Fotógrafo capta o brilho e a luz invisível que as plantas emitem

Você já reparou no brilho emitido pelas flores? Provavelmente não, afinal, ele não é visível a olho nu. Mas, graças ao fotógrafo Craig Burrows, podemos observar a flora de um jeito ainda mais impressionante.

Além de refletir a luz, o que faz com que cada planta e suas flores tenham cores específicas, elas também absorvem luz ultravioleta, emitindo ondas mais longas do que o olho humano é capaz de enxergar. Graças a um truque tecnológico, Burrows é capaz de registrar isso em imagens.

Usando luz ultravioleta e fotografando num ambiente o mais escuro possível, e com uma lente especial, o norte-americano é capaz de produzir retratos que mais parecem vindos de filmes de ficção científica. E o resultado de cada trabalho é uma surpresa até para ele.

Segundo Burrows, é muito comum ele colher uma flor achando que ela vai dar numa ótima foto e acabar se decepcionando. Outras vezes, aquelas em que ele menos apostava acabam virando imagens impressionantes. Dê uma olhada em algumas delas:

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2015/10/Evening-Primrose-2-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2017/01/Mexican-Sunflower-1s.jpg?fit=1920%2C1317

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Messy-Small-Daisy-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Succulent-Flower-4-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Flatflowers-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Fluffy-Flower-Cluster-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2013/03/Frozen-Drip-Flower.jpg?fit=774%2C1280

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/04/Calla-Lily-2-5-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Sweet-Tiny-Flowers-4-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/New-Succulent-Flower-1-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Angels-Trumpet-Small.jpg?fit=1280%2C1162

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2015/10/Hairy-Flower1-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2017/01/Plains-Coreopsis-Pair-2-Small.jpg?fit=1920%2C1280

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2015/10/Hairy-Flower-5-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2017/01/Bee-Balm-4-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2017/01/Silk-Floss-Tree-Flower-2s-1.jpg?fit=1920%2C1280

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/04/Blanketflower-1-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Hollyhock-Shortstack-Small.jpg?fit=1280%2C853

http://i1.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/03/Narcissus-6-Small.jpg?fit=853%2C1280

http://i2.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2016/04/Calla-Lily-Heart-small.jpg?fit=1280%2C1280

http://i0.wp.com/www.cpburrows.com/wp-content/uploads/2017/01/Unknown-Leaf-1-s.jpg?fit=1280%2C1920

Todas as fotos © Craig Burrows;fonte: via

Fotos poderosas retratam crianças albinas perseguidas para serem usadas em feitiçaria

Nascer albino na Tanzânia é como ter uma etiqueta marcando seu preço. Feiticeiros locais utilizam partes do corpo de crianças com a condição em rituais, o que leva algumas pessoas a “caçar” meninos e meninas em troca de dinheiro. A fotógrafa holandesa Marinka Masséus criou uma bonita série para chamar atenção para o assunto.

albinos

O albinismo é uma condição genética causada pela falta de melanina, pigmento que dá cor à pele, cabelos e olhos. No mundo, estima-se que 1 em cada 20 mil pessoas nasce assim. Na África subsaariana a proporção é bem maior, e a Tanzânia se destaca ainda mais, com um bebê albino a cada 1400 nascimentos.

dupla

albi

Cientistas acreditam que a concentração maior de albinos na região tenha a ver com a consanguinidade – relacionamentos entre pessoas das mesmas famílias. Enquanto muitos moradores do país acreditam que as crianças com a condição sejam fantasmas que trazem azar, feiticeiros usam que partes de seu corpo em poções para dar sorte.

albino

Assim, caçadores sequestram crianças e amputam braços e pernas, além de arrancar olhos e até genitálias para vender. Segundo a ONU, há quem acredite que, se o albino estiver gritando durante a amputação, seus membros ganham mais força nos rituais.

alb

meninos

Marinka Masséus conheceu o problema e decidiu criar uma série fotográfica para que mais pessoas fiquem sabendo do que acontece na Tanzânia. Segundo ela, há famílias que matam recém-nascidos com albinismo para evitar maldições. Outras mandam as crianças para crescer afastadas da sociedade, em condições precárias.

maos

“Quis criar algo visualmente chamativo para mostrar a beleza das crianças albinas e passar uma mensagem positiva, de esperança, aceitação e inclusão”, diz Marinka. “Meu objetivo foi fazer imagens que prendessem a atenção das pessoas, tocando seus corações ao mesmo tempo em que levasse a mensagem adiante”, completa.

flor

garotos

dois

albinoss

oculos

ninho

vermelho

tanzania

Todas as fotos © Marinka Masséus ;fonte: via

O que acontece com cachorros de rua neste terminal de ônibus de Curitiba é uma aula pra todos

Segundo a OMS, existem mais de 20 milhões de cães sem um lar aqui no Brasil. E, de todos estes cachorrinhos abandonados, 14 milhões acabam em abrigos, sendo que 90% nunca encontrarão um dono para chamar de seu.

