CINCO ILHAS PARA VISITAR ANTES QUE ELAS SUMAM DO MAPA

A natureza sempre nos surpreende com suas belezas fascinantes, mas ao mesmo tempo é completamente mutável, podendo nos surpreender com coisas ruins. Com o nível do mar cada vez mais alto, algumas ilhas do Pacífico Sul estão desaparecendo. Os moradores acabam morrendo desprevenidos ou acabam se deslocando após o cansaço de lutar pela sobrevivência.

Estudos apontam que os arquipélagos podem sumir até o final do século. As marés altas provocam estragos na região, inundando casas, espalhando lixo e provocando queda das árvores. O motivo de tudo isso chama-se aquecimento global, já que as geleiras estão derretendo e consequentemente elevando o nível da água, que pode subir 59 centímetros até 2100.

Ilhas do Oceano Índico também sofrem com o mesmo problema, sendo que em 2010 uma ilha no Golfo de Bengala desapareceu sem deixar lembranças. Se ainda queremos conhecer estes lugares, é melhor corrermos contra o tempo. Confira abaixo quais são as próximas ilhas em extinção:

1. Maldivas

Destino turístico, o arquipélago pode desaparecer em até 100 anos. Isso porque o nível do mar de 80% de seu território, formado por mais de 1000 ilhas, está a apenas um metro do solo. O governo da capital Malé já está tomando providências para transferir os habitantes da segunda ilha mais populosa do mundo para a Austrália, Sri Lanka e Índia.

maldivas

2. Tuvalu

Entre o Havaí e a Austrália, as nove ilhas de Tuvalu estão, assim como as Maldivas, a apenas um metro acima do nível do mar. Com inundações constantes e agricultura prejudicada, a população do quarto menor país do mundo já está em busca de refúgio, oferecido pela Nova Zelândia.

3. Grande Barreira de Corais

Formada por mais de 600 ilhas, 300 atóis e aproximadamente 3 mil recifes, o rico ecossistema da Grande Barreira de Corais torna o paraíso ainda mais completo. Pertencente ao estado de Queensland, na Austrália, a ilha sofre não só com o aumento no nível do mar, como com a poluição e o aquecimento que estão matando os corais.

????????????

4. Seychelles

O arquipélago composto por 115 ilhas já está com 50% de seu território protegido por leis ambientais, a fim de manter a fauna e a flora preservadas. Apesar de estar com o mesmo problema das demais ilhas, Seychelles tem focado no turismo sustentável para tentar sobreviver por mais tempo.

seychelles

5. Kiribati

Próxima à Tuvalu, Kiribati tem 33 ilhas paradisíacas em seu território que em pouco tempo serão engolidas pelo mar. A agricultura do local já está improdutiva devido a salinização do solo; o governo já está tomando medidas para transferir a população para a ilha vizinha. Pode ser que a ilha sobreviva por menos de 50 anos, que têm passado bem rápido.

kiribati

Todas as fotos: Reprodução

[via]

As imagens da festa de aniversário do Madruguinha vão fazer o seu dia melhor

Madruguinha é um cachorrinho doce e obediente, que acaba de completar um ano de idade. Nada mais justo, para comemorar essa data querida, do que uma festinha – com direito a bolo, vela, presentes, convidados e a tradicional cantoria em sua homenagem. A fofura é tamanha que suas fotos de aniversário foram postadas no Facebook, e já foram compartilhadas mais de 10 mil vezes.

MADRUGUINHA4

O humano de Madruguinha é Fernando Correia, que o adotou no meio da rua, de dentro de uma caixa, ao ouvi-lo chorando. Ele estava perdido e com fome, e na mesma hora Fernando decidiu que cuidaria dele. Segundo conta, Madruguinha era tão pequeno que ele pôde carrega-lo no bolso da blusa, voltando para casa. Desde então, tornaram-se inseparáveis melhores amigos. O nome, é claro, se deu em homenagem ao personagem do seriado Chaves.

MADRUGUINHA5

O amor de Fernando por seu cãozinho é recíproco, e ele garante que Madruguinha é esperto, brincalhão e muito obediente – como pode se ver pelas fotos. “Ele ficou sério nas fotos porque entendeu que era hora de fazer pose”, conta Fernando. Até na hora de cantar parabéns e assoprar as velinhas, Madruguinha permaneceu parado, como manda o roteiro de uma festinha de aniversário.

MADRUGUINHA3

MADRUGUINHA7

Sua amiga Cristal compareceu à festa, e Madruguinha ganhou duas bolinhas de brinquedo de presente, além de um bolo de banana preparado especialmente para que ele pudesse comer. E ele adorou.

