PussyRiot está abrindo um museu só para mulheres no Leste Europeu

 
As mostras de trabalhos femininos ainda são escassas no mundo da arte. No museu Guggenheim, em Nova York, elas ocupam apenas 14% do calendário anual, enquanto no Tate Modern, em Londres, são apenas 25% e no Pompidou, em Paris, este número não passa de 16%. Porém, essa perspectiva pode estar prestes a mudar. É o que indica um depoimento da Pussy Riot Maria Alyokhina.

Conhecido por seu ativismo, Pussy Riot é uma banda de punk rock que também se identifica como um grupo de protesto feminista. O novo plano de suas integrantes é simples: criar um museu feito “por, para e sobre mulheres“. Segundo conta Maria Alyokhina, o espaço deverá se chamar New Balkan Women’s Museum e será localizado em Montenegro, no Leste Europeu.

pussy riot

Para que a ideia se torne realidade, o grupo está trabalhando em conjunto com a galerista Marat Guelman. A ideia inicial é de que todas as artistas, curadoras e administradoras do espaço sejam mulheres, mas homens também deverão poder visitar o local. A iniciativa ainda não tem data para lançamento, mas a expectativa é de que a existência de um museu só para mulheres influencie no calendário de outros museus, incentivando mais igualdade de gênero no mundo artístico.

Pussy-riot

Fotos: Игорь Мухин e Pussy Riots, divulgação

Artistas transformam portões de ferro feiosos em belas obras de arte


 

 

Andando pelas ruas da cidade, é fácil ver aqueles portões de ferro feiosos nos comércios fechados. Eles podem ganhar uma cara nova e muito mais vibrante com a ajuda do graffiti, assim como os artistas do 100 Gates Project estão fazendo em Nova York, deixando tudo mais colorido em Lower East Side. 

Até o momento, mais de 70 portões do bairro foram pintados. A iniciativa partiu do skatista e artista Billy Rohan, com um objetivo audacioso: fazer da região a maior galeria de arte a céu aberto do mundo. O intuito é também oferecer espaços para os trabalhos dos artistas na zona mais legal de Nova York.

Com o apoio de uma instituição para a aquisição de materiais e pagamento dos envolvidos. O projeto cresceu rapidamente e acabou melhorando a vizinhança em muitos sentidos, incluindo o crescente número de visitantes na área, que vão apenas para ver as artes, além de ter ajudado os artistas a conseguirem novos trabalhos e comissões.

Este é o poder transformador do graffiti, que está se espalhando por diversas regiões da cidade.

graffitinyc

graffitinyc15

Todas as fotos: 100 Gates Project

Série de fotos incrível retrata casamentos através do reflexo nos olhos dos convidados

Existem muitas maneiras de se contar uma história de amor e, do mesmo jeito, há também inúmeras formas de se registrar um casamento. Porém, enquanto muitos fotógrafos optam por clicar apenas alguns momentos especiais entre os noivos e se focar na hora do “sim”, o inglês Peter Adams-Shawn preferiu retratar o momento através do olhar de seus convidados.

Peter vive hoje na Austrália, onde tem sua própria empresa de fotografias, a Memories of Tomorrow Photography. É lá que sua maneira inusitada de fotografar chama a atenção de noivos e noivas. Afinal, ele capta os principais momentos da festa através de reflexos e de uma forma difícil de imaginar – até vermos o resultado.

As imagens nesse estilo foram todas reunidas em um vídeo, chamado de Eyescapes e o fotógrafo garante que todas foram feitas assim como as vemos, sem precisar passar por nenhum processo de edição.

Vale a pena ver:

olho1

olho2

olho3

olho4

olho5

olho6

olho7

olho8

olho9

olho10

olho11

Todas as fotos © Peter Adams-Shawn

Jovem clica sua bike em cenários inspiradores para retratar a paixão pelas magrelas

A maneira como uma paixão pode levar à outra é sempre inusitada e muitas vezes o caminho percorrido entre as duas pode parecer quase inacreditável. Mesmo assim, o fotógrafo e ciclista amador holandês Rob van Driel insiste em lembrar que a paixão pelas magrelas foi o que o levou a se aventurar pela fotografia.

Ele sempre teve uma adoração por bicicletas clássicas, principalmente aquelas criadas entre as décadas de 30 e 80. Foi pesquisando por estes modelos que encontrou uma grande comunidade do gênero na rede de compartilhamento de fotos Flickr. Ele, que adora viajar sobre duas rodas, aproveitou a oportunidade para começar a testar suas habilidades na fotografia: “Eu sou um fotógrafo amador tirando fotografias legais dos lugares que vejo; é o que um turista faz”, diz ele.

