Esses jardins vão te deixar com vontade de embarcar para o Japão agora

A imagem pode conter: árvore, planta, atividades ao ar livre e natureza

O arquiteto americano Marc Peter Keane passou cerca de 20 anos em Kyoto praticando paisagismo e foi o primeiro estrangeiro a receber um visto de trabalho no país como arquiteto paisagista. Em 2015, ele visitou e fotografou mais de de 100 jardins japoneses, identificando aspectos que considerou reveladores sobre seu design.

J6

Sua pesquisa resultou no livro Japanese Garden Notes, que contém mais de 400 fotos dos mais notáveis jardins japoneses. Agora, de volta a casa, Keane mantém um escritório em Nova York onde cria esse tipo de jardim para espaços públicos e privados. Confira algumas fotos do livro e entenda de onde veio tanta inspiração. Dá vontade de embarcar para o Japão agora para ver esses pequenos paraísos de perto!

J3

J4

J2

J1

Fotos: reprodução/fonte:via

Anúncios

A nova ‘maior roda gigante do mundo’ será em Dubai

4249CFB600000578-4692382-image-m-53_1499941410026

A maior roda gigante do mundo está sendo construída em Dubai, a Ain Dubai (‘Ayn’ é a décima sexta letra do alfabeto árabe, e é traduzida como ‘olho’). O olho de Dubai com 201 metros irá superar os 165 metros do Singapore Flyer, atualmente a mais alta roda-gigante do mundo.

4249CFA800000578-4692382-image-m-54_1499941469737

Com vistas panorâmicas sobre a costa de Dubai, incluindo o Burj Al Arab, a Palm Jumeirah e o Burj Khalifa, o projeto incluirá áreas de entretenimento, com uma variedade de lojas e restaurantes, um hotel de luxo cinco estrelas e edifícios residenciais privados.

4249D2C000000578-4692382-A_sight_to_behold_Made_by_Hyundai_these_double_glazed_pods_will_-a-1_1499946188544

A roda gigante faz parte do projeto Bluewaters Island e os responsáveis pelo seu desenvolvimento esperam atrair mais de 3 milhões de visitantes por ano.

O complexo de 1 bilhão será construído perto Jumeirah Beach Residence, ligado à beira mar por uma ponte de pedestres e ao continente por uma ponte de Sheikh Zayed Road, com um sistema de teleférico para o transporte de visitantes.

4249CFB600000578-4692382-image-m-53_1499941410026

A Ain Dubai terá a capacidade de transportar 1.400 passageiros em 48 cápsulas autônomas. Cada uma delas terá vidros duplos e medirão 100 metros quadrados

Toda terá 9 mil toneladas de aço, o que é mais do que a Torre Eiffel e pesará mais do que o equivalente a oito Airbus A380s.

A construção do complexo será concluída em 2018.

* Imagens: Reprodução/fonte;via

Um dos maiores icebergs da história acaba de se desprender; entenda as consequências

A imagem pode conter: céu

Um gigantesco bloco de gelo de 5,8 mil quilômetros e trilhões de toneladas se desprendeu de um segmento da Antártida e agora está à deriva no Mar de Weddell, criando assim um dos maiores icebergs que se tem notícia. O ocorrido se deu nos últimos dias, e altera significativamente o mapa do continente gelado, reduzindo a plataforma de gelo Larsen C, da onde o bloco se desprendeu, em 10 por cento.

Essa ruptura não possui necessariamente conexão com efeitos de mudanças climáticas no planeta, visto que o ciclo natural da Antártida inclui tal processo (anualmente blocos se separam e depois a plataforma se refaz, reiniciando o ciclo). Nem o novo iceberg alterará o nível dos mares, garantem os cientistas – o problema pode estar no efeito da ruptura sobre a plataforma Larsen C.

Nos últimos anos, outras duas plataformas – A Larsen A e B – desapareceram por conta de instabilidades em suas estruturas geradas por grandes rompimentos, como o ocorrido recentemente. Esse processo sim, aconteceu devido ao recuo das plataformas provocado pelo aquecimento global. Se ocorrer com a Larsen C, tal fenômeno, ainda que leve décadas para se concluir, pode atingir as camadas de gelo sobre a terra – e essas, derretidas, podem sim impactar no nível dos mares.

Monitorar as atividades no complexo sistema natural da Antártida não é simples, e é por isso que o ocorrido está atraindo tanta atenção da comunidade científica. O degelo dos blocos sobre a terra no continente podem vir a elevar o nível dos mares em até 6 metros. Enquanto alguns poderosos e empresários seguem teatralmente questionando ou pouco se importando com os efeitos da ação humana sobre o planeta, a natureza nos oferece, dia após dia, os resultados concretos de tais excessos – cabe a nós escuta-la ou não.

© fotos: divulgação/fonte:via

Que tal um passeio de barco por esse canal francês?

canal-du-midi-36

Fora do roteiro turístico mais conhecido da França, o Canal dos Dois Mares é um dos feitos mais notáveis da engenharia civil realizados no século XVII. Ele consiste, na verdade, em dois canais, o du Midi e o de Garonne, que ligam o Mar Mediterrâneo ao Oceano Atlântico.

Sua construção começou em 1667 e foi até 1681, sendo que ele foi criado para servir como rota marítima alternativa ao Estreito de Gibraltar, muito perigoso na época, por conta dos piratas que atacavam diversos navios mercantes, e das intensas tempestades que costumavam atingir o local.

Com o passar dos anos e a modernização do transporte terrestre, o tráfego de embarcações no canal foi diminuindo, e hoje, além de ter virado Patrimônio Mundial da UNESCO, ele é usado para turismo e esportes aquáticos, sendo possível caminhar por toda a extensão do canal, admirando tanto vinhedos como incríveis campos de girassóis.

canal-du-midi-75

canal-du-midi-112

canal-du-midi-36

canal-du-midi-42

canal-du-midi-92

canal-du-midi-52

canal-du-midi-69

canal-du-midi-82

canal-du-midi-102

canal-du-midi-136

canal-du-midi-122

canal-du-midi-142

Imagens © David McKelvey/Marcel Musil/jp.37/Tourisme en Occitanie/tourisme tarn et garonne/Gemma Llorensí Torrent/fonte:via