Amor em tempos de guerra: esta série de fotos é histórica e totalmente inspiradora

Se despedir de alguém que a gente ama é sempre uma tarefa difícil. Agora, imagine se despedir sem saber se veremos a pessoa amada novamente. Momentos como esse são retratados nesta seleção fotográfica feita pelo Bored Panda, que ilustra casais dando adeus ou se reencontrando em diferentes momentos, mas todos durante guerras mundiais.

Estas fotografias nos fazem lembrar de como a vida é curta, então aproveita para se inspirar no amor que elas transbordam, e fala para aquela pessoa especial o quanto você a ama! Faça amor, não faça guerra.

1

Beijo de despedida para a Guerra da Coreia, em 1950

2

Soldados americanos dando o beijo de adeus antes de partirem para o Egito, em 1963

3

Marinheiro beijando a enfermeira na icônica foto feita na Times Square, em 1945

4

Jovem fica na ponta os pés enquanto abraça e beija um soldado americano na estação de trem de Connecticut, em 1945

6

Casais se despedindo antes de partir para a Segunda Guerra Mundial

7

Mulher se inclina sobre os trilhos para dar um beijo no soldado retornando da Segunda Guerra, em 1940

9

Soldado volta para casa após a guerra, na década de 1940

10

Soldados se inclinam pela janela para dar o último beijo em suas amadas, em 1935

11

Soldado americano beija sua namorada inglesa, no Hyde Park, em 1945

13

Soldado americano dá beijo de despedida em namorada antes de partir de trem, em 1922

14

Soldados ingleses dando tchau as suas esposas, em 1937

15

Adeus às tropas que partem, na Penn Station de Nova York, em 1943

16

Adeus às tropas que partem, na Penn Station de Nova York, em 1943

17

Marinheiro inclina-se para dar um beijo de adeus na namorada, em 1945

[todas as fotos via Bored Panda]

20 As aranhas mais estranhas e bonitas do mundo

São mais cores, olhos e pernas do que se possa contar. As aranhas causam tanto fascínio, quanto horror entre os humanos. Os entusiastas chegam a pagar centenas de dólares por uma tarântula P. metallica, de pelos roxos e azuis. Enquanto os mais sensatos fogem para longe das treze manchas vermelhas que a viúva-negra mediterrânea carrega no abdômen.

Pequenas e controversas, elas habitam nossos jardins com discrição, tecendo sem ser notadas e nos poupando muitas vezes de insetos indesejados. Algumas destas teias, como o ziguezague em cruz da Argiope sp., ainda intrigam cientistas. Já o ritual de acasalamento da aranha-pavão merece plateia, revelando-se um colorido espetáculo de proporções milimétricas.E já falei aqui sobre algumas dessas aranhas mais não especificando totalmente a origem dela.

As aranhas são donas dos abdomens mais exuberantes do reino animal e reunimos aqui, em uma galeria de fotos, 20 espécies que você não pode deixar de conhecer. Confira!

 A aranha-pavão Maratus volans

Com menos de cinco milímetros e cores ostensivas, as belas aranhas-pavão (Maratus volans) recebem este nome graças ao seu ritual de acasalamento. Assim como as aves, o macho ergue a parte colorida do abdômen, que se abre como uma aba, junto ao terceiro par de pernas. A dança exótica atrai as fêmeas.

 A aranha Colaranea viriditas

De abdômen bicolor, esta pequena aranha é a Colaranea viriditas, uma espécie endêmica da Nova Zelândia.

 A aranha Kerengga (Myrmarachne plataleoides) macho

A aranha Kerengga (Myrmarachne plataleoides) é uma espécie asiática que mimetiza uma formiga. Os machos, como este na foto, têm as quelíceras alongadas e as usam como uma espécie de espada em suas disputas. Já as fêmeas são discretas e mais parecidas com a formiga Kerengga (Oecophylla smaragdina).  

 A aranha espinhosa Gasteracantha falcicornis

A pequena Gasteracantha falcicornis faz parte de um colorido grupo de aracnídeos conhecido como “espinhosas”. Inofensivas aos humanos, estas espécies são famosas por seus escudos pontudos.

 A aranha Mopsus mormon macho

Para saber se um Mopsus mormon é macho, basta observar o “topete” de fios pretos no topo da cabeça, acompanhado sempre por uma curiosa “costeleta” branca nas laterais.

 A aranha Mopsus mormon fêmea

Já as fêmeas Mopsus mormon parecem trajar uma elegante máscara branca, que lembra uma peça rendada e decorada com detalhes vermelhos. Esta espécie é comum na Austrália.

 Araneus marmoreus, a tecedeira-marmoreada

Araneus marmoreus são aranhas inconfundíveis. O abdômen opulento, com padrões semelhantes aos do mármore, rendeu-lhes o nome de tecedeiras-marmoreadas.

 A aranha Argyrodes colubrinus

Bicho-pau? Olhe de novo. Esta é uma Argyrodes colubrinus, aranha especializada em caçar outras aranhas, como as armadeiras (da família Ctenidae).

