTristan Eaton

I Was a Botox Junkie (Los Angeles) – Mural localizado no centro de Los Angeles.

Tristan Eaton

Todas as fotos © Tristan Eaton

“Eu preciso dela”: como um refugiado de 17 anos foi da Síria à Grécia a pé com sua fiel cadelinha

Ao fugir da guerra, os refugiados sírios carregam consigo apenas o mínimo.Enquanto alguns levam fotos da família, brinquedos e roupas, este garoto de 17 anos, identificado como Aslan, decidiu enfrentar a dura travessia até a ilha de Lesbos, na Grécia, levando consigo sua cadelinha, Rose.

O motivo? “Eu amo ela. Eu preciso dela“, disse o jovem em um vídeo compartilhado pela U.N Refugee Agency, órgão das Nações Unidas. Segundo o garoto, ele e Rose enfrentaram juntos mais de 500 km de caminhada e a amiga de quatro patas ganhou até mesmo um passaporte.

Vale a pena assistir as imagens que se seguem:

AslanRose_1

refugiado-sirio4

refugiado-sirio5

refugiado-sirio6

refugiado-sirio7

refugiado-sirio8

refugiado-sirio9

refugiado-sirio10

Todas as imagens © YouTube/Reprodução

Os 10 maiores povos indígenas do Brasil

https://sites.google.com/site/profmarciodemedeiros/_/rsrc/1437799988789/news/59-quaissaoospovosindigenasmaisnumerososdobrasil/indios-funai-xingu.jpg

O Brasil está repleto de índios que ainda vivem segundo a cultura de seus povos. Muitas tribos ainda moram em ocas, sem o uso de qualquer tecnologia que estamos acostumados a ter, e tiram da natureza tudo o que precisam para seu sustento e sobrevivência, desde comida, roupas e objetos, até instrumentos de caça e de diversão. Nós selecionamos os 10 povos indígenas com maior população em nosso país.

1. Ticuna

Essa tribo tem 35.000 índios aproximadamente no país e habita, atualmente, a fronteira entre o Peru e o Brasil. De acordo com a história oral relatada pelos próprios ticunas, eles eram índios que habitavam a terra firme e as cabeceiras dos igarapés. Viviam em constante guerra com outras tribos e aldeias ticunas. Os primeiros contatos com os não índios datam do final do século XVII, quando jesuítas espanhóis vindos do Peru, liderados pelo padre Samuel Fritz, começaram a fundar diversos aldeamentos ao longo do rio Solimões, aldeamentos estes que correspondem aos atuais municípios de São Paulo de Olivença, Amaturá, Fonte Boa e Tefé.

2. Guarani

Com cerca de 30.000 índios, os guaranis são uma das etnias mais documentadas de todos os tempos e uma das mais representativas etnias indígenas das Américas. Seus territórios tradicionais ocupam uma ampla região da América do Sul que abrange Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e a porção centro-meridional do território brasileiro. São chamados povos (no plural) pois sua ampla população encontra-se dividida em diversos subgrupos étnicos e cada um possui especificidades dialetais, culturais e cosmológicas, diferenciando assim sua forma de ser guarani das demais.

3. Caingangue

https://i2.wp.com/horizontegeografico.com.br/arquivos/imagem_2344.jpg

Os caingangues são um povo indígena do Brasil meridional. Sua cultura desenvolveu-se à sombra dos pinheirais (Araucaria brasiliensis). Há pelo menos dois séculos, sua extensão territorial compreende a zona entre o rio Tietê (São Paulo) e o rio Ijuí (norte do Rio Grande do Sul). Atualmente, os caingangues ocupam cerca de trinta áreas reduzidas, distribuídas sobre seu antigo território, nos estados meridionais brasileiros de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com uma população aproximada de 25.000 pessoas.

4. Macuxi

Totalizam cerca de 20.000 índios e ocupam uma vasta área indígena (1 milhão e 678 mil hectares) no Norte da Amazônia e do Estado de Roraima, bem próximo a fronteira com a Guiana. Estão distribuídos por várias comunidades, há muito sedentárias e familiarizadas nos contatos com os brancos, que se dedicam à agricultura e à criação de gado. Habitantes de uma região de fronteira, os macuxi vêm enfrentando, pelo menos desde o século XVIII, situações adversas em razão da ocupação não indígena na região – primeiramente por aldeamentos e migrações forçadas, depois pelo avanço de frentes extrativistas e pecuaristas e, mais recentemente, pela presença de garimpeiros e a proliferação de grileiros em suas terras.

5. Terenahttps://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c6/%C3%8Dndia_da_etnia_Terena.jpg

Os terenas são um grupo indígena brasileiro, composto por cerca de 16.000 índios e que possuem a cultura do plantio e apresentam um grande grau de integração com a sociedade circundante. Vivem principalmente no estado de Mato Grosso do Sul (Áreas Indígenas Aldeinha, Buriti, Dourados, Lalima, Limão Verde, Nioaque, Pilade Rebuá, Taunay/Ipegue e Terras Indígenas Água Limpa e Cachoeirinha, a oeste da Reserva Indígena Kadiwéu, na Área Indígena Umutina e a leste do rio Miranda). Podem ser encontrados também no interior do estado brasileiro de São Paulo (Áreas Indígenas Araribá e Icatu). Além disso, situam-se ainda na margem esquerda do alto rio Paraguai, em Mato Grosso e no norte deste estado.

