O misterioso Lago Perdido que desaparece anualmente nos Estados Unidos

 

 

Um misterioso lago em Oregon, no Estados Unidos, tem chamado a atenção de pesquisadores, biólogos e cientistas ao longo dos anos. Chamado de “Lago Perdido”, o ponto que desperta a curiosidade fica dentro da Floresta Nacional Willamete, e simplesmente desaparece após ser sugado por um buraco no meio da água.

Ninguém sabe ao certo para onde vai toda a água do lago, que fica seco em meados do mês de maio, entre a primavera e o verão. Durante o inverno, ele enche novamente e os cientistas acreditam que este fenômeno se deve a zona vulcânica onde se encontra, acima de um extinto tubo de lava, formado após erupções próximas ao local. Assim, a água acaba infiltrando-se entre rochas vulcânicas, passando a ficar subterrânea.

Visto mais de 5 milhões de vezes, um vídeo no Youtube mostra a água se esvaindo rapidamente pelo buraco, como se fosse o ralo de uma pia. Mas, por enquanto, acreditam que não há preocupação pois o lago acaba se restabelecendo após um tempo.

Lost1

Foto © Justin Renshaw

Lost2

Foto © Stephanie Stott

Lost3

Foto © Ryan Brennecke

Lost-Lake-hole-1

Foto via

Anúncios

Airbnb se une à Disney Pixar pra oferecer hospedagem incrível na Grande Barreira de Corais da Austrália

Já pensou em passar uma noite na Grande Barreira de Corais da Austrália? Se a ideia parece um sonho impossível, é melhor você rever seus conceitos: graças a uma parceria do Airbnb com a Disney Pixar, você pode se hospedar no local por uma noite – e de graça!

A promoção faz parte dos concursos Night At, promovidos pela plataforma, que levam seus usuários para conhecer lugares únicos ao redor do globo . Para participar, basta acessar a página da Grande Barreira de Corais no Airbnb e responder porque você e mais três convidados pertencem à Grande Barreira. As respostas podem ser em português e devem ter entre 50 e 500 caracteres.

coral1 

Os ganhadores terão direito a uma noite em meio ao mar, em um ambiente preparado especialmente para recebê-los. Para contemplados que vivam fora da Austrália, as passagens aéreas também estão incluídas. O concurso visa promover o filme Procurando Dory, continuação da animação Procurando Nemo, em que a peixinha azul sai em busca de sua família.

Além da hospedagem atípica, os vencedores ainda terão direito a uma refeição preparada pelo renomado chef australiano Neil Perry, além de poderem participar de tours pelo coral acompanhados de um guia local. Equipamento de snorkeling e mergulho também estarão disponíveis para os mais aventureiros.

coral4 

A Grande Barreira de Corais tem mais de 209 mil quilômetros quadrados – uma área semelhante ao do Japão. A região tem também um rica fauna marinha, abrigando 100 espécies de água-viva, 3 mil variedades de moluscos, milhões de peixes, além de tubarões raias, baleias e golfinhos.

As inscrições vão só até 30 de junho e devem ser feitas neste link, onde você também encontra mais detalhes no regulamento da promoção. Depois de se inscrever, é hora de começar a treinar o seu baleiês.
 

Olha só o que te espera por lá:

coral2 

coral3 

coral5 

coral6 

coral7 

coral8 

coral9 

coral10 

Todas as fotos: Reprodução Airbnb

Conheça o ‘Banksy de Beirut’, o artista que quer unir a cidade através de seus incríveis murais

https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0-9/10959487_830228297025395_1875964992399104074_n.jpg?oh=3377f67a279f4df7911ea0fb4da83acf&oe=582F0BE8&__gda__=1475058910_38cf8ca205beb22788197efc06936c55

De 1975 a 1990, o Líbano viveu uma guerra civil que matou cerca de 250 mil pessoas e dividiu a população. Yazan Halwani nasceu alguns anos depois do fim do conflito, mas ainda percebe as tensões que diferenças ideológicas causam na sociedade. É por isso que ele tenta usar a arte para lembrar seus conterrâneos da busca pelo bem comum.

Aos 23 anos, Yazan pinta murais na sua cidade natal, a capital Beirut, para substituir antigos pôsteres e propagandas de políticos, muitos da época da guerra. Em seus lugares ficam retratos de poetas, músicos, atores e outros ícones locais, cercados pela caligrafia árabe.

55e9cc3e14000077002e4f9e

A mídia do Líbano chegou a chama-lo de “O Banksy de Beirut”. Segundo Yazan, “o maior problema do meu país e a maior motivação para o meu trabalho vêm do mesmo lugar: as forças políticas sectárias só trabalham a favor de seus próprios interesses”. Daí a ideia de lembrar a quem circula pela cidade que o país é feito por pessoas, não só por políticos.

562caf0aa0337ba34a3a6b0c_Yazan-Dr-resize

Além dos artistas, como a atriz e cantora Sabah, a também cantora Fairuz e o poeta palestino Mahmoud Darwish, ele também pinta gente comum, como Ali Abdullah, morador de rua que causou comoção após morrer numa noite de frio, e Fares, um garoto sírio que vendia flores em Beirut e morreu por causa da guerra em seu país.