 A aranha-lince Oxyopes salticus

Os palpos da Oxyopes salticus parecem “calçados” em pantufas pretas. Esta espécie integra um grupo conhecido como aranhas-lince e ajuda agricultores brasileiros a controlar pragas nas plantações de soja.

 A tarântula Poecilotheria metallica

As extravagantes tarântulas P. metallica ocupam hoje uma área de menos de 100 quilômetros quadrados em uma reserva na Índia e constam como “em perigo crítico de extinção” na lista vermelha da IUCN (International Union for Conservation of Nature).

 A aranha-lobo Hogna sp.

Os olhos das aranhas-lobo (na foto, uma Hogna sp.) são dispostos de maneira incomum, em três fileiras. A combinação garante uma visão excelente à espécie, que caça à noite.

 A aranha Arachnura higginsi

Parece um escorpião e até se move como um: quando ameaçada, a Arachnura higginsi chega a curvar a cauda para simular um ataque. Entretanto, não há ferrão ou veneno na outra ponta. É mesmo uma aranha.

 A aranha espinhosa Micrathena sp.

Outra aranha espinhosa é a Micrathena sp., uma exuberante moradora do Equador (foto). As espécies do gênero costumam ser encontradas em florestas densas – inclusive na Amazônia.

 A aranha-caranguejo-das-flores (Misumena vatia)

A aranha-caranguejo-das-flores (Misumena vatia) faz jus ao nome: exibe alongadas patas dianteiras, camuflada sobre uma aquiléia-mil-folhas (Achillea millefolium).

 A viúva-negra mediterrânica

Ao invés da ampulheta clássica, a viúva-negra mediterrânica ostenta treze gotas no abdômen (o que originou seu nome científico, L. tredecimguttatus). As fêmeas são igualmente venenosas às suas primas americanas e conhecidas por matar bois em áreas rurais da Europa.

 A aranha-joaninha (Eresus sandaliatus) macho

Os machos Eresus sandaliatus tornaram esta espécie conhecida como aranha-joaninha (as fêmeas são inteiras pretas). Raras, estas aranhas vêm reconstituindo a sua população, após terem sido consideradas extintas no Reino Unido.

 O macho (menor) e a fêmea Herennia multipuncta parecem espécies completamente diferentes de aranhas.

O macho (menor) e a fêmea Herennia multipuncta parecem espécies completamente diferentes de aranhas.

 A aranha da cruz de Santo André (A. aetherea e A. keyserlingi)

Talvez as aranhas A. aetherea e A. keyserlingi não sejam assim tão distintas visualmente, mas suas teias contam uma história interessante. O padrão em ziguezague, tecido somente pelas fêmeas, é associado à cruz de Santo André. O apóstolo ficou conhecido na tradição católica por ter sido crucificado em uma estrutura no formato de xis – como a teia da foto.

 A aranha espinhosa Gasteracantha dalyi

Com longos “espinhos” localizados na parte de trás de seu escudo, a Gasteracantha dalyi afasta possíveis predadores, entre eles, pássaros.

 A aranha papa-moscas Maratus spicatus

As aranhas saltadoras (Salticidae), popularmente conhecidas como papa-moscas, podem ser tão pequenas que raramente são notadas. Esta Maratus spicatus, por exemplo, ostenta listras azuis e douradas em seu minúsculo abdômen.via

Peixe é fotografado escondido dentro de uma criatura translúcida

Crédito: Wayne MacWilliams

Crédito: Wayne MacWilliams
O mar profundo tem alguns habitantes muito estranhos, como o peixe acima, que gosta de se esconder (muito mal) dentro de uma criatura transparente.O clique foi feito pelo fotógrafo Wayne MacWilliams, durante um mergulho nas águas ao largo da costa de Singer Island, em Palm Beach, no estado americano da Flórida.No meio do abismo negro, ele capturou esse momento particularmente fascinante. “Estas criaturas bonitas são interessantes e bizarras, para dizer o mínimo. Fiz este tipo de mergulho algumas vezes e planejo fazer mais”, disse MacWilliams ao MailOnline.

Esconderijo

De acordo com os biólogos pelágicos e fotógrafos subaquáticos baseados no Havaí, Sarah Matye e Jeff Milisen, a criatura translúcida carregando o peixe na barriga é conhecida como salpa.Salpas são organismos caracterizados por corpos gelatinosos de forma cilíndrica, que movem-se bombeando a água longitudinalmente através dos seus corpos, ao mesmo tempo que a filtram para reter o plâncton, seu único alimento conhecido.
Crédito: Wayne MacWilliams

Crédito: Wayne MacWilliams
“Este peixe, um Holocentridae, não está sendo comido pela salpa, mas sim está vivendo dentro dela e se escondendo. O animal se abriga onde puder no vazio oceânico, e uma salpa é uma ótima casa”, dizem os cientistas ao portal I Fucking Love Science.
Ou seja, embora ocultar-se dentro de um animal transparente pareça uma má ideia, não é o caso. No fundo do mar, é na verdade uma boa opção para passar despercebido. [IFLS]

No México, artistas podem pagar seus impostos com arte

Os artistas mexicanos costumavam dar um jeito de se livrar do pagamento de impostos, o que fez com que o governo do país deixasse de arrecadar bastante dinheiro. Mas vamos combinar que sobreviver de arte não é uma tarefa simples. Depois de agir para resolver a questão, uma solução criativa foi encontrada para evitar a prisão de artistas: o pagamento com arte. 

