Fotos de animais ameaçados de extinção – parte 1

 Sapo-dourado: ameaçado

A perda de habitat de milhares de espécies é o efeito mais dramático do desmatamento. Com a derrubada das árvores a águia-das-Filipinas perde locais para construção de ninhos e o mico-leão-dourado fica restrito a ilhas de florestas entre os campos que foram abertos.

A maior parte desse desmatamento no Brasil é causado por queimadas, que liberam gás carbônico (CO2) e contribuem para o efeito estufa. Esse efeito é mais claro nos polos, onde o urso-polar tem menos tempo para caçar focas no gelo marítimo e acabada tendo que nadar grandes distâncias em busca de alimento. Mas o aquecimento global também é sentido nos trópicos pelo sapo-dourado, que é sensível ao aumento na temperatura.

A população mundial está crescendo, hoje somos mais de 7 bilhões, e as cidades seguem diminuindo cada vez mais o espaço dos animais. A proximidade com os seres humanos traz problemas para grandes predadores, como o leopardo-de-Amur. O tigre-siberiano sofre com a demanda por partes do felino utilizada na medicina chinesa.

O tráfico de animais também é motivo de baixas consideráveis. Segundo a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (RENCTAS), a cada dez animais retirados da natureza só um sobrevive. Existem mais arara-azuis em cativeiro do que na natureza e a ararinha-azul possivelmente já está extinta de seu habitat natural.

O caso mais extremo é o do Solitário George, o animal mais raro do mundo. A tartaruga-gigante era a última sobrevivente da Ilha de Pinta (Galápagos). A morte de George no dia 24 de junho de 2012 marcou a extição da espécie.

Reservas e projetos de conservação lutam para a preservação de animais ameaçados, mas o investimento em recursos renováveis, como energia solar por exemplo, ajudaria a salvar essas espécies que têm direito à vida tanto quanto nós.

A lista vermelha das espécies ameaçadas é elaborada pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês). Através de pesquisas científicas para determinar o risco de extinção de taxons em geral, a lista se tornou referência mundial para a consulta do status de uma espécie.

As categorias criticamente ameaçado, ameaçado e vulnerável levam em conta a diminuição da população nos últimos 10 anos, diminuição da área de ocorrência, diminuição da área de ocupação, população estimada de indivíduos adultos e probabilidade de extinção na natureza.Confira as categorias e os critérios da lista vermelha das espécies ameaçadas da IUCN.

 Panda-vermelho: vulnerável

Animal símbolo do navegador para internet Firefox, o panda-vermelho (Ailurus fulgens) habita florestas de bambu, seu principal alimento. O desmatamento, a proximidade com os seres-humanos e a caça ilegal são ameaças antigas. Mas, o crescimento do turismo em algumas regiões vem aumentando ainda mais a pressão sobre a espécie. O número crescente de pessoas causa uma demanda maior por lenha, para esquentar os hotéis e preparar as refeições, aumentando o desmatamento e diminuindo o habitat do panda-vermelho.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável

 Sapo-dourado: ameaçado

Anfíbios têm um papel vital no ecossistema. Sensíveis às mudanças climáticas são indicadores da saúde do ambiente e funcionam como “farmácias ambulantes”, usados na pesquisa de novos medicamentos. O sapo-dourado (Phyllobates terribilis) é um dos animais mais venenosos da Terra, um único indivíduo possui veneno suficiente para matar 10 homens adultos. Tribos indígenas colocavam o veneno desse animal em suas flechas para caçar animais de grande porte. Cientistas isolaram um dos componentes do veneno que tem o potencial de se tornar um poderoso analgésico.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie ameaçada

 Maria-leque-do-sudeste: vulnerável

A Mata Atlântica é o bioma mais ameaçado do Brasil. O desmatamento dizimou a floresta, que hoje mantém um pouco mais de 7% da sua cobertura original. Ainda assim possui uma alta biodiversidade. São mais de mil espécies de aves, sendo que muitas são endêmicas, ou seja, só existem ali. Amaria-leque-do-sudeste só é encontrada na Mata Atlântica(Onychorhynchus swainsoni) e sofre com a fragmentação da floresta.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Lêmure-preto-e-branco: criticamente ameaçado

O lêmure-preto-e-branco (Varecia variegata) paga um preço alto por seus hábitos. Animais diurnos e de grande porte, são os animais mais caçados em Madagascar. Para agravar a situação, são muito seletivos em relação aos frutos que usam na alimentação e, por isso, ficam vulneráveis a qualquer alteração em seu habitat.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie criticamente ameaçada.

