A história do cachorro que está servindo de inspiração ao superar suas dificuldades físicas

 

Assim como os seres humanos, alguns animais nascem com dificuldades físicas que lhes colocam na frente desafios ainda maiores ao longo desta vida. É o caso do pequeno bulldog Bonsai, que apesar de vir ao mundo com várias doenças genéticas, segue firme e forte na sua luta diária, esbanjando ainda uma boa dose de fofura por onde passa.

Nascido com síndrome de regressão caudal, uma malformação congênita que provoca alterações no nível de desenvolvimento da metade inferior do corpo, o cãozinho não tem apenas esta barreira. Tal condição ainda pode afetar a parte inferior das costas (incluindo a medula espinhal) e das extremidades, o sistema urinário e os órgãos genitais, além do gastrointestinal. Além disso, Bonsai veio ao mundo com metade da espinha, sem pélvis funcional e pernas contraídas, o que o impossibilita de andar quando somada a síndrome do cão nadador, uma anormalidade genética que atinge cães com patas curtas. As patas traseiras tiveram de ser amputadas.

BonsaiBulldog

Enfim, uma lista de problemas colocam sua vida em diversos riscos, mas com apoio dos donos e da comunidade, o bulldog segue sobrevivendo. Diante das dificuldades, o primeiro passo foi entrar em contato com a Friends of Emma, uma organização de resgate no Texas, dedicada a ajudar cachorros com necessidades especiais.

Apesar de lhe faltar uma série de coisas, Bonsai tem ainda um coração cheio de amor pra dar e receber. Não à toa, o cãozinho recebeu mais de US$ 20 mil através de financiamento coletivo para passar por cirurgias, exames e ter todo o acompanhamento necessário. Hoje, ele já está grandinho e seguindo em frente com seus tratamentos. Força, Bonsai!

BonsaiBulldog3

BonsaiBulldog2

BonsaiBulldog12

BonsaiBulldog11

BonsaiBulldog9

BonsaiBulldog8

BonsaiBulldog7

BonsaiBulldog6

BonsaiBulldog5

BonsaiBulldog4

Bonsai6

Bonsai8

Todas as fotos: Reprodução

Qual é a maior cachoeira do mundo?

Salto Ángel

Salto Ángel
A maior cachoeira do mundo é Salto Ángel, ou Cataratas Ángel, na Venezuela, com 979 metros de altura, de acordo com a National Geographic Society.A queda começa sobre a borda do Auyantepui, que significa Montanha do Diabo, uma área elevada de terreno localizada no Parque Nacional Canaima.
Alimentada pelo rio Churun, a cachoeira derrama água sobre a borda da montanha, mal tocando o penhasco. A altura da queda é tão grande que o fluxo se pulveriza em uma “nuvem”, que parece mais neblina, até continuar através de uma série de corredeiras na parte inferior da cascata.As Cataratas Ángel foram nomeadas em homenagem a um explorador americano e piloto, Jimmy Angel, que caiu de avião em Auyantepui em 1937.

Gigante

A altura total das Cataratas Ángel inclui tanto o mergulho em queda livre quanto um trecho de corredeiras íngremes em sua base. Porém, mesmo descontando essas corredeiras, a longa queda ininterrupta de 807 metros ainda quebra recordes e ganha de longe da maior cachoeira do Brasil, a Cachoeira do El Dorado, com cerca 365 metros, localizada no Parque Estadual da Serra do Araçá, no Amazonas.No entanto, Salto Ángel é apenas a cachoeira mais alta da Terra. Existem outras formas de se classificar cachoeiras, e encontrar uma campeã absoluta para “maior do mundo” pode ser difícil.

Outras grandes cachoeiras

Definir qual a maior cachoeira do mundo é um pouco complicado porque não existe um padrão universal para designar o que conta como uma cachoeira.Algumas cachoeiras consistem de uma única queda; outras incluem uma cascata suave sobre corredeiras; outras envolvem ainda uma combinação das duas coisas (como Ángel).
Inga Falls, uma área de corredeiras no rio Congo, pode ser considerada a cachoeira com o maior volume do mundo. Mais de 46 milhões de litros de água caem lá a cada segundo. No entanto, sem uma queda vertical significativa, a Inga Falls pode nem ser vista como uma cachoeira em determinadas classificações.
Inga Falls

Inga Falls
Em comparação, as Cataratas do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina, possuem 275 quedas d’água, mas suas maiores cachoeiras possuem “apenas” cerca de 82 metros. Seu volume é de 1,5 milhão de litros por segundo, normalmente. Pode ficar maior às vezes.Das cachoeiras que incluem uma única queda vertical, a com o maior volume é Khone Falls, de 14 metros, na fronteira entre Laos e Camboja. Derramando 9,5 milhões de litros no rio Mekong cada segundo, o fluxo de Khone é bastante poderoso.

A campeã invisível

Debaixo d'água

Debaixo d’água
Se formos levar a definição “do mundo” a sério, e não só “em terra”, a maior cachoeira conhecida na Terra é uma que na verdade encontra-se debaixo d’água, entre a Groenlândia e a Islândia.A Catarata do Estreito da Dinamarca tem mais de três vezes a altura do Salto Ángel: 3.505 metros.
A catarata subaquática é formada pela diferença de temperatura entre a água em cada lado do estreito. Quando a água mais fria e densa do leste encontra a água mais quente e leve do oeste, a água fria flui para baixo e debaixo da água morna. [LiveScience, GuiadoTurista]

A casa da infância de Harry Potter está à venda

O bruxinho Harry Potter já arrecada milhões de fãs pelo mundo afora. Mas, infelizmente, apenas um deles terá a oportunidade de morar na casa em que o personagem passou sua infância. Como assim? Pera, que a gente explica tudo!

