Em presídio no Acre, curso oferece diploma em horticultura orgânica para os detentos

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, planta e atividades ao ar livre

Se há um caminho possível para que as prisões brasileiras deixem de ser somente um depositário de seres humanos para se tornarem possíveis centros de ressocialização e reinserção na sociedade, esse caminho é através do trabalho e da educação. Pois a Unidade Prisional de Senador Guiomard, no Acre criou uma parceria com o Instituto Dom Moacyr para colocar justamente essas ideias em prática – e os resultados começam a aparecer.

acre1

Uma turma de 18 detentos da Unidade Prisional acaba de receber a certificação no curso de Horticultor Urbano. O curso teve 60 horas de duração, com estudos teóricos e práticos, realizados na própria horta da penitenciária, e foi executado pela Escola da Floresta Roberval Cardoso. A formação emocionou e trouxe esperanças para os detentos.

acre2

Alguns dos formandos declararam que essa era uma maneira de sentir que a sociedade se importa com eles. Outros agradeceram a oportunidade, e garantiram que não só seguiriam trabalhando na horta do presídio, como que levariam o conhecimento adquirido para a vida após o fim de suas penas, para voltarem ao mercado de trabalho. É o conhecimento, afinal, que nos permite sonhar mais longe e, ao mesmo tempo, nos oferece os meios para alcançar esse sonho.

© fotos: reprodução

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s