Amigos de longa data criam mini-vila sustentável para poderem viver juntos

À medida que crescemos e nos tornamos adultos, é comum nos afastarmos de velhos e bons amigos da infância e da adolescência. Cada um vai para um lado, todos seguem caminhos diferentes e o que fica é a lembrança de como é bom ter amigos. Quatros casais desses melhores (e verdadeiros) amigos provaram que é possível sim manter a amizade. Juntos há duas décadas, eles decidiram construir uma vila sustentável, em meio à natureza, para crescerem no mesmo lugar até a velhice.

Eles queriam uma maneira de viver mais próximo uns dos outros em um lugar tranquilo e, para isso, juntaram dinheiro e construíram um lugar sustentável, chamado Llano Exit Strategy, com quatro pequenas cabanas de frente para o rio Llano, no Texas, EUA. Cada casa custou cerca de 40 mil dólares e todas foram projetadas pelo arquiteto Matt Garcia.

casa 01

As casas têm um ótimo design, garantem conforto e os interiores são feitos de madeira, possuindo banheiro, cama, cadeiras, sofá, prateleiras e estantes. Os telhados coletam água da chuva em barris, que conseguem encher quase 19 mil litros de água. É um lugar mágico, mas é árido. Estamos fazendo o que podemos para reservar água para árvores nativas e gramíneas”, disse um dos amigos, Fred Zipp. As paredes reflexivas impedem a entrada de calor nos dias quentes de verão, para evitar o uso de aparelhos refrigeradores.

“É como se a Disney tivesse mudado para cá.  Nós temos viados, coelhos e vários tipos de aves. Quanto mais tempo passamos aqui, mais animais encontramos”, disse um outro morador.

Veja abaixo algumas fotos das casas construídas pelos amigos:

casa 2

casa 4

casa 10

casa 9

casa 11

casa 3

casa 5

casa 6

casa 7

casa 8

casa 13

 Todas as fotos © Alexander Stross

Anúncios

A ‘terra proibida’ francesa que ainda esconde restos humanos e munições químicas da 1ª Guerra Mundial

Quando pensamos no interior da França como algo idílico e romântico, pleno de belezas naturais e prazeres gastronômicos, nos esquecemos de que o país foi cenário das duas maiores guerras mundiais. Em certos locais, não só os velhos fantasmas da primeira e da segunda guerra ainda assombram, como certas ameaças que já contam mais de um século seguem vivas e prontas para “atacar”.

Ex-ETAMAT de Thouars (79)

Um território em especial, com mais de 100 quilômetros quadrados de área (o tamanho de Paris), permanece isolado e proibido o acesso, pela incalculável quantidade de explosivos e restos de munição prontas para explodirem. Além disso, restos humanos e de animais mortos no conflito se espalham por toda a região, assim como os químicos advindos das munições e bombas, que tornaram o solo e a água absolutamente contaminados, impedindo qualquer tipo de produção agrícola nas redondezas.

Ex-SFRM de Pierrefitte (79)

Spincourt lieu-dit de la Place-à-Gaz

Mémorial canadien de Vimy (62)

A região, localizada no noroeste da França, foi batizada de Zone Rouge (Zona Vermelha) e isolada inicialmente depois da primeira guerra mundial, mas o acesso continuava permitido. Em 2004 somente que pesquisadores descobriram níveis até 300 vezes maiores do que o permitido de arsênico no solo e na terra. O acesso foi enfim totalmente proibido em 2012.

Zona_França13

Fort de Douamont dans la forêt de Verdun (55).

Butte de Vaucquois dans la Meuse (55).

Ex-SFRM de Pierrefitte (79)

Até 2004, era comum que eventualmente um ou outro explosivo levasse um trator ou um desavisado aos ares. Agora finalmente a Zone Rouge encontrou o destino que a loucura humana antepassada (mas ainda tão presente) lhe reservou: tornar-se uma região fantasma, onde os espectros não são somente das vítimas das guerras, mas também feitos de ferro e pólvora, absolutamente reais.

Des démineurs se rafraichissent pendant une courte pause. Lors d'une plantation de jeunes sapins, des sylviculteurs ont décélé la présence possible de munitions. Après un rapide sondage du terrain fait par les démineurs du centre de Châlons-en-Champagne, ceux-ci découvrent à quelques centimètres sous terre, plusieurs obus allemands de 210 mm. Ceux-ci n'ont jamais été tiré et sont probablement les vestiges d'un dépôt de munitions sur le front de 1915. Ces obus pèsent environ 120 kilos chacun.

Explosion d'un des fourneaux sur le polygone d'explosifs. Campagne de destruction d'obus et de munitions non-explosées des services de déminages de la Sécurité Civile dans le camp militaire de Suippes.

Ex-SFRM de Pierrefitte (79)

Spincourt lieu-dit de la Place-à-Gaz

Zona_França11

Douaumont dans la forêt de Verdun (55).

Patrick Renoult, Chef démineur de la Sécurité Civile du Centre de Déminage de Versailles et responsable du Musée devant une collection de bombes et obus de la Première et de la Seconde Guerre mondiale.Musée National du Déminage et des collections de travail de la Sécurité Civile. Centre de déminage de Versailles.

Zona_França7

Vestiges de fusils de 14-18 dans une cour d'un village de la Somme.

Zona_França1

"Champ de bataille" reconstitué par Dominique Zanardi dans le jardin de son café-restaurant à Pozières dans la Somme (80).

Daniel Cuvillier, collectionneur, dans son musée privée à Bray-sur-Somme dans la Somme (80).

Une bassine remplie de balles de 14-18 trouvées par un collectionneur dans le Pas-de-Calais.

