Conheça as “bombinhas” do bem que espalham flores por aí e podem salvar as abelhas

Cada vez mais, nosso planeta precisa de novas áreas verdes. Mais árvores, mais plantações e flores. Pensando nisso, o casal Chris Burley e Ei Ei Khin, após meses de tentativas e erros, criou o incrível projeto Grow the Rainbow (“Cresça o Arco-Íris”), no qual vende as denominadas “Seedles“, bombinhas coloridas, com formato de pequenas bolinhas, que germinam sementes e dão vida a flores e plantas.

As bolinhas são feitas de argila, sementes, três tipos de adubo e um pó não tóxico. Após serem arremessadas no solo, elas crescem sem muitos cuidados, com ajuda da água da chuva. Além disso, não são comidas por insetos e animais, o que garante o seu desenvolvimento. Além de sustentável, a ideia é divertida e as crianças adoram jogá-las por aí.

O principal objetivo do projeto é atrair abelhas para a região da Califórnia, EUA, através da plantação de flores, já que foi constatado que as abelhas estão desaparecendo, em razão de diversos fatores, como uso excessivo de agrotóxicos, mudanças climáticas, proliferação de parasitas, entre outros. As abelhas são seres extremamente importantes para o nosso ecossistema, pois são responsáveis pela polinização de 70% das frutas e vegetais que nos alimentam. Ou seja, sem elas faltará frutas, verduras e legumes para nós!

Um pacote com 20 bombinhas de flores selvagens custa aproximadamente 9 dólares, mas no site do projeto, o casal ensina como produzi-las em casa. Elas podem ser usadas como lembrancinhas em casamento, chá de bebê e aniversário. O importante é espalhar mais flores e atrair mais abelhas para nosso meio ambiente.

As seedballs já tinha sido muito usadas por ativistas americanos na década de 70 como estratégia de reflorestamento, e agora estão sendo usadas também para ajudar a aumentar a quantidade de abelhas no mundo.

Veja o vídeo abaixo sobre o projeto:

bolinhas 

bolinhas 10 

bolinha e horta 09 

bolinhas ervas 

bolinhas 04 

bolinhas pacotes 

bolinhas 06 

As bombinhas são diferenciadas pelas cores: a laranja (orégano),  vermelha (tomilho), branca (cebolinha), azul (menta)  e a verde (salsinha):

bolinhas pacote 01 

bolinha menino 07 

bolinha germinacao 

bolinha menina 08 

10956218_669559019819755_2066940603_n 

flores 

abelha
Todas as fotos © Growtherainbow

Fotógrafo retrata cães abandonados representando emoções humanas

O fotógrafo Martin Usborne já nos tinha deixado emocionados com a série de fotos retratando o silêncio dos cães esperando por seus donos (veja aqui) e agora não fez por menos: um ensaio onde ele cria diferentes retratos de cães abandonados e nos faz pensar sobre a própria condição humana.

Certamente já aconteceu com você – um dia de maior ou menor felicidade em que alguém lhe pergunta: “Como está?”; você responde intuitivamente “Estou bem, obrigado”. Quanto pode estar escondido por trás de uma frase como essa? Martin Usborne, fotógrafo sediado em Londres, viveu essa mesma cena, em um dia de pura depressão. Daí criou a série Nice to Meet You(Prazer em te Conhecer).

Cada retrato é apresentado por detrás de um determinado material, seja um vidro molhado ou uma leve fumaça, e cada imagem tem como título uma frase que usamos no dia-a-dia e que normalmente esconde algo, permitindo interpretações nas entrelinhas. Com isso, Usborne nos quer fazer pensar sobre o não dito e sobre um lado mais instintivo da nossa natureza. Por isso usa animais, que apesar de não usarem palavras, têm uma incrível capacidade pra comunicar.

Todos os cães foram abandonados e nenhum é treinado, o que faz com que frequentemente se tornem agressivos. Um deles é um lobo. Usborne garante que todos eles foram bem tratados e protegidos no processo das fotos.

