10 lugares da Terra que parecem de outro planeta

https://i1.wp.com/magnusmundi.com/wp-content/uploads/2015/09/Petrifying-Well-005.jpg

Todos nós já vimos, ao vivo ou através de fotos e vídeos, lugares estonteantes na natureza. Nós, brasileiros, especialmente, vivemos em um país cheio de belezas naturais, desde as Cataratas do Iguaçu até a Amazônia, passando por praias, ilhas e florestas maravilhosas. Mas há outros lugares no mundo que possuem uma beleza um pouco mais estranha. Lugares que parecem quase alienígenas, como se só pudessem existir em um planeta parecido com o nosso, mas que evoluiu de uma maneira totalmente diferente. São lugares que os cientistas tiveram que lutar apenas para entender como eles puderam se formar na Terra. Lugares impressionantes não apenas pela beleza, mas porque eles parecem seguir leis científicas que não existem em qualquer outro lugar no planeta.

10 – O rio em ebulição

https://www.sundaypost.com/wp-content/uploads/sites/13/2016/04/Boiling-river_Somebodys-in-hot-water-.-..jpg

Nas profundezas da Amazônia encontra-se um rio com 6,5 km de comprimento e diferente de qualquer outro na Terra. O Shanay-Timpishka é tão quente que qualquer animal que entra nele é cozido vivo. Quando uma criatura infeliz cai lá dentro, seus olhos cozinham em primeiro lugar, derretendo em seu crânio. Em pouco tempo, o animal está com muita dor para se manter nadando em busca de segurança. A água enche a boca e os pulmões, e o pobre coitado é cozido de dentro para fora.

O rio chega à temperatura de 91 Cº – e os cientistas não sabem ao certo por que. Normalmente, águas que ficam assim tão quentes são alimentadas por um vulcão, mas o rio está cerca de 700 km do vulcão mais próximo.

Há uma teoria, no entanto. Os cientistas acreditam que água fervente das profundezas da Terra chega através de falhas no solo e aquecem o rio, tornando suas águas um sistema geotérmico diferente de qualquer outro na Terra.

9 – A caverna com uma atmosfera de enxofre

https://i0.wp.com/s2.glbimg.com/QWd7Zktdek1nL1A1_qN5IFbmu8M=/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2016/05/24/c0094889-cave_woodlouse-spl.jpg

No sudeste da Romênia, há uma caverna que ficou trancada, longe do menor raio de luz, por 5,5 milhões de anos e que tem uma atmosfera completamente diferente de qualquer outro dos lugares da Terra.

A caverna foi descoberta por trabalhadores que buscavam locais para a construção de uma usina. Eles testaram o solo em busca de lugares seguros para construir e abriram um caminho que os levou a um dos lugares mais estranhos na Terra.

Após descer através de uma entrada estreita e passar por uma série de túneis, você entra em uma câmara com um lago de água sulfúrica fedendo como ovos podres. O ar é tóxico, cheio de sulfureto de hidrogênio e contaminado 100 vezes acima dos níveis de dióxido de carbono da superfície.

O mais estranho, porém, é que todo um ecossistema tem sobrevivido lá dentro. Os pesquisadores descobriram 33 espécies dentro da caverna que não existem em qualquer lugar fora dela. Elas se adaptaram para sobreviver em um ambiente sulfúrico, e se alimentam de uma espuma que fica em cima das pedras.

8 – A fonte petrificada

https://i1.wp.com/magnusmundi.com/wp-content/uploads/2015/09/Petrifying-Well-005.jpg

Em Knaresborough, em North Yorkshire, na Inglaterra, exista uma fonte que parece ser algo tirado diretamente de uma história de ficção científica. É um lugar onde a água escorre de um penhasco que se parece muito com uma caveira arreganhada – e onde qualquer coisa que é colocada sob a água vira pedra.

