Bombeiro passa por complexo transplante de face nos EUA

Patrick antes e depois do transplante. (AP)

Um bombeiro de 41 anos que ficou totalmente desfigurado em 2001 foi submetido ao transplante de face mais amplo e mais complexo praticado até agora – anunciou nesta segunda-feira um centro médico em Nova York.

Mais de 100 médicos, enfermeiros e técnicos participaram da cirurgia de 26 horas – realizada em meados de agosto no Centro Médico NYU Langone, anunciou a instituição.

O paciente foi Patrick Hardison, de Senatobia, Missisippi (sul dos EUA), que sofreu graves feridas faciais quando trabalhava como bombeiro voluntário justo uns dias antes dos ataques de 11 de setembro.

Hardison ficou severamente desfigurado quando o teto de uma casa em chamas caiu sobre ele durante uma missão de resgate. Perdeu as pálpebras, as orelhas, os lábios, a maior parte do nariz, o cabelo e as sobrancelhas.

Ele recebeu o rosto de David Rodebaugh, que faleceu em um acidente. (Divulgação)

Eduardo Rodriguez, chefe do departamento de cirurgia plástica, liderou a operação após um ano de preparativos, disse o centro médico.

A cirurgia deu a Hardison um novo rosto com outro couro cabeludo, orelhas, canais auditivos e algumas porções de ossos do queixo, bochechas e nariz.

Ele também ganhou novas pálpebras e músculos que controlam o piscar. Antes Hardison não conseguia fechar os olhos completamente.

Ao chegar até Rodríguez, Hardison já havia enfrentado mais de 70 cirurgias. Os transplantes de rosto se tornaram cada vez mais frequentes nos últimos anos.

Fotos mostram a mudança do complexo processo. (AP)

Em março, um hospital espanhol informou que havia realizado com sucesso o que chamou então de o transplante facial mais complexo até hoje: consistiu na reconstrução da parte baixa do rosto, queixo, boca, língua e garganta de um homem anônimo terrivelmente desfigurado por uma doença.

O hospital universitário Vall d’Hebrón de Barcelona informou que a operação reconstruiu dois terços do rosto do homem de 45 anos.

Em 2010, o mesmo hospital praticou o primeiro transplante facial toral em um homem que sofreu um acidente que o deixou sem nariz e deformou sua mandíbula e maçãs do rosto.

O primeiro transplante facial parcial do mundo foi praticado por médicos franceses em 2005, numa mulher que foi atacada pelo cachorro.via

Anúncios

TEXTO DO DIA

vivimetaliun

Hoje eu morri em París, fui soterrada em Mariana, fui assassinada no Rio, fui vitima de uma chacina no México. Morri em uma guerra civil na Ucrânia, morri em uma clínica clandestina no Brasil, fui estuprada no meio da viela de uma cidade qualquer. Hoje eu rezei para Alá, Deus, Jesus, Jeová, mas não sei se algum deles me ouviu.

Não sei se existe um em meio a vários tantos, em meio a vários prantos que gritam por um único senhor. Não sei se existe um Deus entre vários, se existe algum tipo de amor entre os autoritários, se existe paz em meio a todo esse caos. Porque no mundo ainda existe muita gente sedenta por sangue, mesmo sem entender por onde, mesmo enquanto clama por paz. Uma paz que ninguém faz. Hoje o choro foi coletivo, o desespero foi visto, a tragédia foi filmada e repetida, sempre repetida.

E vai continuar sendo. Porque mesmo assistindo a tanto sangue escorrendo pelas ruas, escorrendo pelos olhos, escorrendo pelas mãos, o mundo não aprende que o maior sinal do fim é quando se mata um irmão. Sendo de sangue ou não, sendo da mesma cor ou não, sendo da mesma religião ou não. A gente divide o mundo pela insensatez, pelo amor pela carnificina, pelo desejo de supremacia, pelo ódio ao que não se conhece e não se tenta conhecer.

