Parque temático criado por Banksy na Inglaterra será desmontado para construir abrigos para refugiados

Há pouco tempo Bansky lançou seu próprio parque temático no Reino Unido, a Dismaland. Diferentemente dos parques tradicionais, essa era uma versão sombria da Disneyland, com atrações que incluíam uma Cinderela morta sendo fotografada por paparazzis, um castelo em ruínas e até mesmo atendentes rabugentos vestidos com orelhas de Mickey.

Porém, apesar do clima niilista, o parque irá servir para uma ótima causa. Após as cinco semanas em que esteve em funcionamento na cidade de Weston-super-Mare, reunindo mais de 150 mil pagantes, o parque será desmontado e seus materiais serão usados para auxiliar na construção de abrigos para refugiados.

Todas as madeiras usadas no parque irão para o campo de refugiados informal surgido em Calais, na França, segundo informa o site da atração. Estima-se que entre três e quatro mil pessoas estejam acampadas no local, utilizado como rota de travessia para o Reino Unido.

 dismaland2

BanksyDisma2

Fotos: Divulgação. 

Veja também algumas imagens do parque antes do encerramento:

disma3

BanksyDisma1

disma5

disma6

disma7

disma8

disma9

disma10

Fotos © Christopher Jobson/Colossal

disma11

disma12

Imagens via

Anúncios

Série de fotos mágica mostra como as crianças brincam ao redor do mundo

 

Ter um autorama era fantástico, brincar com a boneca que fala e anda era incrível, mas você se lembra o quanto era possível se divertir com algo simples como uma caixa? Ou um balde de água? Ou um carrinho de rolimã improvisado?

Apesar dos diferentes cenários e contextos, as crianças são as mesmas em qualquer lugar do mundo. Elas querem brincar, se divertir e conseguem isso com coisas simples – apesar da magia dos joguinhos de computador e brinquedos supermodernos.

No fim das contas, tem coisa melhor do que viver em um mundo em que tudo pode ser diversão e o mais simples dos objetos se transforma no melhor dos brinquedos? Veja a seleção de imagens e tenha certeza de que a tecnologia não vai destruir a infância de ninguém:

Indonésia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Ipoenk Graphic

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Agoes Antara

Crianças brincando pelo mundo

Foto © I Gede Lila Kantiana

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Gede Lila Kantiana

Rússia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Светлана Квашина

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Elena Shumilova

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Elena Shumilova

Burquina Faso

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Òscar Tardío

Myanmar

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Chan Kwok Hung

Tajiquistão

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Damon Lynch

Índia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Sandee Pachetan

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Sudharsan Ravikumar

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Mukund Images

Vietnã

Crianças brincando pelo mundo

Foto © HT KëñShï

Gana

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Terry White

Estônia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Elika Hunt

Tailândia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Sarawut Intarob

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Sarawut Intarob

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Sarawut Intarob

África do Sul

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Muhammed Muheisen

Crianças brincando pelo mundo

Foto © tinosoriano.com

Peru

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Enrique Castro-Mendivil

Etiópia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Csilla Zelko

Itália

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Michael Potyomin

Israel

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Dima Vazinovich

Estados Unidos

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Jake Olson

Indonésia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Rio Rinaldi Rachmatullah

Crianças brincando pelo mundo

Foto © James Khoo

Crianças brincando pelo mundo

Foto ©  Hendrik Priyanto

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Mio Cade

Uganda

Crianças brincando pelo mundo

Foto © John Van Den Hende

Romênia

Crianças brincando pelo mundo

Foto © Elena Simona Craciun

Pai tem a melhor reação quando seu filho diz que quer se vestir de princesa no Halloween

 

Você já viu em filmes, desenhos animados ou seriados como os norte-americanos levam a sério o Halloween, nosso não tão popular Dia das Bruxas. Por lá, escolher uma fantasia e preparar as gostosuras e travessuras é um ritual importante, especialmente para os pequenos. Mas enquanto que Paul Henson, 28, levava seu filho Caiden para escolher seu personagem de Halloween, ele experienciou algo maior e teve a chance de mostrar para o mundo como é ser um bom pai.

