15 casas construídas em locais “impossíveis”

Enquanto a maioria se contenta com casas ou apartamentos comuns em centros urbanos, outras pessoas querem construir um cantinho em um lugar especial e único. Confira 15 casas localizadas nos pontos mais estranhos do mundo:

15. Sérvia

servia
Esta casa fica perto da cidade de Bajina Basta e foi construída em 1968. Ela está há quase 50 anos em cima de uma rocha no meio do rio Drina.

14. Fronteira Canadá-EUA

fronteira-eua-e-canada
Similarmente, a ilha conhecida como “Ilha com Apenas Espaço Suficiente” é famosa por abrigar uma casinha simpática que conta com uma minúscula praia particular que só tem espaço para algumas cadeiras e mesinhas. A ilha fica no rio Saint Lawrence.

 

13. Islândia

islandia
Algumas pessoas simplesmente não gostam de vizinhos. Esta casa foi construída há quase 300 anos na ilha de Ellidaey e foi lar de cinco famílias diferentes que costumavam hospedar caçadores que passavam por ali. Como se a casa não estivesse isolada o suficiente, os donos da casa ainda construíram uma cerca ao redor dela.

12. Polônia

varsovia
Enquanto alguns procuram por solidão, outros querem estar no centro de tudo e rodeados por muitas pessoas. Este estreito apartamento em Varsóvia é conhecido como Casa Keret e está espremido entre dois outros prédios. O ponto mais largo da casa tem apenas 91cm.

11. Austrália

australia
Para escapar de calor de mais de 40ºC, os moradores de uma pequena cidade de mineradores na Austrália decidiram viver embaixo da terra. 80% da população vive em cavernas adaptadas para serem lares, com direito a eletricidade, paredes que dividem ambientes e chão com acabamento.

10. Inglaterra

inglaterra
Quem não gosta de viver debaixo da terra pode optar por uma casa a algumas dezenas de metros do chão. Na região norte da Inglaterra, moradores constroem casas nas árvores para protestar. Por mais de quatro anos, residentes lutaram para evitar que o local histórico Nine Ladies fosse destruído pela extração de arenito.

9. Canadá

canada
O desenvolvedor de software Joel Allen construiu sua própria casa na árvore em Whistler, no Canadá. Seu design moderno e fino atrai muitos apreciadores desse tipo de construção.

8. China

china
A província de Guangdong na China tem duas casas ilegais que são muito peculiares. As construções foram feitas em 2011, diretamente no telhado de uma fábrica. De acordo com a mídia chinesa, as casas finalizadas ocuparam muito mais espaço que o projeto original, por isso são consideradas ilegais.

7. China II

china-casas-em-cima-de-shopping
Em 2013, 25 casas foram construídas em cima de um shopping na província de Hunan. As casas são habitadas por funcionários do shopping e também foram feitas de forma ilegal. O mais curioso sobre esta construção é que ela contém pequenas ruas e jardins que simulam uma rua comum.

6. China III

nail-houses-china
Enquanto algumas construtoras teimosas insistem em fazer casas em locais proibidos, outros donos de casas teimosos se recusam a deixar seus lares. Na China, é comum que grandes construções como prédios comerciais ou estradas expulsem moradores antigos de uma região. Quando algum morador se recusa a vender sua casa (normalmente por um baixo preço), as construtoras simplesmente começam o projeto ao redor do imóvel solitário, ilhando os seus moradores. Por lá, são conhecidas como “casa-prego”.

5. Turquia

nail-houses-china-2
Isso acontece em outros países do mundo. Na Turquia, uma família acabou cedendo à pressão da construtora ao ter toda a vizinhança demolida e seu acesso à rua dificultado.

4. Butão

butao
O monastério Paro Taktsang fica agarrado às rochas do Vale Paro. O complexo existe desde o século XVII. Monges que praticam o tipo local de budismo podem passar anos no templo, sem nunca descer ao vale.

3. Grécia

grecia
Outra casa construída sobre rochas é a Meteora, que fica em cima de pedras de arenito. Ela foi reconhecida como local de preservação da Unesco.

2. Suíça

suica
A casa mais alta desta lista, porém, é a cabana Solvay, que fica a quase 4.000m de altitude na montanha Matterhon (aquela da embalagem do Toblerone). Ela tem 10 camas que abrigam escaladores cansados.

1. Nova Zelândia

nova-zelandia
O engenheiro Jono William construiu o Skysphere na Nova Zelândia. A casa tem controle de iluminação por app e uma geladeira para cerveja que libera a bebida por controle de voz. Além disso, ela pode ser totalmente trancada, impedindo o acesso por fora. Este pode ser o local perfeito para se esconder em caso de apocalipse zumbi. [Business Insider]

 

Nada sobrevive a este lago sob o mar descoberto recentemente

lago-extremo-fundo-do-mar
Pesquisadores descobriram um “lago” no Golfo do México que fica no fundo do mar. Praticamente todo ser vivo que entra ali morre rapidamente, e é possível ver carcaças de caranguejos nas margens deste reservatório de água tóxica. Erik Cordes, professor de biologia da Universidade Temple (EUA), publicou suas descobertas na revista Oceanography.

