O refugiado sírio que cruzou o Mediterrâneo com seu gato no colo

Na perigosa travessia pelo Mediterrâneo, milhares de sírios deixam para trás suas famílias, sonhos e pertences. Mas este rapaz não quis fugir da guerra sem trazer seu gatinho de estimação. Com um pano enrolado no pescoço, ele fez a travessia carregando o bichano e ambos chegaram a salvo à Ilha de Lesbos, na Grécia.

Acompanhado de outros membros de sua família, o rapaz não identificado disse que o nome dogato é Zaytouna, que significa “azeitona”, em árabe. Agora, eles pretendem continuar sua jornada pela Europa até conseguirem se estabelecer como refugiados.

Confira as fotos do pequeno Zaytouna e seu dono:

refugiado-gato2

Foto © Sonia Smart

refugiado-gato

Projeto une crochê e fotografia para mostrar a força das mulheres em ensaio poderoso nas ruas de SP

Como não amar algo que une fotografia, lambe, crochê, rua e feminismo?! O projeto #asfloresdapele tem a missão de transformar o espaço público e traz inspirações artísticas para a cidade. Protagonizado pela galera do DoloreZ CrocheZ, as linhas e agulhas exaltam liberdade feminina e poder criativo.

A intervenção traz para as ruas mulheres fortes e com os seios a mostra como sinal de poder e empoderamento. Tudo começou com um encontro despretensioso entre 8 amigas que conversavam sobre feminismo e o papel da mulher nas artes. Até que os encontros passaram a ser frequentes e tudo nasceu de uma forma muito autêntica.

Hoje quem toca a divulgação é a Karen – que cuida do ateliê de crochê e dos lamber; e o Lucas – 0 fotógrafo, que visam em mais para frente montar uma exposição e até um doc sobre o trabalho cujo o nome faz referência a expressão “à flor da pele”, que representa um sentimento latente, presente nas mulheres. E nele, o próprio corpo foi utilizado como esse diálogo que, na maioria das vezes, é visto de forma erotizada.

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-16 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-13 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-15 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-10 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-11 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-09 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-06 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-07 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-04 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-05 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-01 

follow-the-colours-projeto-a-flor-da-pele-fotografia-croche-DoloreZ-CrocheZ-03 

Captura-de-Tela-2016-04-27-às-14.24.13

Todas as fotos © #asfloresdapele

Conheça os ligers: os raros e adoráveis filhotes de um leão branco e uma tigresa branca

Você provavelmente não verá nada tão fofo esta semana. Mas, além de serem a coisa mais amada do mundo, estes quatro bichanos têm também outro diferencial: são os únicos quatro filhotes de ligers brancos no mundo, o que faz deles a espécie mais rara do planeta.

Os ligers nascem da cruza entre um leão e uma tigresa e estima-se que existam apenas 1.000 deles no mundo. Nesse caso específico, os animais são descendentes do leão branco Ivory e da tigresa branca Saraswati. Para se ter uma ideia de quão raros os animais são, é só pensar que existem apenas 300 leões brancos e 1.200 tigres brancos no mundo. Ou seja, já é difícil fazer essa dupla se encontrar, quanto mais ter filhotes juntos.

Os ligers nasceram no Myrtle Beach Safari, na Carolina do Sul (EUA), em dezembro de 2013, e se tornaram os primeiros ligers brancos do mundo. Os animais, hoje com mais de dois anos, atendem pelos nomes de Yeti, Odlin, Sampson e Apolo e podem chegar a ser os maiores felinos no mundo – com apenas 6 semanas, eles já pesavam mais de 6 kg, segundo noticiou o Daily Mail.

liger1

liger2

liger3

liger4

liger5

liger6

liger7

Todas as fotos © Barry Bland/Splash News

Breviceps fuscus o sapo mais mau humorado que você já viu.

 http://www.mujolympus.cz/pthres.axd/resimg/gallery$7Ce33a8acff10b4c3b942c13550cbbbfcb/1414x835/100

Sabe aquele dia que você precisa ficar fazendo um trabalho até altas horas da madrugada, mas vai acordar cedo no dia seguinte? Você olha sua cara no espelho? Ela não é das melhores, certo? Mesmo assim, toda a sua rabugice matinal não supera o desprezo estampado no pequeno Breviceps fuscus.Ainda que não possamos ler a sua mente, ao que tudo indica, esse sapo, endêmico do sul da África e também conhecido como sapo preto da chuva, não está realmente de saco cheio da vida, do universo e tudo mais – o seu rosto apenas é assim, emburrado o tempo todo.

 https://perrystreetpalace.files.wordpress.com/2014/10/blackrainfrog2.png?w=444

Ainda que não possamos ler a sua mente, ao que tudo indica, esse sapo, endêmico do sul da África e também conhecido como sapo preto da chuva, não está realmente de saco cheio da vida, do universo e tudo mais – o seu rosto apenas é assim, emburrado o tempo todo.