Embora tivesse sugerido diversos personagens e temas para a fantasia do garoto, Henson afirma que Caiden estava irredutível: neste Halloween, ele queria ir vestido de ninguém menos que a Princesa Elsa, da animação Frozen. Pois bem, enquanto que muita gente ainda acha o fato de um garoto querer se vestir como uma princesa algo de outro mundo, Henson aceitou e a dupla partiu em busca do vestido ideal. Em uma das provas, o pai tirou uma foto do menino e a compartilhou no Facebook – ele só não esperava que a história fosse se tornar viral.

Qualquer um que nos conhece, sabe que nós geralmente permitimos que Caiden faça suas próprias escolhas, até um ponto. Bem, ele decidiu sua fantasia de Halloween. Ele quer ser a Elsa. Ele também quer que eu seja a Anna. Vamos lá. Fique com as suas bobagens sobre masculinidade e fantasias infantis, o Halloween é sobre crianças fingindo ser seus personagens favoritos. Então é isso, esta semana ele é uma princesa“, escreveu Hanson na rede social.

Veja as fotos:

caiden-henson

caiden-henson2

caiden-henson3

caiden-henson4

caiden-henson5

Todas as fotos © Arquivo Pessoal

Artista usa casca de ovos para recriar pinturas famosas

Se recriar uma obra de arte já não é tarefa fácil, imagine fazê-lo dentro da casca de um ovo?! Essa é a proposta da artista turca Süreyya Noyan, que com muita técnica e paciência pinta obras de artistas famosos, como Van Gogh, Hokusai e Rembrandt em ovos de galinha.

Com cuidado, a artista quebra os ovos, limpa as cascas e faz a pintura usando pincéis finos e canetas. Além do espaço pequeno, é desafiador lidar com a curvatura da tela. Confira o resultado:

sureyya-noyan17

sureyya-noyan16

sureyya-noyan15

sureyya-noyan14

sureyya-noyan13

sureyya-noyan8

sureyya-noyan9

sureyya-noyan10

sureyya-noyan11

sureyya-noyan12

sureyya-noyan7

sureyya-noyan6

sureyya-noyan5

sureyya-noyan4

sureyya-noyan3

sureyya-noyan

sureyya-noyan2

Todas as fotos © Süreyya Noyan

O fantástico túmulo esculpido em um única pedra na Arábia Saudita

 
Quem se atreve a um passeio em meio ao deserto localizado na cidade de Mada’in Saleh, na Arábia Saudita, poderá ter boas surpresas. Se a ideia deste passeio parece estranha, é hora de rever seus conceitos: a cidade é considerada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, por guardar resquícios importantes sobre a cultura nabateia.
É por lá que você vai encontrar este incrível túmulo construído em uma rocha. Conhecido comoQasr al-Farid (“Castelo Solitário”, em português), o local possui uma estrutura inacabada que data do século I. Apesar de curioso, este é apenas um dos 131 túmulos monumentaisespalhados pela região.
Qasr al-Farid é um grande exemplo de arquitetura e nos permite observar o estilo das construções criadas pelos nabateus. Mesmo estando incompleto, o monumento permanece intacto graças ao clima árido da região, e promete deixar qualquer visitante encantado com sua beleza. Venha descobri-lo:
qsar1
Foto © Richard Hargas
qsar2
qsar7
Fotos © Saudi Archaeology
qsar3
Foto © Andrew Ian Salegumba
qsar4
qsar5
qsar6
Fotos © Tomasz Trześniowski

