Ao longo de 30 anos ele fez registros impactantes de jovens e crianças do Bronx

https://scontent.fssa2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14915308_1800488850227535_4477069248344445103_n.jpg?oh=6dbef08cb3214b162d2327f882a4f003&oe=589AABA8
Bronx Boys. Neste livro, o fotógrafo norte-americano Stephen Shames compilou mais de 30 anos de vida em Nova York. A seleção de fotos em preto e branco, feitas ao longo de sua vivência no Bronx, capta a essência de um dos bairros mais famosos dos EUA.
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-8-900x598
O olhar realista de Shames ajuda a retratar a vida dos jovens, desde os romances adolescentes, passando pela cena do Hip Hop, até as dificuldades de quem não tem onde dormir. Além disso, o fotógrafo captou com suas lentes o uso de drogas e a posse de armas, mas também momentos de diversão em uma piscina pública.
Confira algumas fotos do livro Bronx Boys:
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-17-900x595 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-16-900x592 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-15-900x1354 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-14-900x1379 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-13-900x593 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-12-900x598 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-11-900x597 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-10-900x595 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-9-900x598 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-7-900x597 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-5-900x603 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-4-900x1351 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-3-900x1383 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-2-900x611 
touching-black-and-white-pictures-of-children-from-the-bronx-1-900x605
Fotos: Stephen Shames
Anúncios

Hotel na Itália inaugura piscina de vidro a 12 metros de altura

Um resort no norte da Itália está testando o sangue frio de seus hóspedes. O Hubertus, estabelecimento localizado nas Dolomitas, cadeia montanhosa parte dos Alpes, inaugurou uma piscina de borda infinita a 12 metros de altura.

piscina-1

piscina-2

O hotel está a quatro horas de Milão, fica a 1350 metros de altitude e faz sucesso entre esquiadores e montanhistas. Já a piscina – que é aquecida – foi construída acima da colina onde está o hotel e possui parte do piso em vidro.

A ideia é permitir que os hóspedes se sintam flutuando entre o céu e a terra.

piscina-3

skypool-26-969x483

* Todas as fotos: Divulgação

Scimitar oryx

https://i2.wp.com/www.theonlinezoo.com/img/21/toz21268l.jpg

O órix cimitarra ou órix (Oryx dammah), também conhecido como o órix Sahara, é uma espécie de Oryx extinta na natureza desde 2000. Ele anteriormente habitado todos Norte de África . Ele tem uma história taxonômica longa desde a sua descoberta em 1816 por Lorenz Oken , que nomeou-o Oryx Algazel. Este antílope espiral-horned está um pouco mais de 1 metro (3.3 ft) no ombro. Os machos pesam 140-210 kg (310-460 lb) e as fêmeas pesam 91-140 kg (201-309 lb). O casaco é branco com um peito vermelho-castanho e marcas pretas na testa e no comprimento do nariz. Os bezerros nascem com um casaco amarelo, e as marcas distintivas estão inicialmente ausentes. Os casacos mudam para coloração de adulto com 3-12 meses de idade.

https://i2.wp.com/www-tc.pbs.org/wgbh/nova/next/wp-content/uploads/2014/05/scimitar-horned-oryx.jpg

A cimitarra oryx formou rebanhos de sexos mistos de até 70 membros, geralmente guiados pelos touros. Eles habitavam semideserts e desertos e foram adaptados para viver no calor extremo, com o seu mecanismo de resfriamento eficiente e muito baixa exigência de água. Alimentação Oryx Scimitar na folhagem, gramíneas, plantas suculentas e partes de plantas durante a noite ou de manhã cedo. Nascimentos pico entre março e outubro. Depois de uma gestação de oito a nove meses, um bezerro nasce. Logo depois, a fêmea tem um estro pós-parto .

https://nationalzoo.si.edu/sites/default/files/styles/slide_1400x700/public/animals/scimitarhornedoryx-003.jpg?itok=u24AYdXu

O oryx da cimitarra foi uma vez difundido em África do norte. Seu declínio começou como resultado da mudança do clima, e mais tarde foi caçado extensivamente para seus chifres. Hoje, é produzido em cativeiro em reservas especiais na Tunísia, Marrocos e Senegal e em ranchos de animais exóticos privados no Texas Hill Country. O órix cimitarra foi domesticado no Egito Antigo e acredita-se ter sido usado como alimento e sacrificados como oferendas aos deuses.

