5 roteiros incríveis para fazer de carro pelo Brasil

Na hora de escolher como viajar, há quem opte por diferentes modelos de transporte. Os adeptos do carro costumam advogar em prol da liberdade e facilidade de adaptação do roteiro – e estão mais do que certos quanto a esses pontos. E quem é fã de uma viagem com o pé no acelerador não pode perder estes cinco roteiros fascinantes que separamos pelo Brasil. Confere só:

1. Estrada Real

É formada por caminhos históricos que datam do século 17 e foram criados visando transportar a produção de ouro e diamantes de Minas Gerais até Paraty e ao Rio de Janeiro. O trajeto tem mais de 1,6 mil quilômetros que valem a pena ser percorridos – mas, caso prefira um trajeto mais curto, é possível optar por percorrer apenas os 515 quilômetros do chamado Caminho Novo que, como o próprio nome diz, é a parte mais nova. No caminho, prepare-se para encontrar túneis, chafarizes e fazendas que irão transportar você para o século 18.

Como fazer: saindo de Ouro Preto rumo ao Rio de Janeiro, passa por Barbacena, Juiz de Fora e Petrópolis.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/01/estrada1.jpg

Foto: Tharcio Oliveira.

2. Serra Gaúcha

Um roteiro ideal para o inverno, em que será possível aproveitar o clima frio do sul do país para conhecer um pouco das belezas da serra gaúcha. Vale a pena passar pela rota do vinho, onde é possível experimentar algumas das bebidas produzidas na região e há também diversos locais dedicados ao ecoturismo pelo caminho.

Como fazer: saindo de Porto Alegre, não deixe de passar por cidades como Novo Hamburgo, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Gramado, Canela, São Francisco de Paula e Cambará do Sul.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/01/estrada2.jpg

Foto via

3. Transpantaneira (MT-060)

Nessa viagem de 145 quilômetros, o ideal é usar um veículo 4×4, já que se trata de um safári em meio ao pântano. O trajeto deve ser feito durante o dia e é recomendado apenas para os mais aventureiros. O melhor é conhecer a região na época da seca, entre os meses de junho e outubro. Um dos pontos interessante do trajeto é aproveitar para conhecer as suas 125 pontes de madeira que estão localizadas sobre rios e áreas alagáveis – o que faz com que seja a estrada com mais pontes em todo o muno.

Como fazer: saindo de Poconé, a 102 quilômetros de Cuiabá, em direção a Porto Jofre.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/01/estrada3.jpg

Foto via

4. Nordeste

Uma viagem de 1.682 quilômetros por todo o litoral nordestino é o sonho de qualquer viajante. No caminho, será a oportunidade para conhecer um pouquinho destas praias que estão entre as mais lindas do mundo. As paisagens são de tirar o fôlego e farão com que a viagem pareça bem menor do que realmente é.

Como fazer: saindo de Fortaleza, passe por Natal, João Pessoa, Recife, Maceió e Aracaju até chegar a Salvador.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/01/estrada4.jpg

Foto via

5. Rio-Santos

Um daqueles passeios que precisa ser feito ao menos uma vez na vida. Afinal, está é considerada uma das estradas mais bonitas do Brasil e vai permitir que você curta a paisagem única da Serra do Mar, passando por praias belíssimas no caminho.

Como fazer: Saindo de Santos, passe por São Sebastião, Caraguatatuba, Ubatuba e Paraty até chegar a Angra dos Reis.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/01/estrada5.jpg

Foto © Rodrigo de Melo

Arqueólogos descobrem mosaicos gregos com mais de 2 mil anos na Turquia

Com uma quantidade impressionante de anos, uma série de obras de arte foi descoberta na região de Zeugma, na Turquia -cidade que foi casa de oficiais de alta patente do Império Romano. Os mosaicos gregos foram encontrados depois de ficar mais de 2 mil anos submersos na água. Agora, eles já fazem parte da história da arte e de todo o arquivo histórico daquela região.