Não foi só a luz de uma torre que se apagou diante à tragédia, foi também a esperança já tão extinta em um mundo que grita por socorro, que lamenta por seu desempenho, que deixa escorrer o seu sangue. Um mundo que enterra cada vez mais cedo seus filhos tão jovens, tão inocentes, tão amados, tão injustiçados. Um mundo onde crianças estão sendo enterradas sem entender o “por quê”. Hoje eu lembrei de um trechinho daquela do Jonh Lennon e cantei baixinho “Imagine todas as pessoas vivendo a vida em paz”, mas não consegui imaginar, não consegui esperar, meus olhos não encontram mais essa visão.

As lágrimas do mundo bloquearam a minha capacidade de sonhar e eu sinto muito por isso. Esse texto não tem um fim, talvez não tenha um propósito, ele não apresenta uma solução. Ele é apenas um pedaço da alma de uma pessoa que morreu um pouco hoje e vai continuar morrendo amanhã, como tanto outros despedaçados e sem esperança. Paris morreu, Mariana também, Ucrânia, Nigéria, Israel, México e várias outras partes do mundo. Um mesmo mundo. Irônico, não? Ouvi dizer uma vez, que a guerra acaba se a gente quiser, mas a gente nunca quer, mesmo quando quer.

Scooby-doo estava certo o tempo todo, os verdadeiros monstros são os seres humanos. 

TEXTO DE ELUCUBRAR

Fatos completamente sinistros sobre o estado islâmico

destacada

 
 

Na última semana o mundo se viu mais uma vez perplexo diante de audaciosas ações terroristas. O terrorismo é uma forma de convencer os não adeptos de uma ideologia através do terror. Nas últimas décadas, as correntes mais extremas do islamismo têm se encarregado de não deixar o mundo esquecer o que é terrorismo. O Estado Islâmico, só esse ano, assumiu a autoria por 15 grandes atentados pelo mundo todo e o Ultra te mostra hoje outros fatos assustadores sobre essa organização.

 

Acreditamos que as religiões em si não podem ser culpadas pela interpretação literal que os seus seguidores fazem de seus códigos mesmo o satanismo tem correntes que pregam o crescimento através da expansão da consciência.

 
 

O estado Islâmico, também conhecido como ISIS, é uma dessas correntes que atuam a partir da interpretação literal da Sharia, a lei islâmica. A Sharia é o conjunto de leis dos muçulmanos, que engloba o Alcorão e a Suna, livro que narra a vida de Maomé. Os fundamentalistas seguem passagens do código ao pé da letra e de forma rígida, empregando aos inimigos castigos como decapitações e apedrejamentos.

 
 

No começo do ano, eles foram os responsáveis pelo ataque ao jornal Charlie Hebdo, que matou doze pessoas e deixou 5 feridas. De lá pra cá eles assumiram a autoria de outros 14 atentados dos quais 8 foram na França. O país virou o alvo principal dos atentados pela política francesa de invasão a países do oriente médio. As informações que trouxemos aqui retratam a violência e extremismo do ISIS. Acompanhe:

 

1- Recrutam pessoas de todo mundo

 

 
 

Em 2015 o Estado Islâmico conseguiu recrutar com suas campanhas mais de 20 mil homens e mulheres no mundo todo, inclusive na America do Norte e Europa. Só pra se ter ideia do quanto os terroristas estão bem estruturados, hoje eles contam com 1200 recrutados dentro das fronteiras da França e Rússia e  1200 na Alemanha e Reino Unido. O risco de atentados é iminente.

 

2- Destruição de patrimônio da humanidade

 

 
 

Esculturas, relíquias, artefatos antigos e importantes registros de civilizações antigas. Por onde os terroristas passam eles destroem e saqueiam principalmente sítios arqueológicos. Para eles, objetos como esculturas de deuses antigos, são uma ofensa a Alá e eles têm o dever religioso de destruir esses tesouros históricos.

 

3- Tão perigosos quanto a Al-qaeda de Osama Bin Laden

 

6

 

A pouco mais de um ano, o Estado Islâmico e a Al-qaeda entraram em desacordo, porque a Al-qaeda considerou o “jeito de fazer” do Estado Islâmico sangrento demais. Sim, amigos. A violenta forma de agir do Estado Islâmico incomoda até aos terroristas responsáveis pelo 11 de Setembro.

