Professores em cidade dos EUA levam alunos a pé pra casa depois das aulas para que eles cheguem em segurança

 Cinco professores da Whitney Achievement Elementary School, de Memphis, EUA, estão dando uma lição de cidadania fora da sala de aula. Eles levam os alunos a pé até suas casas para garantir a segurança destes.

Este ato heróico foi descoberto através de uma foto divulgada no Facebook que se tornou viral. Uma residente da cidade, Tabitha Tudy Jones, registrou o momento em que o professor Carl Schneider estava conduzindo as crianças até seus lares.

Essa rotina pouco usual começou há três anos com o objetivo de garantir que os quase 200 alunos da instituição caminhassem uma milha e meia até sua comunidade sem correr perigo. Hoje os professores Kevin Sullivan, Auriel Rolle-Polk, Allison Thompson e Valeria Bostick são os demais solidários ao projeto.

A diretora da escola Debra Broughton comenta: “quando inauguramos a escola, nós reconhecemos que havia uma necessidade na comunidade para as crianças conseguirem chegar em casa com segurança”. O caminho de algumas dessas crianças até casa passa por zonas algo perigosas e a escola colocou a segurança como prioridade. Só não esperava que os professores fossem tão longe.

Carl Schneider conta que essa atitude ajuda a quebrar os limites formais entre professor e aluno e a construir um relacionamento mais aberto com as crianças. “Nós conseguimos conhecer melhor as crianças e conversar sobre o que elas fizeram no fim de semana ou o que aprenderam na escola nesse dia”, conclui Carl.

professores2

professores4

professores5

professores6

professores7

Todas as imagens via Facebook

Anúncios

Esse casal de 80 anos correu de mãos dadas sua última maratona pra celebrar o amor que os une

Kay e Joe, ambos com 80 anos e casados há 57, resolveram comemorar o aniversário de casamento de um jeito inusitado. Eles participaram do Cork City Marathon, tradicional maratona que acontece na Irlanda todo verão. Faltando pouco menos de 1 km para a linha de chegada, o casal deu as mãos e terminou a corrida junto, em 5 horas e 23 minutos. Costume, aliás, que os pombinhos mantêm desde a primeira corrida a dois, em 1986.

O casal, que foi o primeiro colocado na categoria da sua faixa etária, começou a correr relativamente tarde, aos 49 anos, incentivados por um de seus filhos, e então não pararam mais. Kay já competiu em 113 maratonas, e Joe em 29 (uau!) e, por conta desta paixão, acabaram conhecendo várias cidades ao redor do mundo.

onda3d-5e9cdfc91d1f2abb71e1112578bb5d53-limit_2000 

Ambos haviam concordaram que essa maratona seria a última, mas parece que o amor pela corrida anda falando mais alto, e talvez eles adiem a despedida e participem de mais algumas maratonas. “Corrida faz parte de nossas vidas, e esperamos que continue fazendo parte por mais alguns anos”, disse Kay.

dk06062016_marathon_030_187e6e9533501b9ca3237f501112b88f.today-inline-large 

onda3d-10e3109d9cd42a322fb8b311bfb498c8-limit_2000 

onda3d-7782ed58115a13b6f23bd22f3cb133ae-limit_2000 

onda3d-cf9c7d01f9ab986423c76945f9f491aa-limit_2000 

hand_in_hand_finishing_first_marathon_london_1986_2_f805e8b92e93246148dbc64019e8600e.today-inline-large 

dk06062016_marathon_040_6db3c8f4074a84f41594f64e20498abe.today-inline-large

Fotos © Kay O’Regan e Darragh Kane

Estas são algumas das melhores imagens do concurso que elege as fotos de animais mais cômicas do ano

Tom Suliam e Paul Joynson-Hicks, dois fotógrafos que vivem na Tanzânia, são os responsáveis pelo Comedy Wildlife Photo Awards, um concurso lançado no ano passado que tem como objetivo premiar as fotos mais engraçadas de animais.

