Artista usa colheres para criar incríveis obras com comida

A arquiteta romena Ioana Vanc gosta de criar obras de arte usando diferentes objetos cotidianos. Se você tem fome de arte vai gostar de saber que, seus trabalhos mais recentes abandonam qualquer superfície convencional e, no lugar de telas, se preenchem em colheres com muita criatividade.

Composições geniais com comidas do dia a dia, como pães, cascas, frutas e legumes são feitas sobre o talher. Dessa arte quase que culinária saem animais, casas, flores, paisagens e ainda ícones da cultura pop, como Audrey Hepburn, Batman, o sapo Caco, Karl Lagerfeld e mais.

Veja nossa seleção e, se não estiver satisfeito, o Instagram da Ioana possui um cardápio que certamente irá agradar.

colher1

colher2

colher3

colher4

colher5

colher6

colher7

colher8

colher9

colher10

colher11

colher12

colher13

Todas as imagens @ioanavanc

Anúncios

Ex-morador de rua faz vaquinha para estudar medicina no Canadá e é aprovado com louvor

A vida não tem sido fácil para o pernambucano Denis José da Silva. Quando criança, ele, os pais e os irmãos chegaram a morar debaixo de uma ponte em Ipojuca. Pouco mais de dez anos depois, ele está prestes a se mudar para o Canadá, e conseguiu isso graças à ajuda de pessoas desconhecidas.
Quando estava no segundo ano do colegial, Denis foi selecionado para participar do programa Ganhe o Mundo, e estudou por seis meses em Manitoba, no Canadá. Por lá, se inscreveu em programas de bolsas de estudos de duas universidades, e, em junho, descobriu que passou.
denis-e-a-familia-antes-de-embarcar-pela-primeira-vez-ao-canada-quando-foi-selecionado-num-programa-de-intercambio-do-governo-de-pe-1467241765980_615x300 
O problema é que, apesar de terem trocado a casa de lonas debaixo da ponte por uma alugada em Ribeirão, na Zona da Mata de Pernambuco, os pais de Denis não conseguem bancar as despesas da viagem. Por isso ele criou uma vaquinha online para pagar custos como passagens aéreas e agasalhos.
A meta, de 8 mil reais, foi batida rapidamente: Em apenas dois dias, foram doados mais de 19 mil reais, e outros 34 mil estão pendentes. O jovem agradeceu pelas contribuições e disse que, se as pessoas concordarem, vai usar o dinheiro excedente e o que mais for doado para se manter no Canadá, além de ajudar a família – talvez até comprando uma casa.
7d148feb64eef8538fa531cc1e94e767 
67f2af3aa2dcaeeece0f2bac87afcdc1 
cee934637979895ae52485487dadca8a 
f24619a7d570e5707d22c2f276608cd7 
d29af8b0611b6b3e24092afe49c5dda5 
631e7b7a05742837ad8859c34a00e02f 
Fotos: Ashlley Melo/JC Imagem

A baleia mais solitária do mundo não tem família, não pertence a um grupo, nunca teve um parceiro

https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfl1/v/t1.0-9/14054937_1762324590710628_6243610228662290266_n.jpg?oh=72d2d431cc5a6213ed0ee98431057d34&oe=5855A467&__gda__=1481529890_8d17960ab6d3f41132d6b2ac9769495c

Aos emotivos de plantão, há um enorme coração vagando só pelo pacífico norte. Não, não se trata de um navegador abandonado, mas sim de uma pobre baleia – a baleia mais solitária do mundo. Segundo cientistas, ela não tem família nem grupo, nem jamais teve um parceiro sequer. E segue vagando, desde 1989 ao menos (quando foi descoberta), chamando pela companhia que jamais chega.