A casa que foi usada no filme Harry Potter e a Pedra Filosofal como o local em que o menino teria vivido até os 11 anos ao lado dos tios Vernon e Petunia Dursley foi colocada à venda por £ 475 mil (cerca de R$ 2 milhões). A residência fica localizada no condado de Berkshire, próximo de Londres, na Inglaterra.

harry1

Reprodução Harry Potter e a Pedra Filosofal

Com três quartos e garagem, a casa está com um preço similar ao de outras residências no entorno e as informações sobre a compra podem ser obtidas através do site Chancellors. Entre os destaques do local está ainda uma sala de estar, um jardim e o armário sob as escadas onde ficava o quarto do bruxinho.

Dá só uma olhada nas fotos da casa:

harry2

harry3

harry4

harry5

harry6

harry7

harry8

harry9

harry10

Todas as fotos: Reprodução

Espetacular rocha sedimentar marciana é fotografada pela sonda Curiosity

https://scontent-grt2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14322751_1775198266089927_3592318847156446312_n.jpg?oh=bc7509fa46de03457bde7a5ca908d64c&oe=586CD580

Aos poucos, os pesquisadores estão desvendando todo o passado geológico de Marte. Novas imagens coloridas feitas pela sonda Curiosity da NASA mostram que o planeta não perde em nada para os parques naturais da Terra.

O robô está atualmente explorando a região de Murray Buttes em Mount Sharp. Os montículos e mesas de Marte são restos erodidos de arenito antigo que se originaram quando os ventos depositaram areia na região, depois do Mounte Sharp ter se formado.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/marte-rochas-sedimentares-1-838x748.jpg

“Estudar estes montículos de perto nos deu uma melhor compreensão das dunas de areia antigas que se formaram e foram enterradas, quimicamente alteradas por águas subterrâneas, exumadas e erodidas para formar a paisagem que vemos hoje”, disse o cientista da missão Curiosity, Ashwin Vasavada, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, EUA.

Marte e o potencial de vida

As novas imagens representam a última parada de Curiosity em Murray Buttes, por onde o robô tem passeado por pouco mais de um mês.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/marte-rochas-sedimentares-2-838x748.jpg

A partir desta semana, a sonda vai se dirigir mais para o sul, para a base do último montículo que deve analisar. Em seguida, Curiosity vai subir o Mount Sharp, deixando para trás essas formações espetaculares.

A sonda aterrou perto de Mount Sharp em 2012. Curiosity chegou à base da montanha em 2014, depois de encontrar com êxito nas planícies que rodeiam antigos lagos marcianas evidências de condições que teriam sido favoráveis para micróbios florescerem, se Marte tiver hospedado vida.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/marte-rochas-sedimentares-3-838x748.jpg

Camadas de rocha que formam a base do monte acumulavam sedimentos nesses lagos antigos bilhões de anos atrás. No Mount Sharp, Curiosity está investigando como e quando as condições marcianas habitáveis do passado que a missão descobriu acabaram evoluindo para as condições mais secas e menos favoráveis para a vida hoje.

https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/marte-rochas-sedimentares-4-838x748.jpg

 https://hypescience.com/wp-content/uploads/2016/09/marte-rochas-sedimentares-5-838x748.jpg

Noiva troca buquê de flores por filhotes resgatados e cria álbum de casamento maravilhoso

Sarah e seu marido Matt, que vivem na Pensilvânia, Estados Unidos, são verdadeiros apaixonados por animais, e trabalham ativamente no resgate e adoção de cachorros através de uma ONG que criaram junto com um grupo de pessoas da sua cidade, a Pitties.Love.Peace.

E quando eles resolveram se casar, claro que não podiam deixar os bichinhos de fora. Foi quando Sarah teve uma ideia incrível e inovadora, e optou por substituir o tradicional buquê de flores que suas madrinhas segurariam nas fotos por, adivinhe, lindos filhotinhos!

wedding-puppies-instead-flowers-pensylvannia-1

A ideia era incluir os cachorros num dia tão especial para os noivos mas, principalmente, ajudar a promover a sua adoção. Até mesmo os padrinhos entraram na brincadeira, e também tiraram fotos com os fofíneos.

Segundo Caroline Logan, a fotógrafa do casamento, nunca foi tão fácil arrancar sorrisos para suas fotos. “Quem precisa de flores quando se tem filhotes?“, brincou.

wedding-puppies-instead-flowers-pensylvannia-5

Sarah ainda reforçou a importância de adotar ao invés de comprar animais, e disse que os filhotes das fotos estarão disponíveis para adoção em breve. Alguém aí também queria morar na Pensilvânia?!

57e0640e180000c706315a81

57e0645b1300002b0039d147

57e064d01300002b0039d149

57e06501180000113cbd27ec

wedding-puppies-instead-flowers-pensylvannia-12

57e063bc180000113cbd27e7

Todas as fotos © Caroline Logan