 Tigre-siberiano: ameaçado

Os tigres eram encontrados em grande parte da Ásia. Habitavam lugares tão diversificados (florestas tropicais, pântanos e savanas) que acabaram evoluindo em populações regionais com padrões e tamanhos distintos, a ponto de serem classificadas em subespécies diferentes, incluindo o tigre-siberiano (Panthera tigris altaica). Hoje, a maioria está extinta. A perda de habitat, a caça de suas presas e o mercado negro chinês – que vende partes do corpo do felino para fazer remédios – estão dizimando um dos predadores mais formidáveis do planeta. A estimativa é que existam apenas 2 500 tigres na naturezaStatus na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie ameaçada.

 Elefante-africano: vulnerável

De densas florestas até os desertos mais secos, de montanhas elevadas até as areias das praias. O elefante-africano (Loxodonta africana) é encontrado em 37 países diferentes na África. Porém, isso não significa que se encontra em boas condições. A perda e a fragmentação do habitat e os caçadores, que procuram o marfim para vender no mercado negro, são ameaças constantes ao maior animal terrestre do planeta. No entanto, as reservas e os parques nacionais oferecem refúgios para esses animais, e a população segue aumentando.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 

 Gorila-das-montanhas: ameaçado

Décadas de guerra civil, destruição do hábitat, extração de madeira, caça ilegal, criação de gado… motivos não faltam para a redução da população degorilas-das-montanhas (Gorilla beringei) para aproximadamente 680 indivíduos. Hoje, a maioria desses animais se encontra em áreas protegidas, onde ONGs internacionais apoiam programas de reabilitação e conservação.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie ameaçada.

 Solitário George: extinto

As tartarugas-gigantes prosperavam em Galápagos, mas a caça por sua carne e a introdução de animais domésticos acabaram por dizimar sua população. Essa é a história do Solitário George (Chelonoidis (nigra) abingdonii), o último sobrevivente da Ilha de Pinta, considerado o animal mais raro do mundo. Ele é um símbolo da luta pela conservação e morreu no dia 24 de junho de 2012, no Centro de Criação e Reprodução de Tartarugas Gigantes de Puerto Ayora. O Parque Nacional Galápagos e o Centro de Pesquisas Charles Darwin seguem lutando para que o legado de George sirva de incentivo para a conservação das demais espécies de tartarugas-gigantes de Galápagos.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie extinta.

 Urso-panda: ameaçado

Confinado a pequenas florestas de bambu no centro-sul da China, o urso-panda (Ailuropoda melanoleuca) corre sérios riscos de extinção. O bambu floresce em um intervalos que podem variar de 15 a 120 anos. Quando esse evento ocorre, todas as plantas de uma mesma floresta produzem as sementes e morrem. Os pandas devem procurar novos fragmentos de bambu. Com a fragmentação do habitat, fica cada vez mais difícil para a espécie achar um lugar para se alimentar. As melhores estimativas indicam uma população entre 1 000 e 2 000 indivíduos. É um dos mamíferos mais ameaçados do planeta e virou um símbolo da luta pela conservação das espécies.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie ameaçada.

 Leopardo-de-Amur: criticamente ameaçado

Menos de 40. Esse é o número estimado da população do leopardo-de-Amur (Panthera pardus orientalis), o felino mais raro do mundo. Desmatamento, proximidade com a civilização, caça e aquecimento global colocam o futuro desse grande predador em perigo.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie criticamente ameaçada.