Desde 1957 pintores, desenhistas e escultores podem, em vez de pagar o equivalente mexicano do Imposto de Renda com dinheiro, destinar ao governo outras obras de arte.

Funciona assim: artistas que vendem de uma a cinco obras por ano doam uma para o governo, quem vende de seis a oito doa duas, e assim vai, com limite de 6 obras doadas por ano. Especialistas avaliam se as obras doadas condizem com a qualidade do que os artistas costumam produzir.

Gerardo Murillo (Dr. Atl)

Obra de Gerardo Murillo, conhecido como Dr. Atl

As peças são divididas e colocadas em museus e prédios administrativos ao redor do país. Algumas são até enviadas para galerias ao redor do mundo, ajudando a divulgar a arte e a cultura mexicanas!

Atualmente, cerca de 700 artistas participam do programa Pago em Espécie, e o governo tem mais de 7 mil obras doadas. O sucesso do programa é tão grande que, recentemente, foi preciso comprar um novo depósito para guardar as obras que ainda não tiveram destino definido.

Confira obras de alguns artistas que já participaram do programa:

José Luis Cuevas

Obra de José Luis Cuevas

David Alfaro Siqueiros Autorretrato – David Alfaro Siqueiros

Jan Hendrix

Obra de Jan Hendrix

Miguel Calderón

Obra de Miguel Calderón

Gilberto Aceves Navarro

Obra de Gilberto Aceves Navarro

Antonio ‘Gritón’ Ortiz  

Obra de Antonio ‘Gritón’ Ortiz

Javier Marín 

Obra de Javier Marín

Imagens: Reprodução

Mãe fotógrafa capta a infância dos filhos longe de gadgets em imagens apaixonantes

Niki Boon começou a clicar enquanto trabalhava como psicoterapeuta na Escócia. Mas foi só quando ela mudou para uma fazenda de cerca de 40 mil hectares na Nova Zelândia que ela fez sua paixão tornar-se arte. Os modelos são seu casal de filhos pequenos e a paisagem, a mais natural possível! Esqueça os celulares e vem ver que lindas essas fotos.

Niki conta que de sua infância não restaram muitas fotografias, apenas uma meia dúzia delas e uma três por quarto. E foi por isso que se  sentiu encorajada a começar a clicar os pequenos.

“Childhood in the Raw”, ou infância ao natural, é um belíssimo retrato de duas crianças criadas no campo. Muito inspirador para os dias de hoje ver como eles podem se divertir longe dos videogames! Vale a pena ver:

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-5

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-1

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-11

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-14

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-13

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-18

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-17

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-16

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-19

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-2

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-24

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-23

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-20

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-25

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-28

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-29

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-32

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-3

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-34

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-33

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-41

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-35

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-4

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-45

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-44

raw-childhood-without-electronic-devices-niki-boon-new-zealand-6

Todas as fotos © Niki Boon

Conheça o Lego viajante que já passou por mais de 20 países

Não estranhe se você estiver no meio de uma viagem, bem na frente de um monumento super turístico, e encontrar um pequeno bonequinho de Lego. Tudo faz parte de uma divertida brincadeira que já está encantando mais de 11 mil pessoas através do Instagram: o Lego Backpacker (ou “Lego Mochileiro”).

O bonequinho já viajou por mais de 20 países e não pretende parar tão cedo. Entre os lugares visitados estão alguns dos sonhos de consumo de muitos mochileiros, como caminhar na Muralha da China, um passeio a bordo do Expresso Transiberiano na Rússia e até mesmo a observação da aurora boreal, na Noruega.

Espia só algumas dessas aventuras:

lego1

Moscou, Rússia

lego2

China

lego3

Museu do Louvre, em Paris, França

lego4

Museu do Louvre, em Paris, França

lego5

Muro de Berlim, na Alemanha

lego6

La Rosière, França

lego7

Grande Muralha da China

lego8

Tower Bridge, em Londres, Inglaterra

lego9

Trinity College, em Dublin, Irlanda

lego10

Aurora boreal na Noruega

lego11

Singapura

lego12

Amsterdã, Holanda

lego13

Lennon Wall, em Praga, República Tcheca

lego14

Moscou, Rússia

lego15

Milão, Itália

lego16

Rovaniemi, Finlândia

lego17

Cliffs Of Moher, Irlanda

lego18

Trollstigen, Noruega

lego19

Wellington, Nova Zelândia

lego20

Nice, França

Todas as fotos © The Lego Backpacker