10 bolos incríveis inspirados em filmes que vão encantar os amantes de cinema

Bolos são incríveis não só porque são uma explosão deliciosa de açúcar, mas porque podem ser verdadeiras obras de arte. Você pode achar que aquilo em cima da mesa é um boneco de Stormtrooper saído do Star Wars ou o E.T do filme de Spielberg, mas na verdade são bolos tão lindos e realistas que deve ter dado até dó de cortar!

Confira alguns bolos divertidos que foram inspirados em filmes:

1. Star Wars

bolo-cinema

Foto © Piliborda

2. E.T

bolo-cinema2

Foto © Gateauxoman

3. Jogos Vorazes

bolo-cinema7

Foto © Tea and Trinket Cakes

4. Tubarão

bolo-cinema8

Foto © Blue Bell Cake Boutique

5. Clube da Luta

bolo-cinema5

Foto © Candela Cakes

6. O Mágico de Oz

bolo-cinema10

Foto © Miss Groovy Girl

7. O Poderoso Chefão

bolo-cinema6

Foto © Personally Yours By Steph

8. De Volta para o Futuro

bolo-cinema4

Foto © Makeup by Jennieg

9. 300

bolo-cinema3

Foto © Her Majesty Cakes

10. Top Gun

bolo-cinema9

Foto © The Sculpted Cake Bendigo

Anúncios

Zubaida sofreu queimaduras que mudariam sua vida para sempre

A pequena Zubaida Hasan vivia com a família em uma vila pequena e remota no Afeganistão. Em 2001, quando ela tinha apenas 9 anos, Zubaida sofreu queimaduras que mudariam sua vida para sempre. As labaredas queimaram a maior parte do seu rosto e peito.

Seu estado era grave. A parte inferior de seu rosto literalmente derreteu e se colou ao seu peito. Os pais dela a levaram a todos os hospitais locais, mas os médicos diziam que não podiam fazer nada por ela. Então, em 2002, um ano após o acidente, o pai da menina decidiu levá-la até à Base Militar dos Estados Unidos da América.

Os soldados se compadeceram de Zubaida e sua família. A garota sofria com muitas dores e estava impossibilitada de comer ou dormir, já que seus olhos e boca não podiam se fechar completamente. A base entrou em contato com um renomado cirurgião plástico de Los Angeles, Peter Grossman. Ele era especialista em vítimas de queimaduras, e mesmo assim, reconheceu que Zubaida era um caso muito grave.

A menina voou com o pai até Los Angeles para encontrar Grossman e sua equipe. O médico imediatamente soube que tinha que fazer algo para ajudar aquela criança. Ele estimou que o tratamento dela levaria três anos para terminar e que ela iria precisar passar por muitas cirurgias.

Grossman e a equipe usaram vários enxertos de pele das costas dela durante os procedimentos.

O cirurgião mostrou sua habilidade a cada operação. Aos poucos, as cicatrizes se transformaram no rosto da garotinha.

Durante a série de cirurgias, Grossman ficou muito apegado à menina. Quando o pai de Zubaida voltou para o Afeganistão, o médico e sua esposa decidiram ficar com ela enquanto ela estava em tratamento. Os dois não tinham filhos, então a presença de Zubaida levou bom humor e energia para suas vidas.

Zubaida tem uma natureza leve e alegre e é uma talentosa dançarina. Ela aprendeu inglês em 12 semanas na escola e se cercou de amigos. Ela logo começou a chamar os Grossmans de papai e mamãe. A menina comemorou seu 11.º aniversário e 10.º cirurgia simultaneamente. Após apenas um ano o tratamento dela estava quase no fim, assim como sua temporada vivendo com a família Grossman.

Dizer adeus foi difícil para todos eles, mas eles sabiam que ela tinha que voltar para casa. O Dr. Grossman voou com Zubaida para o Afeganistão para devolvê-la aos seus pais. Os Hasans não podiam acreditar quando viram a filha novamente. Eles ficaram sem palavras.

