Os dias de 2017 em que você pode visitar todos os Parques Nacionais dos EUA de graça

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/9e/Mount_McKinley_Alaska.jpg

Os EUA possuem 400 parques nacionais, dentro do país e em seus territórios.Normalmente,  120 deles cobram entrada, que varia entre $3 e $ 30. Mas em determinadas datas de 2017,  você pode visitá-los sem ter que despender um centavo para isso!

Na lista estão nada menos que Yellowstone, Crater Lake, Florida’s Dry Tortugas National Park, Denali National Park e Joshua Tree National Park.

Quando visitá-los de graça?

16 de Janeiro: Dia de Martin Luther King

20 de fevereiro: Dia do Presidente

15, 16, 22 e 23 de abril: Finais de semana do National Park Week 

25 de agosto: Aniversário do National Park Service

30 de setembro: Dia Nacional das Terras Públicas

11 e 12 de Novembro: Final de Semana dos Veteranos

Precisa de mais inspiração? Confira abaixo algumas fotos desses paraísos naturais:

Joshua Tree National Park

JOSHUA_TREE_NATIONAL_PARK_(15112433079)

Denali National Park

Denali good Free

Florida’s Dry Tortugas National Park

Tortuga _Wiki

Crater Lake National Park

Crater_Lake_National_Park_Oregon

Yellowstone

Yellowstone Good Free Photos

Fotos: Wiki Commons e Good Free Photos

Anúncios

Atriz fecha sessão pra famílias de baixa renda assistirem filme sobre negras que revolucionaram a NASA

A imagem pode conter: 6 pessoas

O filme “Estrelas Além do Tempo” conta a história de três mulheres negras que foram o verdadeiro cérebro trás de um dos maiores feitos dos EUA: o lançamento do astronauta John Glenn (que faleceu em 8 de dez de 2016) em órbita ao redor da Terra e seu retorno em segurança em 1962. Foram elas: a matemática Katherine Johnson vivida por Taraji P. Henson e as amigas, a engenheira Mary Jackson, interpretada por Janelle Monae, e a matemática Dorothy Vaughan, que tem Octavia Spencer no papel.

Acontecia o auge da Guerra Fria protagonizada por Estados Unidos e União Soviética e também a corrida espacial, disputa entre os dois países pela supremacia na exploração e tecnologia espacial. Naquela época, negros e mulheres eram tratados como funcionários de segunda classe na agência espacial americana e o trio de cientistas enfrentou e superou preconceitos de gênero e raça.

giphy

Consciente sobre a importância da representatividade e de seu papel social, no último final de semana a atriz Octavia Spencer fechou uma sessão inteira do filme especialmente para famílias de baixa renda.

Em seu Instagram ela escreveu:

Se você conhece uma família que gostaria de assistir nosso filme, mas não pode pagar, os traga”, escreveu. “Minha mãe não poderia pagar pra levar meus irmãos e eu, então estou homenageando a ela e a todas as mães solteiras neste #mlkweekend. Minha mãe nos ensinou a ver as pessoas como pessoas. Todas elas como pessoas. Nos ensinou a entender nosso lugar no mundo. E nosso lugar no mundo é: se você quer ser um líder, seja! Você pode!”, concluiu.

hiddenfigures4

A hashtag #mlkweekend é referente ao Martin Luther King Weekend, feriado em homenagem ao líder do movimento dos direitos civis dos negros nos EUA.

O filme é uma adaptação do livro Hidden Figures: The Story of the African-American Women Who Helped Win The Space Race e tem data marcada de estreia no Brasil em 2 de fevereiro. Nos Estados Unidos, onde entrou em cartaz em 25 de dezembro, o longa está liderando as bilheterias e está muito bem cotado para receber indicações para o Oscar de Melhor Filme e Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer).

Assista ao trailer do filme:

01

02

03

Todas as fotos: Divulgação

Atriz usa comida que sobrou da festa do Oscar para alimentar 800 pessoas

Se tudo na premiação do Oscar busca o luxo, o cardápio da festa não poderia ficar atrás: de tacos de inhame a costelas, passando por funis de parmesão, salmão defumado e Gougére apimentados com trufas. O que não combina com a elegância proposta pelo cardápio e pela festa é o desperdício de comida, tão habitual nesse tipo de evento quanto na própria cultura ocidental.

 Oscarfood5

Para resolver a questão dos quilos de comidas costumeiramente desperdiçadas em grandes festas, há seis anos que algumas instituições de caridade, como a Chefs to End Hunger (Chefs para acabar com a fome) e Copia, trabalham junto à academia para transformar a abundância, os excessos e a extravagância da luxuosa comemoração do Oscar em uma ação social.

694999267AP00007_89th_Annua

Assim, toda a comida que seria jogada fora é distribuída por diversos abrigos da região de Los Angeles.

Oscarfood1

Esse ano a ação foi capitaneada pela atriz e ativista Freida Pinto. Em um post no Instagram, a atriz confirmou que ao menos 800 pessoas puderam se alimentar com os excessos de comida produzidos para o Oscar.

