VulcĂŁo indonĂ©sio libera uma lava azul brilhante

vulcao lava azul (1)

O fotógrafo Reuben Wu registrou um vulcão indonésio em erupção, liberando uma lava azul brilhante.Embora pareça PhotoShop, a coloração estranha é apenas o resultado de uma reação química.

 

Para todos os gostos

VulcĂ”es vĂȘm em uma variedade de sabores destrutivos.Por exemplo, um vulcĂŁo escudo como o Kilauea libera lava lentamente durante longos perĂ­odos de tempo. JĂĄ um estratovulcĂŁo montanhoso como o Monte Fuji permanece em silĂȘncio por muitas centenas de anos antes de desencadear sua fĂșria cataclĂ­smica. E os vulcĂ”es em Io, uma das luas de JĂșpiter, produzem colunas de erupção espetaculares que atingem alturas de 500 quilĂŽmetros.

Em todos esses casos, no entanto, a lava produzida tende a ser de uma cor vermelha-alaranjada.

O complexo vulcĂąnico indonĂ©sio que atende pelo nome de Kawah Ijen quebra esta tendĂȘncia: quando entra em erupção, sua lava queima em um azul iridescente.

vulcao lava azul (2)

Kawah Ijen

Kawah Ijen Ă© uma coleção de estratovulcĂ”es em Java, contendo uma grande caldeira com aproximadamente 22 quilĂŽmetros de diĂąmetro. O pico mais alto pertence ao vulcĂŁo Gunung Merapi, nome que se traduz como “montanha de fogo”.

Conforme documentado por Wu, o Kawah Ijen não possui uma lava fisicamente diferente do tipo que emerge da maioria dos estratovulcÔes: é bastante viscosa, de movimento lento e com temperatura de cerca de 600 a 900° C.

Inclusive, ela é em si vermelha, não azul. A cor que vemos é causada por substùncias presentes na caldeira reagindo com o calor da erupção.

vulcao lava azul (3)

Enxofre + 600° C = lava azul

Uma erupção de lava libera uma grande quantidade de energia tĂ©rmica, como vocĂȘ pode imaginar. Esta emissĂŁo de radiação tĂ©rmica Ă© que dĂĄ a ela sua tonalidade vermelha.

No caso do Kawah Ijen, no entanto, a lava queima uma outra coisa: bolsÔes de enxofre, que vomitam das fendas vulcùnicas junto com a rocha derretida.

vulcao lava azul (6)

Quando os elementos queimam, produzem cores diferentes. Por exemplo, potĂĄssio na chama de um bico de Bunsen queima em uma cor lilĂĄs. JĂĄ a queima de cĂĄlcio produz uma chama vermelho-amarelada, e a de cobre uma chama azul-esverdeada. O enxofre, quando inflamado (pelo calor escaldante da lava, neste caso), queima em azul.

vulcao lava azul (4)

TĂłxico

Observar a cor da erupção em Kawah Ijen pode dizer muito sobre o complexo vulcùnico. Uma coloração vermelha indica que uma baixa quantidade de energia estå sendo liberada; tons de verde são representativos de reaçÔes moderadamente energéticas. Chamas azuis são indicativas de energias mais altas.

vulcao lava azul (5)

Se vocĂȘ decidir visitar a IndonĂ©sia para verificar as exibiçÔes coloridas dos seus vulcĂ”es – de enxofre lĂ­quido vermelho escuro, enxofre inflamado azul brilhante e das paredes de enxofre frio amarelo -, tenha em mente que a substĂąncia Ă© pungente e seus gases sĂŁo incrivelmente prejudiciais para o sistema respiratĂłrio. É melhor levar uma mĂĄscara de gĂĄs junto com sua cĂąmera fotogrĂĄfica. [IFLS]

DECORAÇÃO

ATB2Hype17

Ter uma casa ou um paratemen casa da designer de interiores e fotĂłgrafa Ana Teresa Bello e Amy, sua fiel gatinha. As duas compartilham o apartamento que vocĂȘ vĂȘ abaixo hĂĄ 4 anos.Vale a pena entrar (as fotos sĂŁo dos fotĂłgrafos AndrĂ© Nazeth e Juliana Rocha, do RioEtc):

