Casal conta como é viver com 41 cachorros em casa

Você se considera apaixonado por animais? Então que tal viver em uma casa com 41 cachorros? Essa é a vida de Lynn Everett, de 58 anos, e seu marido Tony, de 67. O casal britânico divide sua casa de três quartos na cidade de Barnsley, na Inglaterra, com seus 24 bulldogs franceses, 10 mini bull terriers, quatro chihuahuas e três cães de crista chinês.

A vida dos dois gira em torno dos animais: a cada passeio, são recolhidas mais de 120 bolinhas de cocô. Afinal, haja comida para tantos cães: são duas horas de preparação todos os dias e cerca de US$ 46 mil ao ano gastos em comida e cuidados com os pets.

DogsLenner1

Algumas pessoas querem ser enfermeiras, alguns querem trabalhar em escritórios, tudo que eu sempre quis é ter um monte de cães“, conta Lynn. O casal não tira férias desde sua lua de mel, há 21 anos, pois precisa ficar em casa cuidando dos animais. Para os manter a todos, Lynn também os utiliza como procriadores e vende os filhotes – mesmo que tenha vontade de manter alguns para si, o concelho local não permite que ela possua mais do que 41 animais em casa.

Um documentário de uma hora está sendo feito sobre o casal e deverá ir ao ar em breve no canal britânico Channel 5, mas você pode ver uma prévia de como é a vida dos dois no vídeo abaixo:

dog1

dog3

dog4

Fotos: Divulgação Channel 5.

dog5

Imagens: Reprodução YouTube

Neta compartilha série de fotos inspiradora de sua avó de 72 anos e comove internautas

A fotógrafa Natália Alves publicou uma série de imagens emocionantes de sua avó que vem fazendo bastante sucesso na internet. Junto às fotos, ela contou a respeito da modelo de 72 anos que aparece de peito nu com cicatrizes de uma dupla mastectomia.

Aos 33 anos, um tumor de mama, uma mastectomia, e 100 sessões de radioterapias. Aos 34 anos ela tomou soro no braço esquerdo, onde não havia circulação suficiente, e por conta de um erro clínico, ocorreu um inchaço permanente. Aos 52 anos, mais um tumor de mama, mais uma mastectomia, e algumas sessões de quimioterapia. Hoje aos 72 anos, ela venceu todos os “monstros” que cruzaram seu caminho! E continua vivendo lindamente, esbanjando saúde, e felicidade por onde passa… Esta é minha avó, meu amor, minha guerreira. Esta é a minha Aurora”, escreveu.

As imagens tiveram mais 500 mil curtidas, 85 mil compartilhamentos e milhares de comentários elogiando a linda homenagem de Natália à avó Aurora e falando sobre a beleza das inspiradoras imagens. Vale a pena conferi-las:

14691914_1233066660049748_7775848947274022374_o

14707009_1233066683383079_8013615657021389168_o

14707785_1233066783383069_704925969380690251_o

14711173_1233066540049760_5502955288497960750_o

14711183_1233066793383068_138556062811328001_o

14712669_1233066676716413_2684136026429658635_o

14714980_1233066470049767_8397027368651404820_o

14753667_1233066450049769_6347727985097975726_o

Todas as fotos © Natália Alves / Reprodução Facebook

Série de fotos vintage mostra pessoas segurando orgulhosamente seus discos de vinil

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14606247_1795650314044722_5093380616121768275_n.jpg?oh=30b10caa4af4acabeb858d9d2a16591c&oe=5892A51E

Poucas imagens podem ser tão representativas do século XX quanto uma foto impressa mostrando pessoas segurando discos de vinil. Registros de uma época em que um disco era uma obra física, para ser escutado alto, e apreciado também através da arte das capas e os textos no verso, e guardado em uma coleção que, pasmem, ocupava um espaço igualmente físico de sua casa, as imagens foram reunidas pelo colecionador de fotos Robert E. Jackson, e trazem, por momentos diversos do século passado, esse em comum: pessoas e seus LPs.

lps15

lps10

Dono de mais de 120 mil fotografias, Robert volta e meia reconhece em sua coleção padrões que o permitem reunir imagens supostamente diversas, como esse. No entanto, tudo nas imagens parece saltar aos olhos, para além dos LPs: as roupas, a decoração das casas, a arquitetura e até a postura corporal das pessoas retratadas oferecem sinais e símbolos de épocas em que pouco existia de virtual, e os discos ocupavam um espaço não somente físico em nossas casas, mas também um sentido emocional e identitário profundo em nossas vidas.

lps20

lps19

lps18

lps17

lps21

lps16

lps14

lps13

lps12

lps11

lps9

lps8

lps7

lps6

lps5

lps4

lps3

lps2

lps1

Todas as fotos © Coleção de Robert E. Jackson

Única mulher eleita vereadora em Caruaru gastou apenas R$ 21 com campanha

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14724354_1795651050711315_4248827319263981813_n.jpg?oh=eb20ad2838eae08db97cc74c25a628a4&oe=58ABC103

Estamos tão acostumados com campanhas milionárias durante as eleições, que até nos surpreendemos quando encontramos um candidato que ganhou os votos simplesmente através da confiança das pessoas. E quando esse candidato se torna a única mulher eleita vereadora em uma cidade, a história fica ainda mais interessante!

Foi esse o caso da vereadora Maria Jose Galdino da Silva, mais conhecida como Zezé Parteira. Ela foi eleita pelo PV para a Câmara de Caruaru, em Pernambuco, e será a única mulher vereadora no município a partir de 2017.

Zezé fez o seu primeiro parto aos 18 anos e não parou mais. Hoje, ela vive na zona rural de Caruaru e, aos 59 anos, arrecadou os 945 votos necessários para se eleger na cidade gastando apenas R$ 21. O valor teria sido gasto para tirar a foto da campanha, segundo informações do NE10.

zeze2

Foto: Eleições2016 / Foto destaque via

Mas a história de Zezé prova que os votos foram mais do que merecidos. De acordo com o site Mulheres da Terra, ela trabalharia como parteira sem receber remuneração, já que a maioria das famílias atendidas não possui renda para pagar os serviços. Hoje, ela realiza cerca de 45 partos por ano em sua própria casa, que já virou uma espécie de posto de saúde improvisado na comunidade.

Tanto é que, há 15 anos, Zezé foi contemplada com o posto de Agente de Saúde Comunitária e passou a receber um salário mínimo para exercer sua função. Agora, além de cuidar da saúde dos moradores, ela também irá aumentar a representatividade no legislativo municipal e, espera-se, poderá seguir impactando um número ainda maior de pessoas em Caruaru.