Na sua primeira edição, o concurso premiou o fotógrafo Julian Radd, que venceu com uma incrível imagem de um hamster que parece ter pressa para chegar em algum lugar.

comedyanimalphotos1-6c824d975bf9f10caad0e001eefa0d8a

O concurso é uma parceria com a Born Free, fundação que se dedica aos direitos dos animais e apoia a exterminação da caça na Tanzânia e no mundo inteiro.

“Em vez de chamar a atenção do público em geral mostrando raposas sendo ‘rasgadas em pedaços’ por cães, nós pensamos que podíamos comemorar a vida selvagem e aumentar a consciência dessa forma”, disse Tom.

Na edição deste ano, encerrada no dia primeiro deste mês, mais de 3 mil imagens foram inscritas. Enquanto o resultado não sai, confira algumas das fotos mais bem cotadas:

1

comedyanimal7

comedyanimal4

comedyanimal3

comedyanimal5

comedyanimal6

comedyanimal1

comedyanimal2

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Todas as fotos © Comedy Wildlife Photo Awards 2016

Esta série de fotos prova que o amor não tem idade pra acontecer

Tem coisa mais reconfortante nesse mundo do que ver um casal de velhinhos felizes e apaixonados? Ao contrário do que muitos imaginam, o amor pode sim continuar ou então simplesmente florescer na terceira idade. Afinal, a palavra idoso não é sinônimo de chatice muito menos de monotonia.

E esta compilação de fotos feitas pelo site Bored Panda comprova que amor e diversão não tem idade, dependem somente da maneira como você decide levar a vida, mostrando que nunca é tarde para ser feliz!

Pura inspiração

elderly-couples-in-love-1-57f4be6f34e6a__605

elderly-couples-in-love-2-57f4be71c774d__605

elderly-couples-in-love-3-57f4be7428202__605-1

elderly-couples-in-love-4-57f4be75f2a8f__605

elderly-couples-in-love-5-57f4be786d6f5__605

elderly-couples-in-love-6-57f4be7a41362__605

elderly-couples-in-love-8-57f4be7e3c90c__605

elderly-couples-in-love-9-57f4be7fda5b3__605

elderly-couples-in-love-10-57f4be81ca691__605

elderly-couples-in-love-13-57f4be877b952__605

elderly-couples-in-love-14-57f4be8934a77__605

elderly-couples-in-love-33-57f4d99a57863__605

elderly-couples-in-love-39-57f4df648612e__605

elderly-couples-in-love-42-57f4e13e3cb89__605

Todas as fotos via © Bored Panda

Este cachorro conseguiu acabar com os pesadelos de seu pequeno dono autista

O pequeno Tupper Bunlop, do Canadá, foi diagnosticado com autismo quando tinha 2 anos de idade. Com dificuldades para dormir, ele acordava seus pais a cada 20 ou 40 minutos todas as noites por horas e horas. A situação mudou graças a Lego, um labrador que virou seu melhor amigo.

Quando percebe que o garoto está tendo pesadelos, o cão encosta em Tupper e “o abraça”, ajudando a acalmar a situação. Segundo Nancy, mãe do menino, ele tinha problemas para dormir desde que nasceu. Demorava para pegar no sono e logo acordava.

4

Antigamente, dormia de 3 a 6 horas por noite, acordando várias vezes. Agora, dorme de 8 a 10 horas, muitas vezes sem nenhuma interrupção. E não é só no sono que Lego ajuda: às vezes Tupper começa a bater coisas na cabeça a se arranhar e morder, mas o cachorro logo se aproxima e o tranquiliza.

13731719_1363371607013644_2991040938390909759_n

A mãe do menino diz que seu comportamento também mudou. Antes, era complicado ir com ele a alguns lugares, porque Tupper saía correndo o tempo todo, inclusive em ruas movimentadas. “Lego está permitindo que a gente saia e faça coisas que não conseguíamos fazer como família“, conta.

7

5

6

3

14581554_1501403923210411_3410070872791574021_n

8

13428382_1337212119629593_2359654388307202358_n

13450264_1340896215927850_152107634017125380_n

14470623_1501401386543998_8532413351553390262_n

14390710_1475042489179888_7755048978912399715_n

13934850_1381906815160123_1410538649635668674_n

14479730_1485619331455537_8182454499092411473_n

Todas as fotos © The Adventures of Tupper and Lego