ATBHype1
Foto © Juliana Rocha

ATBHype3
Foto © Juliana Rocha

ATB2Hype4
Fotos © André Nazareth

ATB2Hype14
Foto © André Nazareth

ATB2Hype24
Foto © André Nazareth

ATBHype2

Foto © Juliana Rocha

ATBHype5

Foto © Juliana Rocha

ATBHype4

Foto © Juliana Rocha

ATBHype6

Foto © Juliana Rocha

ATBHype7

Foto © Juliana Rocha

ATBHype8

Foto © Juliana Rocha

ATBHype9

Foto © Juliana Rocha

ATB2Hype3

Fotos © André Nazareth

ATB2Hype2

Foto © André Nazareth

ATB2Hype1

Foto © André Nazareth

ATB2Hype5

Foto © André Nazareth

ATB2Hype7

Fotos © André Nazareth

ATB2Hype8

Foto © André Nazareth

ATB2Hype9

Foto © André Nazareth

ATB2Hype10

Foto © André Nazareth

ATB2Hype11

Foto © André Nazareth

ATB2Hype12

Fotos © André Nazareth

ATB2Hype13

Foto © André Nazareth

ATBHype10

Foto © Juliana Rocha

ATB2Hype16

Foto © André Nazareth

ATB2Hype17

Foto © André Nazareth

ATB2Hype18

Foto © André Nazareth

ATB2Hype19

Foto © André Nazareth

ATB2Hype14

Foto © André Nazareth

ATB2Hype15

Foto © André Nazareth

ATB2Hype20

Foto © André Nazareth

ATB2Hype21

Fotos © André Nazareth

ATB2Hype22

Foto © André Nazareth

ATB2Hype23

Foto © André Nazareth

ATB2Hype24

Foto © André Nazareth

ATB2Hype25

Foto © André Nazareth

ATB2Hype26

Foto © André Nazareth

ATB2Hype27

Foto © André Nazareth

ATB2Hype29

Foto © André Nazareth

ATBHype13

Foto © Juliana Rocha

ATBHype14

Foto © Juliana Rocha

ATBHype15

Foto © Juliana Rocha

ATBHype18

Foto © Juliana Rocha

Novas fotos incrĂ­veis de PlutĂŁo mostram seu cĂ©u azul e ĂĄgua congelada

Atmosfera azul de PlutĂŁo

A sonda New Horizons da NASA continua a nos enviar belas e reveladoras imagens sobre PlutĂŁo e sua famĂ­lia de luas.Recentemente, ela nos deslumbrou com as primeiras imagens coloridas de PlutĂŁo, revelando sua superfĂ­cie escamosa (abaixo). Esta semana, descobrimos a cor da atmosfera do planeta-anĂŁo: azul!

 

plutao novas imagens (2)

“Quem teria esperado um cĂ©u azul no CinturĂŁo de Kuiper? É lindo”, disse Alan Stern, investigador principal da New Horizons do Instituto de Pesquisa do Sudoeste em Boulder, Colorado, nos EUA.

CĂ©u azul

Enquanto as partículas reais que compÔem tal atmosfera provavelmente não são azuis (os cientistas pensam que são vermelhas ou cinzas), essa cor pode indicar muito sobre elas. Com base nesta tonalidade, os pesquisadores podem determinar seu tamanho e composição.

“Um cĂ©u azul muitas vezes resulta da dispersĂŁo da luz solar em partĂ­culas muito pequenas”, disse Carly Howett, tambĂ©m do Instituto de Pesquisa do Sudoeste. “Na Terra, essas partĂ­culas sĂŁo molĂ©culas muito pequenas de nitrogĂȘnio. Em PlutĂŁo, parecem ser maiores, mas ainda relativamente pequenas, partĂ­culas de fuligem que chamamos de tolinas”.

Detectadas pela primeira vez na atmosfera superior da lua Titã de Saturno, os pesquisadores creem que as tolinas são produzidas pela luz solar ultravioleta quando esta atinge compostos orgùnicos atmosféricos.

Essencialmente uma “gosma orgĂąnica complexa”, tolinas vĂȘm em uma variedade de cores, dependendo de quais molĂ©culas estĂŁo presentes e a quantidade de radiação que recebem. Experimentos de laboratĂłrio mostraram que o nitrogĂȘnio e metano – ambos presentes na atmosfera de PlutĂŁo – podem resultar em tolinas vermelhas. Isso pode explicar o material vermelho da superfĂ­cie de PlutĂŁo e sua maior lua Caronte.

Tolinas

As tolinas são uma revelação importante.

Essas partículas poderiam ter implicaçÔes para a vida em outros mundos. Cientistas jå produziram os blocos båsicos da vida (aminoåcidos) em experimentos usando tolinas.

