Entre mutilação genital feminina e moda, fotógrafo cria série poderosa para falar sobre África

O fotógrafo queniano Osborne Macharia não se importa em levantar polêmicas. Seu novo projeto brinca com os limites da fotografia documental ao registrar um grupo de mulheres que nunca existiu ao mesmo tempo em que faz uma crítica suave à intervenção cultural nos países africanos.

Suas histórias são identificadas como Afrofuturismo e elas resgatam justamente esses grupos de pessoas que nunca existiram no continente, mas que poderiam muito bem existir. No caso das Magadi, o portfólio do artista as define como “a história de um grupo de ex-circuncidadoras femininas que vivem nas vastas planícies salgadas do lago Magadi, que abandonaram a sua prática anterior e assumiram a moda étnica como um meio de vida alternativo. Eles agora abrigam jovens que escapam do casamento precoce, ensinando-as sobre as habilidades de moda, como estilo, design de moda, trabalho de impressão e modelagem para as passarelas locais e internacionais.“.

O resultado é cativante:

Print

Magadi2

Print

Print

Magadi1

Print

Todas as fotos © Osborne Macharia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s