Oscarfood7

Oscarfood6

Em um país com milhões de pessoas passando fome – e diante de um cenário mundial de desperdício e miséria -, os EUA desperdiçam anualmente 40% da comida produzida no país. Assim, o luxo exacerbado nas festas pode ser de gosto duvidoso, mas evitar o desperdício de comida, isso sim é bom gosto – e sem dúvida merece uma estatueta.

Oscarfood4

Oscarfood2

fotos © divulgação

Viagem ao passado: essa série de fotos mostra como era a China nos anos 80

A imagem pode conter: céu, ônibus e atividades ao ar livre

O fotógrafo Alex Ng viajou pela China nos anos 80 com a câmera empunhada nas mãos, registrando todas as belezas dessa cultura e costumes que pouco dominava. Os slides permaneceram em caixas até o começo da década passada, quando foram digitalizados e o inspiraram a fazer uma exposição sobre seu trabalho da juventude.

CHina 10

CHina 9

China 8

China 7

China 6

China 5

China 4

China 3

China 2

China 1

Dá uma olhada nas fotos, publicadas no site Bored Panda:

Todas as fotos © Alex Ng

Estranha vida encontrada presa dentro de cristais gigantes

ntes

 

 

Cientistas extraíram micróbios dormentes de dentro dos cristais gigantes das cavernas da montanha de Naica, no México – e os reviveram.Os organismos provavelmente ficaram presos por pelo menos 10 mil anos, e possivelmente até 50 mil anos.

Essas formas de vida microbiana são provavelmente novas para a ciência, e se os pesquisadores estiverem corretos, ainda estão ativas.

“Outros já fizeram reivindicações de organismos mais antigos que foram encontrados ainda vivos, mas neste caso estes organismos são muito extraordinários – não são estreitamente relacionados a qualquer coisa nas bases de dados genéticos conhecidas”, disse a Dra. Penelope Boston, diretora do Instituto de Astrobiologia da NASA.

Amostras

Descoberta por mineiros à procura de prata e outros metais há cem anos, as cavernas profundamente enterradas de Naica são de interesse fundamental para os cientistas fascinados por extremófilos – micróbios que podem prosperar em condições aparentemente impossíveis.

 O ambiente é quente (40 a 60° C), úmido e ácido. Sem luz, qualquer forma de vida deve fazer quimiossíntese para sobreviver. Ou seja, deve derivar a energia necessária para sustentar-se através do processamento de minerais de rochas.Os pesquisadores identificaram micróbios vivendo nas paredes das cavernas, mas isolá-los do interior dos cristais foi uma surpresa.
 

Em 2008 e 2009, usando ferramentas estéreis, a Dra. Boston e seus colegas estudaram o labirinto de enormes cristais branco-leitosos, alguns com mais de 10 metros de comprimento, perfurando pequenos bolsões com fluido preso dentro, e amostrando seus conteúdos.

 

Organismos ativos

Os pesquisadores não só detectaram a presença de bactérias e arqueias, como também foram capazes de reanimar esses organismos no laboratório. A equipe conseguiu inclusive crescer culturas.

Há uma preocupação de que esses organismos poderiam ser simplesmente o resultado de contaminação, seja introduzida por equipes de pesquisa ou mineradores. Mas a Dra. Boston disse que os protocolos necessários foram seguidos.Além disso, o que lhe dá confiança no status das cavernas mexicanas é a grande diversidade de vida que parece existir lá.

“Outros grupos têm mostrado que há muitos vírus nessas cavernas e o que me diz é que estas são comunidades microbianas de pleno direito. Então, esse é outro aspecto que argumenta contra casual contaminação”, explicou.

Pesquisa espacial

A astrobióloga ainda destacou a relevância de tais achados no que diz respeito à busca pela vida além da Terra.

“Qualquer sistema extremófilo que estudemos nos permite adicioná-lo a esse atlas de possibilidades que podemos aplicar a diferentes configurações planetárias”, afirmou.

Muitos cientistas suspeitam que, se a vida existe em outras partes do sistema solar, é mais provável que seja subterrânea, realizando quimiossíntese como os micróbios de Naica.

Dificuldades

Os pesquisadores ainda estão escrevendo um artigo para publicação em revista científica, o que significa que o estudo ainda não passou pelo processo de revisão por pares, o padrão de qualidade na verificação de um achado científico.Isso torna difícil para outros especialistas dizer muito sobre a reivindicação por enquanto, mas a comunidade bióloga parece entusiasmada com as possibilidades.

Infelizmente, voltar para a caverna para coletar mais amostras seria uma tarefa complicada. A mina parou de ser lucrativa e as operações em Naica cessaram, de forma que a caverna agora está inundada com água subterrânea.Apesar disso, a Dra. Boston observa que as culturas que sua equipe coletou ainda estão crescendo ativamente, de forma que ela e outros cientistas podem continuar a estudar as criaturas. [BBC, NatGeo]