FOTO DO DIA

Fotógrafo registra o momento exato em que um Leão-Marinho arrancou um pedaço de um Peixe-Lua. O fotógrafo chegou a comentar que parecia uma criança comendo um biscoito gigante.

Anúncios

FOTO DO DIA

A maior aventura de um ser humano é viajar,
E a maior viagem que alguém pode empreender
É para dentro de si mesmo.
E o modo mais emocionante de realizá-la é ler um livro,
Pois um livro revela que a vida é o maior de todos os livros,
Mas é pouco útil para quem não souber ler nas entrelinhas
E descobrir o que as palavras não disseram…

Augusto Cury

Ilustrador transforma fotos tristes de crianças em guerras em ilustrações cheias de esperança

A arte pode não ter o poder em transformar de maneira absoluta a realidade que em que vivemos. Ela, porém, pode muito bem expressar nosso desejo de mudança por um mundo melhor. O pintor e ilustrador Gunduz Aghayev nos mostrou como gostaria de interferir na História.

Gunduz criou releituras de famosas cenas trágicas da história da humanidade, resultando em coloridas ilustrações que representam seu mundo ideal.

Veja só:

guerra1

A morte de Aylan Kurdi, Síria

guerra2

Criança noivas Tehani (à esquerda) e Ghada, no Afeganistão

guerra3

Foto vencedora do prêmio Pulitzer, de Kevin Carter (1993)

guerra4

Garota Vietnamita, Vietnã

guerra5

Dr. Janusz Korczak e as crianças

guerra6

Desabrigados pelas bombas alemãs durante a Blitz, um garoto de Londres aponta seu quarto para os amigos (1940)

guerra7

Filho do jornalista assassinado Elmar Huseynov

guerra8

Crianças no Vietnã

guerra9

Garoto japonês em posição de sentido após depois de ter trazido seu irmão mais novo morto para ser cremado (1945) Todas as ilustrações © Gunduz Aghayev

Conheça o trabalho do fotógrafo especializado em clicar tubarões de perto

 

Todd Bretl é, na verdade, um daqueles fotógrafos da vida marinha que merece a nossa admiração por todos os cliques subaquáticos. Mas os seus close-ups de tubarões, a uma distância que qualquer um de nós consideraria pura loucura, nos deixaram de queixo caído.

O curioso, além das incríveis imagens, é que ele se refere aos tubarões como animais nada agressivos, ao contrário do que dizem a maioria dos mitos sobre estes animais. Apesar das precauções que sempre toma, Bretl garante que é um equívoco pensar nos tubarões como vilões.

Muitos dos fotografados por Bretl estão de boca bem aberta, de dentes afiados, mas nadando tranquilamente com o fotógrafo. E se algumas expressões conseguem ser assustadoras, há outras que mostram um animal calmo, paciente e até divertido. Vale a pena conhecer este trabalho nas profundezas do mar:

ToddBretlSharks1

ToddBretlSharks2

ToddBretlSharks3

ToddBretlSharks4

ToddBretlSharks5

ToddBretlSharks6

ToddBretlSharks7

ToddBretlSharks8

ToddBretlSharks9

ToddBretlSharks10

ToddBretlSharks11

ToddBretlSharks12

todas as fotos © Todd Bretl

Seleção : 15 mulheres brasileiras que arrasam na arte do graffiti

Lola Cauchick

Num mundo até então dominado por homens, o graffiti e a arte urbana têm ganhado novos ares com as mulheres que resolveram se render a arte do spray. São muitos talentos sendo divulgados a cada dia, tanto de artistas emergentes quanto das que estão na luta há muitos anos. Na Seleção  de hoje mostramos 15 mulheres brasileiras que enfeitam os muros do país e do mundo.

Com o empoderamento feminino à flor da pele, as paredes das cidades viram alvo de protesto e mensagens sobre temas que rodeiam o universo da mulher: violência doméstica, feminismo, câncer de mama, padrões de beleza, resistência, espiritualidade e elementos da natureza. Enfim, uma voz que ecoa através de cores e da expressão artística, que tanto altera a nossa realidade quanto nos faz sonhar com situações melhores.

Outras técnicas da arte urbana, como o stencil, o bombing e o lambe lambe também surgem por mãos femininas que encontraram neste meio uma forma de reinvidicar seus direitos, mostrar seus medos, paixões e vontades numa era da qual ainda tentam sufocar suas palavras e desejos. Mas a repressão só nos dá ainda mais força para gritar, pintar e embelezar até aquelas coisas que parecem incorrigíveis. Não há traços tortuosos que não se endireitem nessa vida.

1. Simone Sapienza – Siss

O trabalho da Siss ganhou notoriedade após estampar a capa do single Superstar, da Madonna, em 2012. Artista plástica há mais de 16 anos, tem foco no stencil e no lambe-lambe, também abordando temas que são parte do cotidiano das mulheres.

