Estes são os cartazes mais criativos que deram o tom da ‘Marcha das Mulheres’

Donald Trump acaba de assumir a presidência do país mais poderoso do mundo, mas milhões de pessoas já demonstram insatisfação com esta nova realidade. Tanto que, apenas um dia após a posse, aconteceu a Marcha das Mulheres, movimento que inicialmente aconteceria apenas nos Estados Unidos, mas se estendeu para várias cidades do mundo.

Com objetivo de protestar contra Trump, a misoginia, o racismo, a xenofobia e a intolerância religiosa, 670 manifestações aconteceram em mais de 20 países.

Além de entoar gritos de ordem e discursos inflamados, os manifestantes exibiram diversos cartazes bastante criativos. Confira alguns deles:

carteles_women_march_8

Meus braços estão cansados de segurar este cartaz desde os anos 60

carteles_women_march_9

Não acredito que eu ainda tenho que protestar contra esta merda

carteles_women_march_10

Trump, não tire sarro de pessoas diferentes. Ajude-os e seja gentil como eu!

feminista

É com isto que uma feminista se parece

marcha6

Não sou santa, não sou puta, sou apenas uma mulher / Acrescentamos legenda em inglês para você não ficar com medo

trump_tower

Eu sou a mulher que construiu a Trump Tower

02

Mesma merda, século diferente

01

Eu estou tão bravo que fiz este cartaz

02

Liberdade para Melania

03

Estou muito chateada

04

Agarre-o pelo topete

05

Trump, cale a boca e me faça um sanduíche / Tire suas mãos do meu corpo

Todas as imagens: Reprodução

Anúncios

Este homem tem 88 anos e continua cosendo milhares de meias para pessoas em situação de rua

Tudo começou com uma aposta: alguns anos atrás um amigo desafiou o aposentado canadense Robert Rutherford, hoje com 88 anos, a construir uma máquina de costura mais veloz do que qualquer outra. Rob não só venceu a aposta, como o fez em dobro, construindo duas máquinas capazes de dar até 90 pontos por segundo cada uma. A invenção de Rob só encontrou seu real propósito, no entanto, muitos anos depois, quando a esposa de Rob veio a falecer.

 Rob1

Quando minha mulher morreu, em 2010, eu senti duramente a perda, como todos sentiriam, e precisava fazer algo”, disse Rob. “Meu filho então me disse: ‘Se você quer ajudar a si mesmo, ajude outras pessoas’”. Rob levou o conselho do filho como um novo mote de sua vida, e se junto a três amigos – um com 92 anos, outro com 85, e um jovem de 65 anos – para fabricarem meias para desabrigados e moradores de abrigos em seu país.

Rob2

Rob3

Desde então foram mais de 10 mil pés de meia distribuídos – só em 2016 o grupo fez 2 mil pés. A lã é doada de um produtor local, enquanto o filho de Rob ajuda a levantar fundo para custear o resto. É admirável que três pessoas possam aquecer os pés de outras 5 mil – e enquanto paramos para admirar Rob e seus amigos, eles seguem produzindo, cheios de propósito e, de passo em passo, fazendo o mundo melhor e mais quentinho.

Rob4

© fotos: divulgação

Ele foi à procura do jovem que assaltou sua casa para lhe dar uma segunda chance num time de rugby

A romena Gina Buliga vivia há alguns anos com mais dúvidas do que certezas. Apesar de ser mãe de duas lindas e amadas meninas que a faziam muito feliz, ela não estava satisfeita com seu trabalho. Até que em 2009 Gina descobriu a fotografia, e por ela se apaixonou a ponto de largar seu emprego para se dedicar aos seus registros de imagens e momentos em tempo integral.

 Gina5

Ainda assim, apesar da certeza de ter tomado a decisão certa, lhe faltava, como fotografa, a direção certa para onde deveria apontar sua lente; o assunto que elevaria sua carreira. E como muitas vezes acontece em nossas vidas, esse assunto premiado estava diante de seus olhos: suas próprias filhas.

Gina3

Eu tive tanta sorte em minha vida, ao ser abençoada com duas filhas lindas, minhas modelos, minhas assistentes, tudo para mim. Minhas filhas são meu tema predileto em minhas fotos, elas me ajudaram a seguir em frente e juntas nós descobrimos a luz. Trabalhamos muito juntas quando tenho tempo livre, e as fotos com elas são mágicas e cheias de inocência. Nós três sabemos bem que tudo de que precisamos é luz”, ela disse.

 Gina4

A soma do talento de Gina com a disposição inata de suas filhas para posar com uma pitada mágica do olhar de mãe realmente faz com que o resultado das fotos seja radiante. Gina é embaixadora da Nikon na Romênia mas, segundo ela própria, antes de tudo ela é uma orgulhosa mãe. “Nós aprendemos muito umas com as outras, trabalhamos juntas e levamos nossa mágica para onde formos”.

Gina2

Gina1

Gina6

Gina7

Gina8

Gina9

Gina10

Todas as fotos © Gina Buliga

Fotógrafo imagina como seria se ainda nos vestíssemos como no século 18

O fotógrafo canadense Thibault Carron pensou em como seria se a moda atual fosse como a do século 18 e transpôs essa ideia para o mundo real através de um ensaio divertido com uma modelo vestida “a caráter”.

Vestida com a típica peruca de cabelos brancos, um volumoso vestido e maquiagem impecável, a modelo Lulu Pgs percorre as ruas de Montreal, onde realiza atividades cotidianas: vai ao mercado, viaja de metrô, joga videogame, faz compras e até toca guitarra. O resultado é um incrível choque cultural.

Veja só:

ensaio1

ensaio2

ensaio3

ensaio4

ensaio5

ensaio6

ensaio7

ensaio8

ensaio9

ensaio10

Todas as fotos © Thibault Carron