MADRUGUINHA2

MADRUGUINHA1

O principal presente, porém, como pode se ver nos olhos de Madruguinha pelo vídeo abaixo, foi o carinho de Fernando. Que venham mais festas pela frente na vida de Madruguinha, pois ele merece.

Ao invés de ficar num apartamento ou hotel, que tal se hospedar numa casa na árvore?

 https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/03/arvore3.jpg
Onde você se hospedou nas últimas férias? É muito provável que tenha sido em algum apartamento alugado pelo Airbnb ou em hotéis e hostels pelo mundo. No máximo, uma experiência em Couchsurfing ou acampando… Porém, atualmente um novo (ou nem tanto) modelo de hospedagem está começando a chamar a atenção dos viajantes ao redor do mundo: o alojamento em casas na árvore.
A ideia foi aparecendo de mansinho e agora parece que veio para ficar. Tanto é que já existem inúmeras opções de casas na árvore disponíveis para alugar pelo mundo, que vão desde as mais rústicas (e econômicas!) até verdadeiros resorts de luxo em meio à natureza.
E você não precisa ir parar no meio da floresta para optar por este estilo de hospedagem, já que muitas cidades grandes também oferecem opções semelhantes, em bairros mais afastados do centro. Para te ajudar a acordar ouvindo o canto dos pássaros, nós separamos uma listinha com algumas casas na árvore que prometem transformar qualquer fim de semana em uma viagem inesquecível. Vem com a gente!

1. Casa na Árvore em Burgundy, França

arvore1

Diárias a partir de US$ 93 por noite (cerca de R$ 350). Foto via

2. Casa na Árvore próxima a Madrid, Espanha

arvore2

Diárias a partir de US$ 70 por noite (R$ 265). Foto via

3. Finca Bellavista, próximo ao Parque Nacional Piedras Blancas, Costa Rica

arvore3

Diárias a partir de US$ 50 por noite (R$ 190). Foto © James Lozeau

4. Free Spirit Spheres, Vancouver, Canadá

arvore4

Diárias a partir de 175 dólares canadenses por noite (R$ 500). Foto via

5. TreeHouse Point, Fall City, Washington, Estados Unidos

arvore6
Valores não divulgados. Foto via

6. &Beyond, Ngorongoro Crater, Tanzânia 

arvore7

Diárias a partir de US$ 1.040 por noite (R$ 3.900). Foto via

7. Caves Branch, próximo a Belmopan, Belize

arvore8
Valores não divulgados. Foto via

Também é possível encontrar outras opções de alojamento em casas na árvore usando sites como o Glamping Hub ou até mesmo o Airbnb. E você, já sabe onde irá parar em sua próxima viagem?

Gato adota ninhada de chihuahuas e cuida deles como se fossem seus próprios filhos

Se você ainda acredita que cães e gatos são naturalmente rivais, eis aqui mais uma prova de que isso é balela. Eles podem ser ótimos amigos, uma família, pais e filhos! Conheça agora a incrível família Yuta.

O gato tailandês Ricchi vive na capital do país, Bangkok, junto com seus donos. E recentemente chegaram sete novos membros na família: todos chihuahuas. A novidade foi que o felino não só os recebeu muito bem, como assumiu a ‘paternidade’ de todos os cachorros.

gato1

Ricchi é protetor e acompanha os pequenos cachorros por todos os cantos, brinca com eles, dorme e até toma banho! Babões, e com razão, os donos dos pets registram tudo na fanpage do Instagram e Facebook, através de fotos e vídeos do dia a dia dos bichanos e seus amigos, bem como imagens posadas com direito a inúmeras roupinhas.

Morra de amores com as fotos do ‘pai do ano’ e seus filhos:

gato2

gato11

gato4

gato3

gato5

gato7

gato8

gato9

gato10

Todas as imagens @yutafamily

As melhores cidades do mundo para viver em 2016

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Viena.jpg

A cada ano que passa, podemos esperar pelas listas que revelam onde é o melhor do mundo para viver. Uma das maiores empresas de consultoria de RH do mundo trouxe, enfim, seu ranking de qualidade à tona, colocando Viena no topo.

A lista da Mercer reúne 450 cidades, que passam por 10 variáveis de análise, incluindo níveis em saúde, educação, bens de consumo, recreação, ambiente sociocultural, político e social, economia, habitação e meio ambiente. O estudo completo pode ser visto neste link.