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/12/635white_427days_6-aug-13c.jpg?w=444

As pessoas ricas em Roma Antiga também criados eles. O uso de suas peles valiosas começou na Idade Média . O unicórnio mito pode ter se originado a partir de avistamentos de um órix cimitarra com um chifre quebrado.Seu nome científico, Oryx dammah, é derivada de: grego antigo ὄρυξ (orux), o que significa uma gazela ou antílope (originalmente uma picareta  ); Latin damma ( gamos ou antílope); e árabe dammar (ovelhas).  O órix cimitarra é nomeado para seus chifres ,  que se assemelham cimitarras .  Seu nome comum em Inglês é “Oryx Scimitar-Horned”, ou simplesmente “órix cimitarra”.

https://andreww1blog.files.wordpress.com/2014/03/1941421_659170830798274_428535813_o.jpg?w=444

O órix cimitarra era um animal muito sociável e viajou em rebanhos de entre dois e quarenta indivíduos, em geral, conduzidos por um dominante touro. Esta espécie, uma vez reunidos em grupos de vários milhares de migração . Durante a estação chuvosa, eles migraram para o norte para o Sahara .  Scimitar oryx são diurna . Nas madrugadas frias e tardes, eles descansam sob árvores e arbustos, ou se não estiverem disponíveis, eles cavam depressões no solo com seus cascos e descansar lá. Os machos lutam frequentemente, mas não por muito tempo e não violentamente. Predadores, como leões, leopardos, hienas, chitas, chacais dourados, abutres e cães de caça do cabo, principalmente matar oryx fraco e jovem.

https://strangebehaviors.files.wordpress.com/2013/09/scimitar-horned-oryx.jpg?w=444

Com um metabolismo que funciona nas altas temperaturas predominantes em seus habitats, órix cimitarra precisam de menos água para a evaporação para ajudar a conduzir o calor para longe do corpo, permitindo-lhes ir por longos períodos sem água. Eles podem permitir que a temperatura do corpo a subir para quase 46,5 ° C (115,7 ° F) antes de começar a transpirar. Em tempos de ampla oferta, oryx pode usar a perda de líquidos através da urina e fezes para baixar a temperatura do corpo abaixo de 97 ° F (36 ° C) durante a noite, dando mais tempo antes de atingir a temperatura máxima do corpo no dia seguinte.  que podem tolerar temperaturas elevadas que seriam letais para a maioria dos mamíferos. Eles têm uma rede de finos vasos sanguíneos que transportam sangue do coração ao cérebro, passando perto da passagem nasal e permitindo assim que o sangue se arrefecer até 5 ° F (3 ° C) antes de atingirem o cérebro, que é uma dos órgãos mais sensíveis ao calor do corpo.

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/54/Scimitar-horned_Oryx.jpg

O órix cimitarra foi caçado quase à extinção por seus chifres. Seu declínio da população começou como um resultado de importantes mudanças climáticas que causaram o Sahara se torne seca. A população do norte já estava quase perdida antes do século XX. O declínio da população do sul acelerou quando os europeus começaram a assentar a área e a caçá-los para a carne, os couros e os troféus do chifre. II Guerra Mundial ea Guerra Civil no Chade , que começou na década de 1960 são pensados para ter causado quedas pesadas das espécies através de um aumento da procura de alimentos. Roadkill , assentamentos nômades perto de poços (sua alimentação da estação seca lugares) e armas de fogo para a caça fácil também reduziram números.

https://i2.wp.com/img05.deviantart.net/5006/i/2010/068/b/1/scimitar_horned_oryx_by_steppeland.jpg