55e9ccab1700009a01569842

Yazan também pinta muros em outros países, como a Alemanha e a Tunísia, além de criar quadros para exposições de arte. Gostou do trabalho dele? Então confira mais alguns de seus murais:

562cb06b0ccb86e26727af85_11313419_1424290047894843_1655387834_n

562cb3b0417876e167f428d7_Yazan-Fares-resize

13268568_1060931073955115_4673952126556368567_o

1458479_597921290256098_1985562795_n

484834_617471358301091_2010148799_n

154526_764789763569249_9115997734763490424_n

55e9cba11d0000ea01146d71

562caf53417876e167f42853_Yazan-Fares-1resize

Todas as fotos via © Yazanhalwani

Artista transforma atletas olímpicos em incríveis esculturas de papel

https://scontent.fgig1-4.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13600168_1745701345706286_5368388087931339960_n.jpg?oh=a1f9eb3207ca7003315b409b05e681f2&oe=58247BF3

A artista Raya Sader Bujana, de Barcelona, em parceria com o fotógrafo venezuelano Leo García Méndez, criou uma série de esculturas em papel feitas especialmente para uma sessão fotográfica inspirada nos Jogos Olímpicos.

Os atletas representados no projeto foram feitos com até 150 pedaços de papel, além de terem sido trabalhados de uma maneira que fossem criados diferentes efeitos de volume e profundidade, para que as incríveis esculturas mostrassem a agilidade dos movimentos esportivos através de suas curvas. “A textura, luz e volume que a técnica proporciona reforça a fluidez das peças.”, contou a artista.

paper-2

paper-3

paper-4

Raya conta que as figuras minimalistas levaram muitas e muitas horas de trabalho, mas que vê-las prontas é totalmente satisfatório. E o resultado é realmente incrível, confira:

paper-1

paper-5

26110897456_25676646ea

26143981125_44624e1478

26110998196_47aed73976_z

26110897566_427d00e860

26110897506_7babef9a1f

26112416866_7f11893965_b

Imagens © Leo García Méndez

Casal brasileiro que viveu amor proibido celebra 60 anos de casamento em ensaio maravilhoso

https://scontent.fgig1-4.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13731729_1747036732239414_3964516779959466906_n.jpg?oh=2b99e91fff6126c00fd90cc9f9f0add4&oe=582C4F7E

Não vamos ser clichê, mas é impossível ver uma história dessas e não se dar conta de que o amor não tem barreiras. Muito menos cor, sexo ou forma: ele simplesmente acontece. E quando acontece, abrace-o! (ou faça as malas e vá!).

Apesar dessa história ter acontecido na década de 50, ainda hoje existe um certo estranhamento ou aqueles burburinhos maldosos ao ver um casal de cores diferentes. O que pra muitos, felizmente, já soa de uma bizarrice sem tamanho.

Em meados dos anos 50, o casal formado por Ambrósio, 85, e Ana Maria Lopes, 77, passou por uma situação bastante difícil de preconceito. Eles se conheceram no Rio de Janeiro. Ana Maria havia se mudado do Rio Grande do Norte, e Ambrósio, de São Paulo, após terminar um relacionamento.

E então começou uma linda e arrebatadora história de amor. O relacionamento tornou-se um amor proibido, pois foi reprovado pelas próprias famílias, devido a questões sociais e raciais. Mas, nada disso foi suficiente para separá-los e o amor só foi aumentando.

Segundo relato de uma das netas do casal, Talita Lopes, sua avó saiu de casa no dia em que seu avô foi pedi-la em namoro. O relacionamento foi negado pelos irmãos de Ana Maria e, quando Ambrósio perguntou o que fazer diante daquela situação, Ana Maria simplesmente respondeu que iria fazer suas malas. ❤

13662517_1046509635434636_1790631358_o

Ao longo dos anos, eles tiveram duas filhas e cinco netos. A parte menos feliz da história é que Ambrósio e uma das filhas, mãe de Talita, vêm lutando contra um câncer. A ideia do ensaio partiu de Talita, “por ser uma vontade antiga minha e também pelo momento difícil que estamos passando”.

E como forma de celebrar esse amor tão bonito, se emocione (e algumas vezes ria) com essas fotos maravilhosas:

13639939_1046508628768070_1034432487_o

13647128_1046509812101285_1102667202_o

13662606_1046509558767977_1121126701_o

13662621_1046508772101389_1231183010_o

13663405_1046509825434617_288141089_o

13663566_1046509388767994_825569754_o

13681782_1046508678768065_1692799948_o

13682328_1046509962101270_1121281540_o

13682396_1046509215434678_1911249327_o

13682597_1046509115434688_943510549_o

13692184_1046509822101284_1500808202_o

13692268_1046509712101295_1509423800_o

13692317_1046508618768071_176916354_o

13699388_1046509785434621_195276277_o

13699575_1046509758767957_1751279478_o

Todas as fotos © Steffany Lima