Grandes centros urbanos do mundo, como Londres e Nova York, não alcançaram o top 10, dominado por países europeus. O Brasil também fica de fora e só chega a 106ª ocupação, onde figura Brasília, seguida por Rio de Janeiro (117º), São Paulo (121ª) e Manaus (125ª).  

1. Viena, Áustria

Esta é a sétima vez que a cidade ocupa uma boa classificação no ranking. Rica em cultura, é também a maior cidade em população dentro das fronteiras que cobrem a União Europeia.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Viena.jpg

2.  Zurique, Suíça  

Tida como o centro cultural e econômico de seu país, a cidade é figurinha marcante em listas que resumem os melhores lugares para se viver no mundo.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Zurique.jpg

3. Auckland, Nova Zelândia

Conquistando boa parte dos brasileiros, a cidade conquista corações pelo ambiente campestre, a economia equilibrada e o alto índice de segurança pessoal.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Auckland.jpg

4. Munique, Alemanha

Munique é potência da Alemanha, país que se destaca no assunto. Aos pés dos Alpes, a cidade é alvo de fascínio de  pintores, escultores, músicos e cineastas, que se encantam com seu estilo de vida e glamour.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/munique.jpg

5. Vancouver, Canadá

Outro país que sempre se destaca em termos de qualidade de vida, o Canadá aparece mais de uma vez na lista. Multicultural, conecta várias etnias num só território, além de duas línguas, o francês e o inglês, que não é o primeiro idioma de 52% da população local.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Vancouver.jpg

6. Dusseldorf, Alemanha

A indústria de moda e a cena artística colaboram para que a cidade alemã figure no 6º lugar do ranking. Além disso, há um equilíbrio entre as 10 medidas analisadas pela Mercer.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/dusseldorf.jpg

7. Frankfurt, Alemanha

Cosmopolita, é a quarta maior cidade alemã e concentra boa parte do comércio em suas vias repletas de arranha-céus. Ainda que bastante urbana, é pacata e organizada.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/frankfurt.jpg

8. Genebra, Suíça

Extremamente segura, a cidade é considerada um centro global para a diplomacia e conta com uma população de alto nível educacional. Não à toa, é o lar de algumas das pessoas mais ricas do mundo.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Genebra.jpg

9. Copenhague, Dinamarca

Conhecida como um dos lugares mais felizes para se viver, é uma cidade onde o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal foi conquistado. Antiga aldeia de pescadores, está com forte desenvolvimento urbano e cultural, fatores que justificam sua fama.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Copenhague.jpg

10. Sydney, Austrália

Não é difícil encontrar cidades australianas entre as mais legais e desejadas. Sydney possui bons níveis econômicos e de empregabilidade, concentrando 22% dos trabalhadores do país. A cena cultural, a harmonia com a natureza e o clima colaboram com a sua qualidade.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Sydney.jpg

11. Amsterdam, Países Baixos

Muita gente sonha com Amsterdam, uma cidade liberal que realmente funciona. O alto padrão de vida, os níveis financeiros e o estilo de vida são alguns dos motivos que a tornam atraente.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Amsterdam.jpg

12. Wellington, Nova Zelândia

Moderna e com paisagens incríveis, a cidade Kiwi é o centro político do país. Além disso, é a capital cultural da Nova Zelândia, onde pulsam opções de lazer e entretenimento a cada dia.

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Wellington.jpg

13. Berlim, Alemanha

Por ser capital de uma das grandes potências do número, o 13º lugar é uma ótima posição. A qualidade de vida se reflete pelas boas oportunidades de trabalho, segurança pessoal, entretenimento e alto padrão habitacional.

https://i0.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/berlin.jpg

14. Berna, Suíça

A cidade é considerada pela Mercer como a segunda mais segura do mundo. Os níveis de emprego, indústria e tecnologia tornam a região atraente. Além disso, dá pra notar que ela é um charme, não é?

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Berna.jpg

Duas cidades ocupam o 16º lugar (não havendo 15º):

Toronto, Canadá

A capital financeira do país abriga os bancos locais mais importantes. O entretenimento e as opções culturais tornam a cidade o destino dos sonhos de muitos estudantes do mundo todo. Não à toa, abriga uma porção de línguas em seu território, como chinês e alemão.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Toronto.jpg

Melbourne, Austrália

Tida várias vezes como um dos melhores lugares para se viver em outros rankings, a cidade se destaca pelos níveis em educação, saúde, pesquisa e desenvolvimento. Turismo e entretenimento estão prosperando bem.

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/02/Melbourne.jpg

Todas as fotos: reprodução