A vista que eu vejo pela minha janela da cozinha todos os dias

“Eu capturo a magia e mostrar amor e riso, às vezes com minhas fotos. Alguns anos atrás, comecei a construir uma casa com um estúdio de exterior aberto onde animais selvagens podem vir livremente.
Este estúdio é construido a 1 metro do chão e está diretamente ligado à minha janela da cozinha. Isto é como fazer composições em um nível de olho, 3 metros da minha janela. Eu uso o alimento para atrair os animais.Criar coisas de meus sonhos e criatividade, coisas que eu preciso trazer a este mundo”.Diz o fotografo Hardeko.

Encantador de cogumelo

esquilo bebendo

cute-squirrel-photography-geert-weggen-5

Fazendo café da manhã

Esquilo, tentando se tornar uma tartaruga

Esquilo cauda brilhante

Fofura em uma cesta

cute-squirrel-photography-geert-weggen-7

Cair na luz

Com um pote

cute-squirrel-photography-geert-weggen-6

Mesa de jantar

Esquilo trabalhando

cute-squirrel-photography-geert-weggen-8

Com cogumelos

Amigo de flor

Esquilo em um velho cogumelo

More info: hardeko.com | 500px

Série de imagens das ruas de Nova York nos anos 1980 celebra a cultura do Hip Hop

Dois relâmpagos atingiram os transmissores de energia da cidade de Nova Iorque em 13 de julho de 1977, deixando a cidade – que passava por uma grave crise econômica, estando praticamente falida – em um intenso e total blackout. Os dois raios e a escuridão, porém, foram a faísca para a consolidação e a disseminação do movimento Hip Hop.

O que para muitos parecia um perigoso transtorno, para os jovens do Bronx foi uma oportunidade: no blackout, aproveitaram para gentilmente pegarem “emprestado” uma série de equipamento de som em lojas. O som que, no dia anterior, era praticamente restrito ao Bronx, no dia seguinte estava disseminado por toda a cidade; havia enfim um DJ por esquina, e a revolução do Hip Hop então começou.

jamel3

Quando o fotógrafo Jamel Shabazz retornou do tempo em que serviu o exército para Nova Iorque, em 1980, a cultura Hip Hop começava a viver seu auge, amplificada nas ruas pela juventude negra, que novamente se orgulhava de suas origens, sua aparência, sua posição, e encontrava nessa música um espelho importante de si para se afirmar. Foi esse espírito que Jamel decidiu registrar pelas ruas de Nova Iorque – em um momento em que a cidade voltava a fervilhar, antes de ser invadida pela cocaína e, principalmente, pela AIDS.

 jamel10

Era o tempo do Rap e do Hip Hop conscientes, e artistas como KRS-One, Queen Latifah e Public Enemy se importavam somente com a cultura, então eu vi muito orgulho racial, pessoas vestindo roupas e estampas tradicionais africanas, celebrando sua história e cultura”, afirma Jamel. As roupas e a atitude serviam de fato como uma orgulhosa representação de si, um cartão de visitas que ia para muito além do status econômico.

 jamel8

No início Jamel fotograva seus amigos, mas aos poucos ele expandiu seu campo de interesse para todas os jovens em reconhecesse esse espírito – usando sua câmera, portanto, para ele próprio se comunicar com o sentido da época, realizando por um fim um vívido registro de uma época em que uma cultura musical se misturava com o próprio sentido político, social e existencial de uma geração.

jamel9

jamel7

jamel11

jamel4

jamel2

jamel6

jamel5

jamal1

Todas as fotos © Jamel Shabazz

Um asilo e um abrigo se uniram para colocar idosos salvando gatinhos órfãos resgatados

O lar de idosos Catalina Springs Memory Care se uniu ao Pima Animal Care Center (PACC), uma instituição que cuida de animais resgatados, para criar um programa incrível. Eles resolveram utilizar os gatinhos do abrigo para levar alegria aos idosos que moram no lar.

A ideia partiu de Rebecca Hamilton, diretora de serviços de saúde do asilo, que nas horas livres trabalha como voluntária no PACC. Ela acredita que os felinos trazem felicidade para quem está ao seu redor, além de ajudar na socialização e também na memória dos idosos.

3pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

4pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

No mês passado, Pêssego e Tartaruga, dois gatinhos bebês foram levados até o Catalina para dar início ao programa. Abaixo do peso, os filhotes foram alimentados pelos idosos, que também os encheram de amor e carinho.

1pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

2pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

E hoje, um mês depois, ambos alcançaram o peso ideal e estão prontos para acharem um novo lar. Segundo o abrigo, isso não teria sido possível sem a ajuda dos idosos. Agora, o plano das instituições é dar continuidade ao programa, benéfico para os dois lados.

5pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

6pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

7pimaanimalcarecatalinaspringsmemorycarekittens

“O desejo de dar amor e receber amor permanece. Os gatinhos nos deram a oportunidade de alimentar esta condição humana que está em cada um de nossos residentes.”, finalizou Sharon Mercer, diretora executiva do Catalina.

Todas as fotos © Pima Animal Care

Fotógrafa registra vendedoras do alto de pontes de Hanói, Vietnã

https://scontent.fssa2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14705851_1796210993988654_572791069781451968_n.jpg?oh=adfa9e62c3efd8fc8decbde06de66c3b&oe=58987592
Como qualquer pessoa que viaja ao Vietnã, a fotógrafa holandesa Loes Heerink logo se encantou pelas vendedoras que circulam com suas bicicletas repletas de mercadorias. Em sua passagem por Hanoi, ela decidiu registrar essas mulheres incríveis e batalhadoras de uma maneira diferente e as fotografou do alto das pontes da cidade.
As imagens vistas de cima formaram verdadeiras obras de arte com as cores e formas distintas do trabalho realizado diariamente pelas vietnamitas. “Passei horas e horas em algumas pontes de Hanoi à espera da passagem destas mulheres para mostrar a beleza e simetria que elas criam todos os dias sem saber”, relatou ao Bored Panda.
Imagine acordar às 4 da manhã, carregar sua bicicleta com o maior número de legumes ou frutas que puder e sair por aí com todo esse peso pedalando quilômetros todos os dias. Isso sem saber a beleza que proporciona todos os dias! Falei com algumas dessas mulheres, muitas são migrantes que vêm à cidade tentar ganhar um pouco de dinheiro extra. Elas têm que trabalhar muito duro, ganham pouco dinheiro e as condições de trabalho não são boas”, explicou.
Veja as imagens:
vendedoras_hanoi-1 
vendedoras_hanoi-2 
vendedoras_hanoi-3 
vendedoras_hanoi-4 
vendedoras_hanoi-5 
vendedoras_hanoi-6 
vendedoras_hanoi-7 
vendedoras_hanoi-8 
vendedoras_hanoi-9 
vendedoras_hanoi-10 
vendedoras_hanoi-11 
vendedoras_hanoi-12 
* Todas as fotos: Loes Heerink

Inspire-se com esses registros de personalidades icônicas da moda ao longo das últimas décadas

Um novo arquivo de fotografias tiradas em passarelas e bastidores oferece uma “janela para a história da moda”. O arquivo online da editora independente Bloomsbury, apresenta desde trabalhos de pós-graduação de designers atualmente cxonsagrados até imagens do começo da carreira de supermodelos como Naomi Cambell, Kate Moss e Helena Christensen.

A Bloomsbury passou mais de três anos trabalhando para digitalizar e catalogar mais de 750 mil imagens que datam da década de 1970 até 2000 para criar sua nova biblioteca pesquisável de moda .

Confira algumas das imagens:

moda-1

moda-2

moda-3

moda-4

moda-5

3aa1b2d000000578-3958642-fashion_designer_stella_mccartney_takes_a_bow_after_her_s_s_1997-a-1_1480319380445

3aa1b47900000578-3958642-image-m-45_1480262210837

3aa1cb9500000578-3958642-the_collection_documents_both_front_row_back_row_and_street_styl-a-2_1480319380448

3aa1cd6600000578-3958642-images_on_the_new_fashion_photography_archive_include_a_young_ka-a-5_1480319380612

* Todas as fotos: Reprodução