O Dr. Grossman nunca esquecerá de sua paciente ou sua “filha de consideração”. “Se eu souber que você se casou aos 13 anos” ele brincou, “eu vou te dar um chute no traseiro.” Zubaida riu. Ela e sua família serão sempre gratas ao médico, seu anjo vindo da América.

O que o Dr. Grossman fez é muito admirável. Ele claramente vai além do que a sua profissão exige. Ele vê seus pacientes não como problemas a serem consertados, mas como seres humanos. Um verdadeiro herói!











 

As 7 rochas mais famosas do mundo

Sem querer menosprezar as rochas, mas as pedras são uma parte muitas vezes negligenciada da paisagem. Aonde quer que você vá, tem uma pedra, afinal, não é como se elas pudessem se mover ou virar flores ou borboletas. Apesar de simples e comuns, no entanto, as rochas podem formar lindos cenários ou marcos históricos que por si só são atrações turísticas. Confira seis das rochas mais famosas do mundo:
1) Rocha de Plymouth
https://i1.wp.com/www.roteiroserelatos.com.br/wp-content/uploads/2015/06/Plymouth_Rock_Plymouth_MA_jjron_03.05.2012.jpg
A rocha de Plymouth marca o local onde William Bradford e os peregrinos que fundaram a colônia de Plymouth desembarcaram do navio Mayflower. Ela está carimbada com a data de chegada do navio ao novo mundo: 1.620. A primeira referência escrita a rocha de Plymouth foi feita quase um século depois dessa data. A rocha foi consagrada em 1.774, quando os moradores da cidade se moveram pelo espírito da Revolução Americana. A rocha atualmente pode ser encontrada nas margens do porto de Plymouth, em Plymouth, Massachusetts, EUA. De acordo com o museu da cidade, a parte visível da pedra pesa cerca de 4 toneladas, enquanto a parte de baixo, escondida sob a areia da praia, pesa cerca de 6 toneladas. Estima-se que hoje a rocha tenha apenas cerca de um terço à metade do seu tamanho original, pois partes da pedra eram lascadas como lembranças nos séculos 18 e 19.
2) Pedra Blarney
https://carollima.files.wordpress.com/2010/07/ss854599.jpg 
A pedra Blarney é um pedaço de pedra que fica nos arredores do Castelo Blarney, cerca de 8 quilômetros a leste de Cork, na Irlanda. Existem várias lendas para explicar a origem da pedra. De acordo com o site do Castelo Blarney, a pedra era da ilha de Iona, na Escócia, e foi o leito de morte de um santo irlandês que morava lá em exílio. A pedra foi posteriormente transferida da ilha para o continente, ainda na Escócia. Quando o rei Cormac MacCarthy enviou tropas irlandesas para apoiar Robert, the Bruce e seus escoceses na batalha vencida contra os ingleses em 1.314, parte da pedra foi dada para os irlandeses em agradecimento. Reza a lenda que beijar a pedra lhe traz o dom da eloquência. Porém, beijá-la não é tão fácil assim. Para beijá-la, a pessoa tem que se inclinar muito, enquanto se agarra a uma grade de ferro do parapeito do castelo. Poderia ser pior: no passado, aqueles que desejavam beijar a pedra tinham ficar de cabeça para baixo.
3) Rochedo de Gibraltar
https://i2.wp.com/photos.hotelbeds.com/giata/extras/XLarge/ds/13296/13296_3.jpg 
O Rochedo de Gibraltar é uma montanha de calcário que faz vista ao Estreito de Gibraltar, a entrada do Mar Mediterrâneo. A rocha tem 426 metros de altura e é um marco importante do território britânico de Gibraltar, uma península que se conecta através de um istmo até a Espanha. Gibraltar entrou na posse do Reino Unido com o Tratado de Utrecht, em 1.713, após a Guerra da Sucessão Espanhola. O nome atual da rocha provavelmente vem do árabe Jebel Tarik, que significa “montanha de Tariq”. Geologicamente falando, o rochedo é composto de calcário que remonta ao período Jurássico, cerca de 200 milhões de anos atrás. Trata-se da Cordilheira Bética, uma cordilheira que domina a Ibéria (região que inclui a Espanha e Portugal). A rocha contém centenas de cavernas, muitas das quais populares destinos turísticos.
