Samurai usa espada para cortar bola de beisebol em alta velocidade

bola e samurai

O samurai dos tempos modernos Isao Machii está de volta! Depois de fazer um duelo de espada com um robô, ele agora corta em duas uma bola de beisebol a 161 km/h com um golpe fatal.

bola e samurai2

O vídeo é feito em uma tomada contínua, o que comprova que Machii não precisa de truques de câmera. Ele só precisa de uma espada.A filmagem mostra como o marcador aponta a velocidade da bola no momento da colisão com a espada em 161 km/h. Machii corta a bola a apenas 9,22 metros de onde a máquina de arremesso a dispara. Não parece uma boa ideia jogar beisebol com um samurai. [Kotaku]

Pai e designer retrata o cotidiano das filhas gêmeas com composições fotográficas maravilhosas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, montanha e atividades ao ar livre

Francis Chan, um designer de Vancouver, no Canadá, criou um perfil no Instagram para compartilhar belíssimas fotografias de suas filhas gêmeas, Orla e Lucy.

Com imagens inspiradoras que vão desde viagens até o dia a dia da família, Francis capricha na composição, na simetria e no olhar especial para os registros, tornando as imagens um verdadeiro deleite aos olhos, com paisagens de tirar o fôlego.

Confira algumas imagens abaixo, e não deixe de seguir

https://scontent.fssa2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/15542254_1829301900679563_641009814081187024_n.jpg?oh=4f9737b90f07d59f3b3db13a05bd8d98&oe=58DA8D54

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e filho

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 2 pessoas, atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, grama e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: listras

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, céu, natureza e atividades ao ar livre

Todas as imagens © Reprodução Instagram

Veja os melhores esportes para se praticar nas praias do Rio

https://i2.wp.com/www.guiadoviajante.info/blog/wp-content/gallery/em-algum-lugar-nas-ferias/em-algum-lugar-nas-ferias-14.jpg

Viver em um uma cidade como o Rio de Janeiro é poder usufruir do democrático privilégio de praticar esportes por toda sua extensa orla. Não é preciso se trancafiar em uma academia de frente para uma avenida congestionada para colocar o corpo e a saúde em dia; se exercitar (e se divertir) pode ser um hábito praticado diariamente diante de algumas das paisagens mais bonitas do mundo.

esporterio3

De maneira geral, toda a orla carioca oferece mar, areia e ciclovia para que diversos esportes possam ser praticados confortavelmente. Há, no entanto, um ou outro ponto da extensa faixa de areia carioca mais adequado para certas práticas. Por isso, separamos aqui uma lista dos melhores esportes para se praticar nas praias do Rio. É só caprichar no protetor solar, não esquecer de se hidratar, escolher um e começar – lembrando de que a maior recompensa, seja qual for, será o mergulho no final, para maravilhosamente se refrescar.

Corrida

esporterio1

A orla do Rio é perfeita para se abandonar o frio tédio das esteiras nas academias e se valer da ciclovia que abraça todas as praias do Rio para correr, tendo como distração uma das mais belas vistas que existem: as próprias praias, o mar e suas montanhas. Leme, Copacabana, Leblon, Ipanema, Barra, todas essas praias são devidamente equipadas com uma ciclovia – lembrando que, aos domingos, se fecha uma das pistas das Avenidas Atlântica, em Copacabana, e Vieira Souto, em Ipanema, ampliando consideravelmente o espaço não só para as corridas, mas para os ciclistas, skatistas e outros atletas sobre rodas.

Vôlei/Futevôlei

esporterio2

A maioria das praias também possuem espaços e redes montadas para a prática tanto do Vôlei quanto do Futevôlei. Leblon e Copacabana possuem escolas prontas para se praticar e aprender o vôlei de praia (mas é possível simplesmente ocupar uma das redes, respeitando filas e esperas eventuais, é claro, e jogar com os amigos). O mesmo vale para o Futevôlei, que se tornou tradição na praia da Barra, mas é praticado ao longo de toda orla – nesse caso, basta trocar as mãos pelos pés.