 

4- Decapitação como marca registrada

 

 
 

Os vídeos de decapitação são os que fazem mais sucesso. E eles investem nas filmagens, edição e publicação dos vídeos para atrair recrutas. Infelizmente esses vídeos alcançam pessoas no mundo todo que se identificam com a brutalidade e ideologia dos extremistas.

5- Forte presença nas redes sociais

2

 

Eles não só estão ativamente presentes nas redes sociais como têm profissionais lhes dando consultoria. O Estado Islâmico investe na própria imagem pra estabelecer ela como uma verdadeira marca.

 

6- Têm mais controle territorial que muitos países

 

1

 

Enquanto a Al-qaeda atua em células espalhadas, podendo atingir qualquer lugar da Terra, o Estado Islâmico investe em campanhas militares sofisticadas para conquistar terras e colocar cidades com milhões de habitantes sob seu domínio. Com o território controlado ao redor do norte do Iraque e da Síria, eles já são maiores que muitos países legítimos.

 

7- Movimentam milhões de dólares

 

 

A manutenção desse arsenal todo não é barata. Para manter a organização, eles contam com doações de patrocinadores ricos, extorsão e roubo de artefatos históricos.

 

8- Parte financiada por aliados dos EUA

 

4

 

Nações amigas dos EUA financiaram os rebeldes que lutavam contra a ditadura de Bashar Al Assad, na Síria. Na medida em que os soldados do Estado Islâmico foram aderindo à luta contra o ditador, os rebeldes Sírios entravam para o grupo terrorista levando o dinheiro ganho dos aliados dos americanos.

 

9- Querem fazer do mundo um grande califado

 

 

Segundo a interpretação sunita de uma passagem do Alcorão, todo muçulmano deve viver dentro de um califado, que é um Estado-nação Islâmico que reforça os aspectos severos da lei – apedrejamentos e amputações como punições.

 

10- Se consideram cavaleiros do apocalipse

 

5

 

Uma das crenças dos soldados do Estado Islâmico é que eles são agentes de um futuro apocalipse. Acreditam que suas ações no presente instalarão o terror no mundo no futuro fazendo do planeta o grande califado regido pela lei Islâmica. Isso por que uma profecia diz que haverão 12 califas legítimos andando sobre a terra ao lado da oitava encarnação do atual líder do Estado Islâmico às vésperas do suposto apocalipse.

Brasileiros participam do “almoço de domingo” em casas pelo mundo para entender a cultura de cada país

Não é preciso nem saber muito sobre o assunto a fim de entender que para tomar uma decisão envolvendo marketing ou publicidade, conhecer o consumidor é essencial. Por isso, um grupo de brasileiros que estuda os comportamentos do consumidor decidiu partir em um projeto para entender quem são as pessoas e de que forma as transformações sociais que o Brasil vive hoje, como a mobilidade urbana e a igualdade de gênero, estão presentes também em outros países em desenvolvimento.

Conseguir captar a intimidade de um desconhecido não é tarefa fácil, por isso, chegou-se à conclusão de que um bom momento para isso é o almoço de domingo. Afinal, é nessa hora que toda a família costuma se reunir na mesa para comer, beber, conversar e se divertir, permitindo-se apenas ser, sem máscaras ou meias palavras. “A intenção era entrar na casa das pessoas, acompanhar toda a preparação da comida, e entender as transformações de comportamento nesses lugares“, afirmou o publicitário Bruno Azevedo, 32.

Foi com o projeto “Na Rua” que a equipe, composta hoje por publicitários, designers e por uma cineasta, conseguiu vivenciar a rotina de diversas famílias pelo Brasil e pelo mundo – Azevedo passou por países como Rússia, Chile, Tailândia, África do Sul e China. “Usei o almoço de domingo como um convite para entender as transformações culturais e sociais que estão acontecendo, agora, em um mundo emergente e muito inspirador“, explicou.

Todos os aprendizados e experiências de Bruno e dos demais integrantes do grupo são compartilhados na página do projeto no Facebook.