Fotógrafa viaja pelo mundo fazendo retratos de pessoas felizes

 
O primeiro passo para ir ao encontro com a felicidade de outras pessoas foi abandonar a carreira de 10 anos como bancária para conhecer o mundo fazendo trabalho social: “Fui em busca do que eu sou e do que quero fazer”, diz a fotógrafa Angelina Yamada, de 33 anos.
Para reunir os cliques de felicidade ganhos durante suas viagens, feitas por dez países entre 2012 e 2013, a paulistana Angelina fez este mês uma exposição, durante o 17º Festival do Japão. “Quis mostrar a felicidade em pequenos gestos, coisas do cotidiano que vi nesta viagem”, garante.
Um dos temas abordados no Festival do Japão deste ano foi a origem e a busca pela felicidade, inserido no budismo como forma filosófica de gentileza, respeito e compaixão.
Dá uma olhada nas imagens abaixo e deixe-se contagiar:
origem-da-felicidade
origem-da-felicidade-2
origem-da-felicidade-3
origem-da-felicidade-4
origem-da-felicidade-5
origem-da-felicidade-6
Todas as fotos © Angelina Yamada

Aeroportos mais perigosos do mundo: 10 exemplos de arrepiar!

O assunto aeroporto já é muito delicado para muita gente. Afinal, não é todo mundo que fica confortável com a ideia de voar. Mas quando o tema são os aeroporto mais perigosos do mundo… Saber exatamente quais são eles é uma questão de sobrevivência. Entende? Para saber para exatamente onde não ir.

Os aeroportos mais perigosos do mundo

Se você tiver a sorte de não enfrentar filas ou atrasos, a sensação de estar em um aeroporto significa, muitas vezes, a realização daquelas merecidas férias esperadas há anos, ou a viagem exótica que está planejada desde o fim da faculdade com os amigos.
Mas depois de dar uma olhada nessas pistas horripilantes, você provavelmente nunca mais vai querer voar para longe sem primeiro verificar como é o aeroporto que você vai pousar. E o mais incrível é que todas estas pistas horríveis são permitidas por lei e estão em pleno funcionamento – com a exceção do mortífero Kai Tak, em Hong Kong, desativado em 1998. Prepare-se para ter o seu interior petrificado por esses aeroportos assustadores. Aperte (bem) os cintos:
 

Pista do Mar de Gelo, Antártida

Aeroportos mais perigosos do mundo
Esse aeroporto é único, mas não pelos motivos certos. Localizado na base Mc Murdo, na ponta sul da Ilha de Ross, na Antártida, o Sea Ice Runway (Pista do Mar de Gelo, em tradução livre) é totalmente feito de gelo, o que significa que o excesso de pressão – como, talvez, o peso de um avião pode fazer – pode rachar o chão. Não bastasse isso, com certeza ele deve ser um pouco gelado e escorregadio. Os pilotos são aconselhados a tentar não afundar mais de 10 centímetros no gelo. Pelo menos o aeroporto só é usado na primavera – no inverno o clima impossibilita qualquer atividade, e no verão o gelo derrete.

Maketane Air Strip, Lesoto, África

Matekaneairrunway TOM CLAYTOR.jpg  scary airports
Se o Lesoto, país minúsculo que fica no meio da África do Sul, estiver no seu roteiro de viagem, tente sair de lá de carro, ônibus, bicicleta ou qualquer outro veículo terrestre, ou então prepare-se para viver uma grande aventura. Afinal, o que é mais excitante do que uma pista curta seguida por uma queda mortal? Praticamente nada. Esta linha aí na foto na verdade é a pista do aeroporto Maketane Air Strip. Ela tem somente 400 metros. Para fazer uma decolagem, os pilotos têm que fazer as aeronaves correrem em direção ao penhasco e, em seguida, voarem. Fácil. Ah, e caso não seja um desafio bom o bastante, existem algumas montanhas agradáveis ​​logo em frente. Não custa saber também que a queda tem 200 metros a mais do que a pista. O desfiladeiro logo em frente ao Maketane Air Strip tem 600 metros. Mas ele não é um aeroporto comercial. Médicos e instituições de caridade utilizam o aeroporto para chegar nas vilas próximas. Haja bondade.