Elas tambĂ©m podem fornecer informaçÔes valiosas sobre a idade da superfĂ­cie de um planeta, e sua composição. Por exemplo, vocĂȘ tem um mundo onde tolinas se formam regularmente, quaisquer regiĂ”es carentes dessas partĂ­culas seriam ou muito jovens ou submetidas a processos de remoção, como chuva.

Água congelada

A New Horizons também nos deu outra surpresa esta semana: ågua congelada na superfície de Plutão.

Água congelada na superfície de Plutão

Embora não haja grandes åreas de gelo exposto, existem muitas regiÔes pequenas. A equipe de pesquisa quer aprofundar essa descoberta, mas, no momento, os cientistas acreditam que as regiÔes podem ser mais extensas do que parecem.

A anålise espectral sugere que a localização dos depósitos de ågua congelada correlaciona-se com as åreas vermelhas brilhantes nas imagens coloridas recebidas recentemente.

Isto Ă© inesperado e pode indicar uma relação entre as ĂĄreas congeladas e as tolinas, que ainda nĂŁo compreendemos. “Estou surpresa que esta ĂĄgua congelada seja tĂŁo vermelha”, diz Silvia Protopapa, membro da equipe cientĂ­fica da New Horizons, da Universidade de Maryland, nos EUA. “NĂłs ainda nĂŁo entendemos a relação entre a ĂĄgua congelada e as tolinas na superfĂ­cie de PlutĂŁo”. [IFLS]

FotĂłgrafa revela a aparĂȘncia do corpo humano depois dos 100 anos

 

Quando vocĂȘ pensa em beleza humana, quais as primeiras coisas que surgem na sua mente? Um corpo jovem, bem desenhado, uma pele lisa, um cabelo brilhante, provavelmente alguĂ©m atravessando a fase dos 20 anos. A fotĂłgrafa Anastasia Pottinger quis provar que, mesmo depois de um sĂ©culo de vida, a beleza estĂĄ em todos nĂłs.

O ensaio, intitulado “Centenarians” (“CentenĂĄrios”, em portuguĂȘs), começou de forma surpreendente – uma mulher de 101 anos de idade pediu a Pottinger para ser fotografada nua. Colocou uma Ășnica condição – que nĂŁo fosse possĂ­vel ser identificada atravĂ©s da fotografia.

Dessa imagem, a fotĂłgrafa partiu para uma sĂ©rie intensa, captada em preto e branco, e que parece preservar as marcas de uma vida longa. A passagem do tempo, a experiĂȘncia, mas tambĂ©m a sabedoria, a postura paciente que os mais velhos adquirem e, claro, a ideia de mortalidade, estĂŁo tambĂ©m presentes.

A fotĂłgrafa garante que as reaçÔes Ă s fotografias tĂȘm sido muito positivas, com “os espectadores visivelmente comovidos com o que o que vĂȘem“.”Eles se perguntam â€˜Ă© assim que eu vou ficar?’ ou se lembram de um ente querido – mas a resposta parece ser universalmente emocional”, conclui.

AnastasiaElderly1

AnastasiaElderly2

AnastasiaElderly3

AnastasiaElderly4

AnastasiaElderly5

AnastasiaElderly6

AnastasiaElderly7

AnastasiaElderly8

AnastasiaElderly9

AnastasiaElderly10

AnastasiaElderly11

AnastasiaElderly12

AnastasiaElderly13

AnastasiaElderly14

AnastasiaElderly15

AnastasiaElderly16

Todas as fotos © Anastasia Pottinger

Raça de Cavalo Cigano

https://i1.wp.com/images.forwallpaper.com/files/thumbs/preview/64/648336__powerful-painted-gypsy-vanner_p.jpg

Embora sĂł recentemente tenha sido aceito como uma raça oficial, o cavalo Cigano, Ă© uma das mais antigas raça reconhecidas na Irlanda. Muitos acreditam que este cavalo surgiu pela primeira vez no ano 600 A.C. Os Cavalos Ciganos sĂŁo conhecidos em todo mundo com nomes diferentes como: Cavalo Cob IrlandĂȘs, Cigano Vanner, Irish Tinker, entre outros.

Os ciganos (ou viajante como eles preferem ser chamados) sempre foram conhecidos e respeitados por sua relação com os cavalos. Eles os criam de forma muito seletiva, mas nĂŁo mantĂ©m registros por escrito, a linhagem Ă© passada de geração para geração verbalmente. A qualidade e a linhagem de seus cavalos geralmente determina a riqueza e status do viajante, cuja existĂȘncia dependia desses animais que se tornaram uma parte de sua famĂ­lia.