 Tartaruga-de-couro: criticamente ameaçada

A coleta de ovos é a principal ameaça à tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Em alguns lugares da Malásia cerca de 95% dos ovos são coletados por caçadores. Embora projetos de conservação protejam ovos e mães de caçadores ilegais, a pesca acidental e o comércio legal de sua carne e óleo em alguns países mantém a espécie em risco de extinção .Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Guepardo: vulnerável

O guepardo (Acinonyx jubatus) é o mamífero terrestre mais rápido do planeta e tem uma alta taxa de sucesso na captura de presas. Esse fato não é visto com bons olhos pelos fazendeiros, que frequentemente matam os animais para proteger seus rebanhos. A competição com outras espécies também são ameaças ao felino. Em algumas áreas a mortalidade de filhotes chega a 95%, a maioria por causada por leões .Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Mico-leão-dourado: ameaçado

No passado, as grandes ameaças ao mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) eram o desmatamento, a fragmentação do habitat e o tráfico de animais silvestres. Porém, programas de restauração do habitat e de reprodução em cativeiro deram um novo fôlego à espécie, que conseguiu se adaptar bem em florestas degradadas e matas secundárias. Hoje, a população de aproximadamente mil indivíduos se mantém estável, mas é fragmentada em pequenas manchas de Mata Atlântica, e há pouca possibilidade de crescer .Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie ameaçada.

 Arara-azul: ameaçado

A maior arara do mundo está ameaçada de extinção. A arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus) sofre com o desmatamento, a falta de cavidades para reprodução, com a coleta de ovos e de filhotes para tráfico e com a caça para a fabricação de artefatos para serem vendidos aos turistas. Porém, graças aos esforços do Projeto Arara Azul, a população da espécie segue aumentando.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Iguana-marinha: vulnerável

O ser humano não é o único responsável pelo declínio na população de uma espécie. A iguana-marinha (Amblyrhynchus cristatus venustissimus), o único lagarto marinho do mundo, é encontrada somente no arquipélago de Galápagos e sofre com as flutuações climáticas trazidas pelo El Niño. A maioria da população está em áreas protegidas e seus números permanecem estáveis.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Raia-manta (Manta birostris)

Quem observa a raia-manta (Manta birostris) nadando pacificamente pelo mar, batendo as nadadeiras como se estivessem planando no ar, não imagina que esses animais são capazes de dar saltos espetaculares. O crescimento do turismo sustentável aumenta o valor econômico da espécie em relação à pesca predatória.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Ararinha-azul Criticamente Ameaçada (possivelmente extinta na natureza)

A última ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) avistada na natureza foi no ano 2000. O tráfico de animais e a perda de habitat podem ter levado essa espécie à extinção. Atualmente é encontrada em zoológicos e coleções particulares espalhados pelo mundo, mas existe uma pequena possibilidade de que existam populações em áreas ainda não estudadas na Caatinga. Hoje, programas de reprodução em cativeiro e reintrodução da espécie ao habitat natural tentam salvar a ararinha-azul da extinção.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): Espécie Criticamente Ameaçada (possivelmente extinta na natureza).

 Surucucu: vulnerável

A surucucu (Lachesis muta) é a maior serpente peçonhenta das Américas, podendo atingir 4,5 metros de comprimento. O padrão marrom amarelado cortado por diamantes negros é uma excelente camuflagem para essa cobra, que fica no chão da floresta onde há folhas secas iluminadas por pequenos fachos de luz douradas. É uma cobra muito temida e, com o desmatamento, encontros com pessoas se tornam cada vez mais frequentes, levando à morte do animal.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Urso Polar: ameaçado

Durante o inverno o urso-polar (Ursus maritimus) caça focas. Esperam pacientemente, próximos aos respiradouros. Quando a foca emerge para pegar fôlego acaba dando seu último suspiro. A mudança climática global vem afetando esses predadores de forma preocupante. O aumento na temperatura causa o derretimento acelerado da camada de gelo marítimo, fazendo com que os ursos tenham menos tempo para caçar. Hoje, o urso-polar está ameaçado e se tornou o grande símbolo na luta dos conservacionistas contra o aquecimento global.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável.

 Pombo-coroado: vulnerável

O pombo-coroado (Goura victoria) era considerado vulnerável até 2012 porque era visado pelos caçadores por sua carne e, em menor escala, suas penas. Filhotes eram retirados do ninho para criação em cativeiro e para serem vendidos no mercado negro. Hoje a caça não é mais uma ameaça a espécie foi elevada à categoria quase ameaçada. Porém, o desmatamento continua sendo um perigo.Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): quase ameaçada.via

Anúncios

PRÊMIO DARDOS

Prêmio Dardos é uma espécie de selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de “El Pequeño Dardo” El Sentido de las Palabras. Ele selecionou e indicou o selo a quinze blogs que ele considerou merecedores do prêmio, os quais também indicaram outros 15 e assim sucessivamente, criando uma imensa corrente na internet.