Hoje, Rob costuma tirar fotografias de bicicletas em cenários mais do que inspiradores que encontra durante suas pedaladas e compartilha todas através de seu Flickr. Ele conta ainda que as magrelas foram uma ótima maneira que encontrou de fazer amigos ao redor do mundo. Afinal, quem não gostaria de começar uma conversa frente a uma paisagem dessas?

21264472295_99af514af7_k

7465930158_1d96977abc_k

7471561590_f243c4de24_k

9625483386_f91b0560e5_k

18679509712_cf2c9ee6f0_k

17523742011_a85197f429_k

18289002696_c3519c7048_k

20519315274_9073d423ff_k

21380001556_f0d0c0bd84_k

22146114450_0eb30a2b97_k

Todas as fotos © Rob van Driel

Ela perdeu peso para se parecer com uma modelo e agora luta contra anorexia

A britânica Christie Swadling, de 18 anos, sempre foi a gordinha da turma. Acostumada com uma alimentação pouco saudável e sem muito gosto por atividades físicas, a garota chegou à adolescência com sobrepeso e era constante alvo de chacota na escola. Incentivada por seu pai, Christie começou a experimentar os mais diversos esportes e entrou em uma dieta ferrenha.

O foco era perder peso e a imagem de modelos foi, inevitavelmente, sua inspiração. “Propagandas photoshopadas de modelos como Miranda Kerr definitivamente deram início aos meus problemas com o corpo, pois eu pensava que era daquele jeito que deveríamos ser“, contou ela ao Daily Mail. A garota perdeu peso e tornou-se magra, mas mesmo assim não estava satisfeita. Foi então que sua família percebeu que em tanto cuidado com o peso havia algo de errado.

Christie foi diagnosticada com anorexia, precisou ser internada diversas vezes e chegou ao extremo de pesar 30 kg. “Eu não comia quase nada, talvez duas refeições com menos de 300 calorias e havia um diabinho na minha cabeça dizendo que eu deveria ser magra”, afirma. Hoje Christie está se recuperando: segue uma dieta balanceada e pratica exercícios como caminhada e yoga. Sua história foi contada em um vídeo publicado no YouTube e tem ajudado milhares de garotas que passam pelo mesmo problema. “Muitas meninas vêm me dizer que eu ajudei a salvar suas vidas“, conta ela.

Assista ao vídeo e reflita:

christie-swadling

christie-swadling2

christie-swadling3

christie-swadling4

christie-swadling5

christie-swadling6

christie-swadling7

christie-swadling8

Todas as fotos © Christie Swadling

Como este jovem está usando o Instagram para recuperar a memória após um coma


“Às vezes eu sinto como se tivesse dormido durante toda a minha vida”. É com essa frase que o estadunidense Joseph Miller, de 25 anos, se apresenta em sua conta no Instagram – rede social que tem o ajudado a recuperar a memória após sofrer um grave AVC.
Em julho do ano passado Joseph, um cara que vive em Los Angeles, ama pintar e escrever poesia sofreu o acidente depois de voltar da faculdade. “Eu estava sofrendo de uma enxaqueca intensa. Eu queria escrever alguma poesia naquele dia e eu não conseguia pensar direito. Eu disse ao meu companheiro de quarto que não me sentia bem e fui para a cama”, recorda Joseph, que foi encontrado desacordado no chão pelo colega e levado ao hospital, onde permaneceu em coma por 17 dias.
Quando finalmente despertou, Joseph tinha aproximadamente 95% de sua memória perdida.
avc1
Para tentar reverter o dano, Joseph recorreu a sua conta no Instagram. Ele conseguiu recuperar a senha e, através da visualização de fotos ele passou a relembrar momentos de sua vida de maneira gradual. Segundo o Doutor Steven Cramer, neurologista da Universidade da Califórnia, “Quando alguém está se recuperando de um acidente vascular cerebral, eu sempre digo que, quanto mais prática, melhor. A ideia do Instagram é muito acessível. Qualquer coisa que movimenta a memória pode ajudar a trazer de volta lembranças anteriores”.
avc2
É fascinante como o Instagram tem desempenhado um grande papel na minha recuperação. Através dele, lembrei que trabalhava com contabilidade, gostava de escalar e adorava conhecer pessoas estranhas”, comemora Joseph.
Todas as imagens via @joeisawildchild