Uma equipe de arqueólogos ficou encarregada de testemunhar e procurar estes resquícios de peças gregas e romanas. Os mosaicos são feitos de vidro e ficaram preservados durante todos esses anos com uma coloração viva e rica em cores. De acordo com especialistas, eles serviam como decoração e eram ilustrados com personagens da mitologia e da Grécia Antiga.

mosaico2

Muitos deles foram salvos e restaurados. Olha só:

mosaico3

mosaico7

mosaico5

mosaico9

mosaico1

mosaico11

mosaico4

mosaico12

mosaico8

mosaico6

mosaico10

Todas as fotos: Reprodução

Brasileiras criam projeto fotográfico que tem a água, a natureza, a nudez e a mulher como protagonistas

Thais nasceu em uma cidade pequena e se formou em jornalismo. Morou no México e tornou-se instrutora de yoga. Já Olivia é paulista, também cursou jornalismo e Gestão de Políticas Públicas. Morou na Austrália, Nova Zelândia e hoje já se considera meio carioca. Juntas elas perceberam que a pluralidade daquilo que são capazes de fazer é a chave para o equilíbrio e para um projeto belíssimo!

agua9

Ser água é o nome de batismo do site que é alimentado por essas jovens aventureiras. Entre fotos e paisagens de tirar o fôlego, o conteúdo varia entre água, natureza e nudez tendo a mulher quase sempre como protagonista.

Ser água é mais do que um projeto. Ser água é uma busca. Contínua. Diária. Nasce da vontade de conhecer as coisas lindas espalhadas por aí e de passá-las pra frente de um jeito verdadeiro e sutil. Tem texto, tem foto, tem vídeo e, mais do que tudo isso, tem experiência, tem vivência e tem aquela necessária dose de sentir. Pra chegar em quem tiver que chegar: ser água é conectar“, contam.

agua4

Nu -Black’s Beach, San Diego, Califórnia

Conheça um pouco mais a partir das imagens abaixo:

agua1

agua2

agua3

agua10

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

agua14

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

dsc6829

Symbiosis Gathering, Oakdale, Califórnia.

dsc8757

dsc8793

dsc8794

dsc8804

Blacks, Califórnia.

agua8

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

agua11

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

agua13

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

agua12

E com as cores do vento colorir – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

agua5

Nu -Black’s Beach, San Diego, Califórnia

agua15

Steph – São Francisco, Califórnia

agua6

(com)unidade – San Diego, Califórnia

agua7

Abraço de mãe natureza – Parque Nacional do Yosemite, Califórnia

Todas as fotos © Ser Água

 

 Fotógrafo cria série encantadora da namorada que tem vergonha de sua aparência na frente da câmera

 

Murad Osmann, que tira ótimas fotografias de sua namorada o levando pela mão por paisagens incríveis pelo mundo. Registrar fotos de quem amamos é sempre uma ótima maneira de mostrar o nosso olhar sobre essas pessoas e também capturar o momento de uma maneira especial. Apesar disso, o fotógrafo Mikaël Theimer tinha um problema na hora de fazer retratos de sua namorada Marion Munoz: ela não gostava de se mostrar em frente às câmeras.

Mikaël percebeu a timidez da namorada quando pediu que ela possasse para uma fotografia e ela ficou de costas para a câmera. Mesmo assim, ele decidiu postar a imagem no Facebook com a legenda “minha namorada odeia posar para mim” e as pessoas se divertiram bastante com a ideia. Desde então, o fotógrafo tornou essa uma série frequente, em que registra Marion sem nunca mostrar seu rosto.

Quando questionado sobre o porquê da namorada não gostar de aparecer, ele lembra que isso é em grande parte uma influência da mídia e suas imagens retocadas. “Este pode ser um interessante – apesar de triste – resultado de sermos constantemente bombardeados com imagens de mulheres perfeitas“, lembra.

A série é um lembrete de que, na verdade, todas as mulheres são perfeitas:

mikael13

Todas as fotos © Mikaël Theimer

Mãe vira sucesso ao fazer belas poses de yoga com seus 2 filhos sustentados no corpo

