No Acre, índios proibem entrada de candidatos não indígenas em aldeias

https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/14199691_1768453243431096_5665214672749264295_n.jpg?oh=99753c69252a832b2232e6b3510c6bf6&oe=584F3422&__gda__=1481754696_a493f451949b10237aef73a8c07d9b76

Ceifados em seus direitos e tratados desde sempre como um problema a ser resolvido (e removido) mais do que como cidadãos, os índios de 32 aldeias de Jordão, município acreano a 462 quilômetros de Rio Branco, resolveram reagir de forma radical e objetiva: qualquer candidato que não seja de origem indígena não pode mais sequer entrar nas aldeias. A decisão foi informada através de uma carta.

Acre2

Reunindo mais de 500 eleitores, a comunidade indígena representa 40% dos votantes na região. A questão é ambígua, visto que constitucionalmente os índios podem proibir a entrada de pessoas em suas terras. No entanto, a urna eletrônica fica localizada dentro de terras indígenas, às margens do Rio Jordão.

Acre4

Vale lembrar que a proibição é restrita à candidatos, sem impedir que pessoas que não sejam de origem Huni Kuin entrem nas aldeias. Segundo as lideranças, nas eleições passadas as aldeias não receberam recursos e kits que lhes foram prometidos, e que seriam destinados justamente às populações locais.

Acre3

Acre1

© fotos: divulgação

3 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s