Abandonado desde os anos 1980, parque temático de ‘O Mágico de Oz’ ainda encanta

Você sabia que existe nos Estados Unidos um parque temático que reproduz a Terra de Oz, onde Dorothy, o Homem de Lata, o Espantalho, o Leão Covarde se conheceram?

O local foi inaugurado em 1970, e o passeio por lá incluía uma reprodução do tornado que levou Dorothy do Kansas até a Cidade das Esmeraldas, a famosa estrada feita com tijolos dourados, um encontro com as personagens e um passeio de balão.

Cinco anos depois, um incêndio destruiu boa parte do local, incluindo o museu que guardava o vestido usado pela atriz Judy Garland para interpretar Dorothy. Mais cinco anos, e o parque fecharia.

Desde 2008, porém, uma vez por ano a Terra de Oz reabre suas portas, para antigos funcionários e convidados. A cada ano, o número de visitantes aumenta, comprovando que o sucesso da história, criada mais de um século atrás, parece não ter fim.

Confira algumas imagens do parque:

gkcduvua0uchjhcfgh5g

2

5

lukaeahejh1uuv9amtrh

r4flmw8gtozkro9chknq

ibd341kzfawtdrdubkgf

6

7

3

4

tk0n29nwpgz87nwuxc0y

1

olccfqeqtglttlfha5ms

Imagens: Seph Lawless

De avião, fotógrafo captura beleza das ‘marcas’ do homem na natureza

Alex MacLean pilota o próprio avião fotografando cidades e paisagens tanto nos Estados Unidos quanto em outros países

Ele pilota um avião e faz fotos aéreas reduzindo cenários grandiosos ao tamanho de maquetes.
O artista, que terá suas obras exibidas na galeria Beetles + Huxley, de Londres, fotografa do alto os padrões criados por grandes lavouras, projetos de habitação estranhos cravados no meio do deserto ou cidades antigas e coloridas, bases militares, praias lotadas, entre outras paisagens.
O resultado são fotos que investigam as marcas deixadas pela humanidade no mundo natural. MacLean é formado em arquitetura e, em entrevista à BBC Brasil, afirmou que isto foi decisivo em sua escolha pelas fotos aéreas.
Confira imagens desse trabalho na galeria de fotos

Todas as fotos © Alex MacLean

Leão, tigre e urso vivem 15 anos lado a lado, dando exemplo de aceitação das diferenças

E a natureza é mesmo perfeita! Até na hora de nos dar um exemplo de que somos todos semelhantes, ela é linda! Ou você já imaginou um leão, um tigre e um urso vivendo como irmãos – fora dos desenhos animados? E numa altura dessa ainda tem gente que bate no coleguinha porque é GAY…

Essa história aconteceu na Georgia, USA, no Santuário Animal Noah’s Ark, envolvendo a amizade entre um urso preto americano, um leão africano e um tigre de bengala. Todos já estão há mais de 15 anos juntos na santa paz e harmonia!

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario2.jpg

Shere Khan, Leo e Baloo! ❤

A história é bem incomum se considerarmos que esses tipos de espécie tendem a não se misturar umas com as outras, preservando territórios e identidades bem definidas. Mas dessa vez foi diferente.

Todos foram encontrados em situação de risco e maus tratos quando tinham menos que um aninho de idade. E como a filosofia do santuário consiste em não usar jaulas, todos passaram a viver mais próximos desde que chegaram lá.

Ou seja, desde pequenos, quando foram trazidos para o espaço, foram educados a estarem lado a lado “numa boa”! E aí fica a pergunta: se animais selvagens conseguiram, será que os seres humanos também vão um dia?

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario3.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario4.jpg

Leo quando chegou no santuário com uma ferida infectada no fucinho como resultado de viver em uma pequena caixa, tadinho!

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario5.jpg

Já Baloo vivia em uma jaula tão pequena, que quando foi achado, estava crescendo em torno dela. Tiveram que serrar as barrar para que ele voltasse a ter movimentos.

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario6.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario7.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario8.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario9.jpg

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/animais-santuario10.jpg

Fotos via divulgação Noah’s Ark

Conheça os 19 lugares mais charmosos do mundo

Cenários bucólicos, pequenas vilas, construções antigas com cores fortes e muitas flores. Este visual, que parece até ter saído de um filme, pertence aos lugares mais charmosos do mundo, cantinhos escondidos que você pensa que só existem nos seus sonhos.

Seja na praia, como a lindíssima Key West, na Flórida, nos Alpes, como a romântica Wengen, na Suíça, ou em cidades com canais, onde a água domina grande parte do espaço, como em Burano, na Itália, esses destinos parecem ser mesmo especiais. Olhando essas fotos, dá vontade de estar lá, passeando e descobrindo as belezas desses pontos aparentemente pouco explorados.

Parece tudo tão perfeito, que realmente fica difícil acreditar que ali vivem pessoas e mais difícil ainda pensar que elas não seriam muito felizes. A cidade de Colmar, na França, parece até uma pintura, de tão graciosa. As simples e não menos importantes casinhas azuis em Júzcar, na Espanha, se tornaram parte da Smurfs Village – e só de olhar você já vai entender o porquê.

Confira abaixo os 19 lugares mais charmosos do mundo:

Via.

 Veja como a internet ajudou (até demais) a amparar os felinos da famosa ‘Ilha dos Gatos’
A ilha de Aoshima, no Japão, também conhecida como ‘A Ilha dos Gatos’, onde a população felina supera a humana numa proporção de 6 para 1, recentemente se viu num dilema: por conta das condições climáticas, o suprimento de comida para os animais não pôde ser entregue. Como quase tudo hoje em dia, a solução encontrada foi uma só: recorrer à internet.

CATFOOD7

Bastou um tweet, explicando que não há lojas de alimento para gatos na ilha, e que não era possível, naquele momento, sair de barco para comprar no continente, que uma enxurrada de doações começou a chegar em Aoshima.

Em poucos dias as autoridades não tinham mais onde estocar tanta comida. Então, um novo tweet brotou para o mundo: “Por favor, parem de enviar comida de gato para Aoshima. Nós recebemos muito mais do que esperávamos, e não há mais onde guardar. Estaremos bem até abril. Muito obrigado a todos”.

CATFOOD9

É impressionante e comovente capacidade de mobilização quase instantânea que a internet nos oferece. É também um alívio saber que os gatinhos de Aoshima não passarão fome (talvez a população humana tenha ficado com medo do que poderia acontecer quando essa multidão felina realmente estivesse faminta). E, para os que procuram oportunidades de negócio, abrir uma loja de comida para gatos na ilha não parece uma má ideia.

CATFOOD5