10 descobertas enterradas reveladas por tempestades

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14034931_1762280037381750_181319778265984757_n.jpg?oh=e06baccdf1c81befe8bdc911f3665960&oe=5858B167

Artefatos históricos e interessantes podem estar profundamente enterrados sob a areia ou depositados no fundo do mar, mas temos sempre uma boa tempestade e clima selvagem para revelá-los.Confira alguns achados raros e estranhos descobertos graças a um tempo maluco, ajudando arqueólogos e caçadores de fósseis a poupar tempo e dinheiro:

10. Banha da Segunda Guerra Mundial

artefatos descobertos tempestade 10
Durante décadas, a banha de porco de um naufrágio da Segunda Guerra Mundial tem aparecido na praia depois de fortes tempestades em St. Cyrus, na Escócia. Mais recentemente, quatro pedaços apareceram na costa.As relíquias da guerra começaram a aparecer depois que um navio mercante foi bombardeado e afundou nas proximidades. Acredita-se que os destroços se quebram sistematicamente a cada tempestade na região, liberando um pouco mais da sua carga.

Os locais estão bem familiarizados com a visão e afirmam que a banha é boa o suficiente para ser usada hoje em dia, apesar de sua crosta de cracas. Os grandes pedaços eram uma dádiva durante a guerra, quando a banha não estava disponível para a maioria das pessoas.

9. Ruínas de Baile Sear

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em 2005, uma violenta tempestade atingiu a Escócia. Tragicamente, matou cinco membros de uma mesma família em Benbecula, mas também revelou ruínas que tinham se escondido na região por 2.000 anos.

Os locais sempre acharam que havia algo antigo nas margens de Baile Sear, mas as pedras e areia obscureciam os restos e ninguém sabia o que eram. Depois da tempestade, as estruturas ficaram visíveis na praia. Temendo que as ruínas fossem destruídas com outra tempestade poderosa, os arqueólogos as mudaram rapidamente. Eles identificaram os restos como duas cabanas pertencentes à Idade do Ferro.

8. Naufrágio no Alabama

artefatos descobertos tempestade 8

Revelado pouco a pouco por três furacões diferentes, o casco de um navio no Alabama foi finalmente recolhido quando o furacão Isaac atingiu a costa.

Existem dois mistérios que rodam o navio. O primeiro é a sua identidade. Historiadores locais acreditam que era uma escuna da Primeira Guerra Mundial chamada “Rachel”. Outros acreditam que era um navio desconhecido de antes da Guerra Civil.

Se for Rachel, um segundo mistério pode ser considerado. Qual era exatamente a sua carga? A escuna foi construída para transportar madeira serrada, mas foi operada durante a Proibição. Construída durante a guerra, com três mastros e 45 metros de comprimento, Rachel foi destruída durante uma viagem tempestuosa em 1923. Sua tripulação queimou o navio na costa, após sua carga (rumores de que era bebida ilegal) ser removida.

7. Tempestades de Connacht

artefatos descobertos tempestade 7
Tempestades atacaram a costa irlandesa de Connacht em 2014, resultando em uma tragédia arqueológica. Valiosos tesouros históricos foram danificados ou perdidos, enquanto novos foram desenterrados.

Dois cemitérios, que faziam parte de um mosteiro medieval encontrado na década de 1990, vieram à tona. Outras descobertas incluem casas afundadas dos séculos 18 e 19 e restos de 6.000 anos de idade do Neolítico.

Apesar dos achados, muito foi perdido também, como depósitos de cozinha antiga que nos davam pistas do que nossos ancestrais comiam. Todos da região foram arruinados, incluindo o mais antigo sítio remontando ao período Mesolítico final.

6. Bombas da Segunda Guerra Mundial

artefatos descobertos tempestade 6
Em 2014, tempestades excepcionalmente perigosas do Reino Unido causaram a inundação do rio Tâmisa. Também revelaram uma cena sinistra, quando marés e ventos desvendaram a localização de 244 bombas da Segunda Guerra Mundial.

Muitas cobriam o único local nas praias no qual guias de viagem diziam para as pessoas se divertirem. Algumas bombas eram alemãs, outras eram de treinamento britânicas.

Enterradas por um longo tempo, as bombas começaram a aparecer em meados de dezembro, quando o clima ficou inconstante. Quase todos os dias, telefonemas alertavam autoridades da descoberta de uma unidade.

Até hoje, elas continuam sendo encontradas. No ano anterior, 108 foram removidas das praias britânicas para a segurança do público. A parte realmente assustadora é que quanto mais tempo elas permanecem ativas sob a areia, mais instáveis ficam.