Existe agora um programa de reprodução em cativeiro global para o órix cimitarra.  Em 2005, pelo menos 1.550 prisioneiros foram geridos como parte de programas de melhoramento genético e, em 2008, mais de 4.000 foram acreditados para ser realizada em coleções particulares no United Arab Emirates .  planos de reintrodução envolvem rebanhos cercada em Bou Parque Nacional Hedma (1985),  Sidi Parque Toui Nacional (1999) e Parque Oued Dekouk Nacional (1999) na Tunísia; Parque Nacional de Souss-Massa (1995) em Marrocos; e Ferlo Faunal Reserve (1998) e Guembuel Wildlife Reserve (1999), no Senegal. [1] Chad está atualmente conduzindo um projeto para reintroduzir a espécie em Ouadi Rimé Ouadi Achim Game Reserve, com o apoio do Fundo de Conservação Sahariana ea Agência do Ambiente de Abu Dhabi.  o primeiro grupo foi lançado no início de 2016 em um gabinete de aclimatação e deve ser totalmente liberado em estado selvagem na estação chuvosa.

https://www.zoochat.com/community/media/scimitar-horned-oryx-calf.108091/full?d=1280694454

https://haydensanimalfacts.files.wordpress.com/2016/05/scimitar-horned-oryx.jpg?w=444

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/01/rs11599__do12422.jpg?w=444

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/82/b2/6d/82b26d4e69f4991cfc20cd30f2afe624.jpg

https://i0.wp.com/brokenspurwhitetails.com/wp-content/uploads/2013/02/scimitar-oryx.jpg

https://www.zoochat.com/community/media/scimitar-horned-oryx.184114/full?d=1334918443

https://i2.wp.com/www.theonlinezoo.com/img/12/toz12314l.jpg

https://i0.wp.com/en.academic.ru/pictures/enwiki/82/Reem-Lavan001.jpg

https://i2.wp.com/www.unitedstatesbd.com/images/unitedstatesbdcom/bizcategories/3346/image/critters/scimitar-horned%20oryx.jpg

https://i0.wp.com/threeamigosranch.com/wp-content/uploads/2015/11/oryxgroup.jpg

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/01/rs3171_4-20.jpg?w=444

https://speakupforthevoiceless.files.wordpress.com/2014/09/scimitar_horned_oryx___igf_guillaume_roquesrogery.jpg?w=444

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/11/5c2f4-1a2bscimitar-horned2boryx.jpg?w=444

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/11/42fc5-1c2bscimitar-horned2boryx.jpg?w=444

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/04/smo.jpg?w=444

https://i0.wp.com/ichef.bbci.co.uk/wwfeatures/wm/live/1280_640/images/live/p0/2r/tj/p02rtjl7.jpg

https://i2.wp.com/images.fineartamerica.com/images-medium-large/scimitar-horned-oryx-ed-gleichman.jpg

https://www.marwell.org.uk/media/images/full/scimitar_horned_oryx_20012016113628.jpg

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/01/rs3180_scimitaroryx3.jpg?w=444

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2014/04/smo1.jpg?w=444

https://i2.wp.com/www.acuteaday.com/blog/wp-content/uploads/2011/08/baby-oryx-with-mother.jpg

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2015/05/img_8413.jpg?w=444

https://i1.wp.com/morrisoutdoorstaxidermy.com/wp-content/flagallery/oryx/img_8169.jpg

https://fossilrimblog.files.wordpress.com/2015/06/rs27265_sho-herd_frwc-lpr.jpg?w=444

https://www.zoochat.com/community/media/north-africa-exhibit-barbary-red-deer-and-scimitar-horned-oryx.71203/full?d=0

https://i0.wp.com/www.perc.org/sites/default/files/ScimitarHornedOryx_iStock_14632457_0.jpg

http://www.texasbowhunt.com/images/website/160_DSCF4086_(2).jpg

https://share.america.gov/wp-content/uploads/2016/05/26134605090_b2b62e21e4_o.jpg

https://i0.wp.com/www.ware.myzen.co.uk/GalleryPics/Photos/Captive%20Animals/Captive%20Animals%20Antelope%20and%20Zebra%20003%20010908.jpg

https://i0.wp.com/img.scout.com/sites/default/files/2016/05/13/DSC_1512.JPG

https://i1.wp.com/static.panoramio.com/photos/large/22190564.jpg

https://vivimetaliun.files.wordpress.com/2016/11/48d9d-1e2bscimitar-horned2boryx.jpg?w=444

https://columbuszoo.org/Media/the-wilds/scimitar-horned-oryx---grahm-s-jones-columbus-zoo-and-aquarium.jpg?sfvrsn=2

