Professor no Afeganistão pedala km’s para levar livros a vilas remotas onde não existem escolas

Saber Hosseini, um professor de Bamiyan, no Afeganistão, transformou sua bicicleta em uma biblioteca itinerante, dando inicio ao projeto “Children’s Book Foundation”. Todo fim de semana, ele carrega sua bike com livros e os leva até vilarejos remotos, onde não existem escolas, dando assim oportunidade as crianças locais de terem acesso a livros e educação.
Hosseini conta que a ideia surgiu há seis meses, quando conversou sobre o projeto com alguns amigos. Estes, gostaram da iniciativa, e fizeram algumas doações para ajudar o professor a comprar os primeiros livros. No início, a biblioteca contava com 200 exemplares. Hoje, com a ajuda de mais doadores, a coleção já conta com mais de 6 mil livros.
13006631_767360036734981_8795416273564520027_n
“Nós usamos a bicicleta por várias razões: primeiro, porque não temos dinheiro suficiente para comprar carros. Segundo, porque algumas aldeias são acessíveis apenas por bicicleta ou moto. E, por último, porque o Taliban tem, por vezes, utilizado bicicletas em seus ataques a bomba. Então a mensagem que quero transmitir é que podemos substituir a violência pela cultura.”, conta o professor.
12998619_768728456598139_3706139145386491092_n
O projeto funciona parecido com uma biblioteca. Toda semana, novos livros chegam as comunidades, e os antigos são recolhidos, sendo levados para crianças de outros vilarejos.
“A maioria destas crianças tem idade para estar no terceiro ou quarto ano, mas a verdade é que eles não sabem nem ler ou escrever. Isso não deveria acontecer”, disse Hosseini.
13010612_769224829881835_6449067766225832130_n 
13000198_768199816651003_1928178032366541152_n
Sempre que chega aos vilarejos, o professor tenta conversar com as crianças sobre vários assuntos. Certa vez, Hosseini conta que conversou sobre armas, falando que elas deveriam dizer não as armas e sim aos livros. Na semana seguinte, quando retornou ao local, recebeu armas de plástico de todas as crianças do vilarejo, que se reuniram para entregá-las para ele sob uma condição: na outra semana gostariam de ser a primeira parada do projeto, para que pudessem assim escolher os exemplares com mais variedade. “Foi o momento mais alegre da minha vida!”, afirmou o professor.
13051530_769224913215160_1743556726728450083_n 
13051511_767360133401638_3491381707007048277_n 
943786_767304140073904_8198442022959680428_n 
12998619_768728456598139_3706139145386491092_n 
13076652_768728479931470_1162447582770210627_n
O projeto, que já tem uma biblioteca física e mais cinco em construção, agora conta com um financiamento coletivo para arrecadar fundos para mais e mais livros. A cada $1 recebido, até dois livros podem ser comprados. Um valor tão insignificativo para nós, mas que pode ajudar a mudar a vida de uma criança!
Todas as fotos © Children’s Book Foundation

Marido registra a batalha de sua mulher contra o câncer em fotos emocionantes

“É ela” – é assim que  Angelo Merendino descreve a sensação que teve ao conhecer Jennifer, a mesma que seu pai teve quando conheceu a sua mãe. Eles então casaram, mas apenas 5 meses depois ela descobriu estar com câncer de mama, e de súbito falou: “Nós estamos juntos, vai ficar tudo bem“.

Ângelo resolveu registrar a luta de sua esposa durante os 5 anos que ela bravamente enfrentou a doença, no site “A luta da minha esposa com câncer de mama” (“My wife with breast cancer”).  Seu objetivo foi fazer com que as pessoas conhecessem mais sobre a doença, fizessem um exercício de empatia e, mais do que tudo, ele queria mostrar que o apoio e a vontade de viver do paciente é fundamental.

Se valeu a pena? E ele afirma que não trocaria os 5 anos que viveu com ela por nada no mundo.

UPDATE: Em homenagem a sua mulher, Angelo criou a organização The Love You Share, para ajudar mulheres que passam pelo mesmo problema.

Veja as fotos:

Squarespace (1 of 30)

Jen blurry

Squarespace (4 of 30)

Squarespace (5 of 30)

Squarespace (5 of 30)a

Squarespace (6 of 30)

Squarespace (7 of 30)

5-13-2011 Jen waiting to get chemo after 2 weeks in hospital

A passerby stares as Jen hails a cab.

Squarespace (8 of 30)

After a summer walk, Jen sits in the window and paints her nails.