A raça de cavalo Cigano foi criado para atender as necessidades do viajante de um cavalo resistente para puxar carroças o dia todo e calmo para poder ser manuseado por crianças. Por centenas de anos, esses cavalos viajaram por toda a Irlanda , Grã-Bretanha e a Europa.

Acredita-se que para o desenvolvimento da raça Cigano foram utilizados cavalos da raça Shire, Clydesdale, Dales e Galloway.

A característica mais marcante do cavalo Cob é sua pelagem longa, macia e sedosa na parte inferior das pernas. Ele tem orelhas pequenas, olhos redondos, e, uma cabeça alongada bem torneadas.

Em média, um cavalo Cigano mede entre 152-155 centímetros de altura, o que lhe permite transportar cargas pesadas.

https://i1.wp.com/www.brasilhipismo.com.br/wp-content/uploads/2014/02/gypsyhorse.jpg

https://i0.wp.com/www.brasilhipismo.com.br/wp-content/gallery/cavalos-e-suas-fantasticas-crinas/04.jpg

https://i2.wp.com/portalequestre.nafoto.net/images/photo20080512143035.jpg

https://i0.wp.com/www.brasilpetshop.com.br/fotos_produtos/u17590/cavalos-gypsy-vanner-para-uma-nova-casa-74400-1387076586.gif

Google imagens

SĂ©rie intensa capta expressĂ”es cruas de pessoas que passam por quimioterapia

 

O fotĂłgrafo californiano Robert Houser iniciou em 2011 um projeto de retratos intitulado Facing Chemo (“Enfrentando a Quimio”, em portuguĂȘs), protagonizado por pessoas que passam pelo tratamento da quimioterapia.  A sĂ©rie conta hoje com imagens de mais de 35 pessoas e Ă© intensa como a fotografia deve ser.

AtravĂ©s da arte, o fotĂłgrafo comunica suas questĂ”es relacionadas Ă  saĂșde. Ele criou, assim, a ONG Facing Light Foundation, onde usa a fotografia para narrar histĂłrias de pessoas que enfrentam o desafio da doença e do processo do tratamento, a fim de levar uma perspectiva mais humana para a comunidade mĂ©dica e galerias atravĂ©s de exposiçÔes itinerantes. Robert declara: “Eu quero educar, mover e inspirar. Quero que as pessoas sintam
 tenham empatia. O cĂąncer atinge muitos de nĂłs”.

O fotógrafo contou que o projeto começou quando estava fotografando uma mulher e notou que ela tinha uma cicatriz. Ele questionou sobre a marca e ela contou que ia iniciar o processo de quimioterapia e perder todo seu cabelo. Robert perguntou se poderia fotografå-la durante o processo e ela se recusou. Anos depois, ela o procurou dizendo que mudou a ideia e assim começou a série.

Vem conhecĂȘ-la:

Robert lançou outra exposição dentro deste projeto sobre o tema chamada Facing Chemo Before & After (Enfrentando a Quimio Antes & Depois), que retrata pacientes durante e depois do processo de quimioterapia.

quimio8

quimio9

quimio13

Todas as fotos © Robert Houser

Para saber mais sobre os projetos, siga este link.

Jovem de 16 anos usa folhas caĂ­das para criar obras de arte e provar que nĂŁo precisamos cortar ĂĄrvores para pintar

 

Quem passa por uma folha de ĂĄrvore caĂ­da no chĂŁo durante o outono geralmente vĂȘ apenas o ciclo da natureza se cumprindo. Mas, para a jovem artista polonesa Joanna WiraĆŒka, de apenas 16 anos, cada folha caĂ­da Ă© uma tela em branco para suas pinturas.

A ideia surgiu durante uma véspera de Ano Novo, quando Joana pintou sua primeira folha, inspirada pelas cores dos fogos de artifício no céu. Todo o processo começa quando ela recolhe algumas folhas caídas em um parque próximo a sua casa. Depois, ela deixa as folhas dentro de um livro para a secagem e, quando estão secas, as pinta com tinta preta. Só depois desses passos, a pintura realmente tem início.

E o mĂ©todo escolhido por ela tem muito a dizer sobre sua arte: “Queria mostrar que nĂŁo precisamos cortar ĂĄrvores para ter papel para desenhar ou pintar“, conta. Quer provas? Veja as imagens abaixo:

leaf1

leaf2

leaf3

leaf4

leaf5

leaf6

leaf7

leaf8

leaf9

leaf10

leaf11

Todas as fotos © Joanna WiraĆŒka

Hoje, seu trabalho pode ser conferido diretamente através do Instagram, onde a jovem artista jå conta com mais de 30 mil seguidores.