Fotógrafo capta a chocante realidade de crianças viciadas em cigarro

Illham Muhamad tem 8 anos. Todos os dias, sua avó precisa lhe dar dinheiro para que ele vá até uma lojinha perto de casa. Se ela nega, ele esperneia, faz um escândalo. Mas não é chocolate, bala ou figurinha que o garoto compra. É cigarro, de verdade. Fumante desde os 5 anos, ele faz parte da fatia de clientes da indústria do cigarro que mais cresce na Indonésia: as crianças, que chegam a fumar dois maços diários.

Nos últimos 20 anos, o número de crianças indonésias entre 10 e 14 anos que fumam dobrou. Já os fumantes na faixa dos 5 a 9 anos triplicaram. Apesar de parecer surreal para nós ocidentais, que temos consciência de todos os malefícios do cigarro, ver crianças fumando é algo normal por lá. Regras que proíbem a venda de cigarro para menores existem, mas elas não são respeitadas. Comprar um maço de cigarros é mais fácil e barato que comprar um refrigerante.

A Indonésia é o quinto maior consumidor de tabaco no mundo e por lá a indústria do cigarro tem fortes conexões com o governo, tornando a luta contra o fumo difícil – para não dizer impossível. Chocada com essa realidade, a fotógrafa canadense Michele Siu registrou a vida desses garotos na série de fotos “Marlboro Boys”.

Confira algumas das imagens:

Dihan Muhamad, who used to smoke up to two packs of cigarettes a day before cutting down, smokes while his mother breast feeds his younger brother on February 10, 2014.(Photo By: Michelle Siu)

Dihan Muhamad, who used to smoke up to two packs of cigarettes a day before cutting down, poses for a photo as he smokes in his home in a village near the town of Garut, Indonesia on February 10, 2014.

Illham Muhamad, who has smoked since he was five years old, poses for a photo as he slowly inhales his first cigarette of the day at his grandmother's home at his village in the mountainous region near the town of Garut, Indonesia on February 10, 2014. He does not attend school and if his grandmother refuses to give him money to buy cigarettes he will cry and throw fits.

Groups of children buy single cigarettes and light them at a kiosk after school finishes on February 12, 2013 in Jakarta, Indonesia. Children easily purchase cigarettes without age identification and kiosks such as this one can be found near schools around the city.

Cecep, who has lived on the streets for longer than he can remember after his mother passed away, poses for a photo as he smokes in Garut, Indonesia on February 10, 2014. He is currently sleeping at a mosque and singing in buses to make money.

Eman poses for a photo as he smokes a cigarette while clutching a bag of juice in east Jakarta on February 12, 2014. He lives on the street and is part of a "community" which is similar to a gang. The gash on his forehead is from a fight with a neighbouring gang rival.

Ompong, which means "toothless" in the local language of Bahasa, poses for a photograph as he has a cigarette in South Jakarta on February 14, 2014.

Ilham Hadi, who has smoked up to packs a day and began when he was four years old, poses for a photo wearing his third grade uniform while smoking in his bedroom as his younger brother looks on in their village near the town of Sukabumi on February 14, 2014.

Andika Prasetyo smokes outside an internet cafe where he plays games and smoking is permitted in Depok, West Java, Indonesia. He smokes about a pack of cigarettes a day.

Children smoke on a public bus home from school on February 12, 2013 in Jakarta, Indonesia. Smoking is permitted in most public places including public transportation.

Todas as fotos © Michele Siu

Fotógrafo captura flagrantes de amor em meio ao caos da metrópole

Se você achava que os brasileiros eram o povo mais beijoqueiro que existia pelo mundo, talvez mude de ideia agora ao perceber que pessoas de todo o mundo adoram trocar alguns beijos em público. É o que mostra a série fotográfica que ganhou o nome de Just Kiss Me (“Apenas me beije“, em tradução livre).

As imagens foram clicadas pelo fotógrafo mexicano Rosendo Ayala Dávila, que vive em São Francisco, nos Estados Unidos. Ele conta que a ideia surgiu após passar alguns meses morando na Alemanha, quando percebeu que as pessoas se beijavam muito na rua. Assim, há dois anos ele passou a registrar imagens de casais se beijando em locais públicos pelo mundo.

Em suas viagens, Rosendo nunca deixa de registrar esses momentos de romance, que podem acontecer em qualquer lugar. Talvez por isso suas fotografias estampem cenários tão distintos quanto bares, trens e aviões, esquinas e estações de metrô. Por enquanto, o fotógrafo já clicou casais se beijando em cidades dos Estados Unidos, México, Espanha e Alemanha e mostra tudo através de sua conta no Instagram.

beijo12

Todas as fotos © Rosendo Ayala

A incrível prisão onde detentos e animais abandonados ganham uma segunda chance

Tanto os seres humanos quanto qualquer outro animal, na maioria dos casos, merecem uma segunda chance, para sua reabilitação e reintrodução na sociedade. O diferencial do Centro de Detenção do condado de Monroe, no estado da Florida, EUA, é que lá os seres humanos e animais abandonados e maltratados se ajudam a alcançar essa nova vida.

O que começou com somente alguns patos e uma cerca, 21 anos atrás, é hoje uma verdadeira fazenda, ao lado do presídio, com 150 animais, incluindo três preguiças, uma alpaca chamada Floco de Neve e um cavalo miniatura chamado Amendoim.