10-9-2011 Man looking at Jen

6-19-2011 Jen walking old lady covering her eyes to see

Beth reaching for Jens hand

Squarespace (15 of 30)

Squarespace (16 of 30)

Jen floating in the ocean

7-26-2011 Jen rinsing off with cane in Topsail

Squarespace (19 of 30)

10-19-2011 Jen on the corner

Jen in pain Urgent Care

10-26-2011 Jen with radiation mask

Methadone side effects

Squarespace (23 of 30)

11-22-2011 Jen's eyelashes

Squarespace (24 of 30)

Squarespace (25 of 30)

12122011 Suppot group

Fr Duffell praying

Laurie V and Gabby looking at Jen

12-17-2011 F/Stop guarding Jen

Squarespace (29 of 30)a

Empty bed

12-29-2011 Following the hearse to Jen's burial

Squarespace (29 of 30)d

Todas as fotos © Angelo Merendino

Fotógrafo clica casais embalados a vácuo para mostrar como o amor nos faz inteiros

Olha, não sabemos vocês, queridos leitores, mas quando chovia durante as férias na praia e só a parabólica pegava na televisão, eram muitas as horas que a geração dos anos 1990 passou vendo Polishop. E quem nunca pensou em embalar o irmão caçula no vácuo?! Esse fotógrafo foi além e fez um ensaio de pessoas – sim – embaladas a vácuo!

Experiências pessoais à parte, o fotógrafo japonês Hal (Haruhiko Kawaguchi) já ganhou até leão em Cannes, e não esconde sua fofura, poesia e profundidade. Ele acredita que no começo de um relacionamento, os amantes são fundidos uns aos outros e depois, de alguma forma, são dilacerados em pedaços. E é por essa razão que ele sugere que nós gastamos o nosso tempo na Terra buscando nossa cara-metade para que, finalmente, possamos nos fazer inteiros mais uma vez.

Além disso, a absorção do ar a fim do vácuo remete a imortalidade. U-AU!

casalavacuo12

Hal já conquistou nosso coração, agora deixe ele conquistar também nossos outros sentidos com esse ensaio de cair o queixo batizado de Flesh Love (tipo, amor carnal), que, aliás, ganhou o prêmio Sony de Fotografia deste ano por fazer essas imagens que você abaixo de casais em seus lugares preferidos (a vácuo, lógico).

Aceitemos: fotografar casais embalados a vácuo é muito mais legal que embalar o irmãozinho. E sim, isto é arte – e é incrível!

casalavacuo11

casalavacuo10

casalavacuo9

casalavacuo8

casalavacuo7

casalavacuo6

casalavacuo5

casalavacuo4

casalavacuo3

casalavacuo2

casalavacuo1

Confira o vídeo e saiba que existem detalhes como o tempo de cada clique – não pode passar dos 20 segundos por conta da falta de oxigênio. E os modelos recebem uma boa dose de lubrificante para que o plástico não cause queimaduras na pele. Um trabalho orquestrado! 

 
Todas as fotos © Haruhiko Kawaguchi

Fotógrafo que tem medo de altura faz sucesso com registros inspiradores de montanhas pelo mundo

O polonês Jakub Polomski faz duas confissões extraordinárias quando colocadas juntas na mesma frase. Ele ama fotografar montanhas, mas morre de medo de altura! Ele conta que fica até um pouco envergonhado de anunciar uma coisas dessas. Agora se o resultado é bom? É só vendo para crer!

“Pelo medo de altura, já perdi cenários belíssimos para as minhas fotos. E aceito conselhos para acabar com ele“, disse via Bored Panda.

Agora olha só as fotos básicas. Imagina do alto!

Alpes, França

france014-57051226593be__880

france040-2-5705123266e20__880

france023-5705122f84680__880

france022-5705122cd1128__880

france021-57051229692d8__880

france051-570512357aec7__880

france006-5705122373dfa__880

france005-5705122008ae1__880

El Chalten, Andes, Argentina

chalten003-57051211d8598__880

chalten023-5705121d387fd__880

chalten020-5705121a7cc6d__880

chalten017-5705121767970__880

chalten013-57051214716d7__880

Alpes, Suíça

switzerland050-5705127599aea__880

switzerland047-57051272e24c1__880

switzerland033-5705126b648e6__880

switzerland013-570512632e3f0__880

switzerland005-5705125e3f472__880

Islândia

iceland114-5705123daf90f__880

iceland100-5705123ab0ec8__880

iceland066-5705123813467__880

Dolomitas, Itália

italy004-57051241e9566__880

Lofoten, Noruega

norway034-5705124f28452__880

norway007-5705124b36dac__880

Cárpatos, Eslováquia e Polônia

tatra023-57051278a2ab2__880

tatra026-5705127bea02a__880

shire037-5705125b0788f__880

Alpes, Austrália

austria018-5705120e5e4b5__880

austria004-5705120b4f9d9__880

Torres del Paine, Andes, Chile

torresdelpaine040-5705128d7ffe5__880

torresdelpaine023-2-57051289d7299__880

torresdelpaine013-57051286df8ef__880

torresdelpaine005-57051283415cc__880

Todas as fotos © Jakub Polomski

Professor no Afeganistão pedala km’s para levar livros a vilas remotas onde não existem escolas

Saber Hosseini, um professor de Bamiyan, no Afeganistão, transformou sua bicicleta em uma biblioteca itinerante, dando inicio ao projeto “Children’s Book Foundation”. Todo fim de semana, ele carrega sua bike com livros e os leva até vilarejos remotos, onde não existem escolas, dando assim oportunidade as crianças locais de terem acesso a livros e educação.