4) Rocha de Ayer ou Uluru
https://quatrocantosdomundo.files.wordpress.com/2014/01/dscn99921.jpg 
A rocha de Ayer fica sobre uma extensão plana do deserto australiano.Também conhecida pelo seu nome aborígine, Uluru, a rocha é um “inselberg” (palavra que vem do termo alemão que significa “monte ilha”), ou montanhosa isolada. “Inselbergs” são os restos deixados após a erosão de uma serra. Ela está localizada no Uluru-Kata Tjuta National Park, a 450 km a sudoeste de Alice Springs, na Austrália. O parque contém muitas inselbergs, mas Uluru é a maior e mais conhecida delas. A rocha também é o maior monólito do mundo (uma formação maciça composta de uma única rocha) e um local sagrado para os povos nativos ou aborígenes. Foi listada como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Sua formação de arenito está a cerca de 863 metros acima do nível do mar, ou cerca de 348 metros acima do solo. Tem 9,4 km de circunferência.
5) Pedra de Roseta
https://i1.wp.com/zecipriano.com/wp-content/uploads/2014/08/Rosetta.jpg
A Pedra de Roseta é um fragmento de uma pedra do antigo Egito, que sustenta um decreto emitido por um conselho de sacerdotes por ocasião do aniversário da coroação do rei Ptolomeu V (204-181 a.C.) em três línguas: antigos hieróglifos egípcios, demótico egípcio e antigo grego. Originalmente exibida em um templo, a Pedra de Roseta foi mais tarde usada como material de construção em uma fortaleza na cidade portuária de el-Rashid, ou Rosetta. Uma expedição francesa ao Egito encontrou a pedra em 1.799. A pedra se tornou famosa, pois ajudou a decifrar os hieróglifos egípcios que até aquele momento não poderiam ser traduzidos. A pedra, que pesa cerca de 760 quilos, agora está em exibição pública no Museu Britânico, onde é o objeto mais visitado da coleção. A pedra entrou na posse britânica em 1.801, durante as Guerras Napoleônicas. O Egito pede que a pedra seja repatriada.
6) Pedra Negra de Caaba
http://2.bp.blogspot.com/-TpebyUxh_jo/ULYsQ6lyutI/AAAAAAAApIA/FGLIJBObxho/s1600/mezquita-al-masjid-al-haram.jpg 
A Caaba é uma construção em forma de cubo em Meca, na Arábia Saudita. É o local mais sagrado no Islã. Uma mesquita, o Masjid al-Haram, rodeia o edifício. No canto oriental da Caaba fica a Pedra Negra, que segundo a tradição islâmica, remonta ao tempo de Adão e Eva, período no qual caiu do céu. A pedra foi polida pelas mãos de milhões de peregrinos muçulmanos. Hoje, é na verdade um conjunto de fragmentos. Os peregrinos tentam beijar a pedra, como é dito que fez o Profeta Maomé. Alguns têm sugerido que a pedra é um meteorito, apesar de suas origens exatas permanecem desconhecidas. A Caaba em si é feita de granito dos arredores de Meca. 
7) O Pão de Açúcar
https://i2.wp.com/www.wikiparques.org/wp-content/uploads/2015/10/12012012-mona-pao-acucar-urca.jpg
O pão de açúcar é um enorme monólito, feito de uma pedra conhecida como gnaisse facoidal, uma pedra que se origina do granito. É um dos cartões postais do Rio de Janeiro, mas é muito mais antigo que a cidade – estima-se que ele tenha se formado a mais de 600 milhões de anos. Tem 395 metros de altura. [OurAmazingPlanet]

Essas fotografias de Utah e do Arizona nos EUA vão te deixar sem fôlego

Mesmo que a maioria dos turistas que visita os Estados Unidos se concentre em conhecer os grandes centros urbanos, como Nova Iorque ou Miami, o país tem paisagens bem mais interessantes longe das grandes metrópoles. É o que mostra o fotógrafo Douglas Stratton, que capturou imagens surreais de Utah e do Arizona.