O processo geralmente leva de três a cinco meses, mas você pode deixar qualquer coisa sob a água escorrendo e, quando voltar, será pedra. As pessoas realmente já deixaram de tudo lá, desde ursinhos de pelúcia a bicicletas, e tudo foi transformado em uma bela estátua de pedra.

Durante muito tempo, as pessoas acreditavam que a fonte havia sido amaldiçoada por uma bruxa. Os cientistas, no entanto, descobriram que a água só tem um conteúdo mineral muito elevado. Como resultado, ela cria um escudo mineral duro sobre qualquer coisa que toca – da mesma forma como estalactites formam-se em cavernas.

7 – O lago radioativo

Lago-Karachai-RUSIA

Dentro do que foi outrora uma fábrica de armas nucleares da União Soviética existe um lago mais cheio de material radioativo do que qualquer outra coisa na Terra. O Lago Karachay é tão radioativo que uma pessoa só precisa ficar perto dele por uma hora para morrer.

O lago foi usada pela União Soviética para despejar resíduos nucleares. Eles derramaram quantidades obscenas de material lá, o que causou grandes problemas. Em 1957, uma explosão na fábrica espalhou as partículas radioativas no lago por toda a região. Em seguida, em 1967, as águas secaram e a poeira radioativa foi soprada para lugares a cerca de 1450 km de distância.

Hoje, a água é coberta com concreto para evitar que desastres como esses aconteçam. A área ainda é tão tóxica, porém, que faz Chernobyl parecer um destino turístico ideal para a família.

6 – O parque que fica embaixo da água a cada primavera

https://i2.wp.com/i.imgur.com/LzMq5G5.jpg

Na Áustria, há um parque com trilhas bonitas e bancos para sentar e apreciar a paisagem durante qualquer manhã de outono. Se você visitar o lugar na primavera, porém, as coisas ficam um pouco diferentes – na verdade, você vai precisar de equipamento de mergulho para o passeio.

O parque fica perto das montanhas Hochschwab, que ficam completamente cobertas de neve no inverno. Há tanta neve nas montanhas que, quando ela derrete, o lago do parque dobra de tamanho e deixa o local embaixo d’água.

Se você nadar através dele na primavera, você verá bancos e pontes sob a água. Mesmo algumas das flores alpinas, que normalmente só sobrevivem acima da superfície, florescem sob a água. Em seguida, no meio do verão, a água começa a recuar e o parque emerge lá de baixo.

5 – A árvore dupla de Casorzo

https://i1.wp.com/imagens.mdig.com.br/natureza/arvore_dupla_Casorzo_02.jpg

No campo de Piemonte, na Itália, existe uma visão incomum. Há uma cerejeira lá que parece, em muitos aspectos, com qualquer outra cerejeira saudável, exceto pelo fato que ela cresce diretamente em cima de uma amoreira.

Esta não é uma situação completamente sem precedentes: árvores parasitárias crescem em cima de outras árvores, mas normalmente elas são pequenas e atrofiadas, e vivem vidas curtas antes de cair. Á árvore dupla de Casorzo, no entanto, consiste em duas árvores totalmente formadas e saudáveis, cada uma espalhando os seus ramos por cinco metros de diâmetro.

Ninguém sabe como isso aconteceu. Os moradores acreditam que uma ave pode ter derrubado uma semente de cereja no topo da amoreira. A semente então teria desenvolvido raízes que penetraram no tronco oco da amoreira e atingiram o solo, permitindo que a nova árvore sobrevivesse de forma completa e saudável.

4 – A tempestade interminável de Maracaibo

https://i1.wp.com/levelplay.com.br/wp-content/uploads/2015/08/406.jpg

No oeste da Venezuela, sobre o rio Catatumbo, há uma tempestade que nunca cessa. A partir de 19:00, raios caem sobre a água por dez horas durante 260 noites por ano.

