Casal larga seus empregos para correr o mundo e ver quão longe consegue ficar da sua zona de conforto

A partir do momento em que você se acostuma com a sua rotina, a zona de conforto te abraça e pode não soltar mais. Pensando em fugir dela, o casal Chanel Cartell e Stevo Dirnberger largou seus respectivos empregos para seguir o sonho de viajar o mundo e testar seus limites longe da estabilidade. A experiência rendeu boas aventuras e belas fotos para compartilhar por toda a vida e no blog How Far From Home.

Eles se conheceram em 2010 em um encontro às escuras, que acabou virando namoro e parceria ao longo desta grande jornada. Após trabalhar 15 anos com publicidade, ambos estavam com tudo “sob controle“, até demais. Assim, partiram em busca de novas experiências para fugir do tédio, da perfeição e do peso das cobranças para manter uma vida teoricamente feliz e equilibrada.

Após largarem a profissão, vender seus pertences e dizer sim para o mundo, fizeram quatro malas com tudo o que tinham e partiram de Joanesburgo, na África do Sul, para “lugar algum”, ou melhor, todos os lugares que seus corações mandarem. Como criativos, estão sempre em busca de novos desafios e oportunidades para colocar sua habilidades em prática, pedindo para que as comunidades locais lhes dêem desafios suficientes para passarem o tempo.

A rota da viagem é determinada por atividade e desejos do casal, e não necessariamente por locais a serem visitados. Apelidada de Wanderlist, a lista já possui itens como “dançar em Berlim“, “alcançar um pico nos Alpes“, “tirar uma selfie com uma alpaca” e “praticar mushing (locomoção por meio de trenó arrastado por cães) com huskies“. Em dois meses, já percorreram 13 mil quilômetros entre Áustria e Alemanha, e atualmente estão numa fazenda de huskies no Ártico.

Dá uma olhada nas fotos desta jornada até agora:

0 km em Joanesburgo

chanel-stevo

chanel-stevo2

chanel-stevo3

6.292 km em Abu Dhabi

chanel-stevo4

8.339 km em Seekirchen, Áustria

chanel-stevo6

8.342 km em Seekirchen

chanel-stevo8

8.360 km em Salzburgo

chanel-stevo7

chanel-stevo9

8.664 km em Viena e 9.260 km em Eugendorf

chanel-stevo5

chanel-stevo10

8.691 km em Viena

chanel-stevo11

chanel-stevo12

8.990 km a 8.993 km em Seekirchen am Wallersee

chanel-stevo13

chanel-stevo14

chanel-stevo16

chanel-stevo15

chanel-stevo17

9.101 km em Anif

chanel-stevo18

9.126 km Salzburgo

chanel-stevo19

chanel-stevo20

9.245 km em Utersnberg

chanel-stevo21

chanel-stevo22

chanel-stevo23

10.018 km a 10.032 km em Berlim

chanel-stevo24

chanel-stevo25

chanel-stevo26

chanel-stevo27

chanel-stevo28

chanel-stevo29

11.185 km em Oslo, na Noruega

chanel-stevo30

chanel-stevo31

chanel-stevo32

chanel-stevo33

13.012 km em Alta

chanel-stevo34

chanel-stevo37

chanel-stevo36

chanel-stevo38

chanel-stevo39

Todas as fotos © How Far From Home

Anúncios

Arquiteto transforma antigo contentor de lixo em piscina

Quem não quer ter uma piscina em casa, ainda mais com a chegada do verão? Sem muito espaço para realizar seu sonho, um arquiteto alemão decidiu tomar um caminho pouco convencional e transformou um antigo contentor de lixo industrial em uma bela piscina instalada no quintal de sua casa, em Nova Orleans (EUA).

piscina3

Para transformar o contentor em seu espaço de mergulho, Stefan Beese revestiu o recipiente com um forro de piscina azul – parecido com aqueles das pequenas piscinas montáveis -, fez um isolamento para evitar vazamentos e cobriu a parte externa com madeira.

piscina4

Batizada de ‘Pool Box’, a piscina ainda pode ser facilmente transportada para outro lugar com o auxílio de um caminhão, como se faz com os contêineres. Segundo o arquiteto, a ideia foi criar um conceito de arquitetura moderna no jardim.