O objetivo do Prêmio Dardos é reconhecer os esforços de blogueiros, a cada dia, para transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais etc., manifestando a criatividade através de seus pensamentos presentes em suas palavras e textos.

Regras do Prêmio Dardos
Indicar os blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio.Exibir a imagem do selo.Mencionar o blog de que recebeu a indicação e pôr o link dele.Avisar aos blogs escolhidos.

Obrigada a minha turminha aqui no blog que me enviaram esse prêmio e pela sexta vez eu ganho ela lol estou muito feliz e claro as meninas que mandaram mereceram sim o prêmio pelo seus lindos blog sensacionais :/  Vício Lícito / Cores de Ciclâmen A dama aprendiz  /.

Agora irei indicar alguns blogueiros para ganhar esse prêmio.

O Ponto Afinal 
Thaalia Reenata 
Benn Wederwill 
coisasdadeablog.com  
Rancho do Peregrino 
Cacheados, crespos e cia
Thomas Sparrow
Aromatic Essence
Patriamarga 
Blog da Káh 
Sorrir para encantar

 

Imagens emocionantes registram o dia em que crianças e jovens são adotados

Em 2008, um jovem norte-americano descobriu que seu primo de 9 anos estava morando em um carro. Ele e seus colegas de faculdade decidiram fazer alguma coisa pelas crianças que precisavam de adoção, mas não conseguiam participar de nenhuma instituição por terem menos de 21 anos. Então decidiram criar uma.

Nasceu assim a Together We Rise, que oferece materiais escolares, bicicletas, programas educacionais e até bolsas de estudo para as crianças nos orfanatos. Eles também formam voluntários para trabalhar com as crianças e informam os interessados sobre o processo de adoção.

“Vemos muitas notícias negativas sobre os orfanatos, e achamos que é necessário destacar as adoções maravilhosas que acontecem todos os dias”, conta Gianna Dahlia, diretora da TWR. Por isso eles publicam fotografias das crianças e adolescentes no dia em que eles se preparam para mudar para um novo lar.

Olha que lindeza:

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-53-572076c95afeb__700 “Fiquei no orfanato por 2456 dias, mas hoje, 3/dez/2015, fui adotado”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-52-572076c754dc1__700 “Algumas coisas valem a pena a espera. Adoção ❤ – Jackson 10/12/15”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-51-572076c491f57__700 “Eu passei 471 dias no orfanato. Hoje, 10/nov/2015, fui adotada!”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-42-572076ad73227__700 “Passei 1040 dias no orfanato, mas hoje eu fui adotada! 4/nov/2015”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-39-572076a477a3f__700 “Passei 5330 dias no orfanato. Já tinha perdido toda a esperança, mas hoje, 07/10/15, fui adotada e virei uma Koehler para sempre”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-38-572076a14ac87__700

“O dia de hoje não pode ser batido! Nossa família cresceu 4 pés. 02/10/2015”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-28-57207749ab3c8__700 “Estive no orfanato por 1189 dias. Hoje sou um Diesel-Slone. 05/06/15”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-12-572077230b4d4__700 “Fiquei no orfanato por 924 dias… mas hoje fui adotado! 20/11/14”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-4-5720770d74728__700

“Nós não te demos o presente da vida, a vida nos deu você como presente. Dyson Daniel Ellison – 24/11/15”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-2-57207707841a4__700 “Fiquei 965 dias no orfanato, mas hoje fui adotado”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-1-57207703d0871__700 “Fiquei no orfanato por 549 dias mas aí, em 17 de julho de 2015, fui adotada”

12965145_450169575188363_1245054390_n Ohana significa família. Família significa que ninguém fica para trás! Com 11 meses de idade passei a viver num orfanato. 840 dias depois, estou sendo adotado pela minha Família Para Sempre”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-65-572076ee7855a__700 “Fiquei 840 dias no orfanato, mas hoje fui adotado. 08/dez/2015”

adopted-kids-foster-home-together-we-rise-60-572076de3c09d__700 “Recém-adotado”

Imagens: Together We Rise

Casal faz poses de yoga fascinantes desde o começo da gravidez até o nascimento do bebê

Segundo alguns especialistas, quando a mulher engravida, ela não deve parar com suas atividades físicas, sejam elas mais leves, como caminhada e hidroginástica, ou as mais pesadas, como corrida e crossfit. Foi o que Lizzy Tomber, praticante de acroyoga, uma mistura de acrobacias com yoga, fez.