NicetoMeetYou1

I Also Work At The Bank (Eu também trabalho no banco)

NicetoMeetYou2

I Love You (Eu Te Amo)

NicetoMeetYou3

You Look Great (Você Está Ótimo)

NicetoMeetYou4

Well Done (Bem Feito)

NicetoMeetYou5

It Was a Long Time Ago (Isso foi há muito tempo atrás)

NicetoMeetYou6

It’s Ok (Tudo Bem)

NicetoMeetYou7

I Agree (Eu Concordo)

Apesar da reflexão sobre a natureza humana, a série é também sobre as dores e necessidades ocultas dos animais, muitas vezes silenciadas pelos humanos.

todas as imagens @ Martin Usborne

Cisne abraça homem que o resgatou, se enrolando em torno de seu pescoço

Cisnes não são animais particularmente afetuosos – pelo menos com seres humanos. Quem já passeou perto de um lago cheio dessas aves aquáticas sabe que elas não costumam se aproximar.
Cisnes são territoriais e podem inclusive ser muito intimidantes. Razão pela qual o momento em que um desses animais, ferido, abraçou Richard Wiese, o apresentador do programa de televisão “Born to Explore” do canal ABC, foi tão tocante.
Alguns anos atrás, Wiese visitou o Abbotsbury Swannery, uma colônia de cisnes do Reino Unido, quando se deparou com um cisne que tinha se ferido após voar por uma cerca de arame. Wiese ajudou a examinar o animal, segurando-o.
“Quando o coloquei perto de mim, eu podia sentir seu coração batendo e ele relaxou seu pescoço e o envolveu em torno do meu”, disse Wiese à ABC News. “É um momento maravilhoso, quando um animal confia em você totalmente”.
cisne abraca homem que o ajuda (1) 
cisne abraca homem que o ajuda (2) 
cisne abraca homem que o ajuda (3) 
cisne abraca homem que o ajuda (4) 
cisne abraca homem que o ajuda (5)
[via]

Projeto de jornalismo social usa zines para empoderar crianças em situação vulnerável

https://i0.wp.com/www.hypeness.com.br/wp-content/uploads/2016/03/zinester-DEST.gif

Ensinar a crianças a importância de sua história e como contá-la pode ser transformador. Um fotógrafo e um jornalista resolveram disseminar essa ideia começando por jovens da comunidade de Kibera, em Nairobi, Quênia. “As crianças que conhecemos não se comportam como vítimas. E sim como crianças”.

Se você está lendo isso aqui saiba que é livre para escrever o que quiser no campo de comentários abaixo. Você provavelmente está online, tem acesso a internet. Tem voz. Tem conexão. Agora imagine quem não tem.

Zinester é um projeto é estruturado em um workshop de 6 semanas, onde os pequenos têm aulas de fotografia e jornalismo. E como tarefa final, a produção de um zine.

“Nós ajudamos jovens grupos marginalizados a desenvolver um pensamento crítico sobre aquilo que é importante para eles, promovendo confiança e as habilidades necessárias para criar uma narrativa visual no formato de zine”, eles descrevem o trabalho no site.

Harrison Thane e Tom Grass, os fundadores do projeto, contam que apesar do caos e do estresse presentes na rotina dessa comunidade, as crianças se apresentam como confiantes e esperançosas em relação ao seus futuros.

“Começamos pedindo histórias. No começo elas são sempre tradicionais e não deixam de ser interessantes. Mas é na hora que pedimos histórias verdadeiras que o jogo muda. De repente eles percebem que podem dizer o que querem”.

zinester1

As crianças que eles ajudam não estão conectadas, mas ainda assim têm voz. Incentivar esse tipo de comportamento é um tanto quanto maravilhoso, não?!

zinester8

zinester10

zinester11

12074791_956954157710280_3916569192984876409_n

zinester14

zinester13 zinester12

zinester9

zinester7

zinester6

zinester5

zinester4

zinester2

zinester15

zinester16

zinester

 

Fotos: divulgação

Cisne abraça homem que o resgatou, se enrolando em torno de seu pescoço

Cisnes não são animais particularmente afetuosos – pelo menos com seres humanos. Quem já passeou perto de um lago cheio dessas aves aquáticas sabe que elas não costumam se aproximar.