 

sapo mal humorado 2

 
sapo mal humorado 3

O Breviceps fuscus é um anfíbio buraqueiro, nativo da costa sul-africana, e seu semblante enfezado não é seu único diferencial. Uma de suas características é que ele escava túneis com aproximadamente 15 cm de profundidade nos quais, na época de acasalamento, deposita seus ovos.

 sapo mal humorado

Na verdade, estes sapos não têm nada de ranzinza e, inclusive, são muito atenciosos. As fêmeas secretam uma substância pegajosa especial em suas costas, de modo que os sapos machos não caiam durante o ato sexual. Também, durante a época de acasalamento, os machos ficam na toca para proteger seus ovos e se comunicam com pequenos silvos. 

 
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/df/Breviceps_gibbosus_Cape_Rain_Froga_-_Cape_Town_2.JPG
 
http://www.mujolympus.cz/pthres.axd/resimg/gallery$7Ce33a8acff10b4c3b942c13550cbbbfcb/1414x835/100
 
https://i0.wp.com/www.ispotnature.org/sites/default/files/images/48068/73ad4827492b41b95386a0ba11ee628c.jpg
 
https://i2.wp.com/calphotos.berkeley.edu/imgs/512x768/0000_0000/0405/0141.jpeg
 
https://www.ispotnature.org/sites/default/files/imagecache/preview/images/45124/9f7f46acfde524ee84f11e7065c346c2.jpg?nav=related

[I Fucking Love Science, Amphibia Web]

Fotógrafo lança série de imagens inéditas de Amy Winehouse antes da fama

Se a imagem que se cristalizou em nossos inconscientes sobre a cantora inglesa Amy Winehouse, muito por conta da criminosa exploração da dor alheia cometida pela imprensa mundial, é a de uma perturbada e brilhante cantora, devastada física e psicologicamente por seus excessos, essa é justamente a imagem que o fotógrafo Charles Moriarty pretende combater.

AMY11

Charles fotografou a capa do primeiro disco de Amy, Frank, quando ela era ainda somente uma garota, saudável, bela e sorridente, lutando por sua própria carreira. Passados quase cinco anos da morte da artista, Charles reuniu seu material inédito em um livro, financiado através de crowdfunding, com o resultado das sessões realizadas em 2003.

AMY16

Nas fotos, Amy tinha 21 anos – três anos antes do lançamento de Back to Black, seu segundo e último disco, que lhe alçaria (ou condenaria) à condição de maior estrela pop do mundo. O livro se chama Before Frank, (Antes de Frank) e, faltando 7 dias para o fim de sua campanha de financiamento, já alcançou a meta para ser lançado.

AMY10

A genialidade de Amy não foi o suficiente para lhe impedir de se tornar membra do “Clube dos 27 anos”, adentrando a impressionante lista de músicos mortos com essa mesma idade. Nomes como Jim Morrison, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Brian Jones e Kurt Cobain complementam esse lamentável clube.

AMY15

O objetivo do livro de Charles é justamente mostrar, como diz o título, uma Amy que só existiu antes do sucesso, oposta à imagem junkie tal explorada durante sua trajetória, e que ele teve o prazer de conhecer.

Quero que ela seja lembrada como a garota divertida que conheci. Ela era intensa, talentosa e muito viva. Quero que as pessoas compartilhem dessa minha visão. Que olhem para essas fotos e vejam a juventude alegre registrada nas imagens”, ele diz.

AMY12

AMY14

Se a comparação com o que estava por vir impressiona, impressiona também a justa vivacidade e a força de sua feição e olhar nas imagens de Charles. O livro é um verdadeiro documento dos bastidores do sucesso, da juventude e da beleza da maior cantora dos últimos tempos.

Dá uma olhada no vídeo de apresentação e em algumas das imagens já disponibilizadas pelo fotógrafo:

https://www.kickstarter.com/projects/1876964816/before-frank/widget/video.html

AMY8

AMY1

AMY14

AMY13

AMY9

AMY7

AMY6

AMY5

AMY4

AMY3

Todas as fotos © Charles Moriarty