Lizzy, que é professora da modalidade, viaja o mundo ensinando as práticas da acroyoga com seu marido, Josh, que conheceu durante uma aula.

Quando engravidou de David, seu primeiro filho, a professora optou por continuar com as aulas, e o resultado você confere através destas impressionantes fotografias abaixo. Aviso: elas são pura inspiração!

12029605_10156089663080224_8696521421218212376_o

LizzyAcroyoga1

LizzyAcroyoga3

12621981_10156473706830224_3937136470073041151_o

12484835_10156397464640224_2066924332655058943_o

11222422_10156116458710224_5339714795037212308_n

1294263_10156349042450224_7807734146571063518_o

Captura de Tela 2016-04-14 às 15.58.42

Captura de Tela 2016-04-14 às 21.17.21

Captura de Tela 2016-04-14 às 21.17.34

Agora que seu filho nasceu, as aulas continuam, e as fotografias ficaram ainda mais incríveis pois, além dos pais acrobatas, trazem também o pequeno David!

12809690_10156745396905224_3583860618559636539_n

LizzyAcroyoga2

12799326_10156595944980224_5514793311078493205_n

Todas as fotos © Michelle Thomas e Reprodução Instagram

Pescador captura peixe rosa “alienígena” no México

tubarao nova especie Mexico

As criaturas que habitam o fundo do mar nunca vão parar de nos surpreender. Um turista de Chicago pescava no litoral da Baixa Califórnia do Sul (México) quando capturou um animal esquisitíssimo. Ele e Jaime Rendon, o capitão do barco “Dr. Pescado”, podem ter se deparado com uma nova espécie de tubarão.
Rendon percebeu que o que tinha em suas mãos era algo raro e possivelmente em extinção, então tirou algumas fotografias do animal e o libertou em seguida. “Eu fiquei muito surpreso, mas o que mais causou impacto foram os olhos, tão estranhos”, disse ele em uma postagem no Facebook.
No momento, ele acreditou que se tratava de um tubarão, já que a pele tinha a textura característica. Mas o animal apresentava três fendas branquiais de cada lado da cabeça, quando a maioria dos tubarões tem entre cinco e sete.

tubarao nova especie Mexico 2

A empresa responsável pelos passeios turísticos em que Rendon trabalha, Pisces Sportfishing Fleet, tem se esforçado para saber mais sobre a criatura, e está em contato com biólogos e outros pesquisadores que podem fornecer uma resposta para este mistério.
Até agora, parece mais provável que esta criatura seja um Cephaloscyllium ventriosum, um tubarão encontrado no Oceano Pacífico. Normalmente este tubarão tem cor cinza com manchas mais escuras, mas é possível que este indivíduo sofra de algum tipo de problema de pigmentação, como leucismo.

O Cephaloscyllium ventriosum é conhecido pela sua defesa singular: quando ameaçado, ele enche uma bolsa em sua barriga de água. Assim, predadores têm dificuldade de abocanhá-lo e de puxá-lo de esconderijos. Isso pode explicar a barriga inchada do animal capturado pelos pescadores. [IFLScience, Facebook]

Japão ganha primeiro café de ouriços do mundo e o resultado é incrível

Se os cat cafés já são moda pelo mundo, alguns lugares parecem estar apostando em animais diferentes para lançar a próxima tendência do gênero. Nos Estados Unidos, o primeiro dog café já é realidade, enquanto o Japão lançou um inusitado bar com pinguins. A nova invenção no país é um café de ouriços.

O espaço foi aberto em fevereiro e fica localizado em Tóquio, no distrito de Roppongi. Desde a abertura, as filas para visitar o café, conhecido como Harry, chegam a dobrar a esquina. Os visitantes podem pegar um dos cerca de 20 ouriços que vivem no local com a supervisão da equipe do estabelecimento por um custo de 1.000 ienes durante a semana (cerca de R$ 32) e 1.300 (R$ 41) aos finais de semana – e nenhum deles perde a oportunidade de curtir a experiência.

Olha só que fofura:

ourico1

ourico2

ourico3

ourico4

ourico5

ourico6

ourico7

ourico8

ourico9

ourico10

ourico11

ourico12

Todas as fotos © Reuters/Thomas Peter