Baleia3

Sua existência foi descoberta pela marinha americana, monitorando potenciais inimigos. A razão de sua solidão é na mesma medida especial e melancólica: enquanto as outras baleias emitem seu canto em uma frequência entre 12hz e 25hz, ela canta em um grave inaudível para suas semelhantes, à baixíssima altura de 52hz – mais grave que a mais grave nota de uma tuba. Assim, as baleias simplesmente não são capazes de escutar seu clamor.

Baleia2

O som é de fato quase inaudível, e a história é tão comovente que um documentário está sendo produzido sobre a baleia solitária.

Especulou-se se esta seria uma baleia surda, ou se teria algum tipo de malformação, mas o próprio fato dela permanecer viva, mesmo que sozinha, em um ambiente tão duro quanto o Pacífico norte faz os cientistas crerem que trata-se de uma baleia saudável, e que seu impressionante tom de voz provavelmente venha de uma inesperada mistura genética. O que se tem certeza é que seu gigante coração segue clamando por companhia, tão regular quanto um metrônomo, ainda que ninguém responda.

Baleia1

© fotos: divulgação

Ela se tornou a primeira pessoa a surfar ao redor de um vulcão ativo

https://i2.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/08/vulcao-interna.jpg

Tem quem veja as viagens como uma maneira de fazer algo totalmente diferente na vida. Pode ser saltar de paraquedas, pular de bungee jump, comer aquela comida diferente ou, como Alison Teal fez, surfar ao redor de um vulcão ativo.

Ela surfou a apenas alguns metros de distância do fluxo da lava e tudo foi registrado em um incrível vídeo e muitas fotografias. A aventura aconteceu junto ao vulcão Kilauea, no Havaí, no dia 3 de agosto e foi registrada pelo fotógrafo Perrin James.

vulcao3

A jovem de 30 anos já foi apelidada de Indiana Jones Mulher por suas experiências malucas. Ela viaja o mundo em busca de desafios como este e registra tudo através do Instagram, onde reúne mais de 62 mil seguidores.

vulcao12

Mas se engana quem pensa que Alison está em busca apenas de aventura. Ela se envolve em experiências extremas para chamar a atenção para questões relacionadas ao meio ambiente e à vida selvagem.

Foi humilde assistir à terra sendo formada e isso me fez sentir mais ligada à natureza e ao mar do que nunca e me incutiu uma maior responsabilidade em ajudar a cuidar do nosso planeta para as gerações futuras desfrutarem“, escreveu ela no Instragram.

Em seu canal do Youtube, ela publicou um vídeo que mostra mais desta incrível aventura. Dá o play:

vulcao1

vulcao2

vulcao4

vulcao5

vulcao6

vulcao7

vulcao8

vulcao9

vulcao10

vulcao11

Destinos baratos para planejar sua próxima viagem

https://i1.wp.com/nomadesdigitais.com/wp-content/uploads/2016/08/destaque_lista.jpg

Está fazendo planos para uma viagem? Se a ideia é conhecer algum novo país, mas com opções que não te levem a falência, você precisa abrir os olhos para novos lugares. Vários países na Ásia, África, América do Sul e Europa oferecem baixos custos de acomodação, alimentação e transporte público e são excelentes destinos para viajantes brasileiros. Confira a lista elaborada pelo site Skyscanner.

Bangkok, Tailândia

bangkok

A riqueza cultural de Bangkok, misturada ao caos urbano (tipicamente proporcionado por cidades do sudeste asiático) e aos preços baixos, transformam a capital tailandesa em um destino imperdível para os viajantes mais aventureiros.

Além dos templos budistas, palácios e feiras populares, Bangkok é um ótimo ponto de partida para visitar as praias mais bonitas da Tailândia como Railay Beach, Maya Bay e Koh Phi Phi. A forte presença de companhias aéreas low-cost na região permite que os viajantes se desloquem entre cidades pagando pouco e conhecendo lugares incríveis!