Reel Na Rua from  on Vimeo

na-rua-coletivo

na-rua-coletivo2

na-rua-coletivo4

na-rua-coletivo5

na-rua-coletivo6

na-rua-coletivo7

na-rua-coletivo8

na-rua-coletivo9

na-rua-coletivo10

na-rua-coletivo11

na-rua-coletivo12

na-rua-coletivo14

Todas as fotos © Na Rua

Empresa usa fotografias suas e de seus amigos para criar biscoitos personalizados para festas


 
Na hora de se aventurar pela cozinha, não é todo mundo que consegue deixar a comida com a cara que gostaria… Mas, se depender dessa pequena empresa húngara, você já pode, pelo menos, criar cookies que são a sua própria cara – ou a de quem você escolher.
Para conseguir esse efeito, a empresa Copypastry utiliza fotos suas ou de seus amigos para criar formas de biscoitos personalizadas usando uma impressora 3D. Atualmente, as opções de personalização incluem formas no formato de uma pessoa, duas pessoas, o logo de sua empresa ou o seu animal de estimação e os valores variam entre € 35 e € 65 (entre R$ 140 e R$ 270) na Etsy.
Vale a pena se divertir com elas:
copy9
Todas as fotos: Divulgação.

Fotógrafo clica a rotina de mães que amamentam seus filhos com mais de 2 anos

 

Como uma criança desse tamanho ainda mama no peito?” – essa pergunta é frequentemente ouvida pelas mães que optaram pela amamentação prolongada. Em muitas famílias é só a criança completar seis meses que o peito já se torna item proibido, esquecendo que a OMS recomenda a amamentação até, pelo menos, os dois anos de idade.

Enquanto muita gente justifica que é “para o bem da criança“, vale lembrar que a amamentação não tem data para terminar e não causa nenhum problema físico ou psicológico aos pequenos. Com base nisso, o fotógrafo espanhol Gaby Riva decidiu fazer uma sessão fotográfica registrando a rotina de mães que amamentam seus filhos mesmo após os dois anos.

A ideia do ensaio, que se tornou a exposição “Lactancia Infinita” (“Amamentação Infinita”, em português) surgiu em casa, já que ele e a esposa têm dois filhos: uma menina de 6 anos e um menino de 20 meses. Os dois ainda são amamentados normalmente. Ao todo, o fotógrafo registrou 14 mães, que amamentam filhos entre dois e seis anos.

Confere só o resultado:

lactancia1

lactancia2

lactancia3

lactancia4

lactancia5

lactancia6

lactancia7

lactancia8

lactancia9

Todas as fotos © Gaby Riva

Mãe supera o divórcio construindo casa na natureza para viver com os 3 filhos


Algumas vezes, até mesmo os piores momentos de nossas vidas podem servir de inspiração para criar algo novo. E foi exatamente isso que aconteceu com Kelley Lewis. Aos 29 anos, ela já era mãe de três crianças pequenas e caiu em estado de depressão após enfrentar um divórcio. Construir sua própria casa de férias fez com que ela recuperasse a confiança em si mesma e pudesse ensinar novos valores aos filhos.
Tudo começou após comprar um pedaço de terra em meio à natureza, em Ohio, nos Estados Unidos. Isso foi mais ou menos na mesma época em que ela conheceu o movimento Tiny House. Sem nenhum conhecimento prévio em construção, ela começou a desenhar a casa de 18 metros quadrados sozinha, com a ajuda de uma régua, um lápis, uma borracha e muitos tutoriais do Youtube.
Um dos objetivos da construção era se manter sustentável e, portanto, Kelley utilizou também muitos materiais recicláveis e criou até mesmo um banheiro de compostagem. Mesmo assim, um dos aspectos mais importantes da construção foi a possibilidade de aumentar os laços com os seus próprios filhos, ao ensiná-los sobre as coisas que acredita. Os ensinamentos encontrados ao longo da jornada e o projeto da construção podem ser vistos no blog Cabin Chick.
tiny7
O vídeo abaixo conta mais sobre essa história (em inglês):
Todas as fotos via