6. Guajajara

Os guajajaras (também conhecidos como teneteara ou tenetehára) habitam onze terras indígenas na margem oriental da Amazonia, todas situadas no Maranhão e sua população chega a aproximadamente 14.000 índios. Sua história de mais de 380 anos de contato foi marcada tanto por aproximações com os brancos como por recusas totais, submissões, revoltas e grandes tragédias. A revolta de 1901 contra os missionários capuchinhos teve como resposta a última “guerra contra os índios” na história do Brasil. Foram também conhecidos por muitos povos brasileiros como os “cuia de aço” por fazerem ferramentas excelentes para o trabalho.

7. Xavante

https://maraiwatsede.files.wordpress.com/2012/05/mat-03_carlos-garcc3ada-paret.jpg

Os xavante são um grupo indígena que habita o leste do estado brasileiro do Mato Grosso. Atualmente, sua população é composta por 12.000 pessoas e está crescendo. Se autodenominam A’wê Uptabi, que quer dizer “gente verdadeira”. Pintam-se com jenipapo, carvão e urucum, tiram as sobrancelhas e os cílios, usam cordinhas nos pulsos e pernas e a gravata cerimonial de algodão. O corte de cabelo e os adornos e pinturas são marcadores de diferença dos xavantes em relação aos outros, transmitida através dos cantos pelos ancestrais e partilhados com todo o povo da aldeia.

8. Ianomâmi

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2015/09/b78f5-dksalc3a7.jpg

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7d/Eduardo_Jun_1999_1.jpg

Os Ianomâmis são índios que habitam o Brasil e a Venezuela. No Brasil são cerca de 12.000 índios e as aldeias ianomâmis ocupam a grande região montanhosa da fronteira com a Venezuela, numa área contínua de 9.419.108 hectares. Uma grande invasão garimpeira do território ianomâmi se deu no período de 1987 a 1992 em que estima-se a ocorrência de 1.500 mortes entre aquela população indígena. A Terra indígena ianomâmi foi homologada pelo presidente Fernando Collor em 25 de maio de 1992.

9. Pataxó

https://i0.wp.com/musicaemtrancoso.org.br/wp-content/uploads/2015/09/pataxo1.jpg

https://i0.wp.com/www.cimi.org.br/pub/Bahia/Brasilia/video-frame-07.jpg

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2015/09/73763-anivers25c325a1riojaqueirakarkaju12528772529.jpg

https://i0.wp.com/www.caraiva.com.br/wp-content/uploads/2011/11/Caraiva-55-e1473366343485.jpg

Os pataxós são um povo indígena com cerca 9.700 pessoas e são índios tipicos da América do Sul. Apesar de se expressarem na língua portuguesa, alguns grupos conservam seu idioma original, ensinando-o aos mais novos. Em 1990, os pataxós eram aproximadamente 1600. Vivem em sua maioria na Terra Indígena Barra Velha do Monte Pascoal, ao sul do município de Porto Seguro, a menos de um quilômetro da costa, entre as embocaduras dos rios Caraíva e Corumbáu. O território entre estes dois rios, o mar a leste e o Monte Pascoal a Oeste é reconhecido pelos Pataxó como suas terras tradicionais. Abrangem uma área de 20.000 hectares.

10. Potiguarahttps://i0.wp.com/www.portal25horas.com.br/wp-content/uploads/dia_do_indio_aldeia_sao_francisco_foto_kleide_teixeira_11.jpg

https://i0.wp.com/brejo.com/wp-content/uploads/2011/04/indios-potiguaras.jpg

Os potiguaras (“comedores de caramão”) são um grupo indígena que habitavam o litoral do estados da Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, quando os portugueses e outros povos europeus chegaram ao Brasil e hoje somam cerca de 7.700 índios. Nos dias atuais estes habitam o norte do estado brasileiro da Paraíba, junto aos limites dos municípios de Rio Tinto, Baía da Traição e Marcação (na Terra Indígena Potiguara, Terra Indígena Jacaré de São Domingos e Terra Indígena Potiguara de Monte-Mor) e no Ceará, nos municípios de Crateús (na Terra Indígena Monte Nebo); Monsenhor Tabosa e Tamboril (Terra Indígena Potigatapuia (Mundo Novo e Viração ou Serra das Matas). Vários descendentes da tribo dos potiguares adotaram, ao serem submetidos ao batismo cristão, o sobrenome Camarão.via

Fotos  google imagens: Fonte via wikipedia

FRASE DO DIA

O tempo é como um rio… Você nunca poderá tocar na mesma água duas vezes, porque a água que já passou nunca passará novamente. Aproveite cada minuto da sua vida e lembre-se: nunca busque boas aparências porque não existem… Não procure pessoas perfeitas porque não existem… Mas busque acima de tudo um alguém que saiba o seu verdadeiro valor!

FRASE DO DIA

A vida é como uma câmera. Foque no que é importante, capture bons momentos, desenvolva a vida a partir de negativos. E, se as coisas não derem certo, tire outra foto.