Aeroporto de Barra, Escócia

3
 
Vendo pelo lado positivo, este aeroporto localizado na parte norte da Ilha de Barra, na Escócia, foi eleito um dos locais de pouso mais impressionantes do mundo. O que significa que, mesmo que você ache que pode estar prestes a morrer, vai ver uma parte muito bonita do planeta.
O que faz com que este aeroporto, que foi votado como o mais assustador do mundo em uma pesquisa entre 1.000 pilotos, seja assim tão amedrontador? Bom, ele é o único do mundo a ter sua pista de pouso e decolagem em uma praia. Isso mesmo. A sinalização é feita com postes de madeira, e caso tenha algum pouso de emergência à noite, as luzes dos carros dos moradores ajudam a guiar o pouso. E claro, os aviões só podem pousar quando a maré está baixa.
Apesar disso, os moradores da ilha aprovam o aeroporto. Estar a menos de uma hora de Glascow facilita a vida não só em relação aos negócios e ao turismo, mas também para aqueles que precisam de tratamento médico urgente. Sem o aeroporto, os moradores teriam que enfrentar uma viagem de duas horas e meia de carro e balsa para outra ilha, onde finalmente poderiam pegar um voo em um aeroporto convencional. Parece mais fácil tomar um banho de mar e fazer o check-in em seguida.

Aeroporto Princesa Juliana, Caribe

4
Não é chato quando você está tentando relaxar na praia, alguém sacode uma toalha e você acaba com areia em seu olho? Ou quando as crianças resolvem tacar areia molhada umas nas outras e sempre sobra pra você? Pois é, os banhistas da praia de Maho, na ilha de Saint Martin, no Caribe, têm um probleminha um pouco maior. De vez em quando, aviões basicamente fazem o desembarque em cima de suas cabeças. O Aeroporto Princesa Juliana fica literalmente do lado da praia. Ele é o segundo mais movimentado do Caribe e recebe aeronaves grandes, como o Boing e o Airbus, que passam alguns metros acima de banhistas e carros. É realmente impressionante. Apesar disso, apenas dois acidentes foram registrados: um em 1970 e outro em 1972, e em ambos os aviões caíram no mar por problemas que podem acontecer em qualquer aeroporto. Mesmo assim, placas amigáveis avisam que o vento levantado pelos aviões por passarem tão próximos das pessoas pode causar graves danos físicos ou mesmo levar à morte.

Congonhas, São Paulo, Brasil

5
Sabe o que é estranho? Ter um grande aeroporto a apenas oito quilômetros do centro de uma das maiores cidades do mundo. O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, foi construído pouco antes de um rápido crescimento imobiliário, ou seja, há uma abundância de prédios altos em estreita proximidade com a pista. É como se fosse a versão vida real de Flappy Bird.
Congonhas tem a triste honra de ter sido palco de um dos maiores acidentes aéreos da história da aviação brasileira. Em 17 de julho de 2007, o voo TAM 3054, que fazia o trajeto Porto Alegre – São Paulo, ultrapassou o final da pista do aeroporto e se chocou com um depósito de cargas da própria TAM. As 187 pessoas que estavam a bordo faleceram. Outras 12 pessoas que estavam no chão também morreram. No trajeto entre o fim da pista e o depósito, o avião sobrevoou a Avenida Washington Luis, que passa ao lado do aeroporto, e chegou a atingir a parte de cima de alguns carros e o teto de um posto de gasolina. Nenhuma das hipóteses levantadas para as causas do acidente apontava o fato do aeroporto estar no meio da cidade, mas isso com certeza aumenta bastante a possibilidade de que qualquer falha – seja humana ou mecânica – se transforme em uma tragédia.
 