Hosseini conta que a ideia surgiu há seis meses, quando conversou sobre o projeto com alguns amigos. Estes, gostaram da iniciativa, e fizeram algumas doações para ajudar o professor a comprar os primeiros livros. No início, a biblioteca contava com 200 exemplares. Hoje, com a ajuda de mais doadores, a coleção já conta com mais de 6 mil livros.

13006631_767360036734981_8795416273564520027_n

“Nós usamos a bicicleta por várias razões: primeiro, porque não temos dinheiro suficiente para comprar carros. Segundo, porque algumas aldeias são acessíveis apenas por bicicleta ou moto. E, por último, porque o Taliban tem, por vezes, utilizado bicicletas em seus ataques a bomba. Então a mensagem que quero transmitir é que podemos substituir a violência pela cultura.”, conta o professor.

12998619_768728456598139_3706139145386491092_n

O projeto funciona parecido com uma biblioteca. Toda semana, novos livros chegam as comunidades, e os antigos são recolhidos, sendo levados para crianças de outros vilarejos.

“A maioria destas crianças tem idade para estar no terceiro ou quarto ano, mas a verdade é que eles não sabem nem ler ou escrever. Isso não deveria acontecer”, disse Hosseini.

13010612_769224829881835_6449067766225832130_n

13000198_768199816651003_1928178032366541152_n

Sempre que chega aos vilarejos, o professor tenta conversar com as crianças sobre vários assuntos. Certa vez, Hosseini conta que conversou sobre armas, falando que elas deveriam dizer não as armas e sim aos livros. Na semana seguinte, quando retornou ao local, recebeu armas de plástico de todas as crianças do vilarejo, que se reuniram para entregá-las para ele sob uma condição: na outra semana gostariam de ser a primeira parada do projeto, para que pudessem assim escolher os exemplares com mais variedade. “Foi o momento mais alegre da minha vida!”, afirmou o professor.

13051530_769224913215160_1743556726728450083_n

13051511_767360133401638_3491381707007048277_n

943786_767304140073904_8198442022959680428_n

12998619_768728456598139_3706139145386491092_n

13076652_768728479931470_1162447582770210627_n

O projeto, que já tem uma biblioteca física e mais cinco em construção, agora conta com um financiamento coletivo para arrecadar fundos para mais e mais livros. A cada $1 recebido, até dois livros podem ser comprados. Um valor tão insignificativo para nós, mas que pode ajudar a mudar a vida de uma criança!

Todas as fotos © Children’s Book Foundation

Conheça a vila italiana sem conexão que foi transformada em “internet da vida real”

Civitacampomarano é uma pequena vila na província de Campobasso, na Itália, com apenas 44 habitantes, em sua maioria idosos. Nesta vila, cheia de tradições, a internet ainda é um mundo desconhecido. Celulares dificilmente pegam e a conexão praticamente não existe. E  uma ideia provocativa surgiu para levantar a discussão das nossas necessidades virtuais.

A ideia da intervenção assinada pelo artista italiano Biancoshock é mostrar que o que a rede proporciona, considerado pela maioria necessário e essência para a vida, ainda existe naquele lugar, mas de outra forma.

Olha só:

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.12.14

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.12.23

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.11.55

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.12.06

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.11.32

Screen-Shot-2016-05-02-at-1.11.45

5-5721c0e536fe4__880

7-5721c0ef87126__880

4-5721c0e099da6__880

2-5721c0d72c7f8__880

14-5721c10d6f0ba__880

12-5721c10368be5__880

Todas as fotos © Biancoshock

Essas 10 aldeias são reais, mas parecem saídas de contos de fadas

Você com certeza já teve aqueles dias em que gostaria de se desligar do mundo real e pular direto para um conto de fadas, não é mesmo? Se você se identificou, vai ficar feliz em saber que isso é possível em alguns lugares do mundo! Separamos algumas vilas adoráveis ao redor do mundo que vão fazer o seu coração bater mais forte!

Elas até podem parecer de mentira, mas a gente garante que é tudo real! Então, a próxima vez que você estiver pensando eu escapar da rotina e se teletransportar para um pequeno paraíso, confira a lista abaixo e adicione uma parada a sua próxima viagem.

1. Bibury, UK

fairy-tale-villages-6-57221a58ef24e__880

2. Rothenburg, Alemanha

Fairy-tale-villages-57234b0d21e0b__880

3. Bagnone, Itália

fairy-tale-villages-15-57221a703577c__880

4. Manarola, Itália

vila-italia

5. Gokayama, Japão

fairy-tale-villages-1-57221a49ad4af__880

6. Hamnoy, Noruega

fairy-tale-villages-13-57221a6aa30ff__880

7. Vila abandonada de pescadores em Shengsi, China

fairy-tale-villages-5-2

8. Renndølsetra, Noruega

fairy-tale-villages-4-57221a513b67c__880

9. Monemvasia, Grécia

Fairy-tale-villages-57234b6bada4a__880

10. Shirakawa, Japão

fairy-tale-villages-14-57221a6ce1553__880

Fotos: via Bored Panda