Natação

esporterio5

O horário de pico para a prática de natação no mar costuma ser das 06hs às 09hs, quando a praia está calma e o mar vazio. É sempre possível nadar em qualquer parte da orla, mas o ponto mais comum é o posto 6 da praia de Copacabana, por possuir menos ondas. Leme, Ipanema, Leblon e Urca, no entanto, são também cenários comuns. Vale lembrar, nesse caso, que se recomenda prática, pois a natação no mar costuma ser mais perigosa do que em piscinas.

Surfe

A onda da Praia do Diabo

A onda da Praia do Diabo

A praia do Arpoador é um dos mais importantes berços do surfe no Rio. Tradicional e com boas ondas, ela já foi cenário de campeonatos importantes, e tem a vantagem de se poder surfar à noite, visto que a iluminação é permanente. Outra boa praia para o surfe é a da Barra, também cenário de campeonatos, com ondas fortes. Para os mais experientes, a praia do Diabo é recomendada. Como o próprio nome já sugere, porém, não é praia para iniciantes, por conta da forte correnteza e da formação irregular das ondas.

Jacaré

esporterio7

Para quem curte descer umas ondas mas não quer saber de pranchas, o mais recomendado (e um dos mais tradicionais esportes informais da cidade) é o jacaré, que consiste em descer de peito as ondas, sem prancha – ou melhor: nesse caso, você é a prancha. Para os mais experientes ou aventureiros, basta olhar a lista acima, referente ao surfe, para escolher seu pico para o jacaré. Esse esporte, no entanto, pode ser praticado em qualquer praia que será diversão garantida – só cuidado para não ser engolido por uma onda, e beber água nos famosos caldos!

Frescobol

esporterio6

Esporte criado no Rio de Janeiro, sua paternidade é disputada – o cartunista e jornalista Millôr Fernandes é o mais provável inventor, mas tal confirmação parece impossível. Isso, porém, não importa, pois o próprio espírito do Frescobol é outro: trata-se, segundo o próprio Millôr, do “único esporte em que ninguém ganha”. O charme é mesmo “nem competir”, como ele dizia, somente mantendo no ar a bolinha de borracha, utilizando raquetes de madeira, pelo máximo de tempo possível. Depois de muito suar, é correr para o mar!

© fotos: Getty

Sereias nadam em mar de garrafas plásticas para alertar para a poluição dos oceanos

A imagem pode conter: planta, cachorro, atividades ao ar livre e natureza

O despejo de garrafas e outros produtos feitos de plástico no oceano provoca não só a sujeira daquela uma garrafa boiando no mar – o plástico libera também toxinas que podem afetar a vida marítima, o meio ambiente, a qualidade da água e até do ar. Se você imaginar que um americano médio consome em torno de 167 garrafas por ano, basta ter coragem para fazer a conta e começar a medir a quantidade obscena de plástico que é jogado em nossos mares anualmente.

sereias7

Foi o fascínio pelas águas e a preocupação com o futuro de nossos mares – e consequentemente, o nosso futuro – que moveu o fotógrafo Benjamin Von Wong a coletar 10 mil garrafas de plástico para realizar seu último ensaio fotográfico, batizado de Mermaids Hate Plastic (Sereias odeiam plástico). O título anuncia o que o ensaio traz: sereias como que se afogando fora d’água, em um mar feito somente de garrafas.

sereias4

sereias2

Se alguém aí se perguntou o porquê especificamente do número de 10 mil garrafas no ensaio, a resposta é assombrosa: segundo a média, é essa a quantidade consumida e jogada fora por um americano somente ao alcançar 60 anos.

sereias5

sereias1

sereias6

sereias3

Se você tem amor pela água – e pela vida – você pode assinar a petição criada pelo fotógrafo em defesa da reciclagem, para assim começarmos a salvar não só as sereias das fotos, mas nós mesmos, na vida real, agora.

© fotos: reprodução

FRASE DO DIA

O prazer é a prova da natureza, o seu sinal da aprovação. Quando somos felizes, somos sempre bons, mas quando somos bons nem sempre somos felizes.

Oscar Wilde