"Champ de bataille" reconstitué par Dominique Zanardi dans le jardin de son café-restaurant à Pozières dans la Somme (80).

© Fotos: Olivier Saint Hilaire

Vovó fisiculturista completa 80 anos e revela seus segredos para manter a forma

Alguma vez você já sentiu que seu corpo já não era mais o mesmo de antigamente? Isso pode acontecer quando temos 20, 30, 40 anos… ou também nunca! É o caso de Ernestine Shepherd, que exibe sua boa forma aos 80 anos e é considerada a fisiculturista mais velha do mundo.

Natural de Baltimore, EUA, ela nasceu em 1936 e só começou a se exercitar aos 56 anos. Desde então, já arrebatou dois prêmios de fisiculturismo e foi considerada a competidora mais antiga do mundo pelo Guinness Book. Como era de se esperar, nada disso apareceu por acaso na vida de Ernestine e foi preciso muita determinação para chegar a esse patamar.

Hoje ela acorda todos os dias às 3h da manhã, corre cerca de 130 km por semana e se alimenta de uma dieta controlada, composta principalmente por ovos, frango, vegetais e muita água. O resultado não poderia ser melhor e mostra que nunca é tarde para adotar um novo hábito saudável.

body2

O vídeo abaixo (em inglês) conta mais sobre essa inspiradora história:

body1

body3

body4

body5

body6

body7

body8

body9

body10

Todas as fotos: Reprodução Facebook e Reprodução YouTube

Esse é o primeiro vídeo de um tubarão branco dormindo

tubarao dormindo

Como um tubarão branco dormindo se parece?Se você não faz ideia, não tem problema. Isso era algo que nunca tinha sido visto em câmera até agora.Felizmente, um robô submersível capturou a primeira imagem deste predador marinho tirando uma soneca com a boca aberta. Sem surpresa, ele continua parecendo assustador.

O vídeo

Como você provavelmente já sabe, tubarões nunca param de nadar. Se esses animais cessam seu movimento, afundam e sufocam.Então, como sabemos que o tubarão flagrado está mesmo dormindo?

De acordo com o pessoal do Discovery Channel, que divulgou o vídeo durante seu programa anual “Shark Week” de 2016, a fêmea vista nas imagens, apelidada de Emma, muda de comportamento à noite.

Acompanhando a correnteza, ela diminui drasticamente sua velocidade e movimento, e seu corpo entra em um modo de “piloto automático” relaxado, com a boca aberta. Isso ajuda o tubarão a economizar energia para caçar suas presas durante o dia.

[Gizmodo]

O emocionante tributo feito em imagens para uma menina de 7 anos vítima de câncer

Ser diagnosticado com câncer é sempre assustador. Quando o paciente é uma criança, as coisas parecem ainda piores. Mesmo assim, muitas vezes os pequenos podem ser mais corajosos diante da doença do que muita gente grande. É o que mostra a usuária do Imgur Taisce, em um emocionante tributo a sua sobrinha Katherine King.

Katherine foi diagnosticada com um tumor cerebral no dia 2 de junho de 2015 e os médicos disseram que ela teria apenas nove meses de vida. A menina sobreviveu à doença durante 12 meses, mas acabou falecendo com apenas sete anos no último dia 7 de junho.

A homenagem é de partir o coração:

Adeus Katherine King

kat1

Você nos deixou cedo demais

kat2

Muito antes da sua hora

kat3

Ainda havia tanto o que fazer e experimentar

kat4

Você tinha sua vida inteira pela frente

kat5

Você deveria ter ido ao Ensino Médio

kat6

Deveria ter tido um namorado (ou namorada)

kat7

Se casado

kat8

Tido seus 2.5 filhos

kat9

E tido todos os seus sonhos realizados.

kat10

Ao invés disso você ganhou uma ampulheta.

kat11

Com o tempo que tinha você conscientizou pessoas

kat12

Angariou fundos para a caridade

kat13

Se preocupou mais com os outros do que consigo mesma

kat14

Você queria que todos fossem felizes

kat15

Que não se preocupassem com você – você até mesmo acreditava que era sua culpa estar doente

kat16

Você era gentil quando poderia ter perdido a cabeça

kat17

Você era corajosa mesmo que tivesse todos os motivos para estar assustada

kat18

Você era forte mesmo que estivesse permitido ser fraca

kat19

Enquanto você escorregava, você nunca quis que os outros se preocupassem

kat20

Em um momento em que você poderia ser egoísta, você foi altruísta

kat21

Você era amada por todos que a conheciam

kat22

Você tocou as vidas de todos que a conheceram, você os fez melhores através de sua própria força e amor

kat23

Seu tumor fez de você uma prisioneira de seu próprio corpo

kat24

Você não podia cantar, não podia dançar, não podia dizer a sua família que os amava

kat25

E o pior de tudo é que não podia mais comer sorvete de arco-íris

kat26

Ou dizer às pessoas que arco-íris era sua cor preferida

kat27

Te disseram que estava tudo bem em deixar acontecer, não sofrer, não sentir dor

kat29

E foi o que você fez e você fará falta para tantas pessoas

kat30

Você foi amada por mais do que poderá um dia imaginar

kat31

Mas você irá viver para sempre em nossas vidas e memórias

kat32

Todas as fotos © Taisce/Imgur

A homenagem foi também uma maneira encontrada por Taisce para conscientizar as pessoas a respeito da falta de recursos de pesquisa para câncer infantil. Segundo ela, a maior parte das pesquisas são financiadas de maneira privada. Graças a isso, ela aproveitou o momento para pedir doações para a instituição McKenna Claire Foundation. Também é possível fazer uma doação direto para a família da menina, através desta campanha na plataforma GoFundMe.