Google: Imagens

20 lugares maravilhosos para tomar um café da manhã caprichado em SP

la-da-venda

Quem vive uma rotina estressante e corrida acaba se esquecendo da refeição mais importante do dia: o café da manhã. Servido em qualquer padaria da esquina, o pão na chapa acompanhado de pingado pode parecer distante de muita gente, mas depois do que vamos mostrar hoje, você não vai mais querer pular o desjejum.
Um café da manhã saudável e balanceado oferece a energia necessária para enfrentar o dia, além de ser um tanto reconfortante. Dar um tempo para apreciar um cafezinho e comer uma fruta é essencial para recuperar os nutrientes e carboidratos fundamentais que mantêm corpo e mente em equilíbrio.
Além dos benefícios comprovados pela ciência e pelos nutricionistas, convenhamos que os itens do café da manhã são simplesmente tentadores. Quem é que não ama passar manteiga num pão quentinho? Sentir o cheirinho de café logo que acorda e já tascar uma mordida num bolo? Caramba, já não vejo a hora de dormir só pra poder acordar de novo e devorar tudo isso.
Sem mais delongas de fome, vamos às opções:
Um dos combos mais baratos da cidade pode ser encontrado no Aro 27, café e espaço dedicado a ciclistas e simpatizantes. Com valores entre R$ 5 e R$ 19, os combinados podem trazer café espresso, pão de queijo, torradas, fruta, suco e outras bebidas quentes. Você ainda pode colaborar com o projeto Café Pendente, deixando uma bebida paga para um desconhecido num ato de gentileza.
aro.27
Conhecida por seus sorvetes veganos, a gelateria italiana serve um café da manhã caprichado na unidade Campo Belo aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 13h. No menu há opções não veganas também e comidinhas típicas de cafeterias.
Stuzzii
Na Deliqatê, quem ama café da manhã e perde a hora da refeição, não fica na mão. O menu é válido durante o dia todo, trazendo à mesa pães de queijo, salada de frutas, ovos mexidos, bacon, panquecas americanas e iogurte caseiro.
Deliqate
Na agradável loja da rua Harmonia, ou em outras unidades da rede belga pela capital, é possível provar muitas receitas feitas com ingredientes orgânicos. Geleias naturais, cookies de chocolate belga, pães de grãos, ovos mexidos e outras delícias compõem o café da manhã com pé na Bélgica.
LePainQuotidien
Uma casinha linda no Ipiranga serve um dos melhores pedaços de bolo de maçã da cidade, que pode ser provado no combo de café da manhã, que inclui bebida (quente ou fria), pão da casa com geleia e manteiga, além de uma fatia farta de bolo, à escolha do cliente.
KotCafe
Foto © Brunella Nunes
O mix de armazém, loja de artesanato e guloseimas carrega consigo a fama de ter o “melhor pão de queijo da cidade”.  O espaço charmoso da Vila Madalena traz um buffet de fazenda para o café da manhã, aos sábados, domingos e feriados.
la-da-venda
A Julice também fica num canto charmoso da Vila Madalena e se destaca pelas receitas francesas. Crepes, quiches, bolos, geleias, perdu, petit croque monsier, ovos mexidos, tartelles e bebidas feitas com café fazem parte do brunch servido das 8h30 às 16h de segunda à sábado.
JuliceB
Inaugurado há pouco tempo, o Preto Café é um lugar onde não vende nada. Isso mesmo, não há venda de produtos porque lá você paga o quanto achar justo pelo o que consumir. Os itens de café da manhã são colocados numa bancada e são deliciosos! Inclui bolos, tortas, pães, cafés, cappuccino e outros salgados.
PretoCafe
9. Pão
A Padaria Orgânica Artesanal é famosa por seus pães saudáveis e diferentes dos convencionais. No café da manhã, paulistanos desfrutam de pão de queijo, bolos de cacau, lavanda, tangerina e chocolate belga 70%, tapioca, tartine e outras cositas más.
Pao
Com várias unidades pela cidade, a lanchonete A Chapa tem feito sucesso com o café da manhã ao estilo norte-americano, que inclui panquecas, ovos mexidos, bacon e french toasts, nada light, mas bem saboroso. O menu é servido diariamente, entre 8h30 e 11h30.
AChaoa
11. KOF
Inspirado na cultura do ciclismo, o King of the Fork é uma boa pedida para dar uma pausa nas pedaladas e curtir um bom café. O menu inclui pão de queijo, torradas, geleias, waffles, cappuccino, cafés, mate gelado, tortas e os imperdíveis cookies a preços honestos.
KOF
Focada em fazer pães sem conservantes, a padaria tem ambiente agradável e boas opções no cardápio. Entre os itens para começar o dia, tapioca, ovos mexidos, tortas, pain au chocolat, cafés e sucos detox caem nas graças dos clientes.
Santo Pao
A nova queridinha entre os paulistanos, idealizada pela chef Helena Rizzo, a Padoca do Maní tem menu de padaria tradicional e traz alguns combos para os clientes. O Café Padoca vem com cesta de pães, geleia, mel, manteiga, requeijão, iogurte, granola e salada de frutas.
Mani
Eu tenho uma paixonite pela Praça Dom José Gaspar e ali está o Paribar, reduto boêmio que aos domingos promove um brunch de respeito e ao ar livre. Entre 10h e 17h, é possível provar Ovos Benedict, sanduíches, pão na chapa, tapiocas e panquecas americanas, acompanhadas de suco, café ou drinques como o Mimosa, com tangerina, abacaxi, melancia e carambola.
Paribar
O espaço gracioso na Vila Romana propõe que você saia da correria por algum tempo. O menu de café da manhã inclui três tipos de combos, chamados de “Bandejas”: italiana, francesa e brasileira. A última opção, por exemplo, inclui café de coador, tapioca, queijo minas, suco de laranja, mini pães de queijo e pães franceses, bolo de fubá, frutas e outras delícias do Brasil.
FNV
A Blés serve combos de café da manhã durante a semana, entre 7h30 e 12h, e aos fins de semana e feriados conta com um bufê de brunch com mais de 70 itens, incluindo bolos, crepes, miniquiches e croissants.
Bles
A Feira de Orgânicos do Parque da Água Branca tem um atrativo a mais: o café da manhã igualmente orgânico, servido às terças, sábados e domingos, das 7h às 11h30. Por preços honestos, é possível se esbaldar em receitas livres de conservantes e agrotóxicos, como bolos, ovos, sucos, pães e manteiga. Um ótimo programa para o fim de semana!
Cafe Organico
Foto via
A casa em Pinheiros serve café da manhã diariamente, trazendo receitas que agradam a galera fitness. Entre as opções, tapiocas e crepiocas variadas, pão na chapa, açaí e waffle de manga com mel.
DnaVitamina
O espaço gracioso na Chácara Santo Antônio tem um belo jardim onde se pode aproveitar o café da manhã (e chá da tarde) self service, que inclui chás, leite, café e mel orgânicos, sucos e geleias naturais, pães, torradas e integrais, pães de queijo, frutas, frios e bolos caseiros. O brunch é composto por saladas, ovos mexidos e quiches.
EncantoNatural
Aos finais de semana e feriados, o Pé no Parque oferece café da manhã, das 8h às 13h. O bufê é composto por cereais, creme de futas, sucos naturais, bolos, frios, iogurte, leite de soja, pães e ovos.
Pe no Parque
Todas as fotos: Divulgação