 
Chega a ser impressionante para quem não tem tanta flexibilidade ver o que o ioga faz com o corpo das pessoas que praticam. É bem difícil mesmo, mas tem gente que consegue algumas posições que parecem desafiar até a própria gravidade. 
É esse o caso da professora alemã Josie Jacob, que se aperfeiçoa a cada dia com os filhos, Gabriel, de 4 anos, e Kaniel, de 10, montando sobre os ombros, braços ou costas enquanto faz as posições mais mirabolantes que você possa imaginar.
Jacob conta que, como sempre praticou ioga, seus filhos a viam fazendo os exercícios, o que despertou neles a vontade de acompanhá-la na esteira. O mais legal é que, com isso, ela estudou o comportamento dos meninos e conseguiu se tornar uma professora de ioga para eles, que agora são capazes de fazer coisas ao alcance de poucos adultos.
Aprendi a dar uma aula bem leve, divertida e sem pressão nenhuma. As crianças adoram. Além disso, é bom saber que elas vão crescer com o corpo saudável”, explica Jacob. Vem ver o que eles são capazes de fazer:
yoga2c
Todas as fotos © Caters News Agency

O homem-aranha anônimo que distribui comida por moradores de rua

Qualquer um pode ser um super-herói e  salvar o dia de alguém. A prova disso é o Homem-Aranha anônimo que circula pelas ruas de Birmingham, no Reino Unido, levando comida aos moradores de rua da cidade.

O anônimo, que compartilha suas histórias na página Birmingham Spiderman, no Facebook,não aceita doações, pois pretende que, com as suas atitudes, as pessoas se envolvam de verdade, parando de fingir que os moradores de rua são invisíveis. O personagem já se tornou famoso e conseguiu atrair a atenção que queria para o problema.

Antes, quando eu distribuía comida, ninguém parava para olhar. Mas quando as pessoas veem o Homem-Aranha distribuindo comida, vêm e perguntam o que estou fazendo e ficam realmente interessadas. O mais importante é que as pessoas se sentem inspiradas a se envolver também“, contou ele em entrevista ao Huffington Post.

O vídeo abaixo (em inglês) mostra um típico passeio noturno do Homem-Aranha pelas ruas da cidade – vale a pena ver e refletir:

aranha1

aranha5

aranha7

aranha

Imagens: © I Am Birmingham.

aranha2

Birmingham tem o maior número de pessoas desabrigadas na Inglaterra, com mais de 925 famílias.

aranha4

aranha6

aranha9

Fotos © Birmingham Spiderman

aranha10

Foto © Anne – Marie / Big Centre TV

Conheça a história da primeira mulher a treinar uma equipe de futebol masculino num país árabe

Se fôssemos contar quantas mulheres treinadoras de time de futebol masculino existem no mundo certamente não iríamos nos perder neste cálculo. O ofício, porém, torna-se ainda raro e precursor entre as mulheres quando se trata de países árabes.

Quem inaugura a profissão por lá é Selma Al Majidi, de 25 anos, a primeira mulher a treinar uma equipe de futebol masculino num país árabe, em Al Nasr, da terceira divisão do Sudão. Apaixonada pelo esporte desde os 11 anos, Selma passou a se interessar pelo futebol após acompanhar seu irmão mais novo nos jogos: “Anotei tudo que o técnico disse para o meu irmão e seus companheiros. Aprendi as instruções táticas de coração e até o modo como ele colocou os cones”, conta ela. Com o apoio de sua família, Selma iniciou sua carreira como treinadora de jogadores adolescentes, nas categorias sub-13 e sub-16 do Al Hilal.

selma2

Selma realizou diversos cursos de formação e ganhou certificados da Associação de Futebol do Sudão e da Confederação de Futebol Africano. Hoje ela detém o distintivo de “C” do Sudão e Africano e está no processo para alcançar o “B” Africano. Através de suas qualificações e diversos recordes em muitos clubes sudaneses, atualmente a treinadora encontra-se na terceira divisão do Al Nasr de Omdurman. Selma contou que “No começo, alguns dos jogadores não queriam trabalhar comigo só porque eu era uma mulher.
 Era estranho para eles e todo mundo estava incerto sobre a situação. Porém, com o tempo eles passaram a me respeitar e me elogiar pelo meu trabalho. Foi um grande desafio e eu enfrentei-o da melhor maneira possível, salvando o time do rebaixamento”. Sobre os tabus culturais, Selma diz que “O homem aqui é mais conservador que meus pais, que me encorajaram a seguir em frente e treinar homens. Minha família é a minha principal apoiadora, especialmente minha mãe e meu irmão menor, que gostaria de agradecer muito”.
Imagem: Reprodução/FIFA