“Foi uma das coisas mais incríveis do mar profundo. Você vai até o fundo do oceano e vê um lago ou um rio fluindo. Parece que você não está nesse mundo”, diz Cordes.

A água neste lago é cerca de cinco vezes mais salgada que o restante da água da região e contém concentrações tóxicas de metano e sulfeto de hidrogênio. Assim, ela não se mistura com o restante do mar.

 

Ela fica contida por uma pequena barragem de minerais e moluscos, mas esta barreira é frágil e se rompe em alguns pontos. Nesses locais, é possível ver a água mais escura fluindo como uma pequena cachoeira debaixo d’água.

Apenas bactérias, poliquetas e camarões conseguem sobreviver às condições deste ambiente. Para os caranguejos esse pode ser um local terrível, mas para os cientistas é como um parque de diversões para suas pesquisas. Eles podem explorar como alguns organismos conseguem sobreviver em habitats extremos.

“Muitas pessoas veem estes habitats extremos na Terra como modelos para o que poderemos encontrar quando formos para outros planetas”, explica Cordes. [IFLScience]

Veja mais imagens:

Jovem volta de coma causado por doença contagiosa e faz alerta com fotos chocantes

A cabeleireira Charlene Colechin, 18, entrou em coma e quase morreu depois de contrair um tipo grave de meningite bacteriana. Ela compartilhou imagens suas durante a internação para alertar sobre os perigos da doença, que é contagiosa. Veja a seguir como prevenir-se.

Meningite: quão grave é a doença?

Em sua página no Facebook, Charlene publicou fotos fortes, que chegam a ser chocantes, e mostram seu corpo inchado e tomado por manchas arroxeadas. “Essas não são fotos bonitas, mas é a realidade do que a meningite pode fazer”, escreveu.

De acordo com informações do tabloide britânico Daily Mail, os sintomas começaram, em Charlene, com dores de cabeça e vômitos ao voltar do trabalho. No dia seguinte, sua condição se deteriorou e as manchas na pele causadas pela meningite começaram a aparecer. Charlene foi internada e, desde então, está lutando pela própria vida.

Em sua postagem, Charlene disse que chegou a “morrer”, mas foi trazida de volta pelos médicos. Suas pernas, pés e dedos dos pés acabaram sendo prejudicados por todo o ocorrido e agora ela, possivelmente, terá que amputar os pés, mas certamente perderá os dedos dos pés.

Leia o relato completo:

“Essas não são fotos bonitas, mas é a realidade do que a meningite pode fazer. Eu tive o pior tipo de meningite que se pode ter. Não sei como, mas o que estava acontecendo do lado de fora do meu corpo também estava acontecendo por dentro, envenenando meu sangue. Isso fez todos os meus órgãos falharem, o que me fez morrer, mas obviamente eles me trouxeram de volta. Como eles estavam se concentrando em manter viva a parte de cima do meu corpo, a parte de baixo acabou deixada de lado e meus pés ficaram ‘ferrados’, especialmente meus dedos. E agora eu posso perder meus pés, mas eu vou perder meus dedos em definitivo”.

Por favor, compartilhe esse post para alertar sobre quão séria a meningite pode ser”.

Asilo para pessoas com Alzheimer recria bairro dos anos 40 para levar conforto a pacientes

https://scontent.fssa2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14713625_1799246113685142_3658161722092039196_n.jpg?oh=27b64e77e0d859f8f184cf2b3e9facd4&oe=58D43691
Em uma cidade no estado de Ohio, Estados Unidos, um asilo custou cerca de 8,7 milhões para ser construído e o motivo não poderia ser mais especial. O “The Lantern of Chagrin Valley” foi projetado especialmente para pessoas que sofrem de Alzheimer.
O local foi projetado de modo a simular um bairro americano da década de 40 com casas com varandas, gramado, salão de cabeleireiros, dois gazebos e um cinema. Uma verdadeira cápsula do tempo.
A instalação abriga 82 residentes e 65 funcionários. A intenção do local é criar um ambiente personalizado e interativo para os idosos com doença de Alzheimer. A doença é uma forma de demência que resulta em perda de memória de curto prazo e que afeta a vida diária de uma pessoa.
O ambiente projetado reduz a ansiedade, raiva e depressão entre os moradores. E, além de todos os artifícios encontrados para oferecer uma vida mais confortável aos moradores, o local também possui uma série de efeitos sonoros, como cantos de pássaros e outros sons da natureza, que tornar o ambiente ainda mais real e sereno.
vizinhanca6-760x760
O teto projetado em fibra óptica simula o dia e a noite e quando está prestes a anoitecer, a luz da varanda de cada residente acende automaticamente. Os quartos de cada residente também é decorado como se o de sua própria casa.
CVonfira algumas fotos do estabelecimento:
vizinhanca1-760x550 
vizinhanca2-760x1100 
vizinhanca3-760x1100 
vizinhanca4-760x1100 
vizinhanca5-760x1100 
vizinhanca6-760x760 
Todas as fotos: Divulgação