Os excêntricos personagens das ruas de Tóquio captados em retratos poderosos em preto e branco

https://scontent.fssa2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14906822_1797474100529010_3946988046434623175_n.jpg?oh=8f724b67aa8436a80281e710712cfa7c&oe=5894C56C
O fotógrafo Shinya Arimoto gosta de mostrar o que ele vê nas ruas de Tóquio, cidade repleta de personagens excêntricos. Nascido em Osaka, Arimoto Atualmente é professor de fotografia na Escola de Artes Visuais de Tóquio e também atua como diretor do Totem Pole Photo Gallery. Quando não está no trabalho, Arimoto pode ser encontrado perambulando pelas ruas, interagindo com as pessoas.
Arimoto tem o cuidado de falar com todos e obter sua permissão antes de fotografar. Desta forma, seu trabalho é menos sobre a sociedade e mais sobre as pessoas, o que reflete na maneira respeitosa ele capta cada uma delas. Ele abre uma janela para mostrar sociedade japonesa fora dos estereótipos.
Arimoto passou dez anos no Tibete fotografando pessoas em todos os tipos de circunstâncias. “Eu acredito que o organismo humano é a cidade e é tudo parte de um ecossistema. Eu faço estas fotografias que formulam a cidade como o ambiente e habitat do homem”, disse em entrevista ao Japan Exposures.
shinyaarimoto1 
shinyaarimoto2 
shinyaarimoto3 
shinyaarimoto4 
shinyaarimoto5 
shinyaarimoto6 
shinyaarimoto7 
shinyaarimoto10 
Todas as fotos © Shinya Arimoto