Cisnes são territoriais e podem inclusive ser muito intimidantes. Razão pela qual o momento em que um desses animais, ferido, abraçou Richard Wiese, o apresentador do programa de televisão “Born to Explore” do canal ABC, foi tão tocante.

Alguns anos atrás, Wiese visitou o Abbotsbury Swannery, uma colônia de cisnes do Reino Unido, quando se deparou com um cisne que tinha se ferido após voar por uma cerca de arame. Wiese ajudou a examinar o animal, segurando-o.

“Quando o coloquei perto de mim, eu podia sentir seu coração batendo e ele relaxou seu pescoço e o envolveu em torno do meu”, disse Wiese à ABC News. “É um momento maravilhoso, quando um animal confia em você totalmente”.

cisne abraca homem que o ajuda (1)

cisne abraca homem que o ajuda (2)

cisne abraca homem que o ajuda (3)

cisne abraca homem que o ajuda (4)

cisne abraca homem que o ajuda (5)

[via]

Noiva que foi deixada no altar reage da melhor forma com ensaio fotográfico inspirador

https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/13062156_1231379060220742_6106469169205162779_n.jpg?oh=e95568786b501f7b9b8aab7c74bf9ceb&oe=57ABAE11&__gda__=1471409019_ddb0dd99da2f415cceb2ea8724030850

Decidir a data. Escolher a igreja. Escolher o lugar da festa. Convidar todo mundo. Comprar o vestido, escolher as flores e o cardápio, contratar a banda e o fotógrafo. Tudo isso foi por água abaixo quando o noivo de Shelby Swink decidiu, a uma semana do grande dia, que não queria mais casar.

Quer dizer, quase tudo isso. Mesmo com toda a decepção com o fim de um relacionamento que se preparava para dar um belo passo adiante, a noiva decidiu aproveitar a sessão com o fotógrafo para juntar a família e as amigas mais próximas e lavar a alma.

ShelbyNonWedding6

Deixando a tristeza de lado e considerando que as pessoas que a amam estavam dispostas a fazer o possível para reconfortá-la, Shelby acatou a ideia de uma das madrinhas: fazer uma sessão de fotos destruindo o vestido de forma divertida, simbolizando o que tinha acontecido.

A noiva, seus pais e as madrinhas se reuniram, compraram um monte de tinta colorida e fizeram um ritual para espantar a negatividade. Nas palavras de Shelby, “eu não poderia deixar o erro do meu ex-noivo atrapalhar minha felicidade”.

E não deixou mesmo! Olha só essas fotos:

ShelbyNonWedding2

“O momento em que a tinta cai no meu vestido… Eu me senti livre. Toda a decepção, a dor… Eu senti que desapareceu”, disse Shelby.

 

ShelbyNonWedding3

ShelbyNonWedding4

“Nunca se esqueça de se manter verdadeiro e acreditar na sua própria força e você conseguirá superar qualquer coisa que a vida te coloque na frente.”

ShelbyNonWedding5

ShelbyNonWedding1

ShelbyNonWedding7

ShelbyNonWedding8

Os pais foram também um grande apoio nesse momento: “Ambos me apoiaram a 100% e quiseram estar lá para mim.”

ShelbyNonWedding9

ShelbyNonWedding10

ShelbyNonWedding11

ShelbyNonWedding12

Se Shelby tivesse que dizer algo para o ex-noivo, seria: “Obrigado por me ter poupado a uma dor e perda maiores lá na frente. Obrigado por me fazer ver minha própria força.”

ShelbyNonWedding14

ShelbyNonWedding16

ShelbyNonWedding17

“…Obrigado por me ensinar que NINGUÉM pode roubar minha felicidade. Obrigado por me deixar ir, para que eu um dia possa sentir o amor verdadeiramente recíproco. OBRIGADO!”

ShelbyNonWedding18

Algum tempo mais tarde, o vestido esteve exposto na The Barefoot Bridein Memphis, onde, por cada vez que alguém compra um vestido, parte do dinheiro vai para uma ONG local chamada Be Free Revolution (Revolução da Liberdade, em tradução livre).

ShelbyNonWedding13

ShelbyNonWedding15

Todas as fotos © Elizabeth Hoard