Courchevel, França

Courchevel  scary airports
Situado a mais de 500 metros de altura, no meio dos Alpes, não dá para dizer que este aeroporto não é charmoso. Infelizmente, não dá pra dizer também que o Courchevel não tem uma pista curta e difícil, de apenas 525 metros. Não só isso, mas no final da referida pista há uma queda. Apenas uma grande queda no nada. Os pilotos precisam de muito treinamento para pousar ali, aparentemente, e todas as nevascas, gelo e as outras características de uma montanha que ajudam a torná-lo apenas um pouco mais complicado. Quer mais dificuldade? A pista não permite espaço para manobras, e não há sinalização para ajudar no pouso. Boa sorte tentando chegar lá no meio de uma neblina.

Funchal, Madeira

7
Sabe o que é divertido? Colocar a pista de um aeroporto precariamente à beira de uma ilha, porque não tem mais espaço em qualquer outro lugar. Isso é o que parece ter acontecido na Ilha da Madeira, em Portugal. A pista está aparentemente sendo sustentada por estacas. Não bastasse isso, a chegada dos aviões no aeroporto é considerada uma das mais difíceis do mundo também por causa da grande turbulência que é sentida quando o vento atinge velocidade superior a 15 nós. Os pilotos também costumam sentir uma bem-vinda força ascendente no avião, como se a aeronave não quisesse aterrizar. Isso tudo em uma pista colocada na ponta de uma ilha. A dificuldade é tão grande que os pilotos precisam de uma licença especial para trafegar no Aeroporto de Funchal.

Tenzing-Hillary, Nepal

8
Este minúsculo aeroporto está situado no topo de uma montanha, e tem um mergulho de mais de 2.700 metros no final da sua pista. Ah, e para o caso de não ser ruim o suficiente, ele tem apenas um décimo do comprimento de uma pista padrão. No vídeo, você pode ver quão divertido é pousar no Tenzing-Hillary. Aqui vai uma breve descrição: montanhas, montanhas, mais montanhas, um fiapo de terra, não, espera, isso é a pista. Aterrizamos, estamos freando, freando, para, para, para! Parou.

Aeroporto da Ilha de Saba, Caribe

Saba_airport-pia L.jpg  SCARY AIRPORTS
Caribenhos parecem ter uma tara por aeroportos exóticos e localizados em lugares sem muito sentido. O Aeroporto da Ilha de Saba é um dos mais curtos do mundo, com uma pista de 400 metros – há quem diga que é o aeroporto comercial com a menor pista do mundo. Não bastasse isso, ele está rodeado por mar em ambas as extremidades e possui montanhas traiçoeiras de um lado. Obviamente, o aeroporto suporta apenas aviões pequenos. Se você está pensando em passar a lua de mel em Saba, não esqueça de surpreender seu marido/esposa mostrando onde vocês vão aterrissar somente quando vocês estiverem chegando. Vai ser inesquecível..

Aeroporto Kai Tak, Hong Kong

10
Este aeroporto foi fechado em 1998. Você pode apensar “bom, com a enorme quantidade de montanhas e arranha-céus localizados ao norte da pista, o bom senso dos administradores deve ter falado mais alto”. Não, não foi isso. O Kai Tak, um dos aeroportos com mais acidentes na história, foi fechado porque possuía apenas uma pista, o que estava limitando sua capacidade. Projetado para receber 24 milhões de passageiros por ano, em seus últimos dias estava operando com um número superior a 29 milhões.
O Kai Tak estava localizado na populosa baía de Kowloon e era conhecido como um dos aeroportos mais perigosos do mundo. Além de toda a dificuldade por causa da cidade e das montanhas, a aproximação dos aviões não era nada convencional, com o piloto tendo que, em certos momentos, levar o avião “no braço” e de forma visual, sem ajuda do piloto automático. A decolagem também não era das mais fáceis, já que os aviões tinham que fazer grandes curvas para desviar das montanhas.
O aeroporto ficou famoso por seus acidentes. No maior deles, em 1965, um Lockheed Hercules C-130, dos Estados Unidos, perdeu o controle logo depois da decolagem e afundou no porto. 59 fuzileiros navais americanos morreram. [Metro]