Esses animais chegam a fazenda através de uma rede de resgate de animais que conecta o país inteiro.

FAZENDA5

Os detentos cuidam diariamente dos animais junto de veterinários e outros profissionais. Quem sustenta a empreitada é a própria comunidade, através de doações. Duas vezes por mês a fazenda é aberta à visitação pública, recebendo mais de 200 pessoas em média.

Essa troca tem dado certo há mais de duas décadas: talvez seja pela empatia de se perceberem, detentos e animais, em situações semelhantes, talvez seja a oportunidade de trocarem afeto sem serem julgados, ou simplesmente pela bondade que potencialmente há em todos nós – e que os animais podem sempre ajudar a fazer florescer.

FAZENDA4

FAZENDA13

FAZENDA1

FAZENDA9

FAZENDA2

FAZENDA8

FAZENDA3

FAZENDA10

FAZENDA11

FAZENDA12

FAZENDA6

FAZENDA7

Todas as fotos via Upworthy

Jacutinga: Ave exótica do Brasil

https://i2.wp.com/www.pensamentoverde.com.br/wp-content/uploads/2014/04/img13.jpg

A jacutinga (Pipile jacutinga), também chamada jacuapeti, jacupará e peru-do-mato, é uma ave da família dos cracídeos que habita as florestas virgens das regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil . Mede cerca de 75 cm, alimenta-se de frutos e bagas; sendo, até as décadas de 1950 e 1960, relativamente comum nesse habitat. É uma espécie arborícola .

https://i2.wp.com/www.fotosaves.com.ar/Galliformes/A_Yacutinga1_Cataratas_22Sept2015_600.jpg

O desmatamento e a caça predatória reduziram drasticamente as suas populações, sendo, atualmente, uma espécie em via de extinção. Diversos programas de reprodução em cativeiro têm sido bem-sucedidos, com a reintrodução sistemática dessas aves na natureza. Essa ave efetua migrações altitudinais, acompanhando a frutificação de diversas árvores da floresta, principalmente as dos palmiteiros; sendo que a exploração predatória dessa palmeira, cujos frutos são um dos principais alimentos da jacutinga, também tem contribuído para a sua decadência populacional.

https://i1.wp.com/www.ornithos.com.br/wp-content/uploads/2013/11/jacutinga1.jpg

Etimologia

“Jacutinga” se origina da junção dos termos tupis ya’ku (jacu) e tinga (branco) , significando, portanto, “jacu branco”, numa referência às penas brancas no topo da sua cabeça e nas suas asas. “Jacuapeti” se origina da junção dos termos tupis ya’ku (jacu), a’pé (superfície) e tim (branco), significando, portanto, “jacu da superfície branca” . “Peru-do-mato” é uma referência ao peru.

https://alfredojunior.files.wordpress.com/2013/06/jacutinga_03.jpg

https://i2.wp.com/s2.glbimg.com/7_I--wf8hd1Rp0lUFgNj6JLoFeo=/fit-in/940x590/s.glbimg.com/og/rg/f/original/2014/04/14/jacutinga_aburria_jacutinga_rudimar_4.jpg

https://i1.wp.com/www.ornithos.com.br/wp-content/uploads/2013/11/jacutinga1.jpg

https://i2.wp.com/imguol.com/c/noticias/2013/05/29/29mai2013---a-jacutinga-aburria-jacutinga-e-a-maior-ave-da-mata-atlantica-1369871348970_956x500.jpg

https://i2.wp.com/www.pensamentoverde.com.br/wp-content/uploads/2014/04/Depositphotos_33632341_original_mikelane45.jpg

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/6201_1696625270613894_360400835541154796_n.jpg?oh=79687db635621c0d84edbbb990fa668e&oe=57501D70

https://i1.wp.com/imgms.viajeaqui.abril.com.br/2/foto-ampliada-842-m1.jpeg

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/04/2f78c-jacutinga.jpg

https://i.ytimg.com/vi/xZuDDE5-O3A/maxresdefault.jpg

https://i1.wp.com/www.plazahoteis.com.br/caldasimperatriz/files/2015/12/xjacutinga-aburria-jacutinga.jpg.pagespeed.ic.-T25bUZJix.jpg

Ensaio fotográfico de sereia chama a atenção pela magia e delicadeza

Ariel que se cuide! Um fotógrafo de Taiwan (não sabemos porque a página está toda em mandarin!) fez um ensaio magnífico desta mulher dos mares que anda encantando e reascendo dos mares a sua legião de fãs. Vem ver que lindo – e se souber chinês ajuda a gente!

A mitologia grega já dizia que elas são seres metade mulher e metade peixe, que são capazes de atrair e encantar qualquer um que ouvisse o seu canto. Quer história mais sedutora que essa? Agora espere só até ver essas fotos.

Com o nome de Phoenix 0921 no Facebook, essa pessoa maravilhosa (com o perfil completamente escrito em japonês) publicou fotos desse ensaio incrível que a gente decidiu compartilhar com vocês. Dá só uma olhada na pagina da modelo Sofia 0926

sereias1

sereias2

sereias3

sereias4

sereias5

sereias6

sereias7

sereias8

sereias9

sereias10

sereias11

sereias12

sereias13

sereias14

sereias15

sereias16

sereias17

sereias18

sereias19

sereias20

sereias21

sereias22

sereias23

sereias24

sereias25

Todas as fotos © Phoenix 0921