5. Moinho misterioso

artefatos descobertos tempestade 5
Uma peça histórica do passado da Carolina do Sul veio à tona após as inundações devastarem Richland County.

Arqueólogos examinaram vigas de madeira e pregos de aço descobertos depois que as águas se retiraram. Até a madeira de séculos de idade aparecer, os pesquisadores acreditavam que aquele era o local do moinho de Garner.

Mas o moinho é uma parte obscura do passado do condado americano. Especialistas não sabem o que produzia, e a comunidade do início do século 18 à qual pertencia também é um mistério. Quanto a finalidade das grandes vigas, poderiam ter parte de uma estrada que levava até Winnsboro, ou até uma ponte que hoje já não existe mais.

4. Ictiossauro

artefatos descobertos tempestade 4
Os ossos de um ictiossauro foram descobertos durante uma tempestade costeira em 2014, em Dorset. Com um tamanho de 1,5 metros, esse dinossauro se assemelhava a um golfinho, mas era na verdade um réptil marinho predatório.

Restos completos desta espécie não são comuns, por isso o achado se transformou em um momento de cinco estrelas quando se tornou claro só faltava uma parte do focinho deste esqueleto.

Caçadores profissionais de fósseis perceberam que a descoberta estava em perigo, no entanto, porque outra tempestade poderosa estava se aproximando. Como fósseis precisam ser cuidadosamente removidos durante um período de dias ou semanas, a escavação de oito horas foi quase como uma cirurgia de emergência. Pouco antes de uma nova tempestade aparecer, o predador de 200 milhões de anos de idade foi levado para a segurança.

3. A floresta de Galway

artefatos descobertos tempestade 3
Depois de tempestades assolarem a costa irlandesa de Galway, uma paisagem assombrosa surgiu da antiguidade. Cerca de 7.500 anos atrás, as águas subiram tão rápido que mataram uma grande floresta de carvalhos, pinheiros e bétulas. O clima recente revelou os tocos de árvores petrificados, alguns dos quais tinham quase um século de idade quando morreram.

O cobertor maciço de matéria orgânica que um dia enfeitou o chão da floresta foi também revelado. Em seguida, um residente encontrou um artefato de madeira de cerca de 1,5 metros por 1 metro. Ele foi identificado como um objeto de carvalho que remonta a 4.500 anos atrás.

Tal achado é uma evidência de que povos do neolítico ou da Idade do Bronze viviam na floresta antes de Galway Bay sequer ser formada.

2. Floresta subaquática

artefatos descobertos tempestade 2
A uma curta distância da costa do Alabama, há uma cápsula do tempo. Sob sedimentos marinhos, uma floresta primitiva foi preservada por 50.000 anos. O furacão Katrina mudou as areias de lugar e revelou os tocos de ciprestes, enormes e tão bem preservados que se pode sentir o cheiro da seiva quando eles são cortados.

Alguns troncos possuem 2 metros de largura e contêm milhares de anéis de crescimento, o que significa que possuem o segredo de milhares de anos de história sobre o clima no Golfo do México. No entanto, a vida selvagem submersa é hoje um pouco diferente do que costumava ser. Peixes, crustáceos e anêmonas são abundantes. Assim, os cientistas temem que o estado primitivo das árvores não vá durar, nem mesmo alguns anos. Desde que a floresta tornou-se um recife artificial, a vida marinha está destruindo lentamente a madeira.

1. Assassinato na árvore

artefatos descobertos tempestade 1
Depois de uma tempestade costeira derrubar uma árvore de 215 anos de idade na Irlanda, suas raízes revelaram o esqueleto de um adolescente medieval assassinado. Por acaso, alguém tinha plantado a árvore de faia na sepultura, por volta de 1800.

Quando a árvore caiu, o sistema radicular arrancou a metade superior do corpo do chão, levantando o garoto do seu túmulo. De acordo com os pesquisadores que analisaram o cadáver, com 17 a 20 anos de idade, o jovem comia bem o suficiente para ter pertencido a uma classe superior na época medieval. No entanto, ele já tinha doença da coluna vertebral por realizar trabalho físico desde muito novo.

Ele tentou, mas não conseguiu combater uma morte violenta. Dois danos às suas costelas se encaixam com golpes de faca. A evidência mais forte de que uma lâmina causou sua morte foi uma clara ferida de facada na mão esquerda, como se ele estivesse tentando afastar seu atacante. [Listverse]

1 comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s