Artista de rua cria maior mural do mundo em Buenos Aires

O artista argentino Alfredo Segatori acaba de entrar para o Guinness Book por criar o maior mural de graffiti do mundo, na capital da Argentina. A obra, de mais de 2 mil metros quadrados, passou a fazer parte da paisagem de Buenos Aires recentemente e leva o nome de “El Regreso de Quinquela“.

O artista pintou o mural sozinho, mas contou com a colaboração de moradores e comerciantes da região, que cederam tintas e espaço para a realização da obra. Alfredo Segatori se inspirou na trajetória do artista Quinquela Martin, que costumava retratar os trabalhadores portuários da Argentina em suas obras. O mural criado por Segatori retoma o estilo, ao apresentar moradores do bairro e até mesmo cachorros de rua, formando uma espécie de espelho urbano da região.

Vale a pena ver de perto:

Segatori1-catraca

mural13

mural12

mural11

mural10

mural9

mural8

mural7

mural6

mural5

mural4

mural3

mural2

1-IMG_3021

Todas as fotos via BA Street Art

Anúncios

Paulo Freire é terceiro teórico mais citado em trabalhos acadêmicos no mundo



O educador, pedagogo e filósofo brasileiro Paulo Freire é considerado, mundo a fora, um dos mais notáveis pensadores da história da pedagogia. Patrono da educação brasileira, Freire é simplesmente o brasileiro mais homenageado em todos os tempos, com 29 títulos de Doutor Honoris Causa por universidades da Europa e da América, e centenas de outras menções e prêmios, como Educação pela Paz, da UNESCO, que Freire recebeu em 1986.

PAULOFREIRE2 
O criador da Pedagogia de Oprimido agora é citado em um novo e impressionante título de reconhecimento: Paulo Freire é o terceiro pensador mais citado do mundo em universidades da área de humanas. O levantamento foi feito através do Google Scholar – ferramenta de pesquisa para literatura acadêmica – por Elliot Green, professor associado da London School of Economics. Segundo ela, Freire é citado 72.359 vezes, atrás somente do filósofo americano Thomas Kuhn (81.311) e do sociólogo, também americano, Everett Rogers (72.780).
PAULOFREIRE3 
Outro ponto de reconhecimento da obra do educador pernambucano foi a menção da obra Pedagogia do Oprimido entre os 100 livros mais pedidos em universidades de língua inglesa pelo mundo. Reunindo mais de 1 milhão de ementas de estudos universitários americanos, ingleses, australianos e neozelandeses, o livro de Freire foi o único brasileiro a entrar no top 100 da lista. No campo de Educação, ele ficou em Segundo lugar entre os mais pedidos. O levantamento foi realizado pelo projeto Open Syllabus, e traz ainda outras 20 obras de Paulo na lista geral.
PAULOFREIRE5 
Em momento de intenso debate sobre educação no Brasil e sobre o legado do educador, a obra de Freire segue unânime pelo mundo. Na década de 1960, Paulo desenvolveu uma metodologia que realizou o feito de alfabetizar 300 cortadores de cana no Rio Grande do Norte em 45 dias. Paulo então foi convidado para preparar o Plano Nacional de Alfabetização, no governo João Goulart, que previa a formação de educadores em massa. O Golpe Militar, porém, interrompeu o plano e expulsou Paulo do país.

Created with GIMP 

Paulo Freire é referencia em países diversos pelo mundo, e sua teoria visa aproximar o conteúdo acadêmico da vida cotidiana dos estudantes, oferecendo a possibilidade de que estes se apropriassem de suas próprias educações. Para ele, estudar não era um ato de “consumir ideias, mas sim de cria-las e recria-las”.
“[É necessário] Criticar a arrogância, o autoritarismo de intelectuais de esquerda ou de direita – no fundo, da mesma forma reacionários – que se julgam proprietários: os primeiros do saber revolucionário, os segundos do saber conservador; criticar o comportamento de universitários que pretendem conscientizar trabalhadores rurais e urbanos sem com eles se conscientizar também; […] buscam impor a superioridade de seu saber acadêmico às massas ‘incultas’”. Assim escreve Paulo, em sua obra mais reconhecida, Pedagogia Do Oprimido.
PAULOFREIRE1 
Ignorar ou mesmo negar a importância, a originalidade e a inovação contida na obra de Paulo Freire é junto ignorar a necessidade e o potencial de renovação na educação brasileira – coisa que o resto do mundo, que não é bobo nem nada, jamais fez, e segue estudando e se aprofundando no legado desse que é um dos maiores nomes da história da educação mundial.
Se você quiser conhecer melhor a obra de Paulo Freire, acesse a página do seu instituto – ou visite qualquer universidade importante pelo mundo.
© fotos: divulgação

Fotógrafo faz imagens aéreas magníficas de campos de tulipas

https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/v/t1.0-9/13529162_1742592586017162_7166947856232348001_n.jpg?oh=3e983ef8f0ca60ac8452f6365225c20b&oe=58319A7B&__gda__=1480010027_9ec17254778ed147fe00ddce419aa868

Tulipas já são incríveis quando estamos olhando para elas no chão. As imagens aéreas feitas por David Burdeny, no entanto, são especiais. As cores e formas dos campos holandeses nos surpreendem com uma beleza que dificilmente imaginaríamos vendo-os de perto.

“As cores são muito mais intensas do que você acha que vão ser”, disse o fotógrafo ao portal Wired. “Eu fiquei muito chocado com quão brilhantes, quase fluorescentes, os campos eram quando o sol batia neles. Não há nada igual”.