Kathmandu, Nepal

Kathmandu

Pode-se dizer que as grandes atrações de Kathmandu se concentram nas três grandes praças Durbar, chamadas de “Praças Reais”. A principal está localizada no centro da cidade e está repleta de palácios e templos. Para conhecer essas praças é necessário pagar uma taxa para fins de preservação – esse é um dos únicos gastos que podem encarecer a sua viagem.

O centro gastronômico e de hospedagem está localizado no distrito conhecido como Thamel, ao norte da Praça Durbar. Aqui você encontra hotéis absurdamente baratos (a partir de R$ 11), além de inúmeros bares e restaurantes.

Cartagena das Índias, Colômbia

cartagena

Importante porto no período colonial, Cartagena é uma simpática cidade. Dentro dos muros da Ciudad Amurallada, é possível observar construções históricas muito bem preservadas, percorrer suas ruelinhas, além de apreciar o colorido dos prédios e as varandas repletas de flores – não faltam motivos para conhecer Cartagena!

Considerada um dos destinos caribenhos mais baratos, até mesmo na alta temporada os preços são acessíveis para brasileiros. Espere gastar entre R$ 8 e R$ 15 nas refeições, e pagar a partir de R$ 30 na acomodação.

Cairo, Egito

cairo

Cairo é um daqueles lugares que transportam você para dentro dos livros de história, mas que em pouco tempo já trazem você de volta à realidade, bem no centro do furacão de pessoas e de vendedores. Mas não se preocupe: a simpatia dos moradores locais fará você se acostumar com a muvuca e querer conhecer mais o Egito.

Apesar de caótica, a cidade tem muitos pontos turísticos belíssimos! As mesquitas resplandecentes, museus, grandes avenidas, palácios do século 19, tudo isso tendo como plano de fundo as pirâmides de Gizé.

Quito, Equador

quito

Localizada a 2.800 metros de altitude, Quito é a segunda capital mais elevada do mundo, atrás apenas de La Paz, na Bolívia. Por aqui existem apenas duas estações o ano todo: o verão (a estação seca) e o inverno (a estação chuvosa), o que garante uma temperatura média de 22ºC durante o ano.

Mesmo que a moeda usada no Equador seja o dólar estadunidense, as coisas por aqui são baratas. Em Quito, considere gastar com almoço ou jantar entre R$ 7 e R$ 25, dependendo do estabelecimento que você escolher. A passagem de ônibus na capital equatoriana é uma barbada: custa apenas R$ 1,10.

Budapeste, Hungria

budapeste

Com certeza, Budapeste é um dos destinos mais baratos para visitar na Europa! O curioso é que a capital húngara surgiu da união de duas cidades diferentes, Buda e Peste, separadas fisicamente pelo rio Danúbio. As pontes que unem um lado ao outro do rio são belíssimas, e o charme da cidade, indescritível.

Conheça o Parlamento e o Castelo de Buda, cartões postais da cidade, e delicie-se nos bairros mais boêmios com comida e cerveja a preços módicos (com R$ 15 é possível fazer uma refeição completa por aqui). A acomodação é o que há de mais barato: a partir de R$ 30 você encontra hostels e, partir de R$ 70, hotéis três estrelas.

Luang Prabang, Laos

luang_prabang

Um dos lugares mais fascinantes no Sudeste Asiático, seja por suas belezas naturais, seja por sua cultura, Luang Prabang está localizada entre dois rios, o rio Mekong e rio Nam Khan, que, além e emoldurarem a cidade, são fonte de sustento do povo local. A cidade, considerada Patrimônio Mundial segundo a UNESCO, é um lugar que parece ter parado no tempo.

Aqui é possível visitar templos e participar de cerimônias budistas, fazer trekking nas montanhas, passear com elefantes, conhecer as inacreditáveis cachoeiras de Kuang Si e o surpreendente mercado noturno da cidade. Em relação aos preços, espere gastar cerca de R$ 20 em hostels ou guesthouses, e R$ 35 em hotéis melhores. Com alimentação, considere gastar entre R$ 7 e R$ 16.

