Conheça a primeira mulher a viajar TODOS os países do mundo

https://i0.wp.com/cassiedepecol.com/wp-content/uploads/2013/10/162787_1566858646595_2011212_n1.jpg

Imagine já ter dado a volta ao mundo com apenas 27 anos. E não só ter girado por todos os países do globo, mas ser a primeira, a mais jovem e mais rápida mulher americana a viajar 196 países por todo o planeta. Essa é a história de Cassandra De Pecol, de Connecticut, que passou por 181 países desde julho de 2015 e tem mais 15 para percorrer em 40 dias!

Cassandra está a caminho de entrar  no Guinness Book como a pessoa a percorrer mais rapidamente todos os estados soberanos (mais um adicional de 11 países). Ele viaja como Embaixadora da Paz em nome do International Institute for Peace Through Tourism ( Instituto da paz através do turismo), e sua incrível jornada é chamada de Expedition 196, em português, Expedição 196.  Veja aqui alguns registros de suas andanças:

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-19

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-12

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-35

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-25

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-8

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-5

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-38

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-6

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-28

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-15

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-13

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-7

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-37

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-18

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-2

first-woman-visit-all-countries-cassandra-de-pecol-14

Fotógrafo registra a tranquilidade e descontração de pessoas comuns tomando sol

O lituano Tadao Cern é o fotógrafo por trás do projeto “Comfort Zone”, uma série onde retrata imagens inusitadas de banhistas descansando na praia. Para a realização da série, Tadao foi até uma praia pública e registrou com sua câmera pessoas que, confortavelmente, dormiam ali mesmo na areia.

No ensaio, pessoas das mais variadas idades e tipos aparecem devidamente acomodadas em suas cangas e toalhas, sem nem desconfiar que estavam sendo fotografadas. A foto preferida de Tadao é a que apresenta duas senhoras. “Foi a primeira deste projeto e aquela que me motivou a levar isto adiante e fazer uma série fotográfica“, explicou.

cernphotography

cernphotography2

cernphotography3

cernphotography4

cernphotography5

cernphotography6

cernphotography7

cernphotography8

Ainda segundo o fotógrafo, durante o dia-a-dia tendemos a esconder nossas deficiências, sejam físicas ou psicológicas. E uma vez que nos encontramos na praia, esquecemos tudo e agimos de uma maneira absolutamente diferente. ”Será porque todo mundo ao seu redor está fazendo o mesmo?”, disse Tadao.

cernphotography9

cernphotography10

cernphotography11

cernphotography12

cernphotography13

cernphotography14

Imagens © Tadao Cern

Revista TIME seleciona as 100 fotografias mais influentes da história

A revista norte-americana TIME escolheu, junto com curadores, historiadores e editores de todo o mundo, as 100 fotografias mais influentes de todos os tempos.

A lista, que traz imagens de diferentes épocas, conta com fotos como a do famoso beijo da Times Square e a dos trabalhadores em horário de almoço em uma obra de Manhattan, até imagens fortes de guerra e tragédias, como a do homem que se joga de uma das Torres Gêmeas durante o ataque terrorista de 11/09.

v-j-day-in-times-square-alfred-eisenstaedt

Além da lista, a equipe da revista ainda ouviu fotógrafos e retratados (ou seus parentes e amigos) para contar a história por trás de cada imagem, tanto em texto como em mini-documentários.

lunch-atop-a-skyscraper

nuit-de-noe%cc%88l-malick-sidibe

alan-kurdi-nilu%cc%88fer-demir

tank-man-jeff-widener

starving-child-and-vulture-kevin-carter

“Algumas imagens estão na nossa lista porque elas foram pioneiras, outras porque moldaram a maneira como pensamos e algumas porque mudaram diretamente a maneira como vivemos.”, disseram os editores.

a-man-on-the-moon-neil-armstrong

michael-jordan-co-rentmeester

oscars-selfie-bradley-cooper

muhammad-ali-vs-sonny-liston-neil-leifer

No site criado especialmente para o projeto você confere todas as imagens, e suas respectivas histórias.

Todas as imagens © Reprodução TIME

O Lonely Planet já divulgou sua lista de ‘destinos tendência’ para o ano que vem

https://scontent.fssa2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14666219_1797477143862039_7314535713834484033_n.jpg?oh=b77a785528b3345284fc221151c77a81&oe=588873A8
O site Lonely Planet divulgou a lista dos melhores destinos para visitar em 2017. Eles são divididos em quatro categorias: top 10 cidades, as 10 melhores regiões para visitar, os 10 destinos mais em conta e os dez melhores países, que nós listamos aqui para você. Confira e comece já a planejar seu próximo embarque!
Mongólia
certo
Foto: Pixabay
Omã
oman
Foto: Wiki Commons
Etiópia
etopia-flickr
Foto: Flickr
Myanmar 
myanmar-pixabay
Foto: Wiki Commons
Bermuda 
bermuda
Foto: Wiki Commons
Nepal 
nepal
Foto: Wiki Commons
Dominica
640px-dominica_panorama_5
Foto: Wiki Commons
Finlândia
finla%cc%82ndia
Foto: Wiki Commons
Colômbia
colombia
Foto: Wiki Commons
Canadá
1200px-peyto_lake-banff_np-canada
Foto: Wiki Commons

Inspiração: como uma mulher paralisada da cintura para baixo virou acrobata

Quando tinha 20 anos, a australiana Lauren Watson sofreu um acidente de carro que a deixou paralisada da cintura para baixo. Uma grave lesão na coluna provocou a perda dos movimentos da perna e fez com que ela precisasse passar seis meses no hospital, reaprendendo a se movimentar. Mas se você acha que ela se conformou com sua condição, está enganado.

Na busca de atividades com que pudesse se distrair, Lauren passou por uma acrobata que fazia uma performance em tecidos, em meio a um shopping. A sutileza dos movimentos encantou a moça, que decidiu que tentaria aprender a fazer as acrobacias, mesmo que isso lhe custasse anos de prática.

E foi o que aconteceu, após meses em busca de uma escola que a aceitasse, Lauren passou seis meses só tentando escalar o tecido. Mas dois anos após o primeiro contato com a arte circense, ela já conseguia fazer movimentos básicos adaptados a sua condição.

Eu pensei que seria impossível, mas se eu conseguisse, eu poderia fazer qualquer coisa“, afirmou ela. A resposta está dada nas imagens abaixo e serve de inspiração para aqueles momentos em que o universo parece ter conspirado contra você:

acrobata-paraplegica

acrobata-paraplegica2

acrobata-paraplegica3

acrobata-paraplegica4

acrobata-paraplegica5

acrobata-paraplegica6

acrobata-paraplegica7

acrobata-paraplegica8

acrobata-paraplegica9

Informações e fotos via BuzzFeed