Siss

2. Magrela

Magrela foi criada no antro da arte urbana, a Vila Madalena, e teve contato cedo com as artes plásticas graças ao pai, que pintava telas. Com desenhos espalhados pelo mundo, a artista inspira-se na euforia urbana de São Paulo para transitar por temas que falam sobre a mistura da cultura brasileira: a fé, o sagrado, o ancestral, a batalha do dia a dia, a resistência, a busca pelo ganha-pão, o feminino.

Foto © Brunella Nunes

3. Nina Pandolfo

Irmã de cinco meninas, não é a toa que Nina leva para as telas traços muito delicados e femininos, que remetem à infância e a natureza. Do Cambuci para o mundo, ela já expôs e desenhou em países como Alemanha, Suécia, Nova York, Los Angeles e Escócia, onde pintou um castelo junto com Os Gêmeos e Nunca.

Nina Pandolfo

4. Mari Pavanelli

Nascida na cidade de Tupã, Mari é artista plástica autodidata e encontrou no graffiti uma forma de criar e se expressar. Sempre rodeada de flores, explora o universo feminino com desenhos que retratam a mulher, espalhados pelos muros de São Paulo, em especial no bairro do Cambuci.

Foto © Brunella Nunes

5. Negahamburguer

Evelyn Queiróz é um figurinha conhecida no mundo da arte urbana. Seu trabalho contestador denuncia das situações de opressão e preconceito sofrido por mulheres, principalmente, fora do padrão estéticos de corpo. Atualmente, está com um projeto de mochilão no qual troca passagens por ilustrações, telas, graffitis, aquarelas e o que mais puder produzir.

Negahamburguer

6. Anarkia Boladona

Depois de pichar muros na adolescência, a carioca Panmela Castro – ou Anarkia Boladona – se consolidou como artista e grande defensora das mulheres. Questões do universo feminino e especialmente a violência doméstica são temas de seus graffitis, que chegaram até Nova York e Paris através do projeto “Grafite contra Violência Doméstica”.

7. Ju Violeta

A arte da Ju Violeta é assim, inconfundível. Os traços marcantes revelam um universo onírico bastante particular, “um mundo para além dos olhos que todos podem ver”, segundo a própria. Formada em Design de Interiores e Paisagismo, nota-se bastante a presença do verde e de elementos da natureza em seus trabalhos, que expressam a importância do meio ambiente, mesmo num cenário de sonhos.

Ju Violeta

8. Lola Cauchick

De Ribeirão Preto, Lola é artista de rua e tatuadora autodidata. Seus trabalhos carregados de cores já se espalham por várias cidades brasileiras, como o interior paulista e a região sul do país, além de Chile e Equador.

Lola Cauchick

9. Kueia

Com um visual um tanto maluco, os coelhos da artista visual e ilustradora mineira Kueia não passam despercebidos. Além de pintar, realiza projetos sociais e culturais no Triângulo Mineiro e já participou de algumas mostras de graffiti com suas letras wild style.

Kueia

10. Amanda Pankill

Quem acompanha o reality show Big Brother Brasil pode ter notado os grafites da Amanda na 13ª edição do programa. A designer e artista plástica colore os muros de São Paulo com temas femininos, mas também tem uma pegada riot girl. Tatuagens, moda e música são suas referências.

Foto © Brunella Nunes

11. Thais Primavera – Spring

O mundo da Thais é assim, mais doce. Um universo fofo e cheio de inspirações em desenhos animados, cinema e games é o que rodeia a artista, que assina como “Spring”, Primavera em inglês. Além de fazer desenhos autorais, também tem o projeto super legal Grafftoons, no qual pinta personagens conhecidos e adorados por crianças e marmanjos.

Spring

12. Crica

A paulistana de Embu das Artes é autodidata em sua arte, influenciada na pintura desde cedo por sua mãe. Entrou para o mundo do graffiti depois de se envolver com a cultura hip-hop e atualmente coloca seu trabalho sob várias plataformas, retratando mulheres negras com elementos da África, do circo, da natureza e do Brasil, criando seu próprio universo lúdico.

Crica

13. Minhau

Em constante parceria com Chivitz, a artista espalha seus inúmeros gatos coloridos por São Paulo. Os desenhos bem coloridos e de traços fortes tem uma pegada divertida, ideais para dar vida nova a pontos cinzas da cidade.

Minhau-graffiti

14. Grazie

Grazie é de São Paulo e retrata figuras femininas através de uma técnica que lembra o aquarela. Os traços delicados revelam mulheres distintas, sem fazer uso de um personagem único. A conscientização sobre o câncer de mama também foi alvo de seus trabalhos durante a campanha Tinta Contra o Câncer de Mama.

Grazie

15. Mathiza

A arte da Mathiza tem traços delicados e ilustram os muros de São Paulo. O preto e o branco surgem constantemente para criar as linhas de seus desenhos, seja no graffiti ou nas demais intervenções que cria. Segundo ela, a intenção é comunicar justamente que há ali, sobras e sombras daquilo e daqueles que só são vistos com a força da nossa atenção.

Mathiza

Todas as fotos: Divulgação