Ninguém sabe ao certo por que isso acontece. Até recentemente, a principal teoria era que tinha algo a ver com urânio na rocha – embora os cientistas tenham começado a duvidar disso. Hoje, a principal teoria é uma questão complicada. Ela postula que a forma das montanhas faz com que ventos quentes colidam com o ar frio dos Andes. Essa colisão é então alimentada pela água evaporando rapidamente abaixo e metano vindo de um campo de petróleo nas proximidades.

 

Ninguém realmente sabe com certeza, no entanto, por que isso acontece. Tudo sobre o fenômeno é misterioso, incluindo um momento, em 2010, quando, inexplicavelmente, ele parou. Um dia, a tempestade simplesmente parou, sem explicação, e pareceu, por um tempo, ter acabado. Em seguida, após 6 semanas de silêncio, ela começou de novo e tem ficado ativa desde então.

3 – O lago colorido de Hokkaido

https://i0.wp.com/new-cloudfront.zekkei-japan.jp/images/spots/aflo_RYBA007353.jpg

Na ilha japonesa de Hokkaido, há um lago que é diferente de qualquer outro no mundo. A água tem um tom único de um azul elétrico que brilha e muda de tom quando você olha para ela a partir de ângulos diferentes. Conforme as estações mudam, a água muda de cor ainda mais, passando por tons de azul e verde.

O lago foi feito pelo homem. Os moradores locais fizeram uma represa na área e criaram um reservatório onde a água bloqueada pela barragem poderia ficar. Para surpresa geral, no entanto, a água recolhida ali mudou de cor.

Os cientistas acreditam que a cor estranha da água vem de partículas de hidróxido de alumínio. As partículas refletem a luz azul excepcionalmente bem, tornando o reflexo do céu acima muito mais vívido que qualquer corpo de água em qualquer outro lugar na Terra.

2 – As rochas musicais da Pensilvânia

No topo de uma colina, na Pensilvânia, nos EUA, há um campo cheio de estranhas rochas e ninguém sabe por que elas estão lá. Não há nenhum penhasco próximo, de modo que elas não poderiam ter chegado lá através de um deslizamento de terra, e os nativos que sabiam sobre as pedras antes dos colonizadores europeus chegarem acreditavam ser um fenômeno natural.

A sua existência e sua localização não são a parte mais estranha da história, entretanto. Em vez disso, essa honra vai para o som que elas fazem quando você bate nelas – um badalar que soa quase como o prato de um kit de bateria.

Há teorias, mas não sabemos completamente por que elas fazem este barulho estranho. Uma investigação, porém, descobriu que elas fazem isso por conta própria. Quando você bate uma única pedra, ela deixa escapar um tom de baixa frequência que não pode ser ouvido por ouvidos humanos. Quando você toca elas juntas, no entanto, os tons interagem e isso é o som que nós realmente ouvimos.

1 – O vulcão com lava azul

https://i1.wp.com/www.fatosdesconhecidos.com.br/wp-content/uploads/2015/03/1317.jpg

Na Indonésia, há uma mina de enxofre construída em um vulcão, e quando os trabalhadores entram lá durante a noite, eles apagam as luzes. Eles não precisam delas, porque seu caminho é iluminado por um estranho líquido brilhante azul que escorre como lava.

Kawah Ijen é frequentemente descrito como um vulcão com lava azul, embora os cientistas saibam agora que o líquido azul não é realmente lava – é enxofre. Gases sulfúricos dentro do vulcão aqueceram demais e explodiram para fora dele, atirando chamas azuis até 5 metros no ar. Os gases então condensaram em enxofre líquido, que se derrama para baixo nas encostas da montanha, parecendo um fluxo de lava azul néon.

Todo o enxofre no ar torna o lugar tóxico, e os pesquisadores e fotógrafos que o visitam têm de usar máscaras de gás para se manterem seguros. Os trabalhadores na mina, no entanto, não usam – e sofrem com o ar irrespirável, enquanto trabalham à luz de um brilho azul pálido que está lentamente os matando. [Listverse]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s