Este barista superou todos os limites e provou que café também é arte

Ah, o café… Esse líquido capaz de nos levantar quando estamos cansados, de nos abraçar com seu calor e enfeitiçar com aquele cheirinho inconfundível. Como se a bebida já não fosse boa o suficiente, um barista sul-coreano resolveu transformá-la em obras de arte.

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912becdbc86b__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf3e50dd6__700

Seu nome é Kangbin Lee, e ele batizou o estilo de Cremart (junção de “creme” com “arte”). Não satisfeito com os tradicionais desenhos feitos com a espuma, ele usa corantes para tornar suas obras ainda mais belas e coloridas. Às vezes, também utiliza outros alimentos para criar efeitos tridimensionais.

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912beb667d39__700

No Instagram, Lee publica diversas fotos das obras, além de vídeos mostrando um pouco do impressionante processo. Flores, personagens famosos, como Mario, A Bela e A Fera e até obras de arte, como A Noite Estrelada, de Van Gogh, estão entre suas criações. Deve até dar dó de beber…

IMG_20170223_141632_016-59128ca10efe9__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bec24bbc4__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bec6c4aa2__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912beb897003__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bed78dbba__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bed93437f__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bedeae9ae__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912befbbd766__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf29824ef__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf36099cc__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf44d2ebb__700

IMG_20170201_171631_116-59128d7259839__700

IMG_20170216_035934_020-59128dc647c13__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf3199d87__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf429e116__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bf066a81d__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912beff96185__700

Artistic-barista-from-korea-who-draws-art-on-coffee-5912bebe179ce__700

Todas as fotos © Kangbin Lee;fonte: via

A dedicação dessa mãe fez seu filho com paralisia cerebral formar-se em engenharia e entrar para Harvard

Amor de mãe é também sinônimo de paciência, dedicação e superação – e de ver a recompensa de todas essas virtudes no sorriso e nas conquistas do filho, crescendo e se tornando quem ele quer ser. Se essa máxima se aplica a qualquer mãe, o caso da chinesa Zou Hongyan é especialmente exemplar: seu único filho, Ding Ding, nasceu com paralisia cerebral, tendo sido desenganado por todos, incluindo médicos e seu próprio pai, que sugeriram que ela desistisse do menino, que teria, segundo eles, uma vida miserável e sem valor. Ela, porém, nunca desistiu – e 29 anos depois, o resultado de sua determinação é simplesmente comovente.

 Zou1

Zou não levou nenhuma das orientações citadas em consideração, separou-se do pai de Ding Ding, e tornou o apoio e o tratamento de seu filho sua missão de vida. Hoje seu filho é formado em Ciências Ambientais e Engenharia pela Universidade de Pequim, e recentemente tornou-se estudante de direito em Harvard. Para tal, porém, foi necessária a força de vontade do menino, mas também uma dedicação impressionante da mãe, que precisou levar 3 trabalhos simultâneos para conseguir sustentar sozinha sua família.

Zou2

Ao mesmo tempo em que trabalhava à exaustão, Zou desenvolveu jogos cerebrais que estimulassem os sentidos de seu filho, que acabaram por servir como uma espécie de ginástica para a solidificação de sua evidente inteligência – a qual Zou jamais desacreditou. A mãe ensinou Ding Ding inclusive a comer usando hashi, os tradicionais palitinhos de madeira orientais, apesar de suas dificuldades motoras.

Zou4

O trabalho foi árduo, ininterrupto e severo ao longo dos anos, Zou admite: “Por conta de suas habilidades inferiores em tantas áreas, eu era bastante rigorosa nesse trabalho, para que ele corresse atrás onde tinha dificuldades”, ela afirma. “Eu não queria que ele se sentisse inferior por conta de seus problemas físicos”.

Zou5

O progresso do filho é não só evidente, como espantoso. Mais espantoso ainda seja comprovar não só a força de uma mãe com seu filho, mas também o quanto o rigor da ciência pode ser expandido, se tal rigor for aplicado com uma dose irrestrita de amor.

Zou3

© fotos: reprodução;fonte: via

Apaixone-se por estes pôsteres minimalistas de grandes artistas brasileiros

O artista gráfico Rafael Barletta, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, é apaixonado por ilustrações e cultura pop desde criança, mas foi só na adolescência que começou a desenhar. Hoje, seu talento é reconhecido mundialmente, e seus pôsteres minimalistas inspirados em filmes, personagens, artistas e músicas fazem o maior sucesso.

Seu mais recente projeto é o “Clássicos Brasileiros”, onde Rafael ilustra populares cantores do país acompanhados de trechos de suas músicas. Há diversos clássicos, desde Rita Lee e Tim Maia, até Luiz Gonzaga e Elis Regina. Todos representados com uma pegada colorida e um ar meio retrô. Confira:

Print

Print

Print

Print

Print

Print

Print

Print

Imagens © Rafael Barletta;fonte: via

Londres vista de cima e de noite fica ainda mais misteriosa

70b440235ff46e96abe3096f6614d417a72601ef_860

O fotógrafo britânico Jason Hawkes está acostumado a tirar fotos das alturas na cidade de Londres. Autor de mais de 50 livros e responsável por inúmeras campanhas publicitárias, nos últimos 20 anos, ele está fotografando a capital britânica a partir de um helicóptero bimotor AS355.

A porta da aeronave foi removida de modo que quando Hawkes fotografa, ele e seu equipamento ficam amarrados diretamente ao helicóptero, permitindo-lhe a flexibilidade necessária para tirar fotos exclusivas da metrópole em constante mudança.

Veja algumas de suas fotos:

5d16a7cc3cd05d05a74c991b37770f048e0dc99b_860

7ac39194b7ad9d370f5defba29df96f797417b01_860

61ac6249fbd129f3fd75e971e22bb88e718dcd5a_860

66af5634310eccf350e15d878ff1c5bf98016e7b_860

70b440235ff46e96abe3096f6614d417a72601ef_860

75f0c1ec01a40b5484b38942a5c9bf15a74fa66a_860

93bc27712aa1a4a34cb2c22d287c4a5354aa9dc7_860

468bf9c862b90590b3661d5951b894b941b9a389_860

8925aa3e56d3f96e639c8a1e889ef3471cfbce0a_860

8973cd74511223627a749e7588b27c03ad48a862_860

b1ddf4008c2d17192aaf92efe55a7edec25fdd73_860

b37588571c2e9cd5338f2209ed84b619773a2909_860

bdebd68a7eedf690752e877e7336597d6e5cfb8c_860

bfe8084aae2cc66d0dea2ab0bb04e263e69e5f74_860

ca534b9cf7de87efe9fde5a994ac2b89a2c0e93e_860

d36a7333d17eafe221d375432bd23c52971487fd_860

© Jason Hawkes;fonte: via