Em Curitiba essa realidade não é diferente. Estima-se que existam 50 mil cachorros vivendo nas ruas. Três deles, Max, Pitoco e Zoinho, vivem dentro de um terminal de ônibus, no bairro Barreirinha.

Mas eles são cachorros de sorte. Foram adotados pela comunidade, e se tornaram cães comunitários, recebendo carinho, água e comida dos funcionários do terminal, moradores da região e passantes do local.

18274928_1698866196797167_4061658317737220424_n

E a ONG Cão da Barreirinha, preocupada com o frio rigoroso que costuma fazer no inverno da capital paranaense, tomou uma iniciativa simples mas bastante eficaz para proteger os três simpáticos cãezinhos. Eles arrecadaram pneus e cobertores para criar caminhas, que previnem do frio e dão mais conforto e segurança para Max, Pitoco e Zoinho.

Lembrando que o Cão Comunitário já é uma realidade em muitas cidades do país. Para ajudar, procure a prefeitura ou ONG’s locais e se informe.

18199357_1698866216797165_5914631246828123635_n

18275157_1698868553463598_3602376340482440154_n

18199144_1698868540130266_8550522957667579853_n

Todas as fotos © Reprodução Facebook;fonte: via

Veja como “plantar” um relógio que mostra o horário através das flores

Muitos dos maiores conhecimentos humanos podem ser encontrados em diversas formas dentro da natureza. E a noção de passagem do tempo, e a medida fina dessa passagem, para muito além da posição e da incidência da luz do sol, também está presente na natureza intensamente. Não é exagero ou imprecisão afirmar que nossa fauna e flora funciona como um relógio – muitas vezes literalmente. É dessa forma, portanto, que os relógios florais foram inventados, utilizando o comportamento das flores para calcular a hora.

 

Foi o famoso naturalista e botânico sueco Carolus Linnaeus quem primeiro classificou as plantas, através também da percepção de que flores distintas abriam e fechavam suas pétalas e horários determinados do dia.

Assim, basta organizar devidamente a disposição em círculo dessas flores, de acordo com o horário de suas atividades biológicas, para criar seu próprio relógio floral. É preciso de uma área grande e de flores específicas e diversas, mas o resultado pode ser espetacular.

Comece pela marcação da posição da 01 hora em seu relógio com o cravo silvestre, que se fecha nesse horário;

EDIT_cravo silvestre

Na posição das 02 horas, use a pimpinela escarlate, flor que se fecha nessa hora;

EDIT_pimpinela escarlate

Às 03 horas, quem se fecha é o dente-de-leão, que é a flor para essa posição;

A corriola-rosada deve ser posicionada às 04 horas, hora em que ela fecha suas pétalas;

Para as 05 horas, uma flor um pouco mais difícil de se posicionar: o nenúfar branco, que se fecha nesse horário, mas que é uma flor aquática. Assim, um pequeno lago no local se fará necessário;

Para marcar as 06 horas, use a silene coronária, que irá se abrir então;

EDIT_coronaria

O que deve marcar a posição das 07 horas é a calêndula e seu fechamento;

As 08 horas, a flor é a não-me-esqueças, que irá se abrir nessa hora;

Para as 09 horas, a flor do cardo, que se fecha então;

EDIT_flor-do-cardo

A marcação das 10 horas é com a lapsana, que nessa hora se fecha;

Para marcar 11 horas, nada mais apropriado que a flor onze-horas, que justamente se abre no horário que lhe batiza;

Para concluir, as 12 horas são marcadas pela flor de maracujá, que abre exatamente no ponto mais alto do relógio.

E seu relógio então estará pronto – agora é só deixar a natureza agir, e demonstrar sua sabedoria de forma espetacular, até mesmo para simplesmente mostrar a passagem do tempo.

© fotos: reprodução;fonte: via