Uma tarefa difícil

Burdeny se apaixonou pelas tulipas quatro anos atrás, quando voou para Amsterdã a partir de Vancouver.Ele decidiu voltar para a Holanda no ano passado com uma câmera e um drone caseiro, a fim de fotografar as belas flores de cima. No entanto, o pequeno veículo não conseguiu cobrir terreno suficiente e não era páreo para o vento persistente dos campos. Como resultado, as fotos não ficaram nítidas o suficiente.

Mas Burdeny não desistiu. Ele fez uma terceira viagem à Europa em abril deste ano para Noordoostpolder, onde as flores cobrem 2.500 acres. Milhares de turistas se reúnem ali para o festival anual de tulipas.

Elas florescem tipicamente entre março e maio, mas uma onda de frio atrasou a colheita por várias semanas em 2016. O fotógrafo começou a pensar que teria que fazer uma quarta viagem, mas as flores finalmente lhe brindaram com uma visão espetacular dois dias antes de ele ter que ir embora.

A incrível série de fotos

Burdeny fretou um helicóptero para aproveitar a sorte. Enquanto o piloto sobrevoava as tulipas, o artista inclinava-se para fora com uma câmera Phase One de 100 megapixels.As imagens impressionantes que ele conseguiu fazer capturam cores e simetrias impensáveis da paisagem holandesa. Veja algumas: 

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

HyperFocal: 0

[Wired]

 

Ele registrou sua filha com o nome errado e decidiu pedir desculpa pra mulher com um ensaio maravilhoso

Há 18 anos, Francisco Pérez, um construtor civil espanhol também conhecido como Paco, acabou bebendo mais do que devia momentos antes de ir ao cartório registrar o nascimento de sua filha.

O resultado foi desastroso, claro. Ele se confundiu com o nome e, ao invés de Noelia, sua filha acabou se chamando Natalia, para a decepção de sua esposa. Anos se passaram, e hoje com 50 e mais uma filha, Paco finalmente acredita que irá conseguir o perdão da sua esposa.

Para se retratar, ele aceitou a curiosa sugestão de um amigo fotógrafo de fazer um ensaio de “grávido”, homenageando a filha que teve o nome trocado.

ad_203096467

“Eu tive a ideia após brincar com Paco de como sua barriga estava grande que ele até parecia que estava grávido. Ele topou na hora!”, contou Martyn Wilkes, o fotógrafo. A sessão de fotos teve direito a barriga de fora, coroa de flores, natureza e delicados desenhos na barriga, acompanhados, claro, do nome correto da filha.

Que eles se divertiram, não há dúvidas. Mas e a mãe, será que desculpou o marido?!

ad_203096622

ad_203096670

ad_203096748

PacoMartyn1

PacoMartyn2

PacoMartyn3

PacoMartyn4

ad_203096355

Todas as fotos © Martyn Wilkes

Você sabe o que é uma virga?

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13509131_1274685329223448_2481715221938674664_n.jpg?oh=8f6c9823562cfc1a479bee564114b5d2&oe=57FC2AAF

Virga provavelmente é uma daquelas coisas que todo mundo já viu, mas não sabe o nome. É a chuva que cai, mas não chega a tocar o chão. A Wikipedia também a chama de “chuva invisível” ou “chuva fantasma”.

Elas aparecem normalmente em forma de listras que se estendem da parte de baixo das nuvens. Em regiões desérticas, ou com baixa umidade e alta temperatura, a chuva pode evaporar logo depois de deixar as nuvens.As virgas também aparecem em altas altitudes, e neste caso geralmente começam como a precipitação de cristais de gelo.

Tais chuvas são mais comuns no oeste dos Estados Unidos, nas pradarias do Canadá, no Oriente Médio, Austrália, no norte da África e até mesmo em latitudes bem ao norte, como na Suécia.A palavra virga vem do latim e significa “galho” ou “vara”. Esta chuva tem o aspecto mais dramático quando vista no nascer ou pôr do sol.

Virga sobre o oeste do Texas. Foto: Deborah Byrd

Virga sobre o oeste do Texas. Foto: Deborah Byrd

Virga sobre a Suécia. Foto: Jörgen Norrland Andersson

Virga sobre a Suécia. Foto: Jörgen Norrland Andersson

Vifga sobre o Condado de Lancaster, Pennsylvania. Foto: Beth Katz

Vifga sobre o Condado de Lancaster, Pensilvânia, EUA. Foto: Beth Katz

Virga sobre Montana. Foto: Jessica Gutliph Karr

Virga sobre Montana, EUA. Foto: Jessica Gutliph Karr

Virga próximo de Mexican Hat, Utah. Foto: Ron Ratliff

Virga próximo de Mexican Hat, Utah, EUA. Foto: Ron Ratliff

Virga no por do sol no norte da Suécia. Foto Birgit Boden

Virga no por do sol no norte da Suécia. Foto Birgit Boden

Virga em Washington. Foto Susan Jensen

Virga em Washington, EUA. Foto Susan Jensen

Virga no pôr do sol no Novo México. Foto Timothy Busch

Virga no pôr do sol no Novo México, EUA. Foto Timothy Busch

Virga sobre o Great Salt Lake, Utah. Foto: Ray Boren

Virga sobre o Great Salt Lake, Utah, EUA. Foto: Ray Boren

Virga sobre o Novo México. Foto: Jay Chapman

Virga sobre o Novo México. Foto: Jay Chapman

  [EarthSky]