Conheça as ‘melhores praias do mundo’ segundo a National Geographic

O National Geographic mapeou paraísos no mundo todo onde a terra encontra o mar. Inspire-se nessas praias maravilhosas para planejar suas próximas andanças por aí!

Corniche, França

Foto 1

Praia de Piscinas, Sardenha

Foto 2

Sleeping Bear Dunes, Michigan

Foto 3

Praia de Casa Abao, Curaçao

Foto 4

Blue Bay, nas Ilhas Maurício

Foto 5

Praia do Pelicano, em Belize

Foto 6

Praia Rosa, nas Filipinas

Foto 8

Praia de Reynisfjara, na Islândia

Foto 9

Green Sands, no Havaí

Foto 10

Praia de Noordwijk, nos Países Baixos

Foto 11

Carmel City Beach, na Califórnia

Foto 12

Praia Cannon, em Oregon

Foto 13

Praia em Dorset, Inglaterra

Foto 14

Shark Bay, na Austrália

Foto 15

Praia de Bowman, Flórida

Foto 16

Lazy Beach, Cambodja

Foto 17

Praia do Pôr do Sol, Carolina do Norte

Foto 18

One Foot Island, em Aitutaki

Foto 19

Praia Anse Source d’Argent, em Seychelles

Foto 20

Praia da Catedral, Espanha

Foto 21

Fotos: reprodução National Geographic

Fotos inéditas mostram a vida na União Soviética durante a década de 1950

O major norte-americano Martin Manhoff trabalhou na embaixada dos EUA em Moscou de 1952 a 1954, quando foi deportado por acusações de espionagem. Durante esses dois anos, ele viajou muito e fez centenas ou milhares de registros fotográficos, que ficaram escondidos por mais de 50 anos.

Um historiador norte-americano chamado Douglas Smith encontrou o arquivo em um armário na casa onde a viúva de Manhoff morava até falecer pouco tempo atrás. Ele diz ter passado os últimos meses catalogando e digitalizando o material, que pretende tornar público em breve. Mas já liberou alguns aperitivos (sem especificar onde cada imagem foi feita).

16195613_10155847883604625_3273564763317777645_n

São imagens de pessoas levando a vida normalmente em algumas cidades da União Soviética: a maioria em Moscou, mas também em Kiev, Leningrado (atual São Petesburgo), Murmansk e Ialta, além de pontos da ferrovia Transiberiana. O acervo inclui até um filme de 15 minutos do funeral de Joseph Stalin, morto em 1953.

15621781_10155847912564625_7505598144763982003_n

Smith conta que está pesquisando a melhor forma de tornar público o que ele chama de “arquivo visual único”, além de encontrar um lar permanente para o acervo.

16142637_10155847885519625_3440606522631745155_n

16174448_10155847879159625_8524372600022279471_n

16142619_10155847898659625_9105256177084525408_n

16298870_10155847881994625_4813689808961582322_n

16196079_10155847901074625_8307773947012652327_n

16252454_10155847896924625_1640940151035776316_o

16142578_10155847889129625_7155814966547115066_n

16114841_10155847880259625_7162460161796185101_n

16266241_10155847893694625_8278507382344576299_n

16195591_10155847887409625_399197843796121548_n

Fotos: Martin Manhoff/Douglas Smith

Uma das praias mais interessantes do mundo foi formada por lixo

A medida da ignorância humana quase sempre é espantosa, podendo se comparar, inversamente proporcional, à sabedoria da natureza, que é capaz de transformar até mesmo o lixo em algo belo e, pasmem, até harmonioso. É o caso da praia que se formou na baia de Ussuri, na Rússia, um antigo local de despejo de garrafas velhas e porcelanas durante a era soviética: a força da natureza fez da infindável coleção de cacos de porcelana e velhos pedaços de vidro uma praia das mais interessantes que existem.

Vidro1

As décadas de ondas lavando e, assim, esculpindo os cacos fez com que os pedaços de vidro se transformassem em espécies de conchas, arredondadas, coloridas e translucidas, fazendo do local cenário especial, além de uma atração turística exótica e peculiar.

Vidro7

É claro que se passaram muitos anos desde que o despejo de vidro deixou de acontecer no local, e só assim as “conchas” puderam ser modeladas pelo mar. Despejar lixo em algo tão bonito e principalmente tão importante para nossa sobrevivência quanto o oceano é de uma burrice assombrosa – mas a natureza luta como pode para salvar a si, e assim, a nós de nossos próprios péssimos hábitos. Só não sabemos até quando.

Vidro5

Vidro4

Vidro6

Vidro1

Vidro8

Vidro3

Vidro2

© fotos: divulgação

Como um garoto conseguiu que as crianças de um vilarejo pudessem ir à escola em segurança

 

Cidadãos do mundo inteiro têm problemas em suas vizinhanças. Mas enquanto que a maioria simplesmente aguarda uma solução da prefeitura ou do governo, outros decidem colocar a mão na massa. É o caso do indiano Eshan Balbale, um estudante universitário de 17 anos, que decidiu construir uma ponte para que moradores da periferia de Mumbai, na Índia, não precisassem passar por um córrego poluído para chegarem até a cidade.

Há anos os moradores reclamavam do estado do córrego, que contaminado e cheio de lixo é fonte de doenças. Sem uma ponte ou forma de desviá-lo, adultos e crianças eram obrigados a passar em meio a ele para chegarem até a região onde há lojas, mercados e a escola mais próxima. Com receio de precisar entrar em contato com a água contaminada, muitos pais estavam inclusive proibindo seus filhos de irem à aula.

Ao saber da situação, Balbale não teve dúvidas e com os próprios recursos e habilidades conseguiu construir uma ponte de bambu. “Eles explicaram que cruzar o córrego envolvia riscos como infecções de pele, malária, dengue e outras doenças. Eu me senti péssimo quando eu vi que crianças passavam por aquela lama nojenta“, disse o rapaz ao Mumbai Mirror.

eshan-balbale

Com 30 metros de comprimento, a ponte está longe de ser uma estrutura definitiva, mas é rígida e segura para que até 50 pessoas passem por ela ao mesmo tempo. A escolha do material também foi pensada “Eu percebi que construir uma ponte de concreto iria exigir permissão da prefeitura e isso necessitaria de tempo. Por isso, decidi construir a ponte usando bambu, que é leve mas firme. As crianças precisavam da ponte imediatamente já que o nível da água sobe durante as monções“, afirmou.

O rapaz, que nem mesmo mora na região, pretende visitar a ponte com frequência para fazer a manutenção básica e já pensa em como melhorar a questão das condições sanitárias do bairro, construindo banheiros públicos. As prefeituras têm obrigações, mas a melhoria das cidades começa pelos próprios cidadãos.

eshan-balbale2

eshan-balbale3

eshan-balbale4

eshan-balbale5

eshan-balbale6

Todas as fotos © Arquivo Pessoal