piscina

Apesar do reaproveitamento de material, transformar um contentor de lixo industrial em piscina custou a Beese mais de R$ 20 mil. Apesar disso, o arquiteto garante que é possível fazer algo parecido gastando menos.

piscina1

Holanda desafia designers a criar casas para refugiados e o resultado é incrível

Somente no ano passado, mais de 60 mil refugiados chegaram à Holanda, precisando de um lugar para morar. Nesse pequeno país, quase do tamanho do estado do Rio de Janeiro, é um desafio conseguir habitação para todas as pessoas que fugiram de suas cidades-natal. Por isso, são necessárias soluções inovadoras.

holanda

Como primeira medida, o governo holandês abriu uma antiga prisão abandonada para montar uma habitação pública temporária, mas estava determinado a fazer melhor e garantir a dignidade da vida humana. Para isso, no início de 2016, a Holanda lançou um concurso de design chamado ‘A Home Away From Home‘ (uma casa longe de casa, em tradução livre), no qual os participantes tinham que projetar moradias temporárias para os refugiados.

holanda1

O concurso foi um sucesso, e todos os projetos vencedores repensaram a ideia de habitação pública, acrescentando inovações para tornar as casas mais do que um lugar para dormir. Nos projetos, foram incluídos, por exemplo, energia solar, sistemas de purificação de água e uso engenhoso de espaço e material.

holanda4

A atual crise de refugiados ainda está longe de terminar, pelo contrário. Além das guerras em diferentes partes do planeta, as mudanças climáticas poderão aumentar ainda mais o número de refugiados e todas essas pessoas precisarão de um lugar para viver. Soluções inovadoras como essas podem ser um dos caminhos para garantir a dignidade da vida humana.

holanda2

holanda6

holanda5

holanda7

holanda3

Calendário Pirelli 2017 quer inspirar mulheres a se libertar de ideais de juventude e perfeição

O badalado Calendário Pirelli existe desde 1964 e ficou conhecido por mostrar fotos de celebridades com pouca ou nenhuma roupa. No entanto, desde sua edição de 2016 – divulgado no final de 2015 – há uma nítida mudança da linha editorial da publicação. Ao invés de modelos em poses sexy, escritoras, poetisas, humoristas e atrizes de todas as idades estamparam suas páginas.

A edição 2017 do calendário acaba de ser divulgada e também chega quebrando paradigmas. Desta vez as fotos são do fotógrafo alemão Peter Lindbergh, famoso por suas imagens em preto e branco.

No time de estrelas que ilustram o calendário estão Jessica Chastain, Penelope Cruz, Nicole Kidman, Rooney Mara, Helen Mirren, Julianne Moore, Lupita Nyong’o, Charlotte Rampling, Lea Seydoux, Uma Thurman, Alicia Vikander, Kate Winslet, Robin Wright, Zhang Ziyi e Anastasia Ignatova, professora de teoria política na Rússia.

uma

Ao site do calendário, o fotógrafo contou que suas fotos visam libertar as mulheres do ideal de perfeição:

Eu quis mostrar as mulheres de uma maneira diferente. Fiz isso convidando atrizes que sempre tiveram um papel importante na minha vida e tentei chegar o mais próximo possível delas através das minhas fotos. O ideal da perfeição da sociedade é impossível de conseguir”, explicou.

julianne

Está é a quarta vez que Lindbergh está por trás das fotos do Calendário Pirelli. Para a edição de 2017, as fotos foram realizadas entre maio e junho em cinco locais: Berlim, Los Angeles, Nova York, Londres e a praia francesa de Le Touquet. A nova edição chega com 40 imagens.

robyn

“Em uma época na qual mulheres são representadas na mídia e em todo lugar como embaixadoras da perfeição e da juventude, eu achei importante lembrar a todos que há uma beleza diferente, mais real e verdadeira e não manipulada por interesses comerciais ou quaisquer outros, uma beleza que fala sobre individualidade, coragem para ser você mesma e ter sua própria sensibilidade privada”, afirmou o fotógrafo.

nicole

* Todas as fotos: Reprodução