Brasileiro que esteve detido se une com o irmão para mudar de vida e juntos criam padaria sustentável

José Carlos de Anunciação, 34, e Bruno Horácio Pereira dos Santos, 25. Os irmãos cresceram em Capão Redondo, bairro violento da capital paulista. Aos 12, José fez seu primeiro bolo, com a ajuda da mãe, e aos 14 começou a trabalhar em uma padaria. Já Bruno se envolveu com drogas aos 14 anos e aos 16 estava na Febem. Mas para quem acha que não dá pra segurar essa barra e mudar, Bruno tem uma boa história para contar.

Desde pequeno, Bruno se interessava por algo que no bairro não faltava: material reciclável. Ele gostava de observar os catadores e se divertia com caixas e garrafas PET. Ele pensava que talvez gostaria de trabalhar com a limpeza pública, mas a adolescência o levou para a reclusão na Febem. Quando saiu de lá, voltou a estudar e conseguiu um emprego como coletor no caminhão de lixo. Feliz com as conquistas, foi convidado pelo Instituto Rukha para ser líder comunitário, o que lhe daria a oportunidade de fazer uma graduação, que seria bancada por empresários.

Pensando nas brincadeiras de infância e em quanto se interessava pelo material reciclável, Bruno escolheu cursar Gestão Ambiental. Agora Bruno enxergava o lixo de forma diferente e compartilhava os aprendizados da faculdade com jovens da comunidade, para quem dava aulas informais.

Nesse período, José já havia trabalhado em diversas padarias e restaurantes, entre elas a PÃO (Padaria Artesanal Orgânica), onde aprendeu a arte de fazer pães e bolos com maestria. Foi ao perceber que era realmente bom no que fazia que José teve a ideia de abrir seu próprio negócio e chamou Bruno para fazer parte do projeto. Assim nasceu o Ateliê Sustenta CaPÃO, um espaço reformado com materiais do lixo – do mosaico do chão às plantas – onde os irmãos servem cafés da manhã e lanche da tarde recheados com delícias artesanais.

Além do espaço comunitário, que atende com reserva prévia, os irmãos iniciaram a fabricação diária de pães de mel e traçam planos para o futuro. Segundo eles, a comunidade consome cerca de 70% do que é produzido e o negócio de José e Bruno inspira os jovens do Capão, provando que é possível fazer muito com pouco.

Assista à palestra de Bruno no TEDx e sua incrível trajetória de vida:

sustenta-capao

sustenta-capao2

sustenta-capao3

sustenta-capao4

sustenta-capao6

sustenta-capao7

sustenta-capao8

sustenta-capao9

sustenta-capao10

Todas as fotos © Ateliê Sustenta CaPÃO

[Via Projeto Draft]

Você consegue adivinhar o que aparece nestas fotografias macro?

lapis
Uma laranja descascada e uma pimenta vermelha. Isso é o que um lápis e uma tampa de garrafa de Coca-Cola parecem quando vistos em fotografias macro.

Isso porque quando você olha para algo de perto, mesmo que seja algo que você vê todos os dias, você perde o seu senso de familiaridade com ele. O traço de cor engana o seu cérebro e os pequenos detalhes impossíveis nos enganam e nos fazem pensar que estamos olhando para algo que nunca vimos antes, porque, bem, nós realmente nunca vimos estas coisas assim antes [Gizmodo].

 

É muito divertido tentar e adivinhar o que é o que.

maca
Isso é uma haste de maçã

isqueiro
Um isqueiro

tomate
Tomate

Confira o vídeo completo da Macro Room para ver mais imagens misteriosas: