Ela foi visitar um abrigo de cães, mas não pôde escolher; ficou com todos

Quem já foi até um abrigo de cães em busca de um novo amigo sabe que a experiência pode ser traumática e por isso mesmo muito importante. Ao chegar àquele local repleto de peludos loucos para encontrar um lar, a vontade é de levar todo para casa. E foi isso que fez a canadense Danielle Eden.

Co-fundadora da Dog Tales Rescue and Sanctuary, ela tem visitado inúmeros abrigos de animais em todo o mundo e muitas vezes acaba resgatando animais nas condições mais terríveis e levando para sua propriedade de 50 acres em King, Ontário.

Mas ela não estava preparada para o que a aguardava em um abrigo em Israel, que foi conhecer em janeiro passado. “Este é o pior abrigo que ela já tinha visto”,  lamentou Clare Forndran, diretor de mídia da Dog Tales.

Publicado por Dog Tales Rescue and Sanctuary em Sexta, 26 de fevereiro de 2016

No local, mais de 250 cães foram espremidos em um espaço projetado para apenas 70. Os ratos (vivos e mortos) eram abundantes, mais até que os cachorros e muito dos animais que ali estavam tinham passado anos naquele local. Cada pedaço de pão jogado para dentro do canil virava uma grande briga.

caes 2

Dadas as condições do local Danielle não foi capaz de escolher quais animais iria resgatar para ter a chance de uma nova vida no Canadá. Estavam todos vivendo em profunda miséria. Foi então que ela decidiu “comprar o abrigo” e assumir a responsabilidade por todos os 250 cães.

caes 3

Ao longo dos últimos dois meses, ela conseguiu realocar 90 animais dentro de Israel enquanto outros 25 foram levados ao santuário, em Ontário. Mais 150 cachorros permanecem no local, mas agora o abrigo está passando por uma transformação profunda, graças a uma equipe que está trabalhando para torná-lo habitável, enquanto os veterinários administram os problemas de saúde mais imediatos dos animais.

dogs 6

O objetivo é que todos os animais que ficaram sejam levados posteriormente para o Canadá. Dos primeiros 25 que lá chegaram, mais da metade já foi adotada.

dogs 7

Imagens: divulgação

Casal constrói estufa ao redor da casa para plantar, economizar energia e mantê-los aquecidos

O casal sueco Charles Sacilotto e Marie Granmar encontrou uma solução engenhosa e sustentável para, de uma só vez, economizar energia, cultivar a própria comida e ainda mantê-los aquecidos (o que, no frio de Estocolmo, na Suécia, onde vivem, não é mero detalhe): construíram ao redor de sua casa uma estufa de vidro.

Segundo o casal, no período de janeiro, por exemplo, em que as temperaturas costumam beirar os dois graus negativos, com o acumulo de energia solar dentro da estufa, o termômetro da casa varia entre 15 e 20°C.

ESTUFA8

Os quatro milímetros de vidro que abraçam a residência foram projetados para também proteger a casa de todos os elementos naturais (mantendo-a sempre nova, visto que a chuva, a neve ou mesmo o vento jamais incidem diretamente contra suas paredes de madeira), mas o vão entre a estufa e a casa oferece ainda mais possibilidades.

O telhado foi transformado em terraço, para banho de sol, leitura ou para as crianças brincarem, há um pequeno lago com peixinhos dourados e, como se não bastasse, dentro da estufa ainda são cultivadas frutas e vegetais (que do lado de fora não sobreviveriam ao rigoroso inverno sueco).

ESTUFA3 

ESTUFA2

Ainda que a família aproveite a água da chuva para as necessidades da casa e para regar as plantas, além de transformar seu lixo orgânico em adubo, segundo Scilotto a casa não é totalmente autossustentável: durante os meses mais inclementes de inverno, aquecedores elétricos se fazem necessários.

Ainda assim, segundo Marie, anualmente a família deixa de ligar o aquecedor por aproximadamente três meses a menos do que normalmente o inverno sueco exigiria.

ESTUFA21

Naturalmente que tal iniciativa não funcionaria em países de clima quente, mas a utilização da nossa inteligência em favor de ideias sustentáveis e de um mundo melhor funcionam em qualquer lugar.

Saiba mais sobre essa casa no vídeo e nas fotos abaixo:

ESTUFA5 

ESTUFA10 

ESTUFA22 

ESTUFA18 

ESTUFA16 

ESTUFA17 

ESTUFA20 

ESTUFA6 

ESTUFA1 

ESTUFA11 

ESTUFA4 

ESTUFA9 

ESTUFA15 

ESTUFA14
Todas as fotos © Fair Companies / Reprodução YouTube

Conheça a história do gato mais velho do mundo, que tem 26 anos e foi adotado de um abrigo em 1989

Aos 26 anos de idade, Corduroy é reconhecido pelo Livro dos Recordes como o gato vivo mais velho do mundo. O equivalente da idade de Corduroy para um ser humano seriam impressionantes 121 anos. Sua dona, Reed Okura, que hoje já passou dos trinta, o adotou em um abrigo aos sete anos de idade, no ano de 1989.

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO7.jpg

Para termos uma noção de quantas mudanças Corduroy já viveu, no ano em que nasceu a União Soviética ainda existia, Ronald Reagan se despedia da presidência dos EUA, o Brasil se preparava para receber o primeiro presidente eleito após a ditadura e a internet era ainda somente uma boa ideia. Enquanto Corduroy dava os primeiros saltos e miados, Patience, dos Guns n’ Roses, era a música mais tocada no mundo.

GATO12

Ser o gato mais velho do mundo e se manter saudável não é simples. Corduroy segue uma dieta rígida, evitando carboidratos, a fim de proteger seus rins. Além disso, diariamente o bichano sai para passear, e esse, segundo Reed, é o segredo para sua longevidade: jamais foi mantido preso, e sempre pode ver o mundo, correr, caçar, exercitando assim seu corpo e sua mente.

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO8.jpg

Corduroy continua forte e ativo, e Reed espera que ele viva ainda por muitos anos. Ele, afinal, esteve ao seu lado por grande parte de sua vida. O gato continua saindo pra passear diariamente, e a única diferença notada por Reed é que ele hoje não caça tantos insetos e criaturas com a habilidade de sua juventude – o que, para ela, traz um certo alívio. Ainda assim, considerando que o gato mais velho que se tem notícia viveu até os 38 anos, pode-se dizer que Corduroy ainda tem muitos passeios e caçadas pela frente.

Quem quiser pode seguir Curdoroy, o gato mais velho do mundo, no Instagram.

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO13.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO11.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO10.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO14.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO6.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO5.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO4.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO3.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO9.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO1.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/GATO2.jpg

© Todas as fotos: Divulgação

Como a street art está transformando a cidade de Nova Deli, na Índia

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india5.jpg

Sabemos o quanto a arte é capaz de salvar as pessoas das mais diversas formas. O poder da street art está transformando a cidade de Nova Deli, na Índia, através das cores vivas adicionadas aos espaços públicos durante o St+art Festival. Esta já é a quarta edição do evento que espalha murais incríveis de artistas talentosos por toda a cidade.

Ao todo, são 26 artistas indianos e internacionais participando das transformações nos últimos dois meses. As técnicas aplicadas nos muros são as mais variadas, passando por surrealismo, arte abstrata, caligrafia, hiperrealismo, entre outras, que podem ser vistas no bairro de Lodhi, onde se criou uma verdadeira galeria a céu aberto, e no Inland Container Depot, o maior porto seco da Ásia.

Por lá, foram pintados 100 contêineres e o resultado não poderia ser mais fascinante. A área foi denominada como Work in Progress pelos organizadores do festival, que aconteceu oficialmente no dia 28 de fevereiro de 2016, com o objetivo de tornar a arte acessível e impactar a sociedade positivamente.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india2.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india4.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india3.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india8.jpg

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india9.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india7.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india6.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india5.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/WIP_Tyler_Photo-by-Naman-Saraiya.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india11.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india13.jpg

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india14.jpg

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india15.jpg

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india16.jpg

Fotos © Akshat Nauriyal

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india17.jpg

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india10.jpg

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/streetart-india12.jpg

Fotos © Naman Saraiya

Jovem expressa sua inquietude com série de fotos surreal

O fotógrafo venezuelano baseado no Paraguai Daniel Serva comunica seus sentimentos para o mundo através de imagens, revelando para nós uma espécie de sonho particularmente surreal.

A maneira como a realidade afeta o artista é expressada de maneira descompromissada com qualquer ordem dos elementos externos que nos cercam. Nas suas próprias palavras: “uma das razões pelas quais brinco tanto com o surrealismo é porque eu quero mostrar às pessoas uma outra versão do que é possível“.

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva10.jpg

Essas imagens interiores começaram a ganhar vida numa noite, quando Daniel decidiu expressar o que sentia através de um autorretrato, que originou o diário 365 Project, onde ele narrava todos os dias do ano o que estava sentindo. “Eu não costumo falar sobre meus sentimentos, mas com a ajuda da fotografia eu consigo ter uma catarse.”

O resultado é puro deslumbre, olha só:

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva2.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva11.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva16.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva17.jpg

danielserva1

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva15.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva3.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva13.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva4.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva5.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva14.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva12.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva6.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva7.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva8.jpg

https://i2.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva9.jpg

https://i1.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/02/danielserva18.jpg

Acompanhe o trabalho do Daniel via Flickr, Instagram e Facebook

Todas as imagens © Daniel Serva