A cirurgiã mais velha do mundo tem 89 anos e continua operando várias vezes ao dia

Quando estiver se sentindo cansado, ou pensando que trabalha demais, ou mesmo quando estiver se sentindo velho ou velha para realizar determinada tarefa, lembre-se de Alla Illyinichna Levushkina, cirurgiã do hospital Ryazan City, perto de Moscou, Rússia. Realizando em torno de 4 cirurgias todos os dias, Alla não pensa em se aposentar e nem mesmo em diminuir seu ritmo, ainda que esteja prestes a completar 90 anos. Sim, é isso mesmo: Alla tem 89 anos.

Alla8

Como se não bastasse seu intenso trabalho diário, Alla ainda cuida de um sobrinho deficiente e oito gatos em seu apartamento.

Depois de 67 anos de profissão e mais de 10 mil procedimentos cirúrgicos realizados, Alla segue animada em cumprir o que pra ela não se trata de uma profissão, mas sim de uma vocação – uma verdadeira razão de sua existência. “Ser médica não é uma profissão, mas um estilo de vida”, ela diz.

Alla7

E segue, pronta pra mais um dia: “Se eu parar de trabalhar, quem vai realizar as cirurgias?”. O segredo para sua força e sua longevidade não é, segundo Alla, mistério algum. “Eu simplesmente como de tudo, rio e choro muito”, ela afirma. Basta, portanto, ser comprometida com a própria felicidade – e, no caminho, salvar milhares de vidas.

Alla14

Alla13

Alla12

Alla11

Alla10

Alla9

Alla6

Alla5

Alla4

Alla3

Alla2

Alla1

Todas as fotos © Alexander Ryumin/TASS

As vencedoras deste concurso de fotografias aéreas do mundo vão te fazer querer pegar o primeiro avião

Sobrevoando cidades, montanhas e oceanos, os drones estão rompendo barreiras da fotografia, seja para profissionais ou amadores, que captam novas perspectivas e revelam um mundo mais bonito quando visto de cima. E a SkyPixel, comunidade de mais de um milhão de fotógrafos e vídeos, recentemente encabeçou uma competição para eleger a melhor imagem aérea de 2016. O vencedores foram escolhidos, e as fotos são simplesmente de tirar o fôlego! Veja abaixo algumas delas. Dá vontade de arrumar as malas e sair para explorar o mundo, agora, não dá?!

Fotos: reprodução

10 crianças que arrasaram no concurso de fotografia infantil da National Geographic

A National Geographic é conhecida pelas fotografias de encher os olhos feitas por fotógrafos do mundo inteiro. Desde 2010, a revista promove um concurso só com imagens capturadas por crianças, mas você acreditaria se disséssemos que elas foram tiradas por profissionais.

Podem participar da competição crianças com idade entre 6 e 14 anos. A criatividade do olhar infantil impressiona, e os participantes poderiam muito bem publicar suas fotos em grandes veículos de imprensa ou exibi-las em exposições.

Dewi Baggerman, uma menina holandesa de 11 anos, foi a grande vencedora do concurso, e ganhou uma viagem para Washington, nos EUA, para conhecer a sede da National Geographic. Qual a sua preferida?

Dewi Baggerman, 11 anos, Holanda – 1º lugar geral e na categoria Atreva-se a Explorar

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-15

Alexia Saigh, 14 anos, Estados Unidos – 2º lugar na categoria Atreva-se a Explorar

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-10-5892e15f1237f__880

Sanya Jain, 12 anos, Índia – 1º lugar na categoria Férias Selvagens

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-4-5892e14e2af0a__880

Piers Nicklin, 12 anos, Estados Unidos – 2º lugar na categoria Férias Selvagens

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-14-5892e1681ffc9__880

Kate Anderson, 12 anos, Estados Unidos – 1º lugar na categoria Estranho, mas Verdadeiro

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-11-5892e1612c946__880

Pan Yinzhi, 13 anos, China – 2º lugar na categoria Estranho, mas Verdadeiro

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-3-5892e14be5206__880

Devananda Hardi, 7 anos, Indonésia – Menção honrosa na categoria Estranho, mas Verdadeiro

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-6-5892e154c8ec2__880

Maj Kastelic, 13 anos, Eslovênia – 1º lugar na categoria Animais Incríveis

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-2-5892e149e5582__880

Frey Youssef, 12 anos, Estados Unidos – 2º lugar na categoria Animais Incríveis

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-8-5892e15a2cfda__880

Jennifer Koumbatis, 10 anos, Holanda – Menção honrosa na categoria Animais Incríveis

national-geographic-international-photography-contest-kids-2016-winners-5-5892e152052b3__880

Todas as fotos: Reprodução/National Geographic

Cientistas descobrem o que drogas alucinogénas podem fazer com sua saúde

Você vai ao médico para tratar da depressão e se confronta com uma novidade no consultório: ao invés de receitar medicamentos convencionais, o médico sugere que você tome um LSD. A ideia parece bastante distante da realidade atual, mas experimentos como este já estão sendo realizados com sucesso pelo mundo e, principalmente, nos Estados Unidos.

Além do uso do LSD na cura da depressão e ansiedade, outras substâncias já estão na mira dos pesquisadores. A psilocibina (cogumelos alucinógenos) está tendo ótimos resultados na cura de vícios, como o álcool ou o cigarro; e o MDMA (substância ativa no ecstasy) pode ser bastante útil no tratamento do stress pós-traumático.

As pesquisas ainda estão em fase inicial, mas estudos preliminares mostram que os resultados positivos da terapia psicodélica-assistida podem ser sentidos em curtos períodos de tempo ou mesmo em uma única sessão. Um dos principais expoentes dos estudos do gênero é Matthew Johnson, farmacólogo comportamental da Universidade Johns Hopkins, uma das instituições que está liderando as pesquisas sobre o assunto.

Porém, Matthew lembra que não basta apenas fazer uso das substâncias e esperar que os efeitos surjam como mágica: “As drogas psicodélicas abrem a porta da mente e, desta forma, o que está atrás dessa porta depende dos participantes e da intenção que eles trazem para a sessão“, disse em entrevista ao site BrasilPost. Agora resta saber se os tratamentos serão implementados futuramente ou irão barrar na legislação.

psicodelico

Foto via