As fotografias clicadas por ele exploram os buracos que se formaram naturalmente nas rochas da região e os transforma em ótimos enquadramentos para a paisagem. Para compor as imagens, ele passou 3 anos fazendo trekking na região e descobrindo seus melhores ângulos.

O resultado é de tirar o fôlego:

viagem1

viagem2

viagem3

viagem4

viagem5

viagem6

viagem7

viagem8

Família posa com urso real em série de fotos impressionante pra campanha anti-caça

A boa convivência entre diferentes espécies é sempre possível, mesmo que a outra espécie pese mais de 600 quilos. Assim, caçar um animal, ainda mais com propósitos de entretenimento, é sempre como matar um amigo em potencial. Essa é a mensagem da nova campanha anti-caça registrada pela fotógrafa russa Olga Barantseva.

URSO8

Para tal, ela criou um ensaio do urso Stepan dando boas vindas aos seus amigos humanos, para todos juntos curtirem uma tarde na floresta. Com um leve tom surreal, a campanha mostra esse convívio harmonioso e fraterno entre a família e o urso.

URSO6

É claro que Stepan é um animal treinado, criado para o convívio com os seres humanos, que inclusive já estrelou mais de 20 filmes russos.

URSO5

Portanto, a simbologia é mais importante do que a imagem literal. Caçar animais é um lamentável velho hábito humano que não pode persistir. Os animais são nossos amigos e vizinhos no planeta em que vivemos, e devemos manter com eles a melhor relação – mesmo que, em certos casos, seja melhor mantê-la à distância.

URSO4

Portanto, amem os animais e não cacemos jamais, mas não tentem abraçar qualquer urso que aparecer por aí.

URSO7

URSO3

URSO2

Todas as fotos © Olga Barantseva

Artista cria e fotografa os brinquedos mais assustadores que você já viu

Bonecas e bonecos infantis são feitos para serem lúdicos, fofos e graciosos. No entanto, muitos possuem certo aspecto sinistro e, quando revistos com olhos adultos, esse lado sombrio dos bonecos fica ainda mais evidente.

O trabalho da artista inglesa Annie Montgomerie é justamente o de escancarar esse aspecto macabro que muitos brinquedos infantis possuem.

ANNIE1

Feitos com materiais reutilizados em tecidos diversos, os bonecos de Annie são peças únicas, em sua maioria vintage e esculpidos, costurados e finalizados manualmente. Annie mistura a inspiração em antigas ilustrações infantis com a influência da taxidermia – a igualmente sinistra arte de empalhar, montar ou reproduzir animais em manequins perfeitamente idênticos ao animal vivo.

 ANNIE21

Algumas cabeças de animais são feitas para serem penduradas na parede como fossem antigas caças, e os bonecos animais reaproveitam corpos antigos de bonecas, tecidos e adornos encontrados pela artista, como botões e joias.

Esteticamente impactante, o trabalho de Annie não é para qualquer criança. Pensando bem, nem para qualquer adulto, pois o resultado é singela e verdadeiramente assustador.

ANNIE16

ANNIE22

ANNIE20

ANNIE19

ANNIE18

ANNIE12

ANNIE13

ANNIE14

ANNIE15

ANNIE23

ANNIE17

ANNIE11

ANNIE6

ANNIE7

ANNIE8

ANNIE9

ANNIE10

ANNIE5

ANNIE4

ANNIE3

ANNIE2

Todas as fotos © Annie Montgomerie