Hanói, Vietnã

hanoi

Ao viajar de avião, chega-se no país principalmente por duas grandes cidades: Hanói, a capital vietnamita, ao norte, e Ho Chi Minh, maior cidade e centro comercial do país, ao sul.
Não faltam razões para visitar o Vietnã: ambos destinos proporcionam um mergulho na história do país, por meio de bons museus e de antigas construções, e encantam turistas com as belezas naturais das praias locais.

Falando em praia, Hanói está a 3 horas de viagem de um dos pontos turísticos mais procurados do Vietnã, a Halong Bay, um cenário paradisíaco. Na capital, a comida local é extremamente barata, principalmente se comprada nas barraquinhas de rua: um prato pode custar menos de R$ 4. Refeições completas em restaurantes turísticos normalmente custam entre R$ 6 e R$ 9.

Zanzibar, Tanzânia

zanzibar

O Arquipélago de Zanzibar é composto por duas ilhas: Zanzibar (ou Unguja) e Pemba. Localizadas na margem leste africana, as ilhas são consideradas um estado semiautônomo da Tanzânia. Por aqui o turismo veio com tudo nos últimos dez anos, fazendo com que os preços aumentassem bastante – mesmo assim, os valores ainda são razoáveis para turistas brasileiros.

Zanzibar é um destino paradisíaco, com praias de areia branca e águas cristalinas esverdeadas. Charmosa, a cidade é repleta de ruelinhas, por onde se espalham cores e cheiros de especiarias.
Não existem hostels por aqui, mas pequenos hotéis oferecem quartos com banheiro compartilhado por R$ 40. Há muitos resorts na região e se você puder pagar, vale a pena investir no conforto.

Pequim, China

pequim

Pequim, ou Beijing, é o centro político, cultural e intelectual da China. Com uma história incrível, a cidade é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO, justamente por seus museus a céu aberto, como a Cidade Proibida, a Grande Muralha ou o Palácio de Verão.

A China é a potência que mais cresce a nível mundial e, no quesito turismo, se desenvolveu, principalmente, para receber os viajantes nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. O transporte público custa menos de R$ 2, e almoços e jantares ficam entre R$ 10 e R$ 30 – comer nas barraquinhas de rua e provar especialidades chinesas faz parte da aventura.

Cidade do México, México

cidade_do_mexico

Além do belíssimo e famoso litoral, o México também reserva belos passeios em sua capital. Mesmo sendo uma cidade grande, a Cidade do México proporciona ao viajante a vivência da cultura asteca e da história do país, por meio de interessantíssimos museus e belos prédios históricos – grande parte deles a preços acessíveis ou até mesmo gratuitos.

Não deixe de provar os sabores da culinária mexicana nas tradicionais barraquinhas de rua, onde é possível encontrar pratos bem servidos por até R$ 10.
Se sobrar uns dias sem programação, nada impede que você inclua no roteiro mais alguns destinos para curtir a diversidade mexicana e os tons azuis do mar caribenho – mas prepare-se para gastar um pouco mais no litoral.

Riviera Albanesa, Albânia

riviera_albanesa

Ainda longe do turismo massificado, o litoral albanês é considerado “a próxima Croácia”, de tão belas que são suas praias. Aproveite para curtir os mais de 50 km entre Dhërmi e Lukovë, conhecidos também como Riviera Albanesa, cercados por pedras claras e banhados por águas verde-turquesa cristalina.

A Albânia surpreende os viajantes ávidos por destinos pouco conhecidos, não só por sua história e belezas naturais, como também pelo preço das acomodações e refeições diárias: considere gastar R$ 15 em uma refeição completa, R$ 70 em apart-hotel. Em determinados pontos do percurso, é possível encontrar acomodações mais